Quantcast
PplWare Mobile

Linus Torvalds quer o Linux a correr nos Mac com o SoC M1 da Apple

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Faisca says:

    O povo quer é máquinas pra Linux, Windows e Mac OS em simultâneo.

  2. Nuno T. says:

    Imagino que o principal problema para ter o computador com o Linux (sem usar virtualização) vai ser a driver gráfica já que o GPU no M1 é da Apple. O resto deverá ser concretizável dado já haver Linux para ARM e o CPU ser compatível com a ISA da ARM. A Apple pelos vistos abriu a porta a poder ter outro bootloader, mas terão que adaptar para um tipo de firmware diferente – já não usa EFI.

  3. Teclassoltas says:

    O kernel do Linux já está a ficar cheio de bloatware e blobs para poder usar. Todo o tipo de hardware que existe, sendo que as marcas de hardware, na sua maioria jogam sujo, ou seja, só disponibilizam binários como drivers, tudo opaco.
    Assim é fácil minar a segurança do utilizador.
    Poder correr neste hardware proprietário significa mais bloatware e mais blobs e menos segurança e privacidade do utilizador.
    Quem quiser, pode usar uma versão do kernel limpa, é só pesquisar por Linux libre.

    • Toni da Adega says:

      Existem mais de 500 Distros de Linux e nenhuma se apreveita?

      • Teclassoltas says:

        As distribuições estão para o Linux, como os sapatos estão para os teus pes.
        O Linux em si, é o kernel, ou seja, os teus pes.
        As distribuções são como os sapatos que metes nos pes, ora tens uns que servem melhor para correr, outros para ir fazer caminhadas e outros para ir a uma festa de gala.
        No caso, o kernel (o que realmente se chama Linux), para funcionar com todo e mais algum hardware, e-lhe “adicionado” todo o tipo de drivers, e muitos deles são autenticos blobs, e outros há que são feitos de proprosito para serem de muito dificil analise.
        As distribuições são sapatos em cima do kernel, umas mais minimalistas, outras “com tudo incluido”, umas com o gestor de pacotes X, outras com o Y, umas com o gestor de sistema e serviços A, outras com o B, etc.
        Obviamente que quem quer usar o chamado Linux, por uma questão de comodidade, pega numa distribuição que cumpra os seus requisitos pessoais e usa, e isso não é por si impeditivo de usar um kernel standard ou um kernel “deblobed”, tal como tu nao trocas de pes, mas sim de sapatos.

  4. JOSEMAR SOUZA DOS SANTOS says:

    Por que as citações estão no idioma original sem tradução para língua portuguesa?

    • A tradução traz sempre alterações que não são pretendidas, que podem levar a uma interpretação diferente. Assim, tudo o que o Linus quis realmente dizer está ali presente, palavra por palavra.

      • Joao Cardoso says:

        Vou dar exemplo do que faz os blogs e jornais aqui (Brasil), traz o texto original e em baixo a tradução.
        Não é difícil fazer isso, né?

        • Keyboardcat says:

          A lingua Inglesa faz parte do ensino básico em Portugal e muitos outros países.

          Acho que praticamente todos os leitores conseguem ler perfeitamente o texto original. Caso não seja esse o caso, existem dezenas de tradutores eficazes, muitos deles incluídos nos próprios browsers.

  5. Gondzilla says:

    Simples: VirtualBox ou VMware Fusion 🙂

  6. José says:

    Linux não tem interesse, macos tem o melhor do linux e bastante superior ao windows em estabilidade e optimizacao. Alem do mais linux tem pessima gestao de bateria pois um portatil dura nem 2h com linux instalado enquanto que com macos dura 10x mais.

    • Teclassoltas says:

      Afirmas-te duas coisas, e o por sinal, erraste nas duas. É obra homem.
      O MacOS não é nem por sombras melhor que o Linux, nem em estabilidade nem muito menos em optimizações (de qualquer especie), tanto assim é que qualquer servidor (quase todos os que tu usas sem saber), quer de dados, quer de puro poder computacional, corre… adivinha… Linux.
      E olha que usei um servidor da Apple durante anos.

      A questão da bateria, nao sei como medes tal coisa entre um portatil da Apple e outro de outra marca com Linux. Primeiro tens de achar um computador com exactamente a mesma capacidade de bateria, e depois terias de usar o mesmo software da mesma forma, e obviamente que nao o fizeste.
      Em linux tens até mais liberdade de optimizações na questão do consumo de energia, mas pelo teu comentario, nem fazes ideia disso, portanto, instalas qualquer distribuição e como vem por defeito é como fica.

    • Teclassoltas says:

      Como imagino que so saibas sobre linux via Ubuntu, tens aqui https://www.reddit.com/r/elementaryos/comments/6p576y/will_loki_work_with_the_latest_macbook_12_inch/dknob5h/?utm_source=reddit&utm_medium=web2x&context=3 uma resposta que te permite, num computador da Apple, “medir” mais ou menos a diferença de consumo de energia, usando o MacOS e um Ubuntu.
      Repara que, o hardware assim como controladores são (parte deles) proprietarios da Apple, portanto, estão em vantagem na “comparação”.
      Obviamente que ainda se poderia “espremer” mais, por exemplo, não usando Ubuntu, mas sim uma distro mais leve.
      Um desafio ao pplware:
      já que são fas da paça, de certeza que têm ai um macbook antigo, sigam as dicas do linux e primeiro rodem algum software que exista para ambos (MacOS e Linux) no mackbook, depois seguem as dicas do link e instalam Linux. Depois voltam a medir o consumo de energia, quer no cabo, quer sem cabo, e sim, conta e é diferente.

      • Nuno T. says:

        O macOS dá a mesma performance num MacBook quer estejas ligado à tomada quer não, ao contrário de outros sistemas! Não há modos diferentes de consumo para o processador, as optimizações que há é para qualquer situação, como tal não verás o menor consumo possível.
        O único comportamento diferente é com o ecrã e os discos.

  7. Alberto Gonçalves says:

    na verdade ele se referiu ao kernel linux, pois o macos é um sistema operacional unix e compatível com toda cadeia de compiladores

    com exceção do kernel, a maioria das ferramentas e pacotes é possível de ser compilada através do Homebrew, que inclusive já tem suporte ao Rosetta para funcionar no M1

  8. Tuga says:

    O Linus está a ser irónico, só um tapado acha que ele que um mac, sistema fechado e totalmente contra as são convicções.

  9. MrSparc says:

    Já está a caminho uma nova distro Linux para suportar o M1: Asahi Linux .
    O desenvolvimento de portaria o kernel Linux começa em Janeiro 2021 por um conhecido developer e hacker conhecido por Marcan

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.