Quantcast
PplWare Mobile

Destino dos resíduos eletrónicos passará a ser monitorizado por GPS

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Cidadão anónimo says:

    Os equipamentos em fim de vida têm valor(por isso são desviados), atualmente os contentores desses resíduos são verdadeiras caixas fortes.
    As autoridades obrigam-nos a pagar taxas na altura da compra dos equipamentos novos, quando nos deviam atribuir um desconto no novo pela entrega do velho.

    • lopes says:

      O problema é quantas vezes é que na compra de um equipamento novo, entregas o velho à troca, pois, poucas ou nenhumas, o mercado paralelo vai sempre existir uma vez que existe procura.

      Hoje tudo tem um preço e um equipamento mesmo com alguma avaria se for desmontado para peças ainda se consegue bom dinheiro, ao contrario de quando se dá o mesmo para abate em que te dão um desconto irrisório na aquisição de um novo.

    • David Guerreiro says:

      Mas também há muita dificuldade em colocar os equipamentos antigos, pois em muitos casos exigem deslocações maiores. Temos os ecopontos por todo o lado, mas para lixo eletrónico é muito pouco.

  2. Mestre says:

    O dinheiro que vão gastar no sistema era melhor empregue em ecopontos colocados em locais de fácil acesso.
    Perto da minha casa há um local de desmantelamento de resíduos elétricos e até há pouco tempo ia lá entregar tudo o que eram REE, mas pelos vistos a lei agora impede-os de aceitar, a solução mais pertoé ir entregar á Worten (tendo de atravessar toda a loja), mas não estou a imaginar alguém ir lá entregar um REE com alguma dimensão.
    Mais uma hipocrisia da zero.

  3. Miguel says:

    mais um equipamento para incorporar nos demais.
    Se o equipamento for velho, como é que o sistema de GPS garante emitir sinal por muito tempo ?

  4. Manuel Costa says:

    Perto de onde trabalho existe um “Ponto Electrão” onde as pessoas depositam vários equipamentos, desde televisões a pequenos computadores.
    Várias vezes vejo lá jovens, enfiarem-se dentro e retirarem quase tudo o que lá está.
    Um dia vi 3 rapazes, tiraram um computador, meia dúzia de coisas de cozinha, umas máquinas que não percebi o que eram e uma televisão antiga. Ao sair do supermercado, a carrinha deles ia na frente, aproveitei para os seguir. Pararam noutro electrão de onde tiraram mais uma dúzia de máquinas e “recolheram” uma máquina de lavar que alguém deixou junto a um vidrão, no meio de vivendas. Entraram numa vivenda que aparentava ser uma loja de ferragens.
    Uns dias depois, passei por lá, junto ao caixote do lixo estavam vários sacos de lixo com plásticos que reconheci das máquinas que os vi tirarem. Mas, não vi nenhum metal. Já lá passei mais umas vezes e todas as quartas, deixam 7-8 sacos, supostamente para reciclagem, junto ao caixote de lixo. Um conhecido disse-me que chegam a conseguir 15000 euros a vender metais numa sucata ali perto e que vendem peças pela internet.

    • Rui Marques says:

      Deste teu relato, sugiro que faças uma denúncia, que até pode ser anónima.
      Isto é como nas reclamações. Se nunca nínguem reclama do que está mal, para quem controla a situação é como se tudo estivesse bem.
      Os portugueses deveriam ter mais a iniciativa de reclamar (mas reclamar do que está mal).

    • Zé Fonseca A. says:

      Sim, há muito malta a fazer isso, há uns anos atrás esvaziei uma casa para vender, então tinha um contentor com entulho à porta e o vizinho foi lá perguntar se podia ir tirar o metal que me pagava um café, eu disse para ele ir tirar o metal e levar a esposa a jantar, fez quase 200€ na venda do metal.
      Muita gente faz isso e não tem problema, os sitios de reciclagem desse material fazem exactamente a mesma coisa pois são obrigados a tirar todos os metais antes de reciclarem, não gabo a ninguém um trabalho desses, quem quiser que faça isso em casa e depois me diga se compensou o esforço.

  5. Mila says:

    Portugal é um país hipócrita e sonso relativamente ao “verde”.
    Finge que faz e que é mas a única coisa que faz é cobrar mais €€€€€€ para se mostrar pseudo-ecologico.

    Portugal nem sequer tem capacidade de tratar lixo eletrônico, óleo alimentar , pilhas , etc..
    Tudo do pior para lençóis freáticos.

  6. dude says:

    Lol. Probabilidade de isto ir para a frente é zero. E depois começavamos no gps a ver os navios cheios de resíduos electronicos que os países ditos desenvolvidos mandam para paises pobres, para eles tratarem do problema que não se quer ter. Ia ficar mal na foto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.