Quantcast
PplWare Mobile

Portugal deveria também ter a sua própria moeda digital?

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. Manuel Costa says:

    Moedas digitais…. 100% de hipóteses de perder todo o dinheiro e ainda pagar por isso. Ao mesmo tempo, 100% a depender de pagar 3000 euros por telemóveis e ligações à internet, além da electricidade.

    Há 2 semanas atrás fui a um supermercado, onde não comprei nada, pois a rede falhou e o supermercado não podia fazer as contas. Fui a uma mercearia local, onde a funcionária também se queixava que a internet não estava a funcionar mas, a máquina gravava os dados sem precisar da ligação permanente. Paguei com dinheiro e segui para casa.
    Imaginem que terão 500000 milhões de emoedas, não tendo ligação à internet, nem 1 carcaça podem comprar… e são ultra mega milionários.

    • banana says:

      Qual é a diferença de guardares o teu dinheiro num banco tradicional? Tens todas as garantias de poder comprar uma carcaça se ele falir? Se os sistemas estiverem em baixo? Ou guardas as tuas poupanças debaixo do colchão?

      • Vrael says:

        Tens! Os bancos são obrigados a dar te até 100mil euros acho eu do teu dinheiro, se la tiveres 300 mil so recebes 100 mil, por isso é que ricos não tem tudo no mesmo banco, dividem por imensas contas.

        • JR says:

          As pessoas que perderam tudo o que tinham no BES riram para não chorarem com esse comentário 🙂

          • Zé Fonseca A. says:

            Chama-se fundo de garantia bancário e é garantido para contas à ordem e depósitos a prazo tradicionais.
            Os lesados do BES aplicaram o dinheiro em investimentos de risco com grande retorno caso tivessem sucesso mas com o risco de perderem todo, tal como meter dinheiro em acçoes ou em crypto, o risco está lá.

          • Zé Fonseca A. says:

            Para não ter mais de 100k no banco invisto em imobiliário, não só tenho rendimento como a qualquer altura me posso desfazer do imóvel.

          • JR says:

            @Ze
            Volto a repetir, vai dizer isso as pessoass que tinham o dinheiro no BES
            Já foi comprovado, várias vezes, que milhares perderam tudo o que tinham no banco e esses fundos foram movidos de contas a ordem para fundos de investimento sem qualquer permissão.

          • Sujeito says:

            @Zé Fonseca, esse fundo de garantia não é garantido.

            O Estado diz que garante mas já nem sequer depende deles pois passaram esse poder de decisão e autorização para fora.

          • Zé Fonseca A. says:

            Os poucos casos onde isso aconteceu têm de processar quem o fez por fraude bancária, muito simples, e o seguro do banco tem de ser activo para devolução do dinheiro.
            A questão dos ainda pseudo lesados do BES é que aqueles que ainda reclamam não têm provas de nada, diria mesmo que todos concordaram com o investimento em capital de risco e agora choram o dinheiro perdido como se não soubessem o que poderia acontecer, provavelmente não esperam que acontecesse uma vez que os investimentos que deram torto eram sobre o próprio BES que faliu.

          • John !Dough says:

            BES, BPN, BPP …. o B deve ser de burlões/buraco e não de banco….

        • Rrrr says:

          São obrigados… fia-te na virgem.
          Os políticos e banqueiros tb deviam fazer o melhor por nós e é o que se vê…

          • Sujeito says:

            Exacto. Não só há obrigatoriedade nenhuma como nem depende do Estado Português e de quem depende, os precedentes não abonam a favor.

        • Helena Madeira says:

          Primeiro que tudo, o dinheiro que é garantido é apenas o que estiver em depósitos. Segundo, o fundo de garantia diz que recebes o teu dinheiro, nada diz QUANDO, e sim, o dinheiro não é entregue quando a pessoa quer, mas daí a muito tempo.
          E terceiro, em alguns paises o dinheiro dos depósitos foi usado pelos governos para pagar dividas, e não, o dinheiro nunca foi devolvido. Os casos mais faceis de pesquisar são o Chipre e a Argentina, mas existem mais casos.

