Quantcast
PplWare Mobile

iPhone 13 Pro Max consegue velocidades de carregamento até 27 W

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. jota says:

    Neste site é iPhone 13 de manhã, ao meio dia, à tarde e a noite, já não se aguenta isto!

  2. zakarias says:

    5 – 4 – 3 – 2 – 1 – BUM

  3. Marco says:

    UAU que espantoso em 2021!

  4. Secadegas says:

    Fantástico… Bem vindos a 2015!!!

  5. Tó Canelas says:

    É bom ver que a Apple está a evoluir. Eu tenho um Xiaomi com 6 meses, carregamento a 33w que custou 200€ e a bateria dura-me 2 dias.

    • Vítor M. says:

      E é bom, mas falta tudo o resto que este iPhone traz. São coisas diferentes e segmentos completamente diferentes. Não podes comparar.

      • Surrealista says:

        Yap o Mi 11T Pro carrega a 120W, mas claro são segmentos diferentes.
        Um começa nos 550€ o outro em mais de 1k€….
        A notícia nitidamente embeleza o iPhone quando deveria ser, qualquer telemóvel no mercado traz mais do que 33w enquanto o iPhone não chega a 30w, será que a Apple num telemóvel de “Topo” não consegue melhor?

        • Vítor M. says:

          Por questões de qualidade da bateria e longevidade da mesma. Apesar de já haver formas de carregar rápido sem perder qualidade da bateria a longo prazo, estes incrementos têm de ser progressivos, neste campo a Apple está mais comedida, arrisca menos que outras marcas. Mas grande parte dos utilizadores de smartphones, eu diria 90%, ainda carrega pelo cabo e aí o compromisso da Apple não está muito desfasado dos restantes. Mas também não pode ser melhor em tudo.

          • AqueleAmigo says:

            “Mas grande parte dos utilizadores de smartphones, eu diria 90%, ainda carrega pelo cabo”

            Mais um razão para esse argumento cair por terra. Essa treta de “Por questões de qualidade da bateria e longevidade da mesma” é pura tanga. Qual é o smartphone que ao fim de 2 anos não se é recomendado mudar a bateria?!
            A Apple faz muitas coisas boas, mas depois usa argumentos da treta para não incluir coisas úteis.

          • Vítor M. says:

            Dois anos e mudar de bateria? Olha que não, aliás, muitos iPhone X ainda têm uma excelente bateria e já lá vão 4 anos. Para trás, na geração até ao iPhone 7, ok, as baterias eram pequenas e tiveram problemas à medida que os sistemas operativos iam trazendo mais recursos, porque, como no Android, se ficassem com o SO que saiu, não tinham essa problema, mas a Apple incrementa essa atualização, por isso apareceram os problemas. Desde o 8 que as baterias têm uma longevidade maior. E mais, carregar por cabo gera menos calor, que é um dos fatores que diminui a capacidade da bateria com o tempo.

            A gestão do iOS por outro lado, percebe as rotinas do utilizador e, por exemplo, durante a noite carrega até aos 80%, depois, como sabe que o utilizador normalmente só se levanta às 7:30, pelas 6 da manha começa a carregar de novo até aos 100%. Tudo isto vem dar uma nova dimensão a um ponto que era problemático no iPhone lá atrás. Hoje e mais ainda com o iPhone 13, muitas das melhores práticas já estão presentes. Por isso é que o iOS é o melhor sistema operativo, também porque é feito à medida. O Android é muito mais polivalente, é um facto, mas muito fragmentado o que em grande parte dos utilizadores Android, 90% praí, oferece uma fraca qualidade de utilização. Basta ver as percentagens de atualização dos Android versus a do iOS.

            Os factos são os números de vendas ano após ano da Apple. Como vês, cresceu substancialmente nos últimos anos e tem já mais de mil milhões de iPhones ativos. O que é substancial quando vende só iPhones no segmento Premium.

          • Galo says:

            Tenho um mi 9 ca em casa, que irá fazer 3 anos, repito 3 anos, em que é usado recorrentemente o fast charge, 27 w por cabo, e 20 W wireless).
            A bateria continua impecável.

