PplWare Mobile

Plutão volta a ser planeta do Sistema Solar? Novo administrador da NASA tem essa vontade


Imagem: NASA

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Jorge Carvalho says:

    Não reage , ele não faz parte da comunidade cientifica.
    Para alem disso convém lembrar que ele já depois de nomeado administrador da NASA já mudou de ideias acerca do aquecimento global no qual agora já acredita.

    Abc

  2. Sergio J says:

    Li no outro dia um dos mais famosos cientistas da área planetária, Alan Stern, responsavel pela New Horizons que fotografou Plutao a dizer que entre os cientistas da área planetária, o termo planeta-anão é só um termo técnico como planeta gigante. Ambos são planetas. Na realidade se calhar plutão é mais parecido enquanto planeta com a Terra do que por exemplo Júpiter. Na opinião dele foi um erro dos Astrónomos que pouco sabem de ciência planetária.

  3. Francisco Santos says:

    A nossa Lua e 5 vezes maior que o Plutão 😉 será sempre “planeta-anão”

    • Miguel Monteiro says:

      Plutão gira em torno do Sol, a Lua da Terra. Neste caso o tamanho não conta ☺️

    • Daniel says:

      Alguns cientistas consideram a Terra e a Lua um sistema binário de planetas.

      • Nuno V says:

        Podes-me indicar que cientistas consideram tal? Tens a certeza que não estás a tirar conclusões erradas através de afirmações de alguns cientistas fora do seu contexto? Para ser considerado um sistema binário de planetas, o centro de massa de ambos se situaria fora de ambos os corpos. Como tal não é o caso, o centro de massa do sistema terra-lua situa-se bem no interior da terra, não é um sistema binário.

    • Asdrubal says:

      Há luas de Júpiter maiores que o planeta Mercúrio. Por definição, uma lua não tem que ser menor que um planeta, ou um planeta maior que uma lua.

  4. JORGE COSTA says:

    “De acordo com a União Astronómica Internacional, para ser considerado um planeta é necessário cumprir os seguintes requisitos:

    1.Ser um corpo celeste que se encontra em órbita em redor de uma estrela;
    2. Ter massa suficiente de modo a que adquira uma forma arredondada através da força da gravidade;
    3. Deve ter a sua órbita desimpedida (Plutão não cumpre este requisito).”
    Fonte: http://bit.ly/2ZnNS3z

    • Sergio J says:

      Curiosamente Neptuno também não 😉

      • Daniel says:

        “Órbita desimpedida” é algo bem vago. Quantos km tem que ter de distância do corpo X para ser considerado desimpedido? Pois é, fica a questão. Se for por está próximo do cinturão de asteroides então praticamente todos os planetas do sistema solar são anões. Incluindo Marte, Júpiter, Urano e Netuno. Na prática não existe órbita desimpedida, órbita limpa, detritos estão em todos os lugares. Veja como nenhum desses requisitos batem com tamanho. Muita gente acha que Plutão é anão só por ser pequeno, seguindo as regras da UAI vemos que não é bem por esse motivo.

        • Nuno V says:

          O ponto 3 tem a ver se o corpo celeste é ou não gravitacionalmente dominante.

          E que eu saiba, tanto marte, como júpiter, urano e neptuno não orbitam no cinturão de asteróides.

        • Lucas says:

          Não existe distância nenhuma especificada, realmente é bem vago… Não é a toa que querem mudar.
          Quiseram fazer isso apenas para que os preguiçosos não tivessem que decorar o nome de mais de 100 planetas.

    • Setnom says:

      O 3.º ponto é o ponto mais mal entendido para os leigos, culpa da União Astronómica Internacional, porque deviam tê-la escrito doutra maneira mais correta. O que eles querem dizer – mas não disseram – é “ter a sua órbita desimpedida de OBJETOS DE TAMANHO IDÊNTICO OU MAIOR”.

