PplWare Mobile

França pode multar a Apple por não desbloquear iPhones


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Miguel says:

    nao se vende, e passa-se a não dar suporte para frança.

    • Miguel says:

      alias ate vou mais longe, era um comunicado a dizer que todas as pessoas que tenham um conta da apple (como o pais frança), tem de retirar os seus dados da cloud, porque a sua conta vai ser apagada permanentemente dentro de um mes pois a empresa não tem mais condicoes para manter o suporte a essas contas, devido as lei do proprio país.
      Depois ia-se ver como a população ia reagir.

      • Paulo Martins says:

        Acho que não seria assim tão literal, num mercado pequeno como o nosso talvez agora o francês não me parece que tal coisa viesse a acontecer, para além disso na Europa as questões de tribunais podem quase sempre ser levadas a nível europeu, o mais provável era está possível lei de França passar a ser uma lei da UE, e não estou a ver a Apple a querer perder acesso a todo o mercado europeu.

        E como já comentei anteriormente a China, que tem o maior mercado potencial também não terá problemas em aplicar este tipo de medidas ou mesmo fazer o blackout total à Apple.

        • Paulo says:

          Para fazer cirurgias usa se ipad em todas as empresas de topo iphone. Quem n tem é reles empregado

          • David Guerreiro says:

            Deves ser mais um daqueles que anda por aí a dizer: saiam todos da frente que eu sou mais do que os outros…

          • rudua says:

            @paulo
            Lol

          • censo says:

            Pronto, já disseste o que tens. Já te afirmaste. Tas contente agora? Sim, já sabemos que es muito feliz.

          • kekes says:

            LOL, vou-te dizer a verdade, nunca vi nenhum Ipad a fazer de bisturi numa cirurgia. Nunca seria uma medida retrospectiva.

          • Jorge says:

            este só pode ser o mesmo paulo do topico “Facebook Messenger já permite partilhar músicas do Spotify”. Só espero que passes fome a conta de teres uma maça na parte de trás do telemovel ou computador.

        • Tomás says:

          não é por uma país europeu criar determinada lei que no futuro o resto da Europa passará a usar essa lei.
          A China criou há muito pouco tempo as suas leis sobre este assunto e não obriga empresas como a Apple a dar acesso privilegiado a chaves de encriptação dos aparelhos vendidos.

          • Iphone says:

            Não obrigou dizes tu!
            Transparência na China é coisa que não existe. Sabes lá que negócios é que são feitos fora dos olhos do público.

          • Tomás says:

            É sempre fácil atirar dúvidas invocando o que não se sabe, mas isso não é em nada diferente de qualquer ridícula teoria da conspiração. Mas para que saibas a questão da legislação e prática na China levantou muitas preocupações nos outros países, por causa das implicações na vertente de espionagem. Se fosse como queres sugerir os outros governos não ficariam calados.

      • Joao Magalhaes says:

        Loooool, acho que é muito mais importante ter a população descontente porque não pode ter Iphones do que descontentes porque explodiu uma bomba no metro e matou mais 200, incrivel, como se o Iphone fosse de outro mundo, telemoveis e marcas não faltam por ai.

        • MLopes says:

          esse discurso é totalmente falacioso e resultado de aculturação. deixar de ver/ler os media mainstream fosse muito bom para ti, e para nós que deixaríamos de ver este tipo de disparate escrito e repetido.
          não há anda na atitude dos estados quanto aos desbloqueios que aumente a segurança, nada. as alternativas são tantas que nada mudaria, para além da invasão de privacidade de todos os utilizadores de iPhone.
          ainda por cima estamos a falar de França! a França antes de falar ou tentar impôr medidas atentatórias dos direitos humanos devia parar de financiar o terrorismo e de vender as armas com as quais é depois atacada!!!

          • Daniel says:

            Que eu saiba o Estado Francês não financia nem vende armas algumas… isto porque falas de falácias tem o seu quê de irónico ao fazeres depois tu uso de uma: a falácia de fazer confundir o Estado Francês com alegados grupos privados Franceses.

        • MLopes says:

          e ainda vou mais longe, a França devia parar o terrorismo que ela própria exerce em alguns países antes de falar do terrorismo que sofre.
          a única coisa que me preocupa são as vitimas inocentes, sendo que só o são se não apoiarem o que França faz. caso contrário são vitimas do que defendem.

