PplWare Mobile

E você, sabe qual é a diferença entre BIOS e UEFI?


Pedro Simões

Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo
Por Diogo Gaspar para Pplware.com

Destaques PPLWARE

63 Respostas

  1. PGinTheHouse says:

    Excelente trabalho Pedro Simões.

    Muito bem explicado. Parabéns

  2. efi uefi says:

    . . . e depois veio o windows 10 e deu cabo disso tudo!

    • JorgeO says:

      Porque? Windows 10 tanto arranca em UEFI como em BIOS…

      • efi uefi says:

        caso nao saibam o windows 10 nao respeita as normas uefi, nao permite (facilita) a instalaçao de outris sistemas operativos em paralelo como seria de esperar.
        no windows 8 a coisa ate corria bem. . . agora multiboot com windows 10, linux e mac so com artimanhas e com as actualizaçoes soma de problemas.
        googlem . . .

        • lol says:

          Não sei do que falas uso o Clover e não tenho problemas nenhuns com actualizações e a fazer boot noutros OSs

          • Erick says:

            Eu entendi o que ele esta falando, pois já aconteceu comigo, usava o w10 pra testes de novidades, tbm para não ser pego de surpresa, mas quando o windows 10 atualizava ele matava a inicialização do linux…

        • Gilmar Bertolote Junior says:

          Trabalho em uma instituição de ensino superior e pesquisa e por aqui sempre nos solicitam Dual boot com Windows 10 e Linux (geralmente Ubuntu 16.04 LTS). Nunca tivemos problemas quanto aos bootloaders, desde que corretamente configurada a UEFI para aceitar outros sistemas operacionais que não Windows (Secure Boot: Disable/OtherOS) e se você utilizar os discos em formato GPT, corretamente particionados tudo funcionará bem.

        • Xis says:

          Isso não é bem assim. ^
          O Windows 10 funciona perfeitamente em multi-boot, desde saibas o que estás a fazer.
          E por essa tua ordem de ideias, o Grub2 também dá cabo disto tudo porque também só funciona correctamente se souberes o que fazes.
          Já tive mais problemas com multi-boot causados pelo o grub2 do que com o windows 10.

    • PeFerreira98 says:

      Nesse aspeto tenho que discordar… Lembro-me bem a uns anos de andar de trás para a frente à tentar instalar e meter Ubuntu em dual boot com Windows. Razão? GRUB.
      Enquanto não saiu o GRUB2. A compatibilidade UEFI e GRUB era nula.

      • efi uefi says:

        com a excepçao do windows 8 sempre houve problemas! o windows e um sistema proprietario! toma conta de tudo incluindo modificaçoes na efi/uefi, tornando incompativel outros sistemas operativos em paralelo.
        a meu ver o grub tambem nao era grande “bisca” ja o grub2 e melhor, mesmo assim aconselho a usarem outros.

        • PeFerreira98 says:

          Mas isso desde sempre. O bootloader do windows só deteta Partições windows mesmo. Não é problema, é defeito. (A MS bem que poderia trabalhar nesse aspeto como a apple com o bootcamp…)
          Atualmente, com o GRUB2 (ou outro bootloader como referiste) já resolves esse problema facilmente, listando assim todos os OS da maquina.

    • efi uefi says:

      a par disto cabe tambem informar que nem os fabricantes cumprem as normas efi/uefi . . .
      vejam as diferenças por exemplo um equipamento HP e uma outra marca . . .

      se calhar vao estranhar a quantidade de informação e configuraçao efi/uefi e /ou a falta dela.

      a meu ver tentou-se facilitar as coisas . . . mas so se complicou ainda mais!

  3. Pedro says:

    Muito bom! Parabéns Diogo.

  4. João says:

    Excelente explicação, obrigado!

  5. João says:

    Diferenças:

    UEFI – Spies on You!
    BIOS – Doesn’t!

    e claro, há sempre o Libreboot 😉

  6. José says:

    Bom e útil artigo. Obrigado.
    José

  7. Jose Baptista says:

    Excelente artigo. Parabéns Diogo!