          • Sujeito says:

            E melhor, na situação do chipre, o BCE e a comissão europeia violaram as suas próprias leis.

            E esse dito fundo de garantias passou a ser gerido pelo BCE e não por Portugal. Fundo de garantias esse que o BCE espezinhou no Chipre também. Portanto é contar com o ovo no traseiro da galinha.

        • Sujeito says:

          Eles não são obrigados a dar 100mil euros.

          O Estado Português tem de ser autorizado pelo BCE, ao qual passou a soberania do programa.

          Portanto não só tens o Estado a mentir na sua própria página ao dizer que garante, quando não depende deles essa garantia, como tens os precedentes no caso do Chipre que mostram que o BCE não tem grandes intenções de honrar a própria legislação europeia, muito menos quando a decisão lhes compete a si próprios.

      • Sujeito says:

        A diferença não está em não ser melhor do que o que se tem. Está em ser pior.

        Além das desvantagens que apontaste no sistema tradicional, este é a continuação do esquema trará mais umas quantas. Embrulhadas num belo laçarote de conveniência e promessas de combate à corrupção.

      • Dunno says:

        Nao alimentes o troll

      • Não digo says:

        Um banco tradicional nunca vai falir e perderes o dinheiro porque o estado ou a EU não deixa. porque se assim fosse muita gente perdia dinheiro e outros ficavam sem dívidas.
        Se alguém pensa que isso é possível… É porque ainda são muito tenrinhos.

    • Rodrigues says:

      +1
      Se não está na tua mão não é teu.

    • JR says:

      Então basicamente teres o dinheiro na mão ou não é o mesmo que nada porque não poderias pagar…
      Estar a tentar atirar areia para os olhos dos outros é engraçado…
      Pareces politico. muito falas e nada dizes

    • ZarkBit says:

      3000 euros por telemóveis, ligação à Internet e electricidade? Vai lá ver o teu quadro que parece que fizeram lá uma puxada…

      Em relação à perda de dinheiro, perda como assim? O mesmo pode acontecer com o teu dinheiro físico actual… Perdes a carteira, o banco dá-te as notas e moedas de volta? Não… Mas se for uma carteira digital com as devidas protecções (as movimentações da carteira digital presume-se que serão feitas através do telemóvel portanto Pin SIM+Pin ecrã/PIN aplicação bancária/token sms/matriz/impressão digital) se calhar nem tens essa preocupação, mesmo que o valor seja usado indevidamente é mais facilmente rastreado porque todas as transações são monitorizadas ao contrário do dinheiro físico, e não te esqueças que os pagamentos contactless têm limites no que toca ao valor da transação e no número de transacções consecutivas, se calhar esta parte precisa de uma revisão para prevenir a perda de valores significativos.

      Para que o valor seja convertido para a forma física, presumo que a maioria simplesmente nem se vai dar ao trabalho a não ser que tenha a sorte de ter a aplicação bancária já desbloqueada e mesmo assim ainda terá que autenticar a operação final, ou seja mais trabalho.

      O banco abre falência tens a garantia de depósitos e esta garantia continuará a existir com a Moeda Digital.

      Dou-te razão em relação às falhas de electricidade, no entanto são raras, já em relação à net, já que as operadoras gostam de quebrar a lei no que toca ao zero-rating, porque não zero-rating nas aplicações bancárias? Isto tudo está a ser levado em consideração, no entanto o Euro Digital se for criado vai ser um complemento ao Euro físico e não uma substituição.

      Desculpem a confusão do texto.

      • Samuel MG says:

        Vai dizer isso aqueles a quem lhes foi roubado 90 milhoes de euros em crypto moedas!!

        • Rafael Cardoso says:

          Foi lhes roubados por que estavam em exchange. Não estavam numa hardwallet.
          Não falar do que não se sabe.