        • Joao V. says:

          infelizmente existem centenas de milhares de pessoas que iam ficar desesperadas sem poder utilizar o ecosistem apple..
          Era bem provavel essa medida nao ser adoptada.. Primeiro pensa-se no proprio umbigo, depois no resto…

        • winetree says:

          Tens consciência que esta lei não é especifica para os iPhones. É para todos!
          E a google também quer proteger os seu utilizadores…

        • NT says:

          “(…)porque explodiu uma bomba no metro e matou mais 200(…)” Quantos casos de terrorismo foram parados porque ‘a polícia’ tinha acesso a dados encriptados?
          A velha história da privacidade/segurança… Mas, caso estes processos de backdoors, acessos a chaves etc. andem para a frente nem uma coisa nem outra. Essa coisa do terrorismo já enjoa é desculpa para tudo. (Não querendo desculpar/justificar o ataque em França) Quantos bombardeamentos é que a França fez antes de sofrer o ataque ‘terrorista’? Pois a guerra não é só na Síria, se nós (Europeus e Americanos) levamos a guerra para lá eles trazem para cá.

      • Narco says:

        Ui que violencia, não vou ficar sem a minha iCloud vamos para a rua pedir a demissão deste governo, é o fim das nossas vidas.

        Da para ver porque Portugal esta assim, ter la corruptos, a dar cabo deste país, fazendo que tenhamos que pagar as suas roubalheiras ta-se bem, agora se bloquearem a iCloud quero ver “Depois ia-se ver como a população ia reagir.”
        Sério? por causa de pessoas como você que este país esta assim.

  2. Ratax says:

    Quem viu o terrorismo entrar-lhe pela porta e a segurança dos seus filhos ser ameaçada, não deve estar muito preocupado com a Apple, a Google ou a Microsoft.
    Nem se importa que, em situações muito especiais, devidamente regulamentadas com regras muito precisas e concretas, um plenário de juízes decida que a privacidade de um terrorista ou de um criminoso seja quebrada.
    O interesse geral de uma população ou de uma nação, deve sempre prevalecer sobre qualquer interesse individual, obviamente dentro determinada regras e limites impostos pela Constituição de cada país.
    Agora, tratando-se comprovadamente de terrorismo, esse interesse deve prevalecer ainda mais e aqui, sem qualquer limite, no que aquele indivíduo disser respeito.
    Para que este tipo de legislação tenha impacto, esta iniciativas devem,ser tomadas à escala europeia e as multas ainda mais pesadas. E aí estes gigantes terão que vergar.

    • Tomás says:

      porque é que achas que nenhum governo ocidental tem legislação que obriga a backdoors na encriptação? É fácil desejar o que queres, mas daí a conseguir ter essa tecnologia sem criar outros problemas tão ou mais graves, vai uma grande distância.

    • Cristiano Alves says:

      Primeiro comentario decente que leio sobre este assunto…
      É so virgens ofendidas com a mania que são todos agentes secretos e que as suas informações são de extrema confidencialidade…
      Haja paciencia senhores moralistas.

      • João Raposo says:

        Claro, porque existindo uma backdoor, não são só os governos que lá entram. E essa estupidez de que não temos nada a esconder, é uma parvoíce. Localização dos nossos filhos, informação financeira confidencial, mensagens e emails privados. Olhe se não se importa com nada disso, passe para ca o seu VISA e depois falamos.

  3. Renato says:

    Sim, e a Apple devia se retirar de França, e fechar as lojas Apple francesas todas, mandar a gente que trabalha lá para o desemprego, e os franceses comprarem iPhones nos países vizinhos (não contribuindo com impostos para o governo francês).

    Estupidez, são todos Charlies, e todos XPTO, mas não impediram os terruras de lhes limpar o sebo indescriminadamente e foi com mensagens SMS normais.

  4. Boss says:

    De destacar: “atacar estas empresas onde mais lhes custa, neste caso concreto nos valores monetários”;
    é que anda por aí muito boa gente crente que as empresas estão realmente preocupadas com a a sua privacidade enquanto direito e não conseguem ver que enquanto empresas que são, a luta está em manter a confiança dos clientes para facturar, nada mais.

