Quantcast
PplWare Mobile

OS X Mavericks: Saiba quem anda a gastar a sua bateria!

PUB

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. D says:

    Há maneira de ter a opção CORTAR? Eu tinha porque usava o TOTALFINDER mas agora este não é compatível!

  2. D says:

    Fica aqui outra dica, a Apple esta a actualizar pela AppStore todas as versões de “Aperture”, “GarageBand” e “iWork”, sejam elas muito antigas ou até pirateadas! Passam a estar na vossa conta como compradas!!!!

    Fantástico, depois desta jogada, e de já ter oferecido um sistema operativo, acho que nada bate a Apple em termos de ofertas este ano

  3. Emannxx says:

    Acontece no Windows o mesmo que acontece no Osx relativamente ao Chrome. O browser consome mesmo imensa energia! Eu próprio já fiz um pequeno teste home-made onde usei só o Firefox e só o IE (com as configurações de poupança de energia activadas) durante uma descarga de bateria, e nota-se uma diferença consideravel.

    Penso que seria importante, por parte da Google, implementar alguns controles para diminuir a pegada do Chrome no consumo energético…

    • Nelson says:

      É isso, ou mudares para um browser que sirva só mesmo para ver a net: Safari.

      https://www.macupdate.com/app/mac/35606/youtube5-safari-extension

      Pode parecer pouco, mas é excelente o raio da extensão!

      O Youtube passa (100%) de flash a HTML5, ou seja, o video/audio vai pelo motor nativo do Mac: QuickTime, que utiliza muito menos recursos, e é mais “smooth” e com melhor qualidade.

      Convenientemente, se quiseres definir sempre para 720p, começam logo a 720p, sempre, o tamanho que fica, é melhor, e é claro… Rua com a publicidade!

      A qualidade de navegação com o Safari, também é qualquer outra coisa, e tem “zoom inteligente” como tens no iPad.

      • António says:

        E agora o safari trás com ele um corte automático do flash. fica tipo o 9gag e os gifs. So corre as cenas em flash se clivares lá. Perfeito para bloquear publicidade ou videos em flash que consomem muita bateria enquanto navegas na net.

      • Bruno Bastos says:

        Também usava essa extensão, mas depois apercebi-me que o youtube não guarda o histórico de visualizações! Acho que acaba por ser o problema, porque, falando por mim, gosto de ver as coisas e muitas vezes não me lembro dos títulos ou assim.

        E outra coisa que não funciona são as playlists! Dá o video e depois tens de ir manualmente mudar para o proximo!

        Abraço

  4. João Ferreira says:

    Eu oponho-me áquilo que vocês estão a dizer. Não querendo desvalorizar a vossa intenção. Mas o que vocês dizem é mentira.

    Mas o facto é que fazer o controlo de quais as aplicações que estão a consumir mais bateria eu consigo ver nos OS X anteriores. Eu ainda tenho a versão Snow Leopard (10.6.8).

    Como? Exatamente como vocês descrevem aí. Entro na aplicação “Activity Monitor” e vejo qual a aplicação que está a consumir mais de CPU. E daí posso concluir que a aplicação está-me a reduzir o tempo de bateria.

    A diferença é que o Mavericks diz-me logo qual a aplicação que mais está a consumir CPU e poupa-me o trabalho de ir ver ao “Activity Monitor”.

    E substituiram no “Activity Monitor”, a coluna “% CPU” e “Threads” por “Impacto Energético” e “Impacto Energético Médio” respectivamente.

    Por isso, esse motivo não é motivo para mim, para mudar do Snow Leopard para o Mavericks.

    • João Ferreira says:

      Talvez, a palavra mentira não seja a mais adequada, eu diria a maneira como expuseram a informação não foi a mais adequada.

      Dá a sensação que isto é uma coisa completamente nova quando na verdade não é.

    • Hugo says:

      Desculpa João, mas estás enganado. O impacto energético também mede a utilização do GPU e o impacto energético médio é cumulativo. Basicamente o que aquilo faz é dizer em 100% de utilização quantos %(desde que iniciaste o mac) foram usados por cada aplicação. Mesmo que tenhas saído de uma aplicação o registo continua lá.

      • João Ferreira says:

        Sim, mas para que eu quero que o registo continue lá se o que me interessa é a informação actual. Se já fechei a aplicação, essa informação acho que não seja relevante para o cenário propriamente dito.