          • Samuel MG says:

            Eu estava a falar daqueles que tinham um “site” com muitas contas de blockchains. Transferiram as crypto moedas para uma conta anónima Resumindo o sucedido:
            Transferiram as crypto moedas das contas enquanto o serviço em baixo com a desculpa de que o servidor foi invadido.

        • JR says:

          Não foi de certeza nas suas carteiras 🙂
          Se está na exchange.. Normal não estar safe…
          O mesmo para o dinheiro no banco.. “Seguro” dizem eles…

        • ZarkBit says:

          O que é praticamente a mesma coisa que alguém que tenha ganho acesso à tua conta bancária actual e tenha desviado o dinheiro….

    • Samuel Rodrigues says:

      Que mente mais fechada meu deus, por pessoas como o senhor Portugal está 50 anos atrasado fds…

  2. rjSampaio says:

    Sou 100% a favor de moedas digitais nos prencipio básicos:

    Transparência das transações / descentralização / sem fronteiras / etc.

    Agora sou contra Portugal ter a sua, penso que deveria ser algo mundial para evitar exchange.

    • Vrael says:

      Eu ate posso ser a favor de um euro digital agora uma moeda portuguesa? Não obrigado, era voltar ao escudo mas digital

      • nelson says:

        Acabar com dinheiro vivo e obrigar a ser tudo por multibanco.
        Obrigar os bancos a reportar o total anual de quanto entra e sai das contas por nif.
        Era o fim das fraudes e fuga ao fisco, era o fim dos assaltos por dinheiro uma vez que tinham de transferir para outra conta e portanto ficavam identificados…

        Também era o fim dos “favores políticos”, portanto provavelmente nunca vai para a frente.

        • nelson says:

          Faltou dizer…

          6 meses depois de por isto em prática já dava para ter ideia do valor real da economia e podia-se baixar os impostos provavelmente para metade sem o estado ficar a perder dinheiro.

          Vai vir sempre alguém com a conversa dos velho não saberem usar o multibanco… usem contactless na pior das hipóteses alguém engana meia dúzia de velhos até alguém perceber que 200€ por um par de meias não deve ser correto e mandar o vigarista para a prisão e anular as transações.

          • Luís Silva says:

            Baixar os impostos! Baixar os impostos faz-se acabando com os paraísos fiscais dos vigaristas dos politicos e magnates!

        • Sujeito says:

          Há quantas décadas andam a dizer que a próxima medida é que vai acabar com as fraudes e trafulhices?

          O resultado tem sido sempre mais falcatruas e trafulhices.

        • Zanoni says:

          … e já agora um Salazar, um Salazar não… pagava mal aos militares era apenas um pequeno ditador… um Maduro, um desses que paga bem aos militares e deixa o povo na fome! estamos no caminho.

      • José Santos says:

        Já existe: CryptoEscudo.

      • Sujeito says:

        A tua afirmação é de anti soberania nacional, que tem muitas implicações.

        Tens essa noção pelo menos?

    • HOS says:

      Descentralização nas moedas digitais? Nao estarás a confundir com criptomoedas?

    • Pedro H. says:

      +1. O Mundo ter apenas uma moeda. Acabavam os câmbios de vez. Poder fazer transacções ser ter de perder/ganhar dinheiro com o câmbio era o ideal num mundo cada vez mais globalizado. Mas oponho-me que seja digital. Ou o sistema monetário digital é resiliente a falcatruas ou então passamos a usar carteiras à base de chips, tal como muitas séries de ficção cientifica aclamam: o chamado credit chip.

    • RPG says:

      Estás a fazer uma grande confusão, o que até acho normal, visto não ser esclarecido por exemplo neste artigo. Moeda digital ou criptomoeda, são coisas totalmente apostas, sendo a única coisa em comum o facto de serem digitais. A principal diferença é precisamente o facto da moeda digital ser totalmente centralizada, enquanto que uma criptomoeda é descentralizada. Depois tem ainda por exemplo a questão da transparência. No moeda digital apenas tem acesso às transações os envolvidos (quem envia, quem recebe, e as autoridades bancárias), na crypto todas as transações estão visíveis ao público.

