Quantcast
PplWare Mobile

Após ultimato, maioria trocou o WhatsApp pelo Telegram e Signal

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. zeze says:

    Este assunto já cheira a esturro. Quanto ao questionário semanal, a meu ver deveriam de fazer um post referente ao mesmo visto ser um assunto interessante pois é impensável em 2021 ainda nao haver voto eletrónico.

    • Helder Coelho says:

      Voto electrónico vai criar desconfiança e aumentar o risco de fraude eleitoral, o Português ainda não sabe usar a internet, clica em tudo o que aparece a frente, serviços electrónicos, compras online, homebanking e afins. Mesmo usando máquinas electrónicas fora da rede “internet” não é solução, em muitos países já se levantou muitas questões sobre esse sistema. Para já não devemos reinventar a roda. Meramente a minha opinião.

      • zeze says:

        Pois claro, neste caso será mais confiável a contagem por “rat@s velhas” que dao sempre o voto a favor do que mais lhes agrade e desconfiam quando o quadrado está mal assinalado, etc. Se voto fosse eletrónico, nao por obrigatoriedade mas por opcao, penso que deixaria de haver tanta trafolhice tanto dos eleitores como dos responsáveis da mesa. Um login com chave digital móvel e um sistema que fizesse com que o mesmo fosse anónimo seria perfeitamente possível, também nao sou nada contra em que seja indentificados os votos de cada um.

        • Manuel da Costa says:

          ERRADO! Não é “rat@s velhas” que fazem a contagem… são 8 pessoas. 8 pessoas falharem, um candidato pode protestar e nomear mais 4 pessoas para lá estarem a fazer a re-contagem. Algo que é IMPOSSÍVEL de fazer no caso que refere…
          Não podem identificar cada voto, além que não podia usar a CMD para tal. Só se tiver um leitor do cartão do Cidadão e uma forma de usar a sua impressão digital, é que se podia pensar nisso. O sistema dos médicos usa essa parte para identificar que é o médico passar as prescrições… mesmo assim, existem utilizações abusivas.

        • just saying says:

          comentário feito por quem desconhece totalmente a forma como são contados os votos actualmente e também por quem tem uma falha mais que notória das falhas de segurança da internet e do mundo electrónico. zeze aprende alguma coisa com o camarinha e fala só do que realmente entendes.

      • Não Obstante says:

        “O Português…”

        Esta expressão desqualifica quem a afirma, normalmente é emigrante (coitado), tem uma casa tipo “maison” e não perde muito tempo a raciocinar. Para começar deve aprender a não generalizar.

        • SSD says:

          Verdade, somos sempre os piores mas basta olhar lá para fora e ver que dá para contar com um dedo o número de países que fe facto usam um sistema desses, se calhar é porque não são assim tão diferentes

    • Manuel da Costa says:

      Normas que obrigam à identificação do eleitor e uma forma de obrigar a que seja o próprio a votar e não ser uma listagem de 5000000 eleitores que uma empresa tem os dados. No caso do IRS muitos contabilistas tem programas preparados para as entregas em que está lá a pass e nif dos clientes. Essa é a prova que o contabilista é o contribuinte… o mesmo se passa com a CMD. A única forma do voto por internet (o electrónico é feito da mesma forma que o voto em urna, sendo que a diferença é que o eleitor é identificado pela introdução do cartão do cidadão e preenchendo um boletim digital de voto, em vez dos membros da mesa) é algo semelhante ao sistema do SNS, que obriga à utilização do cartão de cidadão e de um leitor de impressão digital. Mesmo assim, existe espaço para falsificar a votação e há o problema dos protestos não poderem existir, pois a validação do voto é feita automaticamente.
      A Holanda tentou essa parte, acabou por recuar quando surgiram 370000 votos que foram injectados nos resultados por alguém que acedeu a uma das máquinas de votação, só notaram o que se passou, porque quem o fez registou todos os votos no mesmo segundo… utilizando números aleatórios para aceder à listagem de eleitores e injectar os votos, como se fossem reais. Sem verificarem registo a registo, aqueles votos eram reais, quando notaram que receberam tantos votos num só segundo, como em 2 horas, perceberam que estava algo errado e os votos foram removidos. Pode ter acontecido que alguém tenha votado no mesmo segundo, numa outra máquina, tendo o seu voto sido excluído…

