PplWare Mobile

iPhone 12 Pro: 5G, ecrã de 120 Hz, Face ID evoluído e mais tecnologia na fotografia


Autor: Vítor M.


  1. Valter says:

    Só queria que a Apple adotasse logo o USB-C nos iPhones.

    • Yepp says:

      Só depois de processarem o mundo dizendo qiue é tecnilogia deles

    • Dark Sky says:

      E porquê? Para ter o mesmo tipo de problemas de incompatibilidade das diferentes carregadores, portas e cabos USB-C?
      Pesquisa que hás de encontrar mais vezes isto:

      “O USB-C foi considerado a solução para todas as nossas necessidades futuras de cabos, unificando a energia e dados com conectividade de vídeo e áudio e introduzindo a era do cabo de tamanho único. Infelizmente para aqueles que já investiram no ecossistema USB-C, qualquer pessoa que tenha comprado um smartphone das principais marcas nos últimos dois anos, o padrão provavelmente não cumpriu a promessa.”
      https://www.androidauthority.com/state-of-usb-c-870996/

      Um dos problemas caricatos é o adaptador de áudio de USB-C para jack de 3,5 – as incompatibidades são mais do que muitas.

      A Apple tem o Lightning. A quantidade de comentários de que devia mudar para micro-USB, porque o “micro-USB é que era” – e era universal. Os mesmos passaram-se para o USB-C, que não é tão universal como isso.
      Ao certo, ao certo, qual é a vantagem de passar do Lightning para o USB-C? Comprar mais cabos e adaptadores para outros equipamentos que também têm postas Lightning?

    • Vítor M. says:

      Em que smartphones tens isso?

      • Galo says:

        LIDAR (laser imaging, detection, and ranging) é uma tecnologia já com algumas dezenas de anos e com vasta aplicação em diferentes áreas. A Apple decidiu agora adopta-la.
        No Android existe há muitos anos o “equivalente” ToF (time-of-flight).

        • Vítor M. says:

          Isso de equivalente não é o mesmo. LiDAR, em que smartphone tens?

          • Galo says:

            Eu coloquei equivalente entre aspas exatamente porque sei que não é o mesmo, embora o objetivo do ToF no android seja o mesmo.
            Ainda não sabemos qual será o melhor…depois na pratica se verá…
            Até porque o LIDAR já existe desde 1960 e em varios equipamentos/tecnologias. Com certeza já muito deve ter evoluido desde entao….e o mesmo se passa/passará com o ToF.

          • Vítor M. says:

            Não falo em melhor, referi a tecnologia que não existia em nenhum gadgets destes e passou a haver no iPad Pro. Portanto, é uma inovação.

          • Galo says:

            Sim, eu sei. Eu é que referi o melhor, porque no fundo, para o utilizador isso é que vai importar.

            Se eventualmente a sua introdução não se mostrar melhor que a “equivalente” ToF do mundo android, ou trouxer pouca melhoria em relação ao que já existia, pouco terá de”inovação”. (o simples facto de se introduzir algo que já existe num determinado equipamento pela primeira vez, só por si só não é inovação).

            Independentemente disto, obviamente que a nível de markting a Apple irá fazer-se valer do termo LIDAR, como algo distintivo, tal como fez com o “RETINA display”. Nada contra. O utilizador é que deve ser atento e perceber o que está lá, o que existe equivalente, e a mais valia que trás.

          • Vítor M. says:

            Boas. Permite-me que digas que estás enganado. Eu já em comentários passados referi isso, penso que estarás lembrado. Porque, o utilizador Apple não irá sequer ter interesse se o sistema LiDAR é melhor ou pior com o sistema ToF. Até porque, como sabes, a Apple não tem concorrência, na verdadeiras ascensão da palavra. Não há mais ninguém com aquele sistema operativo, com aquele ecossistema. Portanto, nunca podes comparar se o LiDAR dentro do iOS e iPadOS funciona melhor ou pior que o ToF nos muitos e diferentes smartphones Android.

            Portanto, o foco aqui é o que esta tecnologia, inovadora, traz para dentro do ecossistema Apple que possa aumentar as funcionalidades a oferecer ao utilizador Apple. Os outros nesta equação pouco importam, percebes? A tua forma se estares sempre a comprar não tem espelho do outro lado, o utilizador Apple tem ou não tem determinada funcionalidade.

            O Retina Display é tecnologia Apple sobre tecnologia de terceiros. Faz sentido quando a Apple desenha determinados componentes que influenciam e são influenciados pelo restante, Neste caso, os Retina da Apple são uma melhoria ao que a Apple já oferecia atrás. Assim como a Apple agarrou nos OLED fabricados pela Samsung e melhorou-os com tecnologia que entendia ser melhor dentro do seu ecossistema. O importante é ter e funcionar muito mais muito tempo.

            O que tu entendes por marketing, para a Apple é uma forma de anunciar o produto. Repara, não é por acaso que até o modo de apresentar os produtos em vídeo, no site e até nas keynotes, notas os traços de influência da Apple. mas é normal, é o mercado a funcionar.

            Depois, não temos todos que gostar das mesmas coisas. É falta de verticalidade dizer ámen com tudo só porque sim. Temos de ter opinião, temos de respeitar a opinião dos outros, mas que não concordemos com ela. Por isso, estares a querer colar mesmo com aspas que o ToF é o equivalente ao LiDAR sendo tecnologias diferentes e em sistemas diferentes… é errado. Ambas são muito válidas e servem o utilizador. Não existia o LiDAR nos dispositivos móveis, agora já existe. Ganhou o utilizador.