  8. Jose Neves says:

    Excelente artigo
    Obrigado

  9. Alberto says:

    Bom artigo

  10. Charles says:

    Ora aqui está um excelente artigo que deu muito gosto de ler.
    Obrigado e venham mais assim!
    Fazem falta artigos neste site, que não resultem em bate boca de fan boys…
    Abraços

    • Diogo Gaspar says:

      Viva,

      O vosso feedback é deveras importante. Estamos cá para vos informar da melhor forma, tanto quanto possível.

      Um abraço. 😉

    • Pedro says:

      Excelente artigo e precisamos de mais relacionados com a arquitectura quer de sw quer de hw e as suas dependências e interligações. Charles muito, muito bem lembrado.
      Artigo para o bate boca dos fan boys é engracado e por vezes pode animar o debate. Mas o que vemos é bla bla e perda de tempo.

  11. Roberto K.M. says:

    A UEFI dificulta a instalação do Linux, mas é possível. O usuário abaixo da média, que só sabe ir clicando next next next pode se complicar. Não tenho agora comigo mas a Dell tem um tutorial para instalar o Ubuntu com a UEFI. Válido também para o Mint e outros. É só ler e entender antes de fazer qualquer coisa.

  12. Redin says:

    Até poderei estar enganado mas para mim a limitação é um sistema com a UEFI implementado por um fabricante ter de exigir o disco rígido de origem que se avariar, teremos de operar em modo Legacy para usar um diferente. As imagens Gost só poderão ser usados para o mesmo disco. Se estiver errado, gostaria de saber como contornar isso.

  13. Joao says:

    Artigo muito bom, obrigado.
    Quando comprei o meu portátil à 2 anos, instalei um dual boot com o linux mint. Nunca consegui por grub a funcionar com com a uefi, não sei se na altura havia algum problema entre o secure boot e o grub. Havia muito pessoal nos foruns do mint a queixar-se do mesmo problema. A solução foi instalar o linux no modo legacy, não é uma solução elegante, mas funciona, mas cada vez que mudo de sistema operativo, tenho de alternar entre a bios e uefi.

  14. DSantos says:

    Mais um artigo interessante e esclarecedor….muito bom

  15. Alvega says:

    Do artigo gosto, muito bom. Já da UEFi, nao gosto, mas deve ser erro meu, isto da bios já estava “entranhado”, e nao gosto de ter o serial do SO “embutido…algures.

  16. Nuno Santos says:

    Pplware sempre a surpreender. Artigo 5 estrelas, venham mais deste genero, pois existem muitos leigos nos mais variados assuntos.

  17. Pedro Soares says:

    Apenas uma pequena correção:
    BIOS vem de Basic Input/Output System. Ou seja, Sistema Básico de Entrada e Saída. Por isso, diz-me “o” BIOS e não “a” BIOS.
    Já UEFI deverá ser “a” UEFI, corretamente escrito no artigo, pois é uma Interface.

    • Vítor M. says:

      Exactamente. Mesmo entre os profissionais de Informática, é muito comum o uso da expressão “a BIOS”, entretanto, isso é uma vista humana porque “sistema básico de entrada e saída” é um termo no masculino e, portanto, o correto é utilizar-se “o BIOS”.

      Bom reparo.

    • cat says:

      Podemos dissertar sobre várias opiniões mas, na verdade, não existe uma forma correcta e definitiva de aplicar os pronomes em estrangeirismos cujas palavras não têm género no idioma original. Quando se trata de acrónimos, então aí a “coisa” ainda fica mais confusa.

      99% das pessoas que conheço utilizam o pronome no feminino: “a BIOS”. Eu sempre usei e vou continuar a utilizar pois não há qualquer regra gramatical que me impeça de o fazer.