      As regras para a classificação de planeta devem ser, sim, revistas. Mas para corrigir o que foi mal escrito, não para que Plutão volte a ser considerado planeta principal. Plutão não o é, pois a sua órbita de não está “limpa” de objetos de tamanho idêntico ou maior (outros objetos da cintura de Kuiper) e até atravessa a órbita de Neptuno (planeta muito maior).

  5. Daniel says:

    Se Plutão voltar a ser planeta, então Ceres, Haumea, Makemake e Éris também terão que ser chamados de planetas.
    Não podemos negar que Plutão tem características muito complexas em sua superfície, se fossemos olhar pela ótica de um geólogo e geofísico, Plutão seria um planeta.

    Essa história de “não ter a órbita limpa” por isso não é planeta é algo bem vago e muito questionável. Quandos km Plutão tem que estão de um corpo X para ser considerado como “não ter órbita limpa”?

    Se quiserem apenas manter Plutão com planeta e os outros planeta anões como planeta anões é justamente um tática porque Plutão foi o único “planeta” até então descoberto por um americano. Os EUA não quer perder o status.

  6. Lopes says:

    Ainda vai correr muita água debaixo dessa ponte.

    Qual é o valor da massa mínima para que um corpo celeste possa ser considerado planeta?

  7. Tiago Afonso says:

    as regras para ser um planeta são simples:
    1- tem que orbitar uma estrela
    2 – tem de ter gravidade suficiente para uma orbita eliptica
    3 – não pode partilhar a orbita com mais objectos.

    é na 3ª regra que plutão falha, uma vez que não tem gravidade suficiente para absorver pequenos objectos e ejectar outros da sua orbita, então partilha constantemente a orbita com outros objectos.

    • Nuno V says:

      Apenas umas correções.

      O ponto 2 não tem nada a ver com a forma da órbita, mas sim se o planeta se encontra em equilíbrio hidrostático.

      • Lucas says:

        Haumea é a exceção então?

        • Nuno V says:

          Ainda não se sabe ao certo porque não conseguimos observar a sua forma diretamente. Os nossos cálculos apontam que o planeta possua a forma de um elipsoide de Jacobi devido à sua rápida rotação. Logo, este encontra-se em equilíbrio hidroestático, e é classificado com um planeta anão. Se mais tarde, quando a sua forma for observada, se determinar que afinal não se encontra em equilíbrio hidroestático, passamos alteramos a sua categoria para um corpo pequeno do sistema solar.

  8. gui says:

    A comunidade científica RESOLVEU descrever o corpo celeste como “planeta-anão”.
    A Nasa RESOLVEU que nenhum asteroide vai colidir com a Terra em 100 anos.
    Os US RESOLVERAM que o homem foi a LUA.
    Copérnico RESOLVEU que o Heliocentrismo é melhor do que o Geocentrismo.
    E as RESOLUÇÕES RESOLVEM tudo.

    • Nuno V says:

      Já cá faltava o ignorante do terraplanista.

      O único ponto que acertaste foi o primeiro. O nome planeta, não tinha definição científica. Para acabar com a ambiguidade, a IAU, decidiu atribuir um definição precisa à palavra planeta, planeta-anão e corpo pequeno do sistema solar.

      A NASA não resolveu que não iríamos ser atinjidos por asteróides nos próximos 100 anos. Porque a terra vai ser certamente atingida por asteróides.

      Os EUA não resolveram que o homem foi à lua, mas resolveram mandar o homem à lua.

      Copérnico não resolveu que o heliocentrismo era melhor que o egocentrismo, foi a realidade que tomou tal decisão.

      As resoluções dos terraplanistas é que não resolvem nada, porque são afastadas da realidade sem qualquer tipo de aplicação prática.

      • gui says:

        Já cá faltava o ignorante adorador da bola.

        • Vítor M. says:

          Agora que se se saudaram os dois, espero que o diálogo seja comedido.

          • gui says:

            Tens razão. Eu não deveria nem ter respondido. Falha minha.

          • Nuno V says:

            Poderias era fazer um favor à malta e deixares de vir cá vociferar asneiras. Limita-te a comentar sobre matérias que percebas.