        Posso tar enganado, mas ninguém me tira da ideia que a utilização do CPU por uma aplicação não é já um bom indício de quem é que me está a consumir a bateria.

        Eu sempre usei essa razão como fundamento e vendo uma aplicação a usar 96% do meu CPU e terminar esse processo, aumenta o tempo de bateria.

        Agora, podemos é ter uma maior precisão mas não sei até que ponto, o CPU não terá um peso bastante significativo para esse cálculo do impacto energético.

        • Nunes says:

          Dependendo da aplicação disco e GPU tb consomem bastante. Até o espaço que ocupa em memória RAM tem um gasto associado.
          A média tem muito interesse para não ser influenciado por picos de uso e outras oscilações. Dessa forma é possível uma melhor comparação com outras aplicações com a mesma função ou até novas formas de usar a mesma aplicação!
          Resumindo, o facto é que agora é fácil visualizar os consumos excessivos associados a uma aplicação, basta ir ao menu da bateria! Isso vai levar muita gente a questionar as suas opções, a alterar alguns hábitos, e “obrigar” muitos programadores a terem mais cuidado com eficiência do código que criam!

    • Nunes says:

      Não há substituição! Se quiseres ver a actividade do CPU ainda está lá, apenas há uma nova organização dos dados.
      Apesar de poderes mais ou menos relacionar a actividade que vês num certo momento com o impacto que uma aplicação pode ter no consumo nesse momento, o facto é que não tinhas modo de acompanhar esse impacto ao longo do tempo, saber o impacto médio, de forma a comparar/analisar aplicações. Agora a pessoa é alertada para possíveis consumos excessivos duma aplicação

    • Hugo says:

      Se queres continuar com o SL é contigo, mas tenho-te a dizer que não sabes o que perdes. O Mavericks é gratuito, o consumo de bateria diminuiu drasticamente e o desempenho é muito mais fluido que no ML e Lion. Só para teres uma ideia eu no ML conseguia pouco mais de 6 Horas de duração da bateria, e no Mavericks consigo mais de 7. Na minha opinião acho que já não há desculpa para não actualizar do SL, mas tu é que sabes.

      • João Ferreira says:

        Finalmente!! Isso sim, já me interessa. Era mesmo isso que eu queria ouvir.

        A razão pelo qual não mudei para o Lion e Mountain Lion foi pelo simples facto do desempenho.

        Os OS X eram mais pesados e o desempenho não acompanhou essa evolução. De facto eu atualizei para o Lion e quando retornei para o Snow Leopard, uma das coisas que eu notei foi que quando para o Snow Leopard, o tempo de bateria do meu mac aumentou.

    • Nelson says:

      Que anedota.

      Não tem nada a ver…

      Uma App pode estar a utilizar 1% do CPU durante muito tempo, como pode estar a utilizar 100% do CPU em picos, não consegues ver isso.

      Além disso, como já disseram, tem o GPU, discos, Wifi/Ethernet, etc…

      Se achas que o SL é melhor, é contigo, mas testes controlados discordam de ti, tu é que sabes.

  5. Adriano Filipe Matos says:

    Eu instalei o Mavericks e não tenho notado grande melhoria a nível de bateria. Até acho que ficou pior. Contactei a Apple e dizem-me que o Moutain Lion podia estar a dar informações menos correctas acerca da bateria. Mas depois de ver “printscreens” de gente que tem 3, 4 e 5 horas de aumento na autonomia, mesmo em computadores mais antigos, acho estranho não me ter acontecido o mesmo. Acho que vou fazer um “clean install” a ver se resolve isso. Para tentar chegar as 18h de autonomia como vi num macbook air ou de 13″!! eheh

    (PS: Nunca gostei do Chrome e depois de ver as imagens que puseram aqui, então é que não vou usar mais! Safari e Firefox all the way!!)

    • lmx says:

      Um dos grandes problemas do chrome, é que ele lançava muitas threads…

      O que o vai tornar um devorador de energia…não ha milagres…

      cmps

      • Nunes says:

        Não creio que seja uma questão de milagres! Se o consumo do Chrome no Mac trouxesse benefício em performance, até que seria compreensível, mas o facto é que fica atrás do Safari em performance e “eficiência”.

      • Nelson says:

        Ele não lança threads, lança muitos processos.

        E por lançar muitos processos, não quer dizer que seja ineficiente, um processo em sleep ou pausado, gasta tanto como uma thread parada.