    • Renato says:

      Dizer que o objectivo da Apple é fazer dinheiro é como dizer que o teu objectivo de vida é comer.

      • Mark says:

        Por acaso não tinha conhecimento que a Apple era uma organização sem fins lucrativos. Obrigado pela informação.

        • g0tH1c.X says:

          Sou da mesma opiniao…retirem-se do país, tal como a BB fez, e depois é esperar umas horas para ver se não voltam logo atrás…xD

          • Joao Magalhaes says:

            Ehehehe, não há Iphones o mundo acaba, como se isso fosse o mais importante, só na mentalidade dos fanaticos da Apple acham que é muito mais importante o não desbloqueio do que impedir ataques terroristas, Olha eu com o meu Iphone a entrar no metro em Paris, olha eu morto por uma bomba porque sou um idiota.

          • Renato says:

            Sim, porque isto das bombas e de atentados é uma coisa que só apareceu com o iPhone.

        • Renato says:

          Bem vi que a analogia era demasiado abstracta para compreenderes.

          É necessário para a Apple viver fazer lucro, sim, mas isso é só para viver, têm muitas outras preocupações como garantir o futuro da empresa, e isso implica agradar os utilizadores, caso contrário, punham as backdoors e baixavam a bolinha, como todas (Samsung, LG, Microsoft, etc. já o fazem). A lei é para todos, não é só para a Apple.

          • Boss says:

            E no entanto todas essas “preocupações como garantir o futuro da empresa” e suas implicações têm sempre como objectivo final… facturar, muito e durante muito tempo.

          • Tomás says:

            Ter como um objectivo facturar exclui a capacidade de conhecer, avaliar e defender as melhores políticas de segurança para todos os clientes? Torna a sua argumentação inválida?

      • Arcanjo_Gabriel says:

        +1

        • IDK says:

          Olha tu com um IPhone desbloqueado, olha tu a sobreviveres à bomba, olha tu com um back door no smartphone, olha tu com sem dinheiro no banco, olha tu a ser vitima ranson ware, olha tu a ser vitima de uma burla que permitu financiar algo considerado terrorista, olha tu sem qualquer tipo de privacidade porque sabem o que tu fazes (como já acontece um pco hje em dia) e olha tu a tirar possiveis selfies na prisão….e olha os “terroristas” com redes proprias e telemoveis proprios a fazer a mesma coisa que continuarão a fazer

        • Carlos Alberto Teixeira Fernandes says:

          Desbloquear um iphone não impede um ataque terrorista. Por isso se tiverem de morrer em Paris é porque num outro pais onde existe uma ditadura alguém não teve a opção de ser livre.

    • Tomás says:

      Também há a destacar que o homem pensa que a Apple e a Google têm as chaves de encriptação dos aparelhos.

  5. Bô Tem Mel says:

    Bandidos, Terroristas, connosco a vossa informação não cai nas mãos erradas!! NOT -_-
    É tudo uma questão de perspectiva…

  6. Arcanjo_Gabriel says:

    A lei ainda nem foi a parlamento.

  7. George Orwell says:

    Em França, onde recentemente se deram ao absurdo civilizacional de mandar tapar as maminhas das estátuas ( e não foi com “soutien-gorge” , foi mais parecido com o véu islâmico que proíbem por lei, uma afronta à inovação francesa), e não satisfeitos com a desdita ainda se permitiram a afastar o bom “rouge” francês das mesas, não fossem os iranianos presentes, a quem os franceses deram capacidade nuclear, sofrer de alguma apoplexia ou traumatismo, quererão agora os governantes franceses, a exemplo das autoridades chinesas ou norte-coreanas, limitar empresas que teimam em proteger a privacidade dos seus clientes além da preservarem sua própria sobrevivência num mercado global?

    Já agora, quererão os governantes franceses igualmente declarar guerra ao Google e ao Twitter, empresas que partilham a mesma filosofia da Apple no tocante à privacidade dos seus clientes?

    A vocação do Sr. Hollande para fazer parte do anedotário e descer ainda mais a sua inédita quanto fraca percentagem de popularidade é irreprimível. Como reagiria o Sr. Hollande se alguém, explorando uma vulnerabilidade do seu telemóvel, lhe interceptasse as comunicações, sobretudo quando deambula de lambreta pelas noite parisiense ( e não é para distribuir pizza, embora possa ser algo foneticamente parecido) ? A Srª Merkel não gostou quando soube que o seu estava a ser espiado.

