PplWare Mobile

Dica: Vai comprar uma TV? Saiba de quantas polegadas…


Autor: Pedro Pinto


  1. Nelson says:

    Para mim nao tem regras. A definicao esta ao ver ao perto e não a distância.
    Ver a 4-5m acima de 60 polegadas e demasiado.

  2. Técnico Meo says:

    Á diferenças na distância quanto á resolução da TV. Se for 4k podemos ficar ” mais em cima ” da TV…

  3. Pedro F. says:

    Como vender televisões mais caras?
    Convencer as pessoas que precisam de 43″ para uma sala mais pequena que um quarto…
    E convencer as pessoas que no quarto de 4×4 devem ter uma televisão de 65″ ou mais…
    Portanto, numa sala com 4m entre a TV e o sofá o ideal será uma televisão de 70″, certo?
    Nem sei como é que se viveu até hoje com televisões minúsculas e telemóveis abaixo de 7″…

  4. Jota says:

    Os resultados da Deco não têm nada a ver com os do RTINGS.COM!

    • Pedro F. says:

      Esses são ainda piores ao recomendar uma tv de 50″ para 2m.de distância…

    • João says:

      Esses não têm de ter em conta o fator legendas. Em Portugal tens de ter isso em conta.
      Faz imensa diferença, porque numa televisão muito grande se estás muito perto vais ter de andar a deslocar a vista para baixo para leres as legendas. É como ir ao cinema e ficar muito lá à frente.

  5. Jota says:

    Com estes resultados mais certezas há de que deviam fazer TVs OLED com 49 polegadas!

    • José says:

      Essa é a questão que a indústria gananciosa não quer responder! Mais confuso e furioso fico quando penso que o primeiro oled que vi na vida tinha “apenas” 22 polegadas! Se houvesse um tv de 49 polegadas oled há muito que terua adoptado esse formato. Assim, por que como milhões de pessoas tenho uma sala pequena tenho de me contentar com ima solução intermédia e não tão satisfatória! E pensar que em tempos podíamos encontrar topo de gama com 32 e 40 polegadas! O que mudou entretanto? Nada. A não ser desperdício e ganância.

  6. The boy says:

    O ecrã do meu computador tem 32”.
    Não percebo este post…

  7. A. Martins says:

    Já agora, embora um pouco fora do tema principal, gostaria que alguém explicasse, se souber, porque actualmente se vêem muito poucas TV’s de 32″ em full HD!!

    • fak says:

      A. Martins
      haver há, o problema é que a tendencia agora é TV’s que ocupam a parede toda da sala e as grandes marcas já não estão viradas para TV’s de 32″…
      TV’s de 32″ full HD só se for com marcas menos conhecidas, como a TCL ou a Spectre porque por parte da LG, Samsung etc não hás-de encontrar nada, nos dias de hoje, 32″ é tamanho de monitor de computador e não de TV.

      • A. Martins says:

        Pois, mas no meu móvel da sala só cabe uma de “32!!! Rsrrss!!!
        Pensava que também poderia ser por outro motivo: o facto de numa tv desse tamanho não dar para notar a diferença de HD para Full HD!!

        • Pedro F. says:

          Sim, é por isso também. Mas se numa TV de 40″ a 2m não notas essa diferença, então a 3m ou 4m também não notas.

          O que se nota é uma pressão exagerada para impingir TVs cada vez maiores.

          Se alguém daqui tiver uma TV de 65″ a 3,4m da TV, estou certo que para muitos conteúdos que não sejam na resolução nativa da TV vão ter uma experiência bem inferior…

      • José says:

        Diz bem “tendência”, o que diverge da lógica! As marcas sobretudo orientais apostaram em lançamentos contínuos com gamas enormes, ao ponto de ser difícil encontrar o equipamento que compramos – basta ver o caso dos telemóveis, uma vergonha, mas com essa lógica alargada hoje aos tvs, e até aos microondas etc., etc.! Daí a assistência ser miserável, a obsolescência programa levada ao máximo mesmo em equipamentos capazes de aceitar novo software, a qualidade de construção uma porcaria cara e de vida curta. E depois andam por aí umas alminhas a dizer que temos de “empobrecer” e “cuidar” do ambiente, quando compramos algo já não é para durar e sobre o qual nada controlamos , mas para usar até estragar sem sequer ter amortizado o investimento! Lembro-me e uso alguns equipamentos que comprei há 30 anos que ainda funcionam na perfeição e estão quase como novos tal era a qualidade de construção, mas nessa altura as marcas eram 100% europeias oi americanas, hoje vem tudo feito na Ásia ou de marcas asiáticas, que vendem “gato por lebre”! Veja-se a oferta de uma marca como a Sony, por exemplo, que há foi uma grande construtora, hoje, os seus produtos são uma miragem dos de outrora! É este o mundo que nos impõem.

        • fak says:

          José
          o problema não está na qualidade de construção, está na tecnologia.
          Antigamente as coisas duravam muito porque eram simples e praticamente todas mecânicas, não havia tecnologia, a tecnologia que tinham era basicamente 1 botão que ligava um motor.

          agora tens boards entre o botão e o motor, tens normas de segurança (por ex. só funciona com a tampa colocada), tens sensores por todo o lado, ecrãs, programas, temporizadores, etc…

    • Pedro F. says:

      Porque de acordo com o artigo isso seria para quem está a 1,2m da TV e na prática isso nunca acontece (ou raramente).

      E a tendência é de fazer TVs com muita saída e não para vender só meia dúzia…

    • José A says:

      Boas! Sem querer referir nomes de lojas, acabei de comprar uma LG 32LK6200 Full HD Smart TV, por 250€ em loja, basta ir ver no KuantoKusta 😉

  8. Douglas Ferreira says:

    Considerando que nossa visão tem um ângulo relativamente estreito de cobertura, faz sentido aumentar a distância em que se assiste conforme aumenta o tamanho do modelo.

    Eu, na sala, tenho uma TV de 40″ e os meus olhos ficam a uns 2 metros de distância. Já no quarto, uso uma de 55″ e, por assistir na cama, fico a uns 3 metros de distância.

    Considerando que nossa visão periférica é precária, se colocasse a TV maior na sala teria mais dificuldades para perceber o que acontecem nos cantos da tela durante as cenas.

  9. Nuno Cardoso says:

    E eu com um LCD de menos de 28 polegadas no quarto, meh, para o sítio que é serve perfeitamente.

  10. marcio says:

    na minha opinião , 43 pulgadas da mais que suficiente , televisão nos quartos nem pensar

    • Pedro F. says:

      O “mais que suficiente” depende da distância à televisão como é óbvio.
      Numa sala a 4m da TV as 43 polegadas poderão ser suficientes mas se a distância for de 7m uma maior fica melhor.

      Agora recomendarem 55″ para menos de 3m parece-me ridículo…

      • José says:

        Nem mais! A oferta das respectivas gamas deverua ser extensiva ais diversos tamanhos! Não faz sentido algum que por termos uma sala menor, estejamos limitados na escolha do equipamento, pois desde há uns anos só existem topos de gama para equipamentos enormes, e como tal incompatíveis com a maioria das casas! Quem vai colocar um tv de 65, ou 80 polegadas numa sala de 20m2 para usufruir das funcionalidades de topo?

    • DOUGLAS FERREIRA says:

      Para mim, no quarto serve muitas vezes como remédio para insônia. Se tomar umas cervejas então… é tiro e queda, kkk.

  11. upedreiru says:

    .. a sony recomenda, para uma máxima distância, 3x a diagonal. Utilizei sempre essa referência e já desisti faz anos de outras opiniões. É extraordinário ver um filme na sala, com uma TV de 55” Full HD.

  12. darth says:

    resolucao nao é tomada em conta?

  13. Carlos says:

    O mais importante é cada um decidir consoante o uso que lhe vai dar.
    A escolha tem de ser feita de acordo com a resolução que pretendem e com a distância à TV ou até quando à a estética/algibeira. O resto é conversa.
    Eu respeito o recomendado pelos standards THX, o que para alguns será um exagero. (eles sempre não de perceber uma coisinha…)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.