          • gui says:

            Tudo bem Nuno V – Então comece a explicar os itens que apenas refutou sem qualquer fundamento:
            1 – Quando é que a Terra já foi atingida por algum asteróide. Data e documentação comprobatória que não seja apenas teoria sem fundamento ou algo que ocorreu faz milhões ou bilhões de anos.
            2 – Os EUA resolveram mandar o homem à Lua. Mandar é uma coisa muito diferente de ir. Explique como é que eles passaram pelos cinturões de Van Allen com radiações e temperaturas capazes de fundir a maioria dos metais e considerando que tais cinturões tem cerca de 20 mil km de espessura e ainda mais as declarações do próprio engenheiro da NASA dizendo que primeiro precisam estudar esse fato para poderem mandar alguém ao espaço. https://www.youtube.com/watch?v=EcGdzFr6La8
            3 – Como é que a ‘realidade’ tomou a decisão de estabelecer o heliocentrismo. Desde quando a ‘realidade’ que é um conceito subjetivo, toma decisões? Explique isso com clareza e objetividade sem apelar para sua crenças infantis.

          • Nuno V says:

            Eu peço factos que suportem a terra plana, quê que tu fazes? Vens com pontos que em nada estão relacionados com a forma do planeta. Mas eu respondo-te.

            1 – Simples, como por exemplo, no dia 15 de Fevereiro de 2013, um asteroide, a que nós chamamos de Meteoro de Tcheliabinsk, impactou no lago Chebarkul, na zona de Tcheliabinsk, na Rússia.

            2 – Meu caro ignorante. Primeiro, existe uma diferença entre calor e temperatura. É possível termos uma temperatura na ordem dos 2000º, no entanto o calor ser abaixo de 0º. Demonstras aqui que não fazes o que apregoas “tenho consciência do tamanho da minha ignorância” e acusas as restantes pessoas de “infelizmente a maioria não tem”. É um caso clássico de projeção psicológica em que acusas as outras pessoas daquilo que tu és culpado. Vamos ver se consegues perceber a diferença entre temperatura e calor. A temperatura equivale à energia cinética média das partículas num dado sistema. O calor é a quantidade de energia térmica transferida de um sistema para outro. Ou seja podes ter uma câmara de vácuo com um sensor de temperatura dentro deste, em que as partículas dentro câmara possuem elevada energia cinética (temperatura extremamente alta), mas como existem muito poucas partículas é transferido quase nenhum calor destas para o sensor. Sendo que este perderia mais energia via radiação do que ganharia via condução ou convexão por parte das partículas. Resumindo, não existe nenhum problema quanto à temperatura que tu te referes. Existe sim desafios quanto ao cinturão de Van Allen coloca sim um desafio, mas o maior desafio não é a proteção dos seres humanos, mas sim a proteção dos equipamentos. A miniaturização dos chips fez maravilhas para o aumento do poder computacional, mas também os tornou substancialmente mais vulneráveis no que toca à radiação, variações de tensão,… Os seres humanos conseguem sobreviver uma dose de radiação bem mais alta que o processador do teu telemóvel.

            3 – Não me digas que até uma uma metáfora tão simples tens dificuldade em entender.

            Findo a refutação dos teu argumento de incredulidade, agora peço que tentes novamente. Mas desta vez foca-te na terra plana e não no modelo atual. É que mesmo que o modelo da terra esférica fosse refutado amanhã, isso não significaria que a terra era por defeito plana, podia ser um cubo, uma pirâmide, uma faixa de mobius, uma garrafa de klein, uma forma irregular… Portanto, eu quero que apresentes provas positivas que suportem a ideia da terra ser plana.

          • Vítor M. says:

            Esse é um não assunto. É muito mais produtivo que dediques o teu conhecimento, os teus comentários a dar mais pormenores, a sustentar o assunto retratado e até ir mais longe noq ue se fala. Isso sim tem merecido bons comentários de quem nos visita e gosta de ler. Para que estás a perder tempo com um assunto não assunto como é a Terra Plana? Não desperdices tempo com isso.