      Boa leitura sobre o assunto, aqui:
      https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/consultorio/perguntas/sobre-o-genero-dos-estrangeirismos/23292

      • Ismar Russano says:

        Só para lembrar:

        No passado (80,90’s…) referiamos a palavra BIOS, ‘a memória (Circuito Integrado EPROM), que vinha gravado o BOOT. Razão pela qual até hoje uso a palavra no feminino…tambem!!!

  18. A.F.C.O. says:

    Muito bom artigo, sempre me perguntei o que significaria a sigla UEFI várias vezes utilizada nos comentários na net, a pesquisa nunca me soube esclarecer muito sobre a sua utilidade prática, agora já sei. Para o próximo artigo poderiam explicar como fazer uma nova instalação do S.O. utilizando a UEFI, e quais os programas UEFI disponíveis. Ainda me persistem várias dúvidas; onde é que a UEFI fica guardada durante a instalação do S.O. (uma vez que o disco foi formatado e é criada uma nova partição); como é que a BIOS detecta a UEFI na opção legacy ou UEFI; quais as marcas UEFI recomendadas, breve pesquisa na net mostra várias. Cumps.

  19. Ismar Russano says:

    Muito boa, a explicação da diferença entre essas duas tecnologias. Como ainda existem muitas maquinas anteriores a 2007, utilizando somente BIOS, a nova UEFI veio para para ficar. A tecnologia anda para frente…!!!

    Grande abraço.

  20. Fernando says:

    Fantástico artigo, mesmo de parabéns.
    Por vezes facilita-nos a vida uma boa explicação sintetizada, pois sabemos as coisas intuitivamente mas saber explicar factualmente é outra louça. 🙂

  21. AM says:

    Resumindo, isso é bom ou mau prá gente?

  22. Marco Antônio says:

    Excelente explicação. Já fazia tempo q estava atrás de um conteúdo deste q pudesse sanar minhas dúvidas.

  23. Tiago says:

    O UEFI só está disponível no Linux 64bits?

  24. PGR says:

    Altamente!!
    obrigado

  25. Roger says:

    Excelente matéria e ótimo conteúdo. Parabéns!
    Eu me lembro quando os HDs de 2Teras ficaram mais acessíveis e baratos. E muita gente tinha problemas para instala-lo no Windows Vista.
    Eu consegui através de artimanhas.
    O mais engraçado é que vi muito “Noob” vender seus HDs de 2Teras e comprar 2 de 1Tera. Kkkk
    Chegou ao absurdo de alguns lugares o HD de 1Tera ser mais caro do que o HD de 2Teras.

  26. Henkel Brasil says:

    Eu ja tive muita dor de cabeça com isso no meu notebook.
    Toda vez que tenho que formatar tenho que fazer o jogunho LEGACY/BIOS/UEFI
    Até hoje não sei qual é o certo…

    O fato é que jpa fiquei por mais de 4h tentando instalar windows 10 e Linux na minha maquina…IM-PO-SSÍ-VEL
    Ou apaga o Windows, ou apaga o Linux… Aqui, a Janela venceu 🙁

    • Thiago Nicolau says:

      Amigo é perfeitamente possível de maneira fácil pois eu uso windows e linux ubuntu.
      Faça assim:
      1- instale seu windows na sua partição desejada, deixe também a partição linux criada mas sem estar alocada a nenhum formato.
      2-instale o linux ubuntu usando pendrive bootavel no modo persistente.
      3- com o ubuntu ja instalado no HD na partição criada anteriormente usando o ext4 como formato de um boot pelo pendrive.
      4- com o ubuntu iniciado pelo pendrive instale uma ferramenta chamada boot repair (apt-get install boot-repair) de uma busca no google.
      5- execute o boot repair no pendrive e ele corrigirá o boot da máquina no grub2 escrevendo corretamente e automaticamente no fstab do linux instalado no HD.

  27. Joselito says:

    Artigo Show! Parabéns!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.