      • rjSampaio says:

        não estou, porque o termo “moeda digital” hoje em dia referece aos criptos.

        estamos a ser pedanticos se formos por ai, tanto que posso dizer que nem todas as transaccoes de criptos são visiveis, logo tambem a tua afirmação estaria errada.

  3. Miguel says:

    Para que? Guardo as notinhas todas em casa, gosto de sentir o cheiro do dinheiro e tenho muito!

  4. alt.menino says:

    Independentemente da opinião de cada um, o dinheiro físico vai deixar de existir num período muito curto. A moeda ou as moedas digitais a prevalecer vai ser mais uma forma de poder. A nivel de rastreio dará um control total aos Governos de cada País. Gostem ou não, é o futuro……

  5. Leandro says:

    Portugal não. União Europeia sim. Se estamos na UE não faz sentido, e provavelmente nem legal seria, ter uma moeda própria quando optámos pelo EURO.
    Se concordo com dinheiro digital? Plenamente. No futuro acredito que tudo será feito de forma digital. Hoje em dia, inclusive, maior parte das nossas transações são realizadas totalmente de forma digital. Portanto, porque não?

  6. HOS says:

    Moedas digitais e criptomoedas nao sao a mesma coisa, so para acrescentar essa informaçao e esclarecer as pessoas que confundem uma coisa com a outra.

    • rjSampaio says:

      Acho que aqui ninguem associa o termo “Moedas digitais” com transacoes comus, SIBs, MBway, etc.

      Mas sim Cripto é um subset de moedas digitais.

  7. Leão says:

    Portugal deveria ter uma criptomoeda. Todos os portugueses teriam direito a X moedas à cabeça. Estas moedas poderiam ser transacionadas em todo o tipo de comércio.
    Para beneficiar o povo portugês, todos os turistas teriam que adquirir Y moedas para entrarem em Portugal. Estes poderiam trocar as suas moedas por algum produto ou serviço ou simplesmente mantê-las.
    Quantos mais turistas, mais procura existe da moeda, maior procura equivale a subida do preço. Todos os portugueses ficariam a ganhar com o turismo em Portugal.

  8. Redin says:

    Dinheiro digital nunca em tempo algum.
    Cripto economia, sim, desde que cumpra os requisitos dos princípios enunciados no Bitcoin. Controlo total do seu proprietário, trocas com custos mínimos, instantâneos, etc.
    Num mundo de moeda digital já vives. Fazer mais para além disso tal como o Banco Europeu pretende fazer, é tirar toda a liberdade monetária e oferecer armas e condições ao estado para o intervencionismo financeiro.
    Mas vamos supor que sim. Com quem a Europa ou Portugal iria partilhar esse conhecimento? A moeda teria de ser compatível internacionalmente para permitir a livre circulação de capitais. Se cada um país criar a sua própria moeda, como vão ser feitos os câmbios? Mais importante ainda, se eu tiver o meu dinheiro FIAT num banco Central, qual o papel dos bancos comerciais no meio dessa história? Não iremos mais precisar deles se pudemos ter esse relacionamento diretamente com o Banco Central.
    Com esse tipo de atrito, bem podem sentar e disfrutar junto com um grande balde de pipocas.
    Até isso acontecer, o mundo pula e avança no mundo das criptomoedas, queiram vocês, os governos, ou quem quer que seja ou não, elas não pedem licença para ninguém.

    • Sujeito says:

      Verdade.

      Exceto que é exatamente essa a direção da comboiada. Moeda digital fornecida e controlada pela Reserva Federal e seu primo BCE. Tanto que já se estão a posicionar para operar dessa maneira e passar por cima dos outros bancos, centralizando em si próprios.

      E quanto ao “proprietário”, a palavra correcta seria titular de propriedade. Diferente de proprietário.