          • Galo says:

            Oh Vitor, mais uma vez a fazeres acusações gratuitas porque? Tu é que cometeste algumas incorreções. Vejamos:
            “Porque, o utilizador Apple não irá sequer ter interesse se o sistema LiDAR é melhor ou pior com o sistema ToF. ” Eu falei em utilizador! E que eu saiba está PROVADO que há utilizadores a ir de um sistema para o outro e vice-versa.
            “Até porque, como sabes, a Apple não tem concorrência, na verdadeiras ascensão da palavra. ”
            Esta não percebi mesmo. Estás a falar em quê? No que toca aos smartphones, a Apple não é 3ª marca em vendas? Tendo sido ultrapassada pela Huawei, e com a Xiaomi a aproximar-se? No que toca em especial à qualidade fotográfica, no presente, o seu melhor equipamento não está em 11º lugar no DXOmark??
            “O que tu entendes por marketing, para a Apple é uma forma de anunciar o produto.” Concordo! não disse o contrário! Aliás para mim esse é mesmo o objetivo do marketing! E nisso a Apple é boa! (não leve como depreciativo). Contudo, na minha opinião um utilizador que queira escolher um smartphone não se deve levar por termos como LIDAR ou Retina. Deve averiguar o que esses termos representam, o que há de equivalente, e o que oferece…
            “Por isso, estares a querer colar mesmo com aspas que o ToF é o equivalente ao LiDAR sendo tecnologias diferentes e em sistemas diferentes” estou totalmente certo! Se usasse termos como “igual”,”idêntico” é que estaria errado! o Android não é o “equivalente” ao IOS da Apple? O objetivo da introdução do LIDAR no iphone é melhor o autofócus, e a qualidade das fotos em baixa luz, o que o ToF faz nos equipamentos Android!! Tive o cuidado de nunca dizer que era melhor, pior ou igual!
            . Não existia o LiDAR nos dispositivos móveis, agora já existe – não é verdade, faz la uma pesquisa Não existia em iphone, e talvez mesmo em smartphones (não fui confirmar). Mas em outros dispositivos moveis existia sim!

          • Vítor M. says:

            Não estou a fazer nenhuma acusação, voltas ao principio de cometeres incorreções no que é escrito. Depois não percebes o que é dito, o que é outro problema. Mas vamos lá novamente.

            Falas em que está provado que há utilizadores a ir de um sistema para o outro. Claro que sim, mas não será pelo LiDAR ou o ToF, como tu estavas a dizer. Vão por um conjunto de argumentos, por norma tem a ver na Apple pelo conjunto oferecido, no Android pelo preço.

            Sobre a Apple não ter concorrência. Claro que não, quantas marcas usam iOS e têm o mesmo ecossistema? Nenhuma. A Apple é a que desenvolve o seu software e hardware à medida, por isso a sua oferta nunca tem nada dentro da mesma plataforma. Sobre as vendas, repara que até nisso comparas mal, dado que com muito menos oferta, a Apple consegue ter um iPhone que vende mais que as outras marcas com equipamentos bem mais baratos (é a marca que ao longo dos anos mais equipamentos vendeu, faz as contas aos últimos 5 anos, por exemplo). Logo, não tem nada a ver. Esta tu sabes, não sei porque perguntas.

            No que diz respeito à fotografia, desde quando a DXOmark é a razão para os utilizadores comprarem o iPhone? Viste o iPhone 11? Vendeu muito mais que os outros e olha onde a DXOmark o classifica nos seus testes de estúdio e de rua e tal. Uma coisa é o que usas, no teu dia a dia, a qualidade da imagem no quotidiano, outra coisa são testes dentro de uma cenário que não é o teu do dia a dia. Ficas curto de experiência quando só olhas a isso. O mercado é quem escrutina, meu caro.

            Sobre o resto, diz-me lá (que de facto não conheço) um tablet com LiDAR ou um smartphone. Eu não conheço, mas pode haver. Podes dar um exemplo, que agradeço.

          • Galo says:

            Vitor para mim, dizeres que “estou enganado, como de costume”, dizer que “cometi incorreçoes, que não sei do que falo, ou até mesmo que não percebi o texto” são acusações.

            Ainda não me provaste onde estou errado. Viste o link que partilhei abaixo?
            O que é recorrente é tu cometeres as falhas que apontas…

            Por exemplo, no início falei genericamente que um utilizador devia procurar informar-se melhor sobre o que era o LIDAR ou RETINA, sobre o que oferecia em comparação com alternativas. Vieste dizer que estava errado que o utilizador Apple não queria saber disso. Mas eu falei em utilizador Apple? Apesar de saber que não tinhas como provar essa afirmação, salientei que até utilizadores Apple mudam para android e vice-versa (e como tal os utilizadores apple tambem se interessam por LIDAR or ToF).

            Em resposta dizes: “ Claro que sim, mas não será pelo LiDAR ou o ToF, como tu estavas a dizer.”
            Mas eu disse que eles mudam SÓ por causa disso? Obviamente que mudam por um conjunto de coisas. E obviamente, nelas poderá estar o LIDAR . Se não fosse importante a Apple não o implementava.

