Quantcast
PplWare Mobile

Apple investe $330 milhões numa fábrica de Taiwan. A prioridade é fabricar ecrãs MicroLED

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. TS says:

    Isso, continuem a investir na China…

    • art says:

      Ignorante….

    • saldoso says:

      É Taiwan, o que em termos práticos não é China

    • Vítor M. says:

      Olha só esta notícia:

      A China vai atacar Taiwan se não houver outra maneira de impedir que este Estado se torne independente, disse Li Zuocheng, um dos mais importantes generais do país. Esta será uma opção de último recurso caso a via diplomática não resulte.

      “Se a possibilidade de reunificação pacífica for perdida, as forças armadas do povo, com toda a nação, incluindo o povo de Taiwan, vão tomar todas as medidas necessárias para esmagar resolutamente quaisquer planos ou ações separatistas”, disse Li, citado pela Reuters.

      Taiwan é independente há mais de 70 anos, embora a China não o reconheça.

      Portanto, Taiwan não é China e, pela força, a China quer tomar aquilo, como um dia pode tomar outro país ali em volta se lhe der na real gana.

      • Antoninho Pitágoras says:

        Pois, se a China fizer isso acabou-se, vai ser sempre a cair. A Europa teria de cortar relações, assim como outros. A juntar a já guerra comercial com a América, ficariam totalmente isolados.

  2. Joselito says:

    Apple em decadência….

    • saldoso says:

      como é que investir numa nova fábrica para um novo tipo de ecrã, leva a uma frase dessas?

    • iDroid says:

      Por que dizes isso, tendo em conta esta notícia?

    • Vítor M. says:

      Hehehe eu acho estranho dizer que a Apple é decadência se é a empresa que continua a investir em recursos próprios para aumentar a sua oferta tecnológica. Que cada vez marca mais o mercado dos gadgets, como tem marcado desde há 40 anos para cá, como continua a dar cartas em vários segmentos apesar de existirem empresas fantásticas, como a Google, Samsung, Huawei e afins a disputar praticamente os mesmos canais de negócio. Só alguém mesmo desnorteado é capaz de dizer que a Apple é decadência 😀

      Claro, pode incomodar quem olha para a tecnologia como clubes de futebol, isso incomoda, mas é tão limitada essa visão que até dá vontade de rir 😀 só de pensar como isto irrita alguém sendo apenas tecnologias feita para nos servir. 😉

      • Joselito says:

        Até dá vontade de rir, ao ver o que o PCC vai fazer em Taiwan … quem dera pudessem no servir.

        • Vítor M. says:

          Essa parte só temos como exemplo Macau e Hong Kong. Mas ali desconfio que não vai ser pera doce, Taiwan não quer ser uma ilha chinesa, não admite ser anexada e disse que vai lutar e se houver guerra, vão dar guerra.

          • RPG says:

            Macau e HongKong foram terras colonizadas à força, e cedidas pela China de forma a evitar mais massacres do povo chinês, por parte dos povos colonizadores como se sabe.. terem regressado à origem, é apenas um processo natural e justo, tal como aconteceu com tantas outras terras colonizadas por Portugal ou Inglaterra. Taiwan no entanto, é um caso completamente diferente e foi tomado pelos opositores de Mao aquando o fim da guerra civil na China, e tornaram uma ilha naquilo que a China podia ser hoje em dia, e não é infelizmente. Ainda há 20 anos atrás a china ainda andava a contar quantos bagos de arroz tem, e já taiwan mandava cartadas internacionalmente com alguma tecnologia. Claro que o PCC quer aquela terra à força toda, até porque é uma valente pedra no sapato para eles lol.. enquanto Taiwan for como é hoje em dia, será um espalho daquilo que a China poderia ser e não é.. um símbolo de desenvolvimento e estabilidade social, onde os direitos humanos são respeitados como em muitos poucos países do “mundo ocidental” o são, aliado a uma forte economia etc.. Uma guerra ter início ou não, irá depender apenas do suporte que Taiwan terá ou não dos países democráticos.

          • matreco says:

            Hong Kong também não quer ser uma ilha chinesa, mas o querer não lhe tem servido de muito…

          • Vítor M. says:

            Tudo complicado, mas a passagem da administração britânica para a chinesa foi “pacífica” pela administração do território na altura. Contudo, não me quero alongar nesta temática porque há tantos “apêndices” nestes negócios políticos, que é pura perda de tempo estar a dissertar sobre algo que quase ninguém sabe o que foi “contratado”.

    • Aver says:

      Vai ser curioso ver a reação do governo comuna chinês…

  3. Outro zé says:

    A Apple vai investir num país em que a mão de obra não é assim tão barata ? Deve ser engano !!!

    • Antoninho Pitágoras says:

      Posso dizer que o custo de mão de obra é mais elevado que em Portugal. Aliás nenhum licenciado em Taiwan ganha menos que 1000€ limpos como em Portugal.

  4. Vitor says:

    Eu acredito que o artigo tenha um fundo de verdade…mas não é a atual administração Norte Americana que diz ir “forçar” as empresas nacionais a localizar a produção dos seus produtos no País? O Trump vai permitir que a Apple (ou outra empresa qualquer) abrir uma nova fábrica a produzir uma tecnologia nova e promissora mesmo no “bairro” onde “vive” a China?!

  5. kocjan says:

    Tudo a fugir da terra do pastel de flango.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.