PplWare Mobile

“Vacina” contra cancro começa a ser testada em humanos…


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Helder says:

    Mas que otima noticia.

  2. Monkeyd says:

    Depois, morrem todos os investigadores misteriosamente, acabam—se os testes, é era uma vez a vacina, a grande Farma…

    • NT says:

      Depende… Se for um dos grandes laboratórios a ter a patente da vacina e vender um “cadinho” cara… até que pode “servir” para alguns dos cancros.
      Mas tens razão, vários médicos que tinham curas e outros que atacam o porquê de começarmos a gerar cancros morrem sempre em situações suspeitas…

    • Sousa says:

      Tendo em conta a exposição que já teve este tratamento a nível mundial, não me parece que seja isso que vá acontecer.

      Para não esquecer que não é um grupo de investigadores desconhecidos nem de um laboratório pequeno.

      Acredito mais é na ajuda da libertação de mais informações sobre os cancros por parte dos lobbies das farmacêuticas para facilitar o crescimento desta vacina e que com isso o cancro se torne uma doença “normal” na sociedade e que aos poucos, os mesmos lobbies, lancem outro vírus qualquer para fora.

    • pois..... says:

      vcs andam a ver muitos filmes se pensam que este tipo de descobertas são feitas por um gajo numa cave escura, e que matando o dito podem apagar o achado da historia 😀

      Este tipo de pesquisas sao feitos por equipas , muitas vezes multi nacionais, e o resultados muitas vezes publicados em artigos ou jornais cientificos.

      agora se disserem que as patentes dos medicamentos podem ser adquiridos por A ou B e depois vendam o medicamento a preços exorbitantes, ai já concordo.

    • Delmira Goncalves says:

      Concordo consigo,nao era o primeiro caso,foi o que aconteceu com os tres investigadores,que iam a Italia apresentar a formula da cura,o aviao caiu antes de la chegar

  3. Monkeyd says:

    Ou é por hoje ser dia 1 de abril…

  4. Spoky says:

    Sim claro, até porque a indústria farmacêutica vai permitir isso… Desaparecem investigadores sabe-se lá para onde foram ou onde acabaram…

    Para ser introduzido daqui a 3/4 anos.

  5. Nuno says:

    Este não é a primeira “vacina” a fazer uso do nosso sistema imunológico para atacar o cancro. O primeiro deste tipo de tratamento foi desenvolvido em Cuba nos anos 90.

  6. Jorge3M says:

    Sim, é uma óptima notícia, e esperemos que os testes tenham sucesso.
    Rezo para que não apareça nenhum investigador estendido numa vala, longe dos olhares, como aconteceu no Canadá, mas como já saiu publicado em diversas revistas da especialidade, mesmo que matemática estes, outros continuarão o trabalho. Agora são 3/4 anos, para o fim da investigação, mais algum tempo para ser autorizado na América (até costuma ser rápido), mais 3 anos para ser aprovado na União Europeia, e depois mais 3 / 4 ou sabe-se-lá quantos, até o nosso infarmed aprovar. Passaram no mínimo 9 anos, a somar aos anos de espera que os nossos governos costumam fazer, para que Baixe o valor do medicamento, na esperança até, que apareçam mais laboratórios para beneficiarem da concorrência, e isto demora pelo menos, mais outros 3 anos.
    Resumindo, talvez daqui a 12 anos, estará operacional em Portugal.As situações iniciais, não podemos controlar (aprovação nos Estados Unidos e na União Europeia), mas o <Infarmed e o Governo, sim. Esse sim, significam pelo menos 6 anos de atraso, assim como redução no preço. Questão: e quantas pessoas morrem nesses 6 anos? Quanto vale 1 vida para o Infarmed e para o Governo? Lembram-se dos comprimidos para a CURA da hepatite C. Volto a referir, CURA. Esperemos que seja o tão rápido quanto humanamente possível, de modo a salvar o maior número de vidas possível.

  7. Joel Reis says:

    Mais uma notícia de um possível tratamento para o cancro que no fim não vai dar em nada. O cancro não é uma doença normal, não há um agente patogénico específico que se possa atacar ou prevenir (e uma vacina previne, não trata), há vários tipos diferentes, há demasiada variabilidade para que se possa pensar num tratamento único. Sou da opinião que o futuro passa por prolongar o tempo de vida dos doentes e a qualidade de vida nesses anos, tornando o cancro numa doença crónica.

    • Henrique Ferreira says:

      Isto não é uma vacina daí estar com aspas. Isto é um tratamento de imunterapia e como tal não previne mas cura, isto porque vai estimular a células T permitindo que as mesmas ataquem o tumor, originando recessão do tumor. Para além disso isto trata-se de uma terapia “personalizada” que serve para aquele indivíduo em específico

    • int3 says:

      nem leste sequer. 🙂

  8. Paula says:

    É tudo verdade, mas só até aparecer outra doença que justifique a “cura” da anterior. Nessa altura, os principais beneficiados das indústria farmacêuticas irão aparecer com o EUREKA! e as ditas “vacinas” vão vender-se todas, e mais algumas por especulação… E depois, com o tempo e com novas doenças , muitas serão (quase) esquecidas. Mas eis que há uma nova e misteriosa doença para atacar, e por isso novas e longas investigações serão feitas nos laboratórios até que… Sempre assim foi e assim continuará a ser, uma após outra! É o ciclo das coisas, e da própria vida que, ironicamente, também ganha com a morte de uns e de outros. É como nas guerras, há muitos negócios que florescem sobre as sepulturas dos que tombam, e para que continuem a florescer, há que fazer mais e novas guerras. E depois, para muitos, ainda há a questão da sobre-população mundial e dos custos de alimentar tantas bocas…. Vai daí, é preciso matar o mais possível, de variadas maneiras, para que haja um equilíbrio. Por muito perverso e macabro que este quadro pareça, o facto é que também ficou para a História da Humanidade o que os Chineses fizeram para controlar a natalidade…
    Parece-me que a Humanidade padece, há demasiado tempo, de doença crónica e não há forma de descobrir a sua própria cura. Resta saber se alguma vez a Humanidade vai ficar para a História , ou mesmo se restará alguma História para contar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.