            Compreendo as preocupações, mas factualmente a Apple chegou tarde aqui.

          • Vítor M. says:

            Mas não fui eu que disse que demorava 2 anos 😉 tu não almoçaste e deve ser falta de açúcar no sangue. 😀 Já nem consegues ler direito.

      • Paladino says:

        Mas o que é que estes iPhones trazem de diferente em relação aos Xiaomi e outras marcas? Absolutamente nada! Pelo contrário , tecnologicamente comparando estão anos atrás! O que as pessoas fazem por dinheiro e patrocínios e tudo mais…. A minha esperança é que tudo isto um dia vai acabar.

        • Vítor M. says:

          Bem pelo contrário do que dizes. Primeiro trazem o melhor SoC do mercado, desde há vários anos. Depois, trazem o melhor ecrã, trazem toda a linha com 5G, têm o melhor sistema biométrico, o Face ID, têm o melhor sistema operativo mobile, que é o mais seguro e que fornece atualização durante mais anos, têm um dos melhores conjuntos de câmaras do mercado mobile, têm tecnologias como o LiDAR, ProRAW, ProRes que são únicas neste segmento. Depois, têm um ecossistema próprio, com serviços ímpares, como a Rede Encontrar, como o Apple Pay, Apple Music, entre vários outros que compõem a oferta de quem usa este iPhone.

          Os Xiaomi são uma cópia de um conjunto de marcas e conceitos. Não têm sistema operativo próprio, não têm serviços que não dependam da Google e um ano depois de os teres, por muito bons que sejam no primeiro ano, ninguém os quer no mercado dos usados.

          Tornam-se obsoletos e com fraca velocidade de atualização, ficando com uma experiência de utilização pobre, porque as pessoas na sua grande maioria não tem gosto pelo equipamento.

          Essa é a realidade. Por isso vês a diferença gigante do mercado Apple com 4 dispositivos para a Xiaomi com 8 dispositivos e todos baixa e média gama, premium são poucos e os que são, têm um mercado residual.

        • AqueleAmigo says:

          Paladino,

          Eu concordo contigo a nível de hardware. Acho que nível de software o ios é capaz de estar melhor atualmente, e isso prende-se pelo simples facto de ser uma única empresa a controlar tudo. Faz imensa diferença. A Apple atualmente anda a reboque das outras empresas no que ao hardware diz respeito e só um tolo diria o contrário.

          Atualmente tenho um xiaomi e um iphone e posso te dizer que o que me realmente chateia:
          Lentidão de carregamento
          Baixa capacidade de personalização
          Um sistema de ficheiros completo que me permita usar o smartphone como se fosse uma pen (por exemplo)
          Baixa aposta em novas tecnologias de hardware

          No dia que Apple mudar isso profundamente eu deixo o Android, não porque não goste, mas porque tendo uma única empresa a orientar tudo é fundamentalmente melhor.

          • Vítor M. says:

            O conjunto faz a diferença. Olha uma coisa, que importa ter 12GB de ram se leva uma ripada de um smartphone da Apple com 6GB? É o conjunto. Por exemplo, o SoC da Apple anda há anos a puxar pelo mercado. O Snapdragon da Qualcomm está atrás ano após ano, ao ponto do iPhone 12 Pro Max ainda ser dos smartphones mais rápidos do mercado, que fará o A15. Já para não falar no M1. mas ok, estes são desenhado à medida, os da Qualcomm é “pau para toda a colher”, isso não podemos negar.

            Depois, ok há marcas com coisas melhores, é normal. A OnePlus foi das pioneiras no carregamento rápido, mas nem por isso conseguiu ser autossustentável, teve de ser a OPPO, novamente, a segurar na marca.

            Portanto, isto é tudo muito bonito, mas no final são as vendas que contam e que interessa ter um super carregamento se depois falta o resto e não atrai clientes?