    • Telma says:

      Estás a ver as coisas por um prisma incorrecto.
      Sim, em termos gerais estás correcto. No entanto Portugal poderia criar o euroPT, ou o E-escudo, ou o que seja. Pegar nesse dinheiro (criado do ar) e atribuir isso em vez de reformas, em vez de subsidio de desemprego, em vez de rendimento mínimo. E iriam aumentar o dinheiro atribuído a todos.
      A única condição seria que as pessoas teriam de usar o dinheiro todos os meses, sem poupar, porque no final do mês o dinheiro desaparece.

      A ideia soa boa? O governo cria dinheiro do ar, com isso gera inflação, faz a economia mexer, e com isso a divida publica desaparece facilmente. Mas quem se lixa é o povinho.

  9. Toni says:

    Claro que sim: a chouriçoin!

  10. Nokas says:

    Portugal já tem a sua própria moeda digital, é o criptoescudo!

    • luigy says:

      minerei crypto escudo quando foi criada. Foi uma experiencia engraçada. Fico contente por ver outras malta com cultura 😀

      Mas objectivamente não resultou nem nunca vai resultar. Crypto moedas têm de ter uma plataforma global e honestamente o crypto escudo teve uma premine absurda xD

    • Zé Fonseca A. says:

      Moeda oficial, não se está a falar de moedas não regulamentadas…

  11. TT says:

    Penso que o cenário de dinheiro virtual é tudo muito interessante mas quando pensamos na sustentabilidade….esqueçam. Pensem em todo o material electrónico que vai para o lixo, muito poluente e sem hipóteses de ser reciclado (placas gráficas, processadores e também discos ssd), estou a falar claro de equipamento necessário para minerar e manter a moeda. Já para não falar do desperdício energético. Poderá no futuro haver outro tipo de moeda, para para mim a criptomoeda só vem destruir mais o planeta.

  12. Sardinha Enlatada says:

    E so a UE comecar a mudar as regras do jogo la vai a carneirada de paises a aceitar o que vem da UE. Nao ha outra forma, entao Portugal e logo dos primeiros a aderir. Eu so gostava mesmo de saber, sera que era assim tao simples saber onde para o dinheiro ? Ainda existe o sigilo bancario ou nao ? Se o governo nao quizer que se vasculhe aquela pessoa, como e que vao saber onde anda o dinnheiro ? Para isso teriaim de criar novas leis para exigir a transparencia dos bancos em relacao as transacoes. Ou estou a pensar errado ?

    • Sujeito says:

      Estás a pensar bem em fazer as questões.

      As respostas, infelizmente, é de que eles já afirmaram que “a grande vantagem” das moedas digitais que estão a propor é poder controlar quem gasta o quê e aprovar quem pode gastar o quê (independente de ter o dinheiro) e onde.

    • Telma says:

      Estás errado sim.
      Existe uma diferença entre não existir sigilo bancário e um governo ter acesso a tudo.

      Neste momento se existirem suspeitas, repito, suspeitas, podem ir vasculhar as contas, mas essas contas estão na mão de bancos. Com uma moeda centralizada o governo pode simplesmente ver em tempo real: onde a pessoa anda, onde a pessoa gasta dinheiro, quanto é que a pessoa gasta e em que anda a gastar.
      Se o governo decidir que não se podem comprar coca-colas por uma pessoa obesa pode proibir a compra ao bloquear o dinheiro na fonte. Se o governo decidir que todos têm de pagar 20% de taxa por usar o dinheiro não existe forma de contornar. Se o governo decidir que ninguém pode usar o dinheiro porque estamos em crise, fica bloqueado. Se o governo decidir usar o dinheiro para pagar divida publica, não existe forma de evitar isso (isso foi usado no Chipre bem recentemente).