            Cump.

          • gui says:

            Realmente isso não é um assunto. Estás mais preocupado em provar a minha ignorância do que apresentar provas concretas. Por extensão estás dizendo que o engenheiro da Nasa também é ignorante por estar demonstrando os perigos da radiação. Falas muito e não dizes nada.

          • Vítor M. says:

            Eu provar a tua ignorância? Eu não, nem tenho tempo para isso (tu podes acreditar no que quiseres). Aliás, considero mesmo que esse tema que dizes defender nem é tema, muito menos digno de tempo gasto para rebater qualquer argumento moderno, válido e sóbrio.

            Eu acredito e vivo tecnologia, ciência e evolução. Não tenho tempo para aquilo que (cidadão deste universo) acredito serem crenças filosóficas e muitas vezes psicotrópicas.

            Olha isto: http://bit.ly/2zyNIa0

            Cump.

          • gui says:

            Ola Vítor M. – Esse post não foi para ti, mas para Nuno V. – Entendo o seu desinteresse pelo tema Terra Plana e aprecio o seu foco e o seu trabalho.

        • Nuno V says:

          Realmente sou ignorante da bola, agora adorador? Lamento mas eu não gosto de futebol.

        • Pedro Fonseca says:

          Gui se quiser ser levado a sério e ter as suas opiniões respeitadas por todos tem uma forma muito, muito, muito simples. Só tem de as explicar de forma objectiva e sustentada em observações e factos.

          • gui says:

            Pedro Fonseca – Minhas afirmações são baseadas em observações, evidências e fatos, sim senhor, o que infelizmente a NASA não o faz. Tens apenas o direito de não concordar, refutar e até de me chamar de ignorante, já que na grande maioria dos assuntos todos nós somos e tenho consciência do tamanho da minha ignorância o que também infelizmente a maioria não tem.

          • Nuno V says:

            Então, pela ultima vez, diz um único facto que suporte a terra plana, apenas peço um.

            Tens razão quando dizes que todos nós somos ignorantes sobre a grande maioria do conhecimento humano. Não tens razão quando dizes que tens consciência de tal, pois fazes afirmações de convicção absoluta sobre matérias que claramente não sabes nada sobre estas.

          • gui says:

            Nuno V – A Terra Plana é um fato tão óbvio que dispensa provas. Mas elas são muitas. O problema é que pessoas como você são caracterizadas pelo dogmatismo e pelo fanatismo como quaisquer fanáticos religiosos que não admitem o contraditório pois já foram manipuladas e doutrinados pela fé. Então o contraditório passa a ser uma heresia. Em todo caso, vamos aos fatos: Realmente apenas um fato é suficiente: 3/4 da Terra são constituídos por oceanos, ou seja, água. Qualquer servente de pedreiro sabe usar a mangueira de nível e perceber que a água sempre se mantém no nível. Portanto os oceanos são planos em toda a sua extensão. Já existem centenas de vídeos, constatações e experimentos sobre a planicidade e a inexistência de curvatura da Terra. Estou indicando apenas tres vídeos entre centenas deles:
            https://www.youtube.com/watch?v=XVXvuG-wsBs
            https://www.youtube.com/watch?v=ZSpG8rkNrVA
            https://www.youtube.com/watch?v=hVCbuLDmSUE

          • Nuno V says:

            Todas as afirmações precisam de factos se quiseres ser levado a sério. Sem estes não passa de especulação sem base.

            Tu por acaso sabes qual o fenómeno que faz com que um nível funcione? Claro que não, o teu argumento não passa de uma falácia de incredulidade. Eu não percebo algo, logo terra plana.

