PplWare Mobile

Porque será que o Android quer saber tanto da sua vida?

Mas porque será que o Android quer saber tanto da sua vida?

Via: PC World

Por Hugo Sousa para Pplware.com


Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.

Destaques PPLWARE

  1. Paulo says:

    Porque essa colecção de dados, hoje em dia, ainda dá pouco dinheiro…

    Mas no futuro, será essencial para vários negócios: seguros (vida, saúde, automóvel, etc.), emprego, banca (taxas de juros dos empréstimos, avaliação de empresas, etc…)

    • Oscar says:

      É bem verdade, com base nesses dados as empresas ajustam as clausulas comerciais

      • Paulo says:

        Conheço gente que está a trabalhar numa multinacional, em Portugal, numa solução para seguradoras que é basicamente um dispositivo que instalas no teu carro, e conforme vários factores (onde andas, a que horas andas, a que velocidade andas, a distância ao carro da frente), e dá esses dados à seguradora, para esta te fazer um preço, quanto mais comportamentos de risco (por exemplo, se fores à sexta-feira à noite a um tasco, por exemplo, e muita gente sair desse tasco bêbeda e ter acidentes na estrada), mais caro te fica, se fazes só “casa-trabalho-casa-trabalho-casa-trabalho-centro comercial”, aí já te cobram muito menos…

        O futuro, é esse, devido à ignorância das massas, a privacidade vai ser um luxo só acessível a alguns.

        Imagina nesse caso das seguradoras automóveis, tu tens duas opções, ou vais por essa via, e tens de te “portar bem” e baixar as calças… ou vais para uma seguradora que faça seguros “à antiga”, que vai ter poucos clientes, muitos vão só porque são péssimos condutores, e aí, vais ter de pagar muito mais que o “normal”, ou o que pagas hoje…

        Ou seja, antes do 25 de Abril em Portugal, e outros regimes totalitários, em que o estado controlava tudo o que faziam as pessoas, o que elas pensavam, onde andavam, o futuro, são empresas monitorarem a população…

        • RaCcOn says:

          Isso já existe em alguns países, não com tanto controlo quanto descreves mas com algum.
          Qualquer das formas, não é obrigatório em nenhuma seguradora…apenas permites que eles vejam os teus hábitos se quiseres que eles baixem o valor do seguro.

          • Paulo says:

            Hábitos como assim? Posição GPS? Por exemplo?

          • RaCcOn says:

            Ora pensa la, para saberem a tua velocidade terao de saber a tua posicao de GPS…

            A informacao e colectada e enviada para a seguradora, depois os dados sao tratados para que o premio seja ajustado, baseado em velocidade e localizacoes etc etc.

            Pesquisa no Googe que encontras, nao digas e que andam a fazer uma coisa inovadora em Portugal, porque isso ja existe a anos em outros paises.

          • FG says:

            Já ouviste falar de acelerômetros? Raccon?

      • Marmelo says:

        Dá pouco dinheiro?

        Zé só a Google faz milhares de milhões de pouco dinheiro por mês… Percebes?

        O que tu pensas não corresponde à escala do que se passa nem do que eles ganham todos os dias.

  2. Stako says:

    Será apenas no mundo android? LOL

  3. FernandoRJ says:

    George Orwell previu em “1984”, mas não imaginava que fosse além. Eles querem sua alma.

  4. LM says:

    Como sempre a fiscalização destas e outras intrusões de privacidade passa impune e é feita nas barbas de todas as autoridades que nada fazem e são coniventes com estas empresas, quando actuarem já vai ser tarde.Enfim nada que a gente já não esteja habituado.

  5. Joemnds says:

    Esse tal de android é muito cusco. Eu só utilizo Zonix, não tem essas coisas.

  6. zé tolas says:

    Que eu saiba ninguem é obrigado a usar novas tecnologias. Winds estao a tempo de comprar um casebre no memo dad serranias de tras-os-montes, ondcnemnha reds Telefonica nem sinal TDT e vuverem felizes para sempre.

  7. Benchmark do iPhone 6 says:

    Ver o “cadastro” de pesquisas no Google Search, desde que se tenha feito a a pesquisa com uma conta ativa do Google (ou melhor dito, tendo feito o “login”, por exemplo pra ver o Gmail, mas não o “log-off”, coisa que é bastante frequente):

    http://expresso.sapo.pt/quer-descarregar-todo-o-seu-cadastro-do-google=f920761

  8. ADMS says:

    Sempre foi e será assim. Com Android, iOS, WP ou Bada. Estranho virem falar do Android quando foi a Apple a primeira a ser acusada de espiar através do iPhone e respondeu que era para melhorar o sistema.

  9. Filipe Coelho says:

    Título um bocado sensionalista… Não é o “Android” que quer saber, mas sim algumas das aplicações, principalmente as da Google. O “Android” em si não tem código para guardar e reportar os dados do utilizador a ninguém…

  10. redefoca says:

    Nos estados unidos eles vão mais longe inclusive já existem algumas matérias jornalisticas a falar sobre o assunto. Basta-nos entrar numa loja do centro comercial e automaticamente recebemos uma mensagem daquela loja a oferecer-nos um desconto para produtos que costumamos consumir.

    Caso disso são os restaurantes do MCD.

    Chegam mesmo a indicar produtos que podemos tomar deixando de fora aqueles que não iria afetar devido a problemas de saude que o próprio equipamento sabe que temos. Vejam que as marcas de tecnologia estão a investir em tecnologia de medição cardíaca etc. Por vários fatores. Seguros, vender produtos adequados… Não nos esqueçamos que a industria farmacêutica é gigantesca. Há muitos interesses nesta área.

    Pessoalmente deixei de adotar o smartphone como telemóvel. E não sou fã desses relógios modernos e desses equipamentos de medições. Adoro tecnologia mas aprecio mais a minha liberdade.

    Porém, tenho um tablet e não deixo de acompanhar as novidades.

    Quando o novo ubuntu phone baixar o preço sou capaz de adquirir quem sabe. Ainda estou a ver.

    Para já penso que estas tecnologias estão a fazer o que já se previa. Falta saber se vamos acabar por ser controlados por elas (ou se já somos). Não nos esqueçamos que a melhor forma de controlar é dar motivos para o fazer. E os melhores vão ao encontro dos nossos desejos.

  11. Lol…estão preocupados com o