        O qye faz o chrome gastar muito, são os seus métodos de rendering.

        O safari utiliza as API’s todas do Sistema Operativo, desde os elementos da página até ao texto, são feitos pelo OSX.

        O chrome para osx/windows/linux, não, é “espertilho” e “cool” demais, e re-inventa a roda a e faz tudo á maneira dele.

        Só que uns programadores, programaram melhor que outros…

    • António says:

      O novo safari tem cenas para poupar bateria enquanto navegas na net. é muito bom.

      Quando á bateria a não ser que esta seja nova duvido que consigas altos números. As baterias com o passar do tempo perdem capacidade e por isso dura menos. a partir de x ciclos começas a notar a diferença. Infelizmente ninguém consegue resolver este problema nas baterias. Pior ainda nos telefoneis.

      Para um air aguentar 18 horas só se for a bater código ou cenas no word. Porque ligado á net ou a ver filmes, 12 horas deve ser o maximo que consegues.

      • lmx says:

        e pior que tudo…é que as baterias estimam o seu tempo de vida com base em ciclos de carga e descarga…cada bateria portanto tem um certo numero de ciclos predefinidos no seu MCU…o que quer dizer que uma pessoa que ligue e desligue o cabo de alimentação com a bateria colocada…ja gastou um ciclo…mas a bateria não se desgastou ao ponto de retirar um ciclo…

        O melhor é retirarem a bateria…quero dizer…os não MAC lol 😀

        cmps

        • Nunes says:

          Os ciclos não são contados por ligar e desligar da tomada. Se assim fosse teria no mínimo o dobro dos ciclos que tenho no meu MacBook.
          Segundo a Apple um ciclo equivale a descarregar 100% a bateria, de forma cumulativa; tanto pode ser duma só vez como a soma de algumas descargas até perfazerem 100% da capacidade da bateria.

        • lmx says:

          não sei como é nos Macs…penso que seja diferente…pelo facto de a bateria ser interna…

          Isso faz muito sentido, mas nas outras maquinas era como descrevi…actualmente…talvez tenham ganho juizo..mas não sei…

          repara que invalidar uma bateria via MCU, é muito bom para quem vende 😉

          cmps

          • Nunes says:

            Não sei como é nas outras máquinas, mas tanto quanto eu sei é assim há muito tempo nos Mac, mesmo quando as baterias eram amovíveis!
            Nunca ouvi falar em invalidar a bateria por causa do número de ciclos. A minha já ultrapassou os ciclos e ainda aguenta, embora já fosse boa altura para ser substituída!

        • Nelson says:

          Dá para ver os ciclos no OSX, e não é assim que conta.

          A minha bateria tem 42 meses, 868 ciclos, e está a 83% da capacidade especificada… 🙂

      • Nelson says:

        Exacto.

        As baterias perdem capacidade com o tempo… quem não percebe do assunto, pensa que é do OS.

  6. RF says:

    Pessoal, quem atualizou para o Maverick diga-me uma coisa.. O sistema apenas é atualizado, mantendo os ficheiros pessoais que lá se encontram certo? Não formata o disco e instala de raiz o Maverick?
    Já agora ppware.. podem fazer um post de como criar um disco com o Maverick para instalação de raiz.

  7. Bónus says:

    Para quem duvida, aqui estão testes que comprovam o aumento da autonomia, quer em computadores mais antigos como nos mais recentes:
    http://arstechnica.com/apple/2013/10/os-x-10-9/18/#battery-benchmarks

    • António says:

      é natural.. O So tem um sistema que faz com que o processador só processe coisas de x em x tempo. Ou seja desliga e liga os cores, etc.
      Eles querem fazer ptt mais finos e leves o que quer dizer que as baterias também tem de ser pequenas. Para puderem oferecer as 12h que normalmente oferecem tem de colocar o SO a poupar muito mais. O que acontece usando SSD, processamento diferente das threads entre outras coisas.

  8. Carlos Alves says:

    Bem.. Imagino isto com o photoshop ligado! Até tenho medo de saber!!
    hihihiihhihiihi

  9. Mário says:

    Instalei o Mavericks no meu MacBook Pro 15” de 2011.
    A instalação foi por cima do ‘Snow Leopard’ mas parece-me que o pc ficou mais lento. Já aconteceu isso a alguém?
    Será que fiz boa opção instalar por cima do outro?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.