    Já nada me espanta, se lembrar que historicamente a França legou ao mundo a Revolução, porém, tal culminou no terror a acabou num imperador cujas tropas invadiram por três vezes Portugal, pilhando tudo quanto encontraram de valor e passando a golpes de baioneta não só os brasões lusos mas todos os se lhes opunham, deixando assim bem vincados os valores de “Liberté, Égalité , Fraternité”.

    “Ça ira” !

  8. Miguel says:

    A apple ganha sempre isto, se quiser cria uma forma que nem a mesma possa aceder aos dados. E pronto questao resolvida.
    O criador do mega fez isso, mesmo que as autoridades levassem os servidores nao existia forma ja quem tinha a unica chave desencriptar era o utilizador.

  9. Robert Soares says:

    Para muitos que não sabem, em França as operadoras são obrigadas por lei a dar o código de desbloqueio do smartphone se o consumidor o pretender… medida essa que na minha opinião também deveria ser implementada em Portugal. Se a Apple não respeita, só tem que levar com a penalização em cima.

  10. ppfoasld.1 says:

    O fanatismo de meter o iphone á frente da segurança….

    • Renato says:

      Vai para o Bataclan e vês se não levas com já 5.56mm no meio dos cornos, mas não tem mal, porque o teu telemóvel pode ser revistado pela polícia.

  11. Tomás says:

    Basta ler o que é proposto para perceber que o deputado francês não entende muito bem como é que a criptografia funciona; ele acha que a Google e a Apple têm as chaves de encriptação dos aparelhos.

  12. Ratax says:

    Se um dia acontecer na sede da Apple, da Google ou da Microsoft o mesmo que aconteceu na do Charlie Hebdo veremos qual é a opinião destas empresas.
    Perguntem aos familiares dos massacrados no Bataclan o que pensam sobre o assunto.
    É muito fácil opinar quando o problema parece ser apenas dos outros, até que um dia nos bate à porta.
    Depois é ouvi-los dizer que as autoridades dos estados são incompetentes, que não previnem, que não descobrem, etc.
    Enfim, fanatismos…

    • winetree says:

      Esse tema é muito complexo. Então a solução passa por terem acesso a todos os dados das pessoas, camaras nas ruas a monitorizar toda a gente, chips nas pessoas para registar tudo o que fazem, etc.. Queres viver numa sociedade assim?

    • Tomás says:

      Como é que propões fazer isso sem colocar em risco outras pessoas inocentes?

    • Rui C. says:

      Ratax, apresenta aí a forma de dares a informação, sem tirares o direito à privacidade dos inocentes?
      Entendes que é uma situação complicada de resolver. Pois. 🙂

      • Ratax says:

        Quais pessoas inocentes? Estamos a falar de casos particulares de pessoas objetivamente autoras de atentados terroristas.
        Obviamente esta decisão deveria ser balizada por regras bem claras e para casos de crime, para aparelhos individualmente, pertencentes a pessoas concretas e nunca para todo um sistema.
        A decisão deverá sempre partir e ser diretamente supervisionada por um coletivo de juízes e não arbitrariamente por um qualquer agente de polícia.
        O interesse coletivo e a segurança de uma população ou de um estado está sempre acima dos interesses particulares, dos meus, dos teus ou dos de qualquer empresa.

        • Tomás says:

          é muito bonito falar e desejar, mas continuas a esbarrar na realidade que este tipo de tecnologia não se dá muito bem com esses desejos.
          Lê este link e o seu pdf e talvez percebas o que outros aqui estão a falar
          cyberlaw.stanford.edu/blog/2016/03/cis-files-amici-curiae-brief-apple-case-behalf-iphone-security-experts-and-applied

          • Ratax says:

            A tecnologia não se fez a si própria. Tudo se consegue. O problema é que este tipo de empresas, acha que os seus lucros estão acima do interesse e da segurança dos cidadãos enquanto estado ou nação.
            O que é triste, é como as pessoas aceitam que estas empresas não tenham qualquer respeito pela sua privacidade, recolhendo, usando e vendendo os seus dados pessoais sem o seu consentimento expresso, mas quando se trata da segurança dos cidadãos como um todo vêm com a questões de privacidade, porque não se pode atentar contra a privacidade do coitado do terrorista desbloqueado o seu iPhone, ou Android, ou Windows Phone ou o raio que o parta.
            Desculpem a minha ignorância mas não cabe na minha cabeça.