  13. Luís Silva says:

    Digital já ela é! Só sei que tenho um papel a dizer que tenho o dinheiro; isto tirando meia dúzia de trocos que trago no bolso e, neste caso é só adaptarem as máquinas, por exemplo nos estacionamentos a aceitarem o cartão multibanco em vez da moedinha 🙂

  14. Elsa Souza says:

    Para quem achar que existir uma moeda digital controlada por um Governo deve olhar para o que aconteceu em Hong Kong. Durante os protestos as pessoas deixaram de usar os passes para utilizar o metro e autocarro.
    Isto porque o Governo tinha acesso aos dados pessoais dos utilizadores e andava a usar isso para saber quem andava a manifestar-se. Com isso as pessoas tiveram de passar a pagar as viagens com dinheiro fisico.

    Imaginem não terem a opção de usar dinheiro de forma anónima.
    Seja para comprar bilhetes no metro, seja para a droga ou seja para pagar um sex toy.
    As pessoas com dinheiro controlado por um governo deixam de ter acesso ao “seu dinheiro” e nada impede um Governo de criar um imposto de 20% apenas porque sim…… sem existir forma de esconder o dinheiro.

    E nunca assumam que um Governo é honesto, porque temos imensos exemplos de Governos que levaram países para o abismo, para guerras, para golpes de estado, etc.

  15. Manuel says:

    Sou do tempo do saudoso e incompreendido PMB (Porta Moedas Multibanco).
    Moeda digital segura sempre existiu em Portugal.

    • Susana Caeiro says:

      O PMB sempre foi inútil.
      É perfeitamente possível usar o MB para pagar, sem precisar de usar isso.
      E moeda digital é o dinheiro actual, que está nas contas bancárias e se usa com o cartão de debito e/ou crédito para pagar. E se faz uma transferência bancária para receber o ordenado.

  16. J. V. says:

    Digam sim ao não as moedas digitais não importa. As moedas ou tokens não são o que é importante aqui. Como dizem e bem nada é garantido. Agora uma coisa está confirmada sem a criptografia nas nossas vidas iremos ter um futuro muito negro, devido há quantidade de ataques informáticos constantes. Mil vezes ver os meus dados criptografados do que andarem em hasta pública seja do estado ou de qualquer empresa privada que só olha a lucros e 0 em segurança ( faceb00 ). Já olhei com mais septicismo as cryptmoedas. Até mesmo para as mais improváveis tipo Shiba ou Doge. Não interessa o que dizem quando simplesmente com 100 euros podes chegar a milhares de euros em pouco tempo, tudo é um risco mesmo ter o nosso dinheiro no banco é.

  17. Gabriel says:

    “Uma sociedade sem dinheiro físico, onde todos os registos são efectuados e reflectem cada transacção que fazemos, até mesmo a compra de um chocolate, também permitirá que o governo monitore e controle cada movimento nosso.” – Anónimo

    “Antes de abraçarmos a ideia de uma sociedade sem numerário (notas e moedas), temos de pensar que todo o dinheiro digital é um passo para um objectivo maior – um objectivo que tem em vista a destruição da liberdade humana. Esperem até que os grandes bancos e as agências de espionagem tenham o poder de cancelar a nossa capacidade de fazer transacções (eliminando o dinheiro físico e implementando um sistema monetário digital) ou aceder aos nossos fundos se por acaso eles não gostarem de algo que pensámos ou dissemos esta manhã na “privacidade” do nosso lar. A guerra ao dinheiro é uma guerra contra a humanidade – não deixem que tal aconteça.”

    Daniel Estulin

    • Sardinha Enlatada says:

      Concordo plenamente. Ha algum tempo pensava o contrario se isso fosse afectar tambem os politicos mas bem vistas as coisas. Dinheiro na mao e liberdade. Dinheiro num chip ou em alguma coisa abstracta, define a passagem de poder das nossas maos para os outros. Sim ha varios cenarios que podem acontecer no caso do dinheiro fisico desaparecer. Chamem-lhes teorias da conspiracao ou sei la que palavras andam na moda, o facto e que as pessoas nao reflectem em nada do que se passa a volta delas, e para elas esta tudo bem, entao se uma grande maioria pensar assim, inconscientemente elas estao a fazer com que um lado ganhe mais forca que o outro. E aqueles que se oponham ao NAO dinheiro fisico vao perdendo forca para poder fazer o que seja e mudar o paradigma do dinheiro fisico. Com este virus ficou demonstrado isso, Deus nem precisa falar, apenas nos demonstra o que as massas fazem em relacao a mentira que lhes chega todos os dias ate eles. E as pessoas aceitam isso com a maior da descontracao. Pensar faz mal pelos vistos.