            “Sobre a Apple não ter concorrência. Claro que não, quantas marcas usam iOS e têm o mesmo ecossistema?” Ok, nessa lógica sou obrigado a concordar e a dizer que a Xiaomi também não tem concorrência. Olha a Mazda também não tem concorrência 😉

            “Sobre as vendas, repara que até nisso comparas mal, dado que com muito menos oferta, a Apple consegue ter um iPhone que vende mais que as outras marcas com equipamentos bem mais baratos”.
            Eu comparei mal? Eu falei em numero total de vendas de smartphones. Ou comparas modelos em especifico ou totais. Se o Iphone é o que vende mais é porque tem qualidade. Mas atenção quando dizes que esse modelo vende mais que outras marcas é preciso ter cuidado…pode não ser verdade. É o modelo que vende mais atualmente. Mas nao vende mais que todos os outros, nem de perto.

            “No que diz respeito à fotografia, desde quando a DXOmark é a razão para os utilizadores comprarem o iPhone?” Tal como atrás, a qualidade fotográfica é uma das características que pesa na escolha de smartphone. Se não fosse importante, a Apple não lhe dava importância! E nesse campo o DXOmark é um indicador de referencia!.

            “Sobre o resto, diz-me lá (que de facto não conheço) um tablet com LiDAR ou um smartphone”- eu não disse que havia. Até referi que não fui conformar. O que posso confirmar é que não foi o primeiro dispositivo movel a usar, que foi o termo que tinhas usado.

          • Pereira says:

            Dizer que o utilizador só escolhe Android face ao IOS pelo preço é no mínimo muito redutor, sou utilizador de Android e com o preço que dei por ele podia ser utilizador de IOS, ambos os sistemas são bons e longe vai o tempo em que o Android era um software lento e que só vendia por ser barato, se estivermos a falar do ecossistema aí sim a APPLE não terá grande grande concorrência mas arrisco a dizer que a maioria do utilizador de iPhone não tem mais nenhum produto APPLE a não ser o próprio iPhone… Quanto á troca de plataformas, dependendo do que a Apple apresentar este ano sou um sério candidato!

          • Vítor M. says:

            Não disse todos, disse a grande maioria. Claro que é o preço, mas isso não é um fator negativo. Agora, é óbvio que a grande maioria dos utilizadores Android (se calhar 85%) nem conhece o seu potencial, tem sim um telemóvel de mexer com o dedo e a um preço que interessou. Tens dúvidas disso?

            Atenção que em lado nenhum disse ou digo que Android não é bom, porque é um super sistema operativo, atenção 😉

  2. Yepp says:

    Gostava de obter apenas resposta a uma dúvida.
    Porque motivo apenas as notícias do Vitor M têm de ser aprovadas…. Nao entendo…. Deveras estranho…

  3. N1ldo says:

    Se vierem com o notch bem reduzido como aparenta na imagem até que não estão mal, poderia até pensar em dar uma chance, pq o design dos outros é só pra fan boy mesmo, coisa horrível.

  4. Carlos Faria says:

    bem que precisam, já que nem no top 10 de qualidade fotografica dos smartphones do dxomark o iphone 11 consegue lol

    • Dark Sky says:

      Olha lá bem para o ranking top 10:
      – Huawei P40 Pro
      – Honor 30 Pro+
      – Oppo x2 Pro
      – Huawei Mate 30 5G Pro
      – Xiaomi Mi 10 Pro
      – Honor V30 Pro
      – Galaxy S20 Ultra
      – Huawei Mate 30 Pro
      – Xiaomi Mi CC9 Pro Premium
      – iPhone 11 Pro
      Ou seja, o top ten é dominado pelos Pro. Quanto vendem? Pouco, é mais “para a fotografia.”
      Ainda vais encontrar vários Pro antes de chegar ao iPhone 11. Mas se olhares bem para a pontuação a diferença é muito pequena para o iPhone 11. Surpreendentemente, vais encontrar o novo Pixel 4 com 114 pontos e o iPhone 11 com 109, 1 ponto menos que o Xiaomi Mi 9.
      Em todo o caso, não creio que seja a câmara o fator decisivo, senão toda a gente comprava os Pro.

      • Galo says:

        Esqueceste-te só de dizer que em geral esses “Pro” levam a pagar mais!
        Reformulo a tua ultima frase: Em todo o caso, o € ainda é um fator que pesa, senão toda a gente comprava as versões Pro (que não é só “mais” camara).

        • Dark Sky says:

          Eu reformulo, lá por isso 🙂

          “Quem quer comprar um iPhone 12 com melhor câmara compra a versão Pro/Max. Quem quer comprar um com uma câmara não tão boa e mais barato. compra o 12. Agora, quando for olhar para o rating da DXOMark, não se admire de encontrar smartphones Pro, Android, à frente do iPhone 12. Mas veja bem os preços, porque podem bem ser mais caros que o iPhone 12”.

          P.S. Sobre o ecrã do iPhone 12 Pro que no post dizem, sem mais , que terá uma taxa de 120Hz, pesquisem por “display iPad Pro Motion 120Hz” para perceber do que se está a falar.

          Quanto aos que dizem, que os iPhones lançados anualmente pela Apple, não trazem novidades, desde a morte de Steve Jobs, enfim não há nada para dizer. A não ser que o novo modelo de iPhone é sempre o mais vendido dos smartphones.

          • Galo says:

            Agora sim, de acordo 🙂

            Embora no que toca aos Androids à frente do iphone 12, esses poderão ser mais caros de facto, mas também bem mais baratos 😉
            Repara no exemplo do Mi Note 10 pro, que se encontra já a menos de 400€, mais barato que o mais barato iphone, e se encontra à frente do iphone 11 pro no DXOmark, que é o iphone mais bem classificado.

            Acima de tudo, o importante é cada utilizador informar-se bem antes de comprar qualquer smartphone que seja.

          • Galo says:

            Relativamente à falta de novidade, obviamente que os “anti” sempre dirão isso…já o diziam antes.

            Mas também é verdade que alguém minimamente imparcial, perceberá que o Iphone já inovou bem mais do que agora. Ou então o facto de outras marcas inovarem também bastante, dá menos destaque às inovações do iphone, nao sei…

  5. Rui Barros says:

    Maçã a inovar? Lolo é teclados de 2005 que do nada viraram magic keyboard…
    É MacBook pro 2020 com processadores piores que Mac air 2020…
    É macbook com thatch bar… Em ves de ecrãs tateis…
    É thatch id… Que não servem pa nada… Quando ligas o mac tens de por o código sempre . O dedo não funciona depois.. So enquanto está ligado.. Qualquer pc windws tem isso e funciona dps de desligado. E ainda tem de bloqueio facial… Apple nem vê-lo…
    IPhone SE que tem um bom processador de facto, mas aspeto do tempo do avozinho… Pelo menos tinham tirado o botão e as bordas… Mas isso jazus já era inovar de mais…
    Fans Boys… Apple morreu…. Com o fundador… Só quem não tem o mínimo de juízo é que atualmente gasta dinheiro em Apple… Ja foi top.. E verdade… Mas atualmente.. Desde há uns 5 ou 3 anos… Só balabala… Marketing top produtos zero…

    • Vítor M. says:

      Se pelo menos neste comentário tivesses uma verdade, era já muito bom. Mas nem uma para amostra. Pena.

      • Rui Barros says:

        como fan boy de macs que vocês são… ainda me Hades dizer onde é que estão as mentiras? tudo verdades.. só ceguinhos fan boys é que nao querem ver o que esta afrente dos seus ohos

      • Filipe says:

        Vamos lá a ver… fanáticos haverá sempre!
        No entanto, cada um com sua opinião!
        Eu gosto de ver opiniões, críticas mas que sejam criativas e justas.
        Mas actualmente a sociedade só olha para aspectos exteriores, só olha para design, ou seja, tudo leva a crer que afinal olham para o produto pelo aspecto em vez do “coração”, e depois vem com a questão que a Apple não inova, valha-me Deus eles não precisam. Está tudo bom só há que limar arestas para aperfeiçoar. Pois a verdade é que o dispositivo sai e funciona não é como certas marcas que saem com dispositivos é só a procura do lucro (a Apple também) mas faz o produto com delicadeza e tem mais cuidado.
        Eu cá acho que a Apple deu um grande salto com a saída do iPhone SE, pois é um equipamento que pode ter design antigo mas um hardware de 2020 e de ponta, e aspecto antigo mas ao gosto de muito utilizador (leitor de impressões digitais e ecrã 4,7), creio que com o tempo a Apple irá lançar 2 modelos SE, um tipo o de este ano e outro tipo iPhone X. Mas claro não podem vir com tudo que é para poderem vender o iPhone xs, pois com a saída do SE2020 o iPhone 8 foi descontinuado.
        Agora digam-me se é mau um iPhone SE 2020 por 500€!?? Com características top!!! Muito mais evoluídas que o iphone8 que custava 700€ e tal.
        Portanto foi fenomenal a jogada deles e vai agarrar muito público.
        Em suma a Apple é:
        1- utilização diária constante e estável do melhor que há;
        2- actualizações a longo prazo que outros não dão;
        3- utilização por gestos que já não me consigo habituar a outra coisa;
        4- e poupança. Sim poupança. Eu compro um iPhone em 2017 (iPhone X) 1179€ e estamos em 2020 e o equipamento parece que o comprei ontem, estável, corre jogos de top como telemóvel novo e jamais se pensa em trocar para modelo a cima porque não precisa.
        Agora fala você da experiência porque eu tive vários andróides e samsung e por ano gastava a volta dos 800€ para ir fazendo upgrade do dispositivo por que ficava uma lástima, até que dei um murro na mesa e regresso a Apple e até hoje.
        Portanto a Apple a minha opinião é excelente nestes factos todos elencados.

        • Galo says:

          Concordo.
          Todos têm direito à sua opinião, e também gosto de ler críticas mas que sejam criativas e justas.
          Por exemplo os 4 pontos que apontas é é apenas a TUA opinião pessoal, principalmente no que toca à poupança.

          Vou-te dar um exemplo:

          Mi 9 – preço há cerca de 1 ano 320€ (6GB ram+ 128 rom):
          1 – utilização diária constante e estavel do melhro que há;
          2 – Atualizações constantes (olhando para o que acontece atualmente, irá ter no minimo atualizações oficiais durante 3 anos);
          3 – utilização por gestos de facto gosto muito;
          4- ja referi o valor…1/3-1/4 do iphone (e olha que até consegue melhor que o iphone em algumas coisas, por exemplo melhor qualidade fotografica que iphone 11 DXOmark; leitor de impressoes digitais embutido no ecra, algo que rumores apontaram que apple andava a tentar introduzir), etc.
          Este mi9 é apenas um exemplo. há outros.
          Mas ambos sao equipamentos muito bons!

          • Dark Sky says:

            Isso do preço dos Xiaomi e outros smartphones chineses depende do “jogo do gato e do rato” com a alfândega portuguesa.

            Precisamente com um Mi 9, que comprei para oferecer (e que nem tenho qualquer dúvida que é um grande smartphone), e que tive que ir buscar á alfândega, com 23% IVA e outro tanto de encargos a favor da AT e dos Correios, custou-me mais do dobro do que referes.
            (P.S. Sim. comprei com “priority line”, o que assegura o pagamento de um valor reduzido à alfândega da Holanda. Mas, veio parar às nossa, o que não é caso único. Quando se compara preços de iPhones, com todos os impostos pagos e margens comerciais, com preços dos Xiaomis, que (quando) escapam aos impostos e outras alcavalas – tem que se lhe diga.

          • Galo says:

            Tiveste bastante azar! Mas sim acontece!
            No entanto, para te ter custado o dobro do que paguei algo se passou…É que quando vai parar à alfandega, normalmente paga-se 30% do valor da compra (incluindo todos os impostos; se for transportadores DHL, UPS, etc pagas mais)…com esses 30% ficaria em pouco mais de 400€…
            E mesmo adquirido em Portugal, no auge do seu preço (todos os impostos pagos e margens comerciais), a versao melhor custava 580€, ainda bastante inferior aos Iphones….

        • N1ldo says:

          O design é o que mais importa nos topos de gama, afinal um smartphone de gama média/alta é mais que suficiente pra 90% do uso que dão a eles, admito que os aifones têm um pu&%a hardware, mas pensa, eu acho aquilo horrível vou comprar e ficar achando horrível por 2 ou 3 anos? Isso é tortura. Por isso não tenho dúvidas, a maioria usa por status, fan boy ou fidelidade a marca, eu até poderia pagar o que eles pedem, mas não, há muitas opções tops com design lindos.

        • Claudio says:

          Na parte das actualizações hás-de me explicar para que serve 5 anos de actualização num telemóvel se a Apple deixa os telemóveis antigos mais lentos de propósito. A actualização nao vai servir de muito, nao vais ter o potencial todo. O mundo Android nao faz isso, simplesmente ficam lentos com o tempo mas isso todos ficam e a Apple nao foge á excepção.
          Ninguém fica com um telemóvel durante tanto tempo, no máximo 3 anos …5 duvido, só se for algum cota que nem liga muito a tecnologia.

          • Dark Sky says:

            Isso é assim … e não é assim … ou seja, não é bem assim.

            Há as “major” atualizações anuais: iOS 6, 7. 8, …
            Depois há as atualizações aos longo do ano: 6.1, 6.1.1, 6.1.2, 6.2 ….
            As “major”, sem dúvidas, estão viradas e testadas para os equipamentos mais recentes. Os equipamentos de fim de linha de uma “major” (os mais antigos que podem instalar a nova versão) podem não ter acesso a algumas das novas funcionalidades, e podem mesmo passar a ter problemas de lentidão, até serem resolvidas.
            Mas olha que não tem sido em todas as “major” e, com frequência, as atualizações seguintes resolvem.

            A Apple não tem isso de deixar “os telemóveis mais lentos de propósito”. A Apple teve problemas, de reputação, por não explicar devidamente e não ter inicialmente introduzido opções para o utilizador – por desacelerar a velocidade de relógio do processador para evitar que iPhones antigos crashem – mas foi resolvido.
            É que nem tenhas dúvida que há muitos utilizadores com iPhones com 5 anos – o iPhone 6, lançado em 2014 – sem lhe notarem qualquer problema de lentidão.
            Se comprarem um novo smartphone, iPhone ou Android, é mis rápido? Por certo – o que não quer dizer que o iPhone 6 esteja lento.

  6. O pirata says:

    Em pleno 2020 vamos lançar um topo de gama, o que vamos fazer? meter um notch, coisa que os androids abandonaram aos anos…

    Iphone já não tem inovação nenhuma e estão a ficar para tras, o que os safa é o ecosistema e os fans que dão mais de 1000€ por um equipamente destes…

    • iDroid says:

      Se os android não têm face id avançado como o da Apple, de que lhes servia ter um notch? Para isso mais vale o punch-hole, como efectivamente o fazem.

      Neste momento, enquanto não for possível embutir a tecnologia por baixo do ecrã, com a qualidade que se pretende, essa mesma tecnologia é obrigada a ocupar espaço.

  7. Anónio Pinto says:

    Curiosa esta “guerra” constante entre androids e apple, porque android é que é bom, etc. Tenho um Samsung S8 Plus e foi a maior porcaria que tive/tenho, lento, quando vou tirar uma foto já não está lá nada para tirar e foi assim desde a primeira atualização do android. Ainda bem que existe pelo menos 2 sistemas operativos porque se só houvesse IOS ou Android no mercado era abusos constantes tanto de um como de outro. Resta ver as multas constantes que a Google leva pela posição dominante e constantes abusos, problemas de privacidade, que faria se fosse o único sistema operativo no mercado. Pena o windows ter desistido, pena o ubuntu para sistemas móveis não ter vingado e pena a huawei dizer que um SO deles levará muitos anos a estar a par do android ou IOS. Precisa-se de concorrência e pena ver tantas marcas distas inovadoras, etc, sem nunca terem desenvolvido sequer um SO, pena…

  8. Carlos Silva says:

    É engraçado vir aqui falar-se de marcas inovadoras quando não têm sequer um SO próprio, apenas incorporam hardware num equipamento e muito desse hardware nem sequer o produzem internamente (muitas têm 0 hardware próprio). Não têm um SO. Incorporam processadores “dieselgate” tipo mediatek. De facto, a palavra inovação tem muitas interpretações, consoante o interlocutor

    • Galo says:

      Sim. A definição de “inovação” tem varias interpretações e tem mudado ao longo do tempo. No entanto não me recordo de nenhuma delas ter como condição o fabrico do seu próprio hardware ou software. Por exemplo, eu posso criar algo totalmente meu, por exemplo um objeto, que não tem nenhuma aplicação pratica, não vem melhorar em nada o que já existe – não traz inovação.
      Mas posso ter uma ideia brilhante de um objecto, que vem melhorar algo em relação ao que existe, e pedir os componentes à fabrica X, a montagem à fabrica Y, e o software para esse objecto à empresa Z. No fim tenho um objeto inovador. Trouxe inovação.

      • Carlos Silva says:

        Quando referi ao hardware referi a desenvolvimento próprio, enganei-me dei a entender produção própria. A maior parte das marcas que muitos dizem que são inovadoras apenas incorporam hardware de outros fabricantes, hardware partilhado por n marcas, e depois, se esses fabricantes não quiserem vender, ficam sem produto mas são inovadoras porque metem câmaras de mercado de 40 megapixeis ou processadores de mediatek de não sei quantos núcleos acelerados à “dieselgate”, ou SO de uma outra empresa e quando querem desenvolver o seu SO dizem que não conseguem tão cedo um produto que rivalize por exemplo com o android, e não falo da huwei mas de todas as marcas inovadoras por aí que usam android. Só quis referir que a percepção de inovação é, para certos interlocutores, é muito própria. Sou utilizador android mas tenho uma interpretação diferente de inovação e muitas marcas que se falam de inovação tem zero, apenas incorporam hardware de terceiros e quando se virem sem esse hardware ou SO deixam simplesmente de existir

        • Galo says:

          Percebo a ideia.

          São poucas que o fazem sim. Mas as principais, por exemplo a Huawei, a Samsung e até a Xiaomi têm processadores desenhados por si (embora a xiaomi, do que sei decidiu abandonar), todas elas têm sistemas proprios ou utilizem como base o Android, mas com muitas funcionalidades adicionadas. E todas elas já trouxeram o seu “q” de inovação ao mercado, alguma mudança de paradigma. Por exemplo, a samsung “criou” o sector do Notes, dos ecrãs grandes, a Huawei o sistema com mais do que uma camara, e despoletou a procura por melhor a qualidade fotografica dos equipamentos, a Xiaomi com o seu primeiro “Mix”, despoletou verdadeiramente a procura por margens de ecra mais finas; foi também a primeira (ou das primeiras) a comercializar leitor de impressao digital embutido no ecrã, e segundo parece vai ser a primeira a comercializar equipamento com camara frontal por detrás do ecrã.

          • Carlos Silva says:

            SO não é uma skin ou algo parecido com umas funcionalidades acrescentadas, falei mesmo em SO, e se esse SO deixar de ser fornecido….lá se vai a marca. Por acaso, sou utilizador Samsung e posso dizer que estou um pouco farto da lentidão, crash etc. Mas lá está o conceito de inovação é muito lato e ficar dependente de terceiros para a sua própria sobrevivência…

          • Galo says:

            Eu sei que skin não é o mesmo que OS.
            Mas concerteza, se num cenario “apocaliptico” a google abandonasse o Android, alguma destas marcas ia pegar nele e continuar o seu caminho…Além disso a Samsung e a Huawei tiveram/têm em desenvolvimento o seu sistema proprio, em alternativa ao Android.
            No que toca à samsung e à xiaomi as skins não sao meras skins. Nos ultimos tempo nao posso falar muito pela Samsung, mas antes sim eles acrescentavam varias funcionalidades ao android inovadoras, mas tornavam o sistema bastante pesado… No caso da Xiaomi, posso falar com conhecimento de causa, e só tenho bem a dizer bem, bastante fluido, mesmo em smartphone da gama baixa, e costuma trazer inovaçoes que so mais tarde surgem no android. Convem relembrar que a xiaomi “começou” mesmo por aí, pela criação do Miui, só depois se aventurou em comercializar o seu proprio smartphone, que foi um sucesso, e despoletou tudo o que hoje é.

          • Carlos Silva says:

            A xiaomi está a apostar tudo nos mediatek, infelizmente., talvez para baixar os preços. Tenho produtos xiaomi em casa, uma android tv, uma chaleira eletrica e um fogão de indução, tudo ligado por domótica via amazon alexa ou google home, não tenho smarthphone,. A minha resposta é para os que dizem que tem um smartphone de 250€ ou 300€ e que isso é superior aos de 1000€, etc.. são baratos porque tem processadores mediatek e outros equipamentos low cost, mas com milhões de megapixeis,e se alguém gosta de comprar gato por lebre, eu não gosto, porque xei que 250€ não compra muita coisa. No caso Xiaomi, não vou falar da fluidez vs outras marcas porque, se não experimentei smartphones xiaomi não falo e nunca irei falar de marcas que não usei. Apenas sei que muitas marcas lowcost com camaras de mercado de 40 megapixeis e processadores de 10 núcleos tipo mediatek /”mediadieselgate” são um pouco lixo., já é conhecido que os teste de benchmark estão muito adulterados mesmo para os mediatek. A huawei vai ter o seu SO a funcionar em condições e não sou eu que o digo , é o presidente acho daqui a uns bons anos (ou dezenas de anos como ele diz, mas estamos a falar do presente não do futuro daqui a 30 anos, para que se compreenda. Mas falo de Samsung e posso dizer que paguei 900€ por completo lixo mas pronto como só posso trocar daqui a tempos…tenho de aguentar. Para terminar a argumentação, apenas discordo de certas visões de inovação ou de qualidade e discordo do profundo desconhecimento, mas se fosse presidente de uma marca qualquer não a ia deixar nas mãos de uma empresa externa, a decisão de disponibilizar o SO, ou o processador ou outra hardware e qualquer como consumidor para o que decido pagar posso lidar com isso porque se um dia acontecer por mudar de marca. Mas todos somos um pouco fanboys de marca A ou B pu seja Samsung, ou seja Huawei, ou seja Apple ou seja mesmo Xiaomi :)) e nestes casos temos o condão de ver sempre o positivo mas nunca o aspecto negativo de cada marca 🙂

          • Galo says:

            Carlos, não sei como vai ser o futuro…mas no presente estás enganado relativamente à Xiaomi e Mediatek….Eu diria que só 10% (ou até menos) da sua gama usa Mediatek! Lançou o Redmi Note 8 Pro com Mediatek Helio G90T, cujas reviews ate foram bastantes positivas. E atualmente fala-se que alguns do modelos de entrada de gama virão também com Mediatek.
            De resto tudo usa snapdragon!
            Como ja referi antes, atualmente uso um Mi 9, que foi o modelo de topo de gama do ano passado, que vem equipado com o processador de topo de gama do ano passado (855) e tem toda a tecnologia que vem normalmente num topo de gama (e.g. AMOLED, carregamento rapido wireless, sistema fotografico dos melhores, impressao digital no ecra, etc…e o sistema operativo bastante otimizado). Logo nao posso mesmo dizer que comprei gato por lebre.

            Concordo ctg, que todos nós acabamos por pender um pouco para alguma marca, normalmente, se estiveres feliz, é a marca que possuis no momento. O importante é não ter essa marca como um clube de futebol, não ser cego. Reconhecer os pontos positivos e negativos, reconhecer o que é verdadeira inovação, e o que é acompanhar o mercado, etc 🙂

          • Carlos Silva says:

            Pareces um fanboy da xiaomi, não leves a mal, apenas falei que há marcas que não são assim tão inovadoras como alguns dizem 🙂 . A xiaomi está a passar tudo para mediatek 🙂 para mim um erro grande, mas como disse não vou falar de smartphones xiaomi que não conheço ou de marcas que não conheço mas é um erro passar a mediatek.

          • Galo says:

            Não sou nada fanboy. Então dei-te exemplos de inovaçao da Huawei, da Samsung. E ja referi varias vezes que iphone sao produtos de qualidade.
            Ou seja, referi as 4 maiores marcas de smartphones da atualidade.
            Tal como tu, falei mais do que conheço melhor, neste momento xiaomi (sim enquadro-me no exemplo do utilizador feliz com o que tem no momento).

            MAs continuo a nao concordar com a tua opiniao relativamente à mediatek. Em que te sustentas para dizer isso?

            A própria Huawei tem o seu proprio processador, mas vende também equipamentos com mediatek.

            Além disso, ha bastante tempo (ainda o pplware nao falava de xiaomis nem de telemoveis chineses) tive o meu primeiro telemovel chines (UMI X1), que trazia mediatek. E de facto, isso possibilitou-me ter um telemovel com boas caracteristicas a preço muito mais reduzido do que os Samsungs e iphones que se vendiam por ca (huawei era na altura uma marca “branca” como a ZTE). E tenho que te confessar que em termos de desempenho era bastante bom! E bateria tambem! Mas também tinha os seus “senãos”:
            1- GPS demorava muito a estabilizar, e tinha menos precisao que os equivalentes “nao mediatek”
            2- as atualizões rapidamente pararam. Só com apoio da comunidade, e para os modelos mais populares.

            Se me perguntares, obviamente que prefiro muito mais os snapdragons, nem se discute. Mas atençao que em desempenho os mediatek nao sao assim tao maus! E têm evoluido bastante.

          • Carlos Silva says:

            Da mediatek, falo da adulteração dos benchmarks , assumido totalmente pela marca como algo perfeitamente normal, ou seja, a permissividade do SO, quando detetam uma app de benchmark, aceleram o clock dos processadores por segundos para ter benchmarks elevados, performances essas quem em funcionamento normal talvez levariam à inutilização do processador, esses benchmarks que falas, adulteração bastante conhecida e reconhecida pela mediatek como algo normal…. 🙂 pesquisa um pouco :)))

          • Galo says:

            Ah, percebi a tua apreensão com os mediatek. Sim sei que isso aconteceu. Mas não podes pensar que isso é a regra….A samsung ja fez o mesmo (e quem sabe se nao se outras marcas não terão feito o mesmo..). Além disso, creio que ninguém irá comprar Mediatek a pensar na pontuação que conseguiu…irá pelo preço.

            Eu não ligo muito aos benchmarks…já várias vezes comentei aqui, que actualmente os processadores de gama média são mais que suficientes para a utilização normal do equipamento, sem diferenças perceptíveis para os processadores de topo.

            Não estamos assim tão em desacordo. A unica coisa que nao concordo contigo, porque ainda não há dados para tal, é que a Xiaomi irá adoptar Mediatek em prol dos snapdragons (ela ja teve modelos com mediatek antes.)

            Acho que

          • Carlos Silva says:

            A xiaomi já admitiu que vai usar a mediatek em quase todos os modelos 🙂 mas queria dizer que performances, benchmarks, inovação é algo que depende muito do chamado “clube de futebol” cada um vê pelo prisma que mais que lhe convém … e por aqui termino, mas reitero que não era para ti especificamente, era para os que acham que podem falar de inovação de marcas, que nem sequer usaram ou que simplesmente e completamente desconhecem mas que falam como se fossem o supra-sumo :))) da superioridade… 🙂 seja da marca A ou B ou C seja do SO A ou B ou C,. O que queria dizer é que se eu gostar da marca X (meu clube de futebol) e quem não faz parte “do meu clube de futebol” é um fanboy, mas se gostar da marca que compro deixa de ser fanboy e passa a ser o tipo mais esperto do mundo ou com mais conhecimentos só demonstra o pior que o ser humano por vezes pode assumir neste assunto :))

          • Carlos Silva says:

            A Xiaomi já assumiu a aposta quase total nos Mediatek, que de performance deixam muita desejar. Em termos sensibilidade aos GPS nem falo mas falo de comprar gato por lebre, mas como disse inovação é muito relativa depende do prisma com o que se vê cada marca 🙂 do que faz, do SO que desenvolve, do ecossistema, de tudo

          • Galo says:

            Concordo contigo nisso dos “clubes de futebol”…
            E também partilho da tua preocupação/apreensão se a Xiaomi optar por utilizar Mediatek em todos os seus smartphones!

            Mas sinceramente nao acredito que isso vá acontecer…
            Em primeiro lugar porque houve uma altura que ela assumiu a intenção de utilizar os seus processores de fabrico proprio, os Surge, para reduzir custos. Entretanto mudou de ideias…

            Depois quem gere a Xiaomi tem que ser inteligente…e rapidamente perceberá a recepção dos utilizadores a essa mudança.
            Apenas se os poucos modelos que forem introduzidos com mediatek tiverem um grande sucesso é que eles iriam adoptar cada vez mais esses processadoress, até à transição total..Mas nao acredito nisso.
            Mas se isso acontecer ca estarei para te dizer que estavas certo ;).

        • Carlos Silva says:

          Ias falar em clubes de futebol mas falaste primeiro por isso calo-me .)

  9. Rui Silva says:

    Boa tarde, depois de ler esta”guerra” vou deixar aqui a minha experiência com ambos os softwares.
    Sempre usei IPhone mas a verdade é que com o tempo fica “aborrecido” pois demoram 3 anos a mudar de “aspeto” enquanto que os Android mudam ano após ano.
    Tinha um iPhone5 super rápido nunca deu problemas nada mesmo, mas saiu o galaxy note 4 e decidi trocar pois achava inovador. Foi a pios coisa que fiz tive uma experiência horrível, bateria muito fraca ao fim de 1 mês e tiveram que me trocar 2 vezes o telemóvel por novo e mesmo assim nunca ficou em condições. Mudei novamente para o iphone 6S nunca tive problemas nada super fiável. Mas apareceu o galaxy 9+ e quis dar mais uma chance pois já se tinham passada alguns anos.
    Outra vez a mesma coisa, após alguns meses ficam lentos, bateria horrível e ás vezes a fazerem random restarts. Troquei para o XS MAx e 0 de problemas e agora tenho o 11 Pro Max e só tenho maravilhas a falar.
    Eu falo da minha experiência e da minha namorada igual por isso é que n\ao volto a trocar para Android a não ser para um Google Pixel pois não existe bloatware nenhum.
    O meu pai tem um Xiami Mi A3 e também tem defeitos e pensei que iria ser diferente.
    Atenção que também posso ser eu a estar “amaldiçoado” pela Google hahaha.

    • Galo says:

      Hahaha parece mesmo “maldição”.
      De facto, o Xiaomi Mi A3 teve alguns problemas a nivel de software/atualizações, talvez por ser o unico da Xiaomi que não usa Miui, mas sim o Android One.
      Se eventualmente decidires testar um Android novamente, experimenta um Xiaomi, um Oneplus, um Huawei.

    • N1ldo says:

      Carlos Silva, até concordaria contigo sobre a MT se fosse a partir de 2 anos atrás, (no tempo em tinham problemas até com GPS) apesar de neste momento meu smartphone usar SD, não podemos negar a evolução dos MT do ano passado pra cá, basta ver ver o redmi note 8 Pro, imbatível na sua gama, performance, games, duração de bateria, ecrã etc…
      Estou bem otimista com a nova gama *infinit* deles. Vamos aguardar pra ver.

  10. N1ldo says:

    Carlos Silva em relação às “adulterações de benchmarks” tambem concordo em partes, explico.

    Esses programas servem pra medir a “força bruta” do equipamento, estão eles fazem bem em “sugar” toda a capacidade de processamento dos smartphones, não vejo problemas nisso, acho até que os jogos e programas mais “pesados” deviam ter essa mesma capacidade de extrair todo o rendimento possível.
    Os números apresentados não são falsos, se fossem aí sim seria problema. (ou são falsos?)

  11. acs says:

    Dúvido que venham com 5G. Pelo que li a Apple não está contente com os chip 5G do mercado e está a desenvolver um interno há dois anos e ainda não estava pronto para ser feito em massa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.