PplWare Mobile

iPhone XR continua a vender mais que iPhone XS e iPhone XS Max no universo da Apple


Pedro Simões

Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. pedro says:

    isto só prova que os preços da apple não são infinitamente elásticos …. e não me venham com o chavão que “a qualidade paga-se” … neste caso concreto aplica-se mais a “qualidade rouba-se” ….

  2. Miguel Porto says:

    O artigo é deveras interessante. Demonstra que os iCompradores estão dispostos a comprar qualquer coisa,
    mesmo que seja um equipamento cujo ecrã não é fullHD. Isto é em 2019, acho fantástico.
    Fora isso, quando vocês escrevem “As vendas do iPhone não parecem abrandar este ano” estão a manipular os dados. O estudo é dentro do universo iPhone. Não apresenta dados de vendas.

  3. Afonso Marques says:

    Em breve irão lançar fritadeiras, e digo-vos irá ser um sucesso descabido

  4. Marco says:

    Concordo com o que foi dito!
    Acho que a moda Apple se está acabar, é a consequência das pessoas começarem e estarem a abrir os olhos… finalmente! Qualidade existe e muita e até melhor a preços bem mais baixos.

  5. pedro pereira says:

    “As vendas do iPhone não parecem abrandar este ano” Porquê? Em que dados é que esta afirmação se baseia? Das três uma, ou o autor confunde percentagens com unidades vendidas ou o autor quer passar uma mensagem porque lhe convém ou o autor não apresenta todos os dados.
    Vou dar um exemplo quando se afirma “O destaque deste modelo é de tal forma grande que sozinho ultrapassou as vendas do iPhone XS e do iPhone XS Max” o autor diz que se venderam mais, isto, em bom português quer dizer “mais unidades” e não “maior percentagem”. Todos sabemos que 60% de açucar é mais do que 40% de um peso específico, mas 60% de 1Kg é menos de 40% de 2Kg, por isso, não entendo a base de informação para a afirmação.
    Será que o autor se apercebeu que o “Chart 1” refere-se à percentagem de vendas no universo Apple para retirar essas conclusões? Será que o autor tem conhecimento das unidades vendidas e, por conseguinte, fez as contas? Se estou a fazer um mal julgamente, peço desde já desculpa, mas o artigo tira conclusões que não são suportadas pelos dados que são apresentados e, por isso, diferentes interpretações podem ser retiradas.

  6. Napoleon Bonaparte says:

    É o argumento do preço a funcionar, simplesmente.

  7. Joao Magalhaes says:

    A Apple é boa a reinventar-se, já estou a ver a reunião ” E se vendessemos novamente o descontinuado SE?”

  8. Cortano says:

    Nota 1.
    Este tipo de resultados valem praticamente zero porque isto não é um relatório sobre números reais. É o resultado de um inquérito “Para obter estes dados, a CIRP consultou 500 utilizadores norte americanos que compraram um iPhone, iPad, Mac ou Apple Watch. Estes fizeram a compra no período compreendido entre outubro e dezembro de 2018.”

    .
     
    Nota 2:
    O inquérito foi feito nos EUA – que é um país que tem uma obcessão pela Apple.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.