          • Tomás says:

            tudo se consegue? parece que sabes mais do que as pessoas na área então.

          • Ratax says:

            Não, não sei. As pessoas da área é que não lhes interessa resolver o problema.

          • Tomás says:

            resposta verdadeiramente iluminada. Não sabes mas sabes que não lhes interessa resolver. Não sabes, mas pelos vistos sabes de história da criptografia e da tecnologia para dizer ninguém se debruça na questão e tentou soluções. Se te tivesses sequer lido as referências saberias como o que dizes é falso.

          • Ratax says:

            Curvo-me perante a tua douta sabedoria…

    • PL says:

      Se o Charlie, e o governo Francês tivessem aprendido que a liberdade de cada um termina onde começa a liberdade dos outros, talvez não tivessem a passar por dificuldades.
      Parece ironia que a França tenha liberdade de expressão para criticar e fazer caricaturas de uns, mas quando alguém diz alguma coisa que oponha as ideologias francesas, acaba na prisão por incentivar o terrorismo.
      Lá se foi a liberdade de cada um em nome da segurança.
      Desbloqueiem os telemóveis e serviços de mensagens … e tudo o resto, vamos a ver que ao fim destes anos todos a criticar a China, e afinal eles só vão algumas décadas á nossa frente.

  13. Mylittlelife says:

    OFF-TOPIC:

    Pessoal, estou a pensar mandar vir um aparelho (armazém da china, valor 85-125€ com portes) ou da Gearbest ou da Everbuying.

    1) conhecem códigos de desconto para ambas?
    2) ha maneiras de não ter problemas na alfandega? Há maneiras nestas lojas de declarar menos?
    3) assumindo que tenha que pagar IVA/taxas, por norma tenho que ir levantar à alfandega ou entregam em casa (e em casa pago o IVA à transportadora)?
    4) em média quanto tempo demora a chegar na modalidade de flat rate (sem custos de portes)?

  14. Mylittlelife says:

    OFF-TOPIC:

    Pessoal, estou a pensar mandar vir um aparelho (armazém da china, valor 85-125€ com portes) ou da Gearbest ou da Everbuying.

    1) conhecem códigos de desconto para ambas?
    2) ha maneiras de não ter problemas na alfandega? Há maneiras nestas lojas de declarar menos?
    3) assumindo que tenha que pagar IVA/taxas, por norma tenho que ir levantar à alfandega ou entregam em casa (e em casa pago o IVA à transportadora)?
    4) em média quanto tempo demora a chegar na modalidade de flat rate (sem custos de portes)?

  15. xiribiti says:

    Simples. Proíbiam a venda de dispositivos Apple no país (ahh e tal as pessoas iam comprar aos países vizinhos) sim iam mas será que todas as pessoas que compram na França iriam comprar aos países vizinhos? Não me parece… “Cloud” da apple bloqueada no país… Depois, outro e outro e outro país a fazer o mesmo… Era uma questão de tempo até os srs da apple começarem a ceder…

  16. Rudua says:

    @Mylittlelife
    Neste link podes tirar algumas duvidas
    espero ter sido util
    https://pplware.sapo.pt/internet/se-comprar-fora-da-ue-saiba-o-que-esperar-da-alfandega/

  17. censo says:

    Pplware, é tempo de por ordem nisto. Ha comentários que nunca deveriam passar na suposta moderaçao. Para além de permitir que a mesma pessoa utilize nicks diferentes e com isso alimentar o chorrilho de parvoice que por aqui vai.

  18. kekes says:

    Pelos comentarios aqui parece que o mundo vai acabar sem o iPhone, lolol.
    Toda gente sabe que as empresas de tecnologias abrem as pernas todas, só nao querem que seja de conhecimento gera, no resto da lhes igual. Como acham que vendem iPhones na China?