  2. Ricardo says:

    Gostava de saber qual a logica das pessoas que trocam o whatsapp para o facebook messenger 🙂

  3. Maike says:

    Por mais estranho que pareça, esta semana recebi um anexo de um amigo num grupo com o nome “dados da minha conta.zip”, do qual investiguei um pouco pelo computador, continha um ficheiro HTML e Json, continha todos os contatos que a pessoa tinha como contatos no whatsapp e os nomes dos grupos, e a pessoa diz não ter enviado nada, apenas aceitou a mensagem de partilha de dados pedido pelo Whatsapp, será que foi algum bug que em vez de enviar para onde devia ter sido enviado, enviou para um grupo?

  4. LSousa says:

    Faltava ai a opção de: Eu já não utilizava WhatsApp

  5. Jp paz says:

    Voto eletrônico para poderem manusear as eleições ao gosto dos partidos comunistas….que passam de míseros 3% para uns bons 30%
    Para ser a vergonha das eleições dos EUA…
    Tudo a ser feito para que tornar Portugal mais um país satélite da China…. tristeza

    • SSD says:

      Sabes que é a população que está a pedir isso, não os partidos certo?
      A única vantagem é que se houvesse trafulhice ia haver provas (ao contrário dos EUA…), fora isso, é um sistema mais vulnerável e que os utilizadores difícilmente iam confiar facilmente, daí haver um país que eu saiba no mundo todo que faz isso

  6. Fernanda Morais says:

    Excluí o WhatsApp e migrei para o Telegram e Signal.
    Não me arrependo!

  7. dajosova says:

    Quando os votos ficarem registados em blockchain, ok!

  8. JF says:

    Cidadãos Portugueses, não sejam parolos(as), garantam a vossa segurança e privacidade usando o Telegram.

    Apague a sua conta no Whatsapp, elimine o aplicativo, e comece a utilizar o Telegram.

    Falhas de segurança detectadas no aplicativo Signal:

    https://googleprojectzero.blogspot.com/2021/01/the-state-of-state-machines.html

    Inna Afinogenova explica as diferenças entre os aplicativos WhatsApp, Sginal, e Telegram:

    https://www.youtube.com/watch?v=jmTG2KummP4

  9. João says:

    @Marisa Pinto, essas percentagens e números não batem certo. 1423 não são 39% de 2982, nem que a vaca tussa. O somatório dos votos descritos no texto é 3679 e não 2982. Talvez seja só essa correção.

    Relativamente à questão em si, não mudei nem tenciono mudar.
    Até haverem regulamentos de política de partilha de dados ninguém se preocupava com isto. Ou seja, neste momento os nossos dados pessoais – pelo menos de quem já utiliza inúmeros serviços desde o início do milénio – já estão forem partilhados/vendidos/estudados e explorados pelas empresas que assim o entenderam. Quem não tiver esta noção é mesmo muito ingénuo.

  10. Toni says:

    Eu descarreguei o Signal e o Telegram. Se de facto o whatapp continuar com a mesma treta entao ai eles que me desactivem. Isto tudo para dizer que isto e uma pergunta inquinada.

  11. jorge says:

    No Brasil o voto ja é eletronico, ja nao se vota no papel, apenas existe um problema as pessoas teram sempre de ir votar aos locais de voto, mas ja nao existe papel, na tugolandia estao mais atrasados que os filhos brasileiros, na tugolandia sao bons para a corrupçao e para trafulices, por é que nao deixam de ser os maiores miseraveis da europa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.