Quantcast
PplWare Mobile

COVID-19: Testes via anal avançam na China (mas com limitações)

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Miguel says:

    Aproveitam e metem logo o chip.

  2. Jota says:

    Por um lado vai haver muita gente a fugir dos testes, por outro lado vai haver muitos a querer fazer! 🙂

  3. Pedro Soares says:

    O que dizem os caracteres chineses na primeira imagem : “Dr. Tomás Taveira”

  4. Soldier says:

    A covid-19 surgiu para nos e****** a todos, não adianta tentar fugir.

  5. Asdrubal says:

    Alto lá e pára o baile. Prefiro morrer de covid.

  6. Rui Patinho says:

    Ja parece o outro que tinha de chupar o veneno da mordida de cobra ao amigo no dito cujo, e preferiu deixa lo morrer,

  7. SANDOKAN 1513 says:

    Enfiar uma cotonete 2 centímetros pelo ânus acima.Só faltava esta. 😐

  8. Eduardo says:

    Imagino como serão os testes “drive in” nesta modalidade…

  9. Mauricio Pinto says:

    O Partido Comnuna Chinês sempre colocando no traseiro dos cidadãos

  10. scp says:

    Vocês não percebem, isto é o dia 1 de abril na china, é celebrado num dia diferente tal como o ano novo não é celebrado a 31 de janeiro.

  11. Fernando Lamas says:

    “esfregaços anais” lol

  12. MACnista says:

    A mim não me metem cá “pauzinhos” no dito, nem pequenos, nem grandes LOLOLOLOLOL

  13. Pedro Cardoso says:

    A masculinidade frágil que por aqui vai…

  14. art says:

    parece uma tolice mas tem razão de ser …o vírus entra pelas vias nasais e sai pelas fezes….logo para ter mais grau de certeza sobre quem está infectado …anal !….em casos inconclusivos deve ser o indicado

  15. j says:

    O especialista disto tudo só pode ser o culatra.

  16. Luis says:

    O termo correto é retal e não anal… mas pronto!

  17. Daniel says:

    Estava a espera de ver esta noticia no PPLWARE Humor…
    Aten;ão, vamas ver se a emenda não sai pior que o soneto… a nalguns sitios ainda se vão fazer filas de voluntários para testes! 🙂

  18. António says:

    É só verdadeiros e puros machos por aqui!

  19. J Rambo says:

    Pronto, muita gente agora vai querer ficar infetada para fazer o teste…

  20. Filósofo X says:

    Temo que se a China decidiu passar a utilizar este tipo de testes na sua população é porque tem uma razão médica muito forte para o fazer.

    Não a podem divulgar abertamente porque o regime comunista não o permite – poderia causar revolta/pânico a nível interno ou até mundial – e por isso a explicação que foi avançada pela comunicação social tem que ser muito curta e a bem da nação.

    Na realidade, o que deve estar em causa é uma suspeita concreta da possibilidade de contágio do ser humano ocorrer também por via digestiva com a infecção a localizar-se no intestino, portanto, sem passar pelas vias aéreas, e com o risco de desenvolver à mesma a doença e/ou tornar-se vector de transmissão.

    O consenso entre os pneumologistas é de que sendo o SARS-COV-2 um vírus respiratório a maneira mais correcta de diagnóstico é através de exames ao tracto respiratório, e não à parte terminal do digestivo, porque apesar do potencial do vírus em infectar diversos tipos de tecidos do corpo humano, não existe evidência que sustente a alegação chinesa tal como foi apresentada.

    A menos que na China haja alguma informação que não foi divulgada à comunidade científica internacional sobre o virus, sobre as suas variantes ou sobre casos lá detectados que demonstrem que isso pode já estar a acontecer nos seres humanos.

    Estou certo que estas inconsistências chamaram a devida atenção dos especialistas pelo mundo fora para começarem a levantar as dúvidas e colocar as questões que se impõem.

    Se nada se confirmar e tudo não tiver passado de uma bizarria o Dr. Li Tongzeng será substituído por outro colega e o caso será esquecido até que desapareça das notícas. Mas se alguma coisa nova estiver de facto a acontecer, então a humanidade vai ter ainda mais outro problema com que se preocupar.

    • Ze says:

      E com esta explicação (válida) acabaste com a brincadeira toda.

    • Filipe says:

      Com o teu comentário so afirmas novamente o que toda a gente pensa mas tem medo de dizer: eles lá sabem mais do que aquilo que demonstram cá para fora. Claramente que este vírus foi criado lá. Já todos entendemos isso. Uma punição sem precedentes deveria ser aplicada. Isto foi a “terceira guerra mundial” que já vinha a ser anunciada há muito e que não iria ser disputada com armas nem balas, mas os efeitos foram e estão a ser os mesmos os mesmos.

  21. j says:

    NBP – Necessarius brutralius Penetralius

  22. lllç says:

    “Quando se ouve falar na China rapidamente nos lembramos da pandemia! Aparentemente tudo começou por lá, mas depois o país passou a ser um exemplo para o resto do mundo.”

    Mas a China alguma vez foi exemplo para alguém no que quer que fosse? Eles copiam tudo de fora e depois eles é que são o exemplo?!

    Na China, nada se cria tudo se copia. Excepto o Covid. Nunca um produto MADE IN CHINA durou tanto tempo!

  23. De Quarentena says:

    Pelo titulo deve ter havido muitos: “yeeeeee”, “hooooo…”.! 😀 😀

  24. Daniel says:

    Nas Caldas a fábrica Bordalo Pinheiro, já está a todo vapor a fabricar as novas zaragatoas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.