  18. João says:

    Sugiro que a pergunta deveria ser formulada como “Os Portugueses….” e não “Portugal…”, já que um dos objetivos de usar este tipo de moedas digitais é não estar dependente do arbítrio de um governo central e de um banco central, que quando querem imprimem o dinheiro que entendem, nem que para isso destruam o valor das pessoas que haviam amealhado capital nessa moeda.

  19. Inês Malagare says:

    Aqui ficam dois exemplos do que pode acontecer se as moedas digitais dos bancos centrais substituírem o dinheiro físico:
    – O governo decide que por cada transacção cobra 20%. É um imposto criado para ajudar a economia nacional.
    Compram 100€ no supermercado? Pagam 120. Compram um carro de 5mil? Pagam 6mil. Etc.
    – O governo decide dar dinheiro a todos, digamos que 500€, mas esse dinheiro tem de ser utilizado até ao final do mês, senão desaparece. Não soa mal? Isso gera uma inflação mirabolante. E com isso a divida publica praticamente desaparece, porque o valor fica fixo, mas a moeda desvaloriza fortemente.

    • João says:

      Dinheiro digital centralizado sim, tem razão. Dinheiro digital descentralizado, como é o aparente objetivo de muitas das moedas crypto, já seria o contrário, ou seja, escaparia do arbítrio de um poder central. Teoricamente, claro está.

  20. Xnelox says:

    Sim, e sugeria dar-lhe o nome de “escudos”

  21. John !Dough says:

    Moedas digitais só aquelas tottalmente descentralizadas(sem pontos centrais de controlo em bancos, governo etc)

  22. Sergio says:

    A simplicidade da pergunta torna a resposta quase impossível, não se pode ignorar o factor uniao europeia

  23. RatazanaDoPunjab says:

    Há uma razão muito forte para o dinheiro físico não acabar.
    Simples, como é que os grandes corruptos e bandidos ( há quem lhes chame políticos ) iam fazer as negociatas e as transferências para as offshore?
    Com dinheiro virtual que pode ser rastreado desde o início até ao fim?
    É só rir…

    Em relação ao Chipre, se bem me lembro, não foi retirado todo o dinheiro da conta, mas sim uma enorme percentagem.
    Depósitos acima dos 100 k levaram um haircut de quase 50%, ou seja, metade do valor acima dos 100 k desapareceu.
    Depósitos abaixo dos 100 k levaram um haircut de quase 7%.
    Ou seja, e resumindo. o dinheiro não está seguro nos bancos.
    Melhor exemplo que este que dei é impossível.
    Ah e tal antes deles fazerem o bail out tiro o dinheiro todo.
    Não tira nada porque tudo isto é feito em segredo.
    Numa sexta à tarde todos os multibancos deixam de funcionar, os bancos estão fechados e na segunda feira quando vai ver o recibo do depósito já levou o corte correspondente.
    Nada a fazer. talvez pegando fogo ao banco, seria uma brilhante ideia, mas mesmo assim o dinheiro não seria reposto.
    Solução? Guardar num cofre? Esconder num buraco qualquer?
    Há uma inundação, um incêndio, outra coisa parecida e lá vai tudo.
    É complicado…

  24. Quitax says:

    A ideia é ser descentralizado…

  25. gil says:

    Crypto moeda regulada por bancos centrais não tem qualquer sentido, vem contrariar precisamente tudo o aquilo que a crypto se propõe que é descentralizar. Uma crypto nas mãos do estado é dar-lhe ainda mais poder, não faze sentido algum. E a moeda FIAT existe em pararelo? Qual a vantagem então?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.