          • Pedro Fonseca says:

            Gui, você nem sequer vê os próprios vídeos que apresenta como supostas provas das terra plana!
            * No primeiro vídeo alguém oferece 10.000 euros para quem provar de forma objectiva e factual que a terra é plana. Até hoje ninguém reclamou esse prémio. Nem sequer alguém se sujeitou ao escrutínio. Poderia ter sido refutado a até alegar que os critérios de avaliação estavam viciados, mas não, ainda nenhum terraplanista quis sujeitar-se à experiência. Porque será!?
            * No ultimo vídeo que apresentas eles mostram claramente 2 barcos a desaparecerem de baixo para cima à medida que se afastam (13:39). Primeiro o casco, depois o mastro do barco mais pequeno, durante um momento apenas se vê o mastro do barco maior e depois até esse desaparece.
            * É claro que estas pessoas não acreditam em factos e portanto recusam aquilo que as experiências por eles própria realizadas lhes apresentam e procuram a experiência mais adequada (ainda que distorcida) para validarem as suas crenças. Até usam o GPS. Perguntem aos matemáticos que programaram toda a matemática do sistema de localização global que geometria levaram eles em consideração? Terra plana ou Terra esférica.
            * Gui você é um iludido com poucos conhecimentos de ciência que necessita de uma razão para não se sentir inferiorizado relativamente aqueles com maior conhecimento. Na verdade, Gui, você nem sequer vê os vídeos com as provas que você aparentemente acredita. Porque se visse você iria ver que nenhuma prova é apresentada. Na verdade em alguns momentos é fácil perceber que tudo é montado e até deslindar provas contrárias ao que querem provar.
            * Por ultimo, Gui, é capaz de nos explicar porque é que os terraplanistas ainda não organizaram uma expedição até à orla do disco da terra plana e nos mostram como é para lá!?
            * Porque é que os terraplanistas não juntam algum do seu dinheiro, e nem é preciso muito, e compram um voo num MIG russo ou até um lugar num voo da Soyuz que estão à venda pelo valor certo e observam a não existência de curvatura e nos trazem imagens da “real” aparência da Terra.
            Isso sim, isso seria sustentar as vossas ideias com factos e observações. Mas na verdade vocês ou sabem que tudo é mentira, ou não sabem mais do que a névoa que cobre o vosso olhar e pensamento.

          • gui says:

            Caro Pedro Fonseca – Estou pasmo. Não sabia que a lavagem cerebral do sistema era tão forte. O primeiro vídeo oferece um premio para quem mostrar a CURVATURA da terra. É evidente que ninguém reclamou o prêmio porque não existe CURVATURA, já que a Terra é Plana. O último vídeo é uma prova de que o barco não some pela curvatura da Terra, mas pelos efeitos da perspectiva, e da refração, pois através de qualquer instrumento ótico potente continuamos a ver o barco supostamente sumido. E chega. Não dá para dialogar com cientificistas fanáticos e dogmáticos.

  9. N1ldo says:

    Bom…
    Eu acredito que a terra é um globo sim.
    E não acredito que o homem foi a lua, e aí? pq?
    Porque pelo tempo que lá foram, com uma tecnologia arcaica se comparado com a de hoje, e nunca mais lá voltou, nem adianta dizer que é caro e que não nada mais pra lá fazer pq tem, Base Espacial e Instalações de Mega Hiper Super High telescópios por exemplo, dinheiro? os EUA tem mais dinheiro hoje ou na altura em foram?
    Sem falar que há muitas evidências que *provam* que tudo foi encenação.

  10. gui says:

    Entendo e respeito o seu ponto de vista. A farsa da ida a Lua é tão evidente que não tem mesmo como acreditar. Acontece que a Farsa da Lua está diretamente ligada a Terra Plana, e é por isso que há tanta resistência em aceitar. Se o sistema aceitar que realmente a Terra é Plana, isso vai derrubar a ida a Lua e uma série de outras Teorias, como a Teoria da Gravidade por exemplo, e várias outras mentiras que a Nasa divulga. É só isso.

    • Nuno V says:

      Então se é evidente, certamente que possuis evidências que não fomos à lua.

      Bem como a ida à lua não está ligada à ideia da terra plana. Ou se está, demonstra tal.

      Antes de derrubar a teoria da gravidade, tans que primeiro perceber esta, mas como tal não é o caso, esta está segura de tal futuro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.