            Assim como nos ecrãs. A Samsung não dá hipótese, mas a sua maior cliente é a Apple. Que por sua vez consegue ano após ano ecrãs fantásticos. A Apple precisa da Samsung e a Samsung precisa da Apple. A não ser que a Apple tenha a LG ou a BOE.

            Nas câmaras, a Huawei andou muito tempo no pódio, mas dependia da Google, continua com boa qualidade de hardware, mas e o resto?

            A Xiaomi corre o mesmo risco, depende de todos e tem pouco mercado premium, que é onde as marcas ganham mais e fidelizam mais.

            PS: o carregar mais lento não notas a diferença como pensas atualmente. E mais, o iPhone 13 Pro Max veio dar uma dimensão completamente nova à autonomia da máquina.

  6. Kalupa says:

    Qualquer android de 200euros carrega a mais de 65w. Apple demora tanto a chegar la meu deus

    • Keyboardcat says:

      Exato. Como o Galaxy A52, Mi 11 Lite, Nord N10. Tens mesmo razão, qualquer Android de 200€ carrega a mais de 65W.

      Mas não percebo porque alguém iria comprar um smartphone por 200€, visto qualquer português ganhar mais que 5000€ mensais. Vês, tal como tu também sei escrever falsidades sem sentido. Afinal não és assim tão especial como pensavas.

  7. L.Sousa says:

    Deixem lá não percebem
    que ele é Apple fan?

  8. Rui Carriço says:

    O mundo em 2021 e a Apple ainda em 2000. O meu telemóvel, que custa menos de metade e já tem quase um ano carrega por Qi a 55W…

  9. Antonio Ferreira says:

    Não percebo, se estão fart

  10. Antonio Ferreira says:

    Não percebo, se estão fartos de artigos sobre a Apple, por que razão os leem e vêm comentar ?

  11. Marco says:

    É um ponto a meu ver que não tem discussão, e qualquer argumentação é sem sentido na minha opinião… A Apple neste ponto em concreto está anos atrasada face aos Android é verdade e factual, se é por falta de capacidade, ou pela preocupação com a longevidade das baterias? Não me parece, acredito piamente mais que seja por opção e é legítimo, para o ano metem a 30W, daqui a 2 anos 50W e por ai fora sendo sempre um avanço/melhoria face ao ano anterior.
    Não acredito que a Xiaomi, Huawei, Samsung etc… consigam trazer carregamentos mais rápidos sem afetar a qualidade ou longevidade das baterias e a Apple não sinceramente, são opções!
    Muita gente hoje em dia precisa de um boost de carga ao longo do dia e por 10m e carregar por exemplo 50%, ou os mesmos 10m e carregar 20% não é a mesma coisa, uma pessoa chegar do trabalho com 15% de bateria por a carregar, tomar banho e sair para jantar com 100% de bateria, é diferente que sair com 40%, nem toda a gente carrega a noite, e mesmo que carregue não aguenta o dia seguinte todo!
    A verdade é que a Apple está atrás face a concorrência é a verdade factual, tem muitas coisas boas lógico mas nesse ponto… podia melhorar!

  12. Elkido says:

    EU tenho um Realme X50 Pro 5G com 1 ano e meio com carregamento de 65 watts e acho pouco…. ia para comprar um com 120 watts mas já não compro… vou esperar um pouco e comprar um com carregamento de 200 watts para carregar o meu smartphone em 5 minutos ou pouco mais… reais

  13. Carlos Santos says:

    xiaomi a a rir-se em 120w

  14. Joao Silva says:

    Só vou deixar o android em 2022. Na altura do lançamento do Iphone14 a rede 5G já estará consolidada e o Face ID será limpo, sem máscaras. Por outro lado aposto numa estética renovada nos novos equipamentos e a qualidade das câmaras vai sofrer um impulso determinante para se destacar até porque não se esperam grandes upgrades por parte da gama S22 da Samsung conforme o indicam os leaks mais recentes. Até por isso vão relançar a gama Note embebida na gama S22 Ultra até para disfarçarem os poucos avanços tecnológicos que se avizinham pela marca coreana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.