    • Rui C. says:

      A Apple tem a faca e o queijo na mão.
      Duvido que abram as pernas. 🙂

    • Renato says:

      Ai é? Quando é que a Apple abriu pernas?

      Como vendem iPhones na China? Se proibirem, a Apple muda a fabricação para outro lado.

      • Ricardo Raimundo says:

        Renato, se isso acontecer os próximos iPhones vão custar para cima de €1500. Para a Apple manter a sua margem de lucro.

        • apache says:

          LOL! Sabes quanto é que custa cada empregado à Foxconn? Ganham mais que o salário mínimo Português, e pode parecer impossível, mas há países cujo salário mínimo é inferior ao Português.

          A fabricação dos iPhones é só na China para activar a indústria dos componentes intermediários. Que é isso que o governo Chinês quer, e tem.

    • Tomás says:

      tal como o mundo não vai acabar por alguém no governo não entrar num iPhone.
      A China controla a rede de internet chinesa, que é o que lhe interessa mais. Os outros países nunca aceitarão que tenha acesso a chaves de encriptação de aparelhos pois isso coloca em risco informação nos seus países.

  19. Mota says:

    Mas isto tem algum jeito?!

    Entre a empresa sair do país e ficar para pagar um milhão sempre que alguém berre “alá” com um iphone na mão.. a escolha é óbvia.

  20. VC says:

    Estas empresas têm mais poder que um governo atualmente… So cortarem o acesso temporário à França e o país para! Lolol

  21. VC says:

    Se a Apple e a Google derem um dedo, vão querer um braço… A Google já fez um pequeno bloqueio na Alemanha e na Espanha, o que fez esses governos rapidamente mudarem as suas políticas com o impacto sentido… Só fazer o mesmo em França… A informação hoje em dia é Poder!!!

    • Tony says:

      apesar de tudo prefiro ainda as instituições governamentais a terem algum controlo sobre a informação do que as empresas

      • George Orwell says:

        Ora aqui está uma opinião respeitável e sem insultos que merecia uma boa discussão.

        O problema é que são as empresas que fabricam e inovam os produtos de telecomunicações e não as entidades governamentais. E não consigo vislumbrar grandes problemas ou que venha grande mal ao mundo quando as empresas alinham a sua estratégia de mercado com o direito à privacidade dos cidadãos. Se fizessem o contrário então, aí sim, estariam no caminho errado.

        Porque será que gigantes da informática como a Apple e a Google estão hoje alinhados com a defesa da privacidade ? Para isso muito contribuíram as revelações de Snowden que apenas se limitou a revelar ao mundo aquilo que sabia do abuso ilegítimo perpetrado por instituições governamentais. E em vez de ser condecorado por ter tido a coragem de revelar a verdade que as próprias entidades governamentais vieram a admitir, tem de continuar refugiado em país estrangeiro para as entidades governamentais não o conduzirem à cadeia.

        A Net, o fenómeno mais democrático que o mundo até hoje experimentou não foi desenvolvido por entidades governamentais, por muito respeito que estas também nos mereçam. Mas também não se trata de optar entre empresas e entidades governamentais. Cada qual tem o seu papel importante da sociedade o qual deve ser assumido com o respeito devido aos direitos individuais do cidadão.

        • Ratax says:

          O problema é que essas empresas não têm nenhum moral para invocar a privacidade dos cidadãos.
          São elas próprias que recolhem, usam, abusam e ganham milhões com as violações à privacidade dos seus próprios clientes, recolhendo e vendendo os dados pessoais que os clientes lhes confiaram.
          Não vejo qual é o problema em desbloquear o smartphone de um terrorista, para aceder aos seus dados pessoais para fins de investigação, identificar possíveis cúmplices e evitar futuros ataques.
          Em qualquer democracia o bem estar e segurança comuns de uma população ou de um estado, deve sempre prevalecer sobre os interesses individuais, muito mais tratando-se de terrorismo e criminalidade altamente organizada.
          Estas medidas devem ser tomadas ao nível global ou, pelo menos, da União Europeia, para que de facto produzam efeitos.
          Devem também ser muito bem definidas e balizadas, partindo a decisão de um conjunto de juízes que farão a supervisão de todo o processo.
          Nunca a decisão deverá partir arbitrariamente de um qualquer agente de uma qualquer polícia.

          • Tomás says:

            Permaneces sem explicar como é que a tecnologia poderia fazer isso, sem colocar pessoas em risco. Será que fazes parte do clube da “Golden Key”?
            http://motherboard.vice.com/read/a-golden-key-for-encryption-is-mythical-nonsense
            Há empresas que têm moral para falar em privacidade, pois ganham a vida a vender hardware e não informação pessoal, projectando os produtos para satisfazer os clientes. A questão da privacidade nestes dispositivos vai muito além da relação com autoridades, está na protecção contra qualquer indivíduo que quer aceder a dados sem autorização, o que nos dias de hoje se tornou um perigo real.

          • Ratax says:

            Estou-me borrifando para a tua privacidade se ela puser em perigo a segurança dos meus filhos, assim como qualquer cidadão de bom senso não quererá saber da minha se eu representar um perigo grave para toda uma comunidade.
            Está toda a gente preocupada com a privacidade nestes casos particulares e não se preocupam que a Apple, a Google, e Microsoft e outras empresas do género, estejam permanentemente a vigia-nos, recolhendo os nossos dados, usando-os em proveito próprio e vendendo-os a terceiros sem o nosso consentimento.
            Mas isso não tem problema, no fundo somos vendidos como mercadoria por aqueles a quem pagamos por um serviço, mas não tem problema. Agora desbloquear o smartphone de um terrorista já é uma coisa terrível.
            Perdoa-me a minha ignorância, mas isto não cabe na minha cabeça.
            Trata-se de desbloquear um smartphone, extrair os dados relativos àquele equipamento em particular e fornece-los às autoridades, não é necessário desbloquear um sistema inteiro.
            Só não fazem isto se não quiserem.

          • Tomás says:

            Ratax, o que dizes é uma profunda contradição. Tentaste ao menos ler o link? Preocupas-te com terrorismo mas estás-te a borrifar com os riscos para as pessoas se passarem a ter má segurança a proteger informação sensível, com casos em que será risco de vida; isto faz parte da privacidade.
            A Apple não vende informação a terceiros e a que tem, vinda da acção consciente do utilizador, é dada às autoridades com mandato legal.
            A Apple não tem chaves para desbloquear os aparelhos. O que lhe pedem é para criar um novo sistema com defesas fracas. Isso coloca todos os aparelhos em risco. Não vou estar aqui a destilar a explicação, já dei links onde explicam os problemas de segurança com o que é pedido.

          • Ratax says:

            O aparelho não se fez a si próprio. Só não o desbloqueiam se não quiserem. Aliás o Sr McAfee já se ofereceu para o fazer, evitando assim que se mexa no sistema.
            A segurança é para o que lhes interessa.

          • Tomás says:

            O Sr McAfee já foi ridicularizado pelo que disse, por demonstrar não saber como é que a encriptação no iPhone funciona.
            Seria bom que lesses um pouco sobre sistemas de encriptação, para perceberes que não é por a Apple ter construído que tem as chaves para decifrar. De tal forma que nem é isso que o FBI pede.

          • Ratax says:

            Se o American Citizen Timothy Donald Cook tivesse partido uma unha em Baltimore ou no Bataclan, o assunto já estava resolvido há muito tempo.
            O resto é conversa.

          • Tomás says:

            conversa é o que não te falta pelos vistos

          • Ratax says:

            Pois. Pelos vistos a ti falta.
            Tenho direito à minha opinião.
            Não tenho que concordar contigo só para ficares contente.
            Respeito a tua sábia, esclarecida e, pelos vistos, muito bem fundamentada opinião mas não estou convencido. Lamento.

          • Tomás says:

            Alguém pôs em causa o teu direito a opinião? A tua opinião é que pelos vistos está-se a borrifar para as várias consequências envolvidas no assunto, limita-se a olhar para possíveis benefícios que nem sequer são da dimensão que imaginas descartando os malefícios.

          • Ratax says:

            És o maior!…

  22. Rui C. says:

    Boa sorte França, depois não te queixes das consequências. 🙂

  23. ...Wtf... says:

    Tirando favoritismos e fanatismos a parte. Pode uma empresa, neste caso a APPLE, recusar uma ordem do tribunal? Pelo que eu percebi pelas noticias, a ordem foi pedida pelo FBI, que por sua vez foi pedida por um tribunal. Pode uma empresa recusar uma ordem do tribunal? Seja que empresa for?

    • Tomás says:

      É uma ordem especial, não é um mandato. Essa mesma ordem indicava que a Apple podia apresentar as suas objeções para o tribunal ouvir; a Apple não está obrigada a fazer o que é pedido até que todas as suas objeções sejam avaliadas. A lei também permite que haja depois recurso para outros tribunais, por isso a Apple está actuar dentro da lei, como qualquer cidadão poderia fazer nas mesmas circunstâncias

      • Amsil says:

        Não se evitaria sérios problemas à Apple se desbloqueasse o raio do iphone? E ninguém precisava de saber! Assim a coisa ainda lhe vai ficar cara, ó se vai!

        • Jorge Carvalho says:

          Cabeça na areia é sempre a melhor posição não é ? Cuidado com o que fica de fora ….

          Abc

        • Tomás says:

          vai ficar cara? Serás adepto de bullying?
          As objeções levantadas pela Apple são demasiado fortes para ser ignoradas. Se lhe deram razão noutro caso onde tinha argumentos mais fracos e com tanta gente no Congresso americano que não acha que o tribunal tem legitimidade institucional para o que é pedido… não parece que a ordem tenha grandes pernas para andar.

      • Ricardo Raimundo says:

        Excelente explicação Tomás!

  24. Amsil says:

    Completamente de acordo com essa lei, e mais,não tarda até os USA vão lançar a mesma!

  25. Liberal da Cerca says:

    Julgava que os iPhones não eram seguros! Afinal qual é o problema?!!! há para aí tanto vídeo a explicar como crackar iPhones…

    • NT says:

      Se tiveres tudo em condições (sem jailbreaks e software atualizado) e com as devidas configurações será muito difícil terem acesso aos dados que guardas no iphone.
      Agora o que já aconteceu é que a apple fornece, mediante a apresentação da “sapina”, os dados do icloud que algum carola do FBI se lembrou de tentar fazer um reset à palavra chave… Agora mesmo que a Apple quisesse ter um software que desbloqueasse o iphone em questão esse software teria que ser instalado no iphone, como o mesmo está bloqueado, boa sorte apple para tentar. O impedimento neste caso do FBI (não no caso Francês) é que nem mesmo a própria Apple consegue aceder ao dito cujo.
      E uma coisa é apagar tudo e ter um telemóvel outra coisa é aceder a dados encriptados, se a encriptação for boa (sem backdoors ou erros de implementação) é quase impossível quebrar, a não ser que tenhas computadores quânticos (a quem diga que já estão a funcionar) ou vários anos em que possas dispensar uma infraestrutura para tentar adivinhar o código.
      No caso do iphone ainda tens aquela coisa das 10 tentativas e o telemóvel apaga tudo, portanto não podem fazer um bruteforce…

  26. censo says:

    Não concebo o facto de que a maioria defende que a sua suposta privacidade está melhor entregue a uma qualquer empresa, do que a uma entidade governamental. A quem confiam os dados do vosso cartão de cidadão?

    • Tomás says:

      Essa comparação funciona de que maneira? A Apple não tem a password de encriptação do iPhone

    • NT says:

      Pois, mas no meu cartão do cidadão não tem lá os dados para quem liguei, ou onde estive, que fotos tirei, redes wireless memorizadas, redes sociais(até posso criar um perfil falso) etc. E se não fizer a sincronização com o icloud esses dados estão só no IPhone onde nem a própria Apple alegadamente consegue aceder.

  27. bruh says:

    1 vida humana > privacidade de muitos

    Esta é a minha opinião sobre o assunto.

    • NT says:

      Pois, o pior é que o pessoal já nem sequer sabe o que é privacidade(seja de muitos ou poucos). Quanto à história do terrorismo para mim é tão terrorista o gajo que entra dentro de um café com uma ak a disparar para tudo o que mexe como um gajo que está a pilotar um drone e faz um ataque ‘cirúrgico’ a bases terroristas(será o mesmo dizer que faz um ataque a um exercito de outro país que não concordamos com as ideias, principalmente venderem petróleo… devemos é ser nós a controlar isso…) e desculpa-se que os restantes foram apenas ‘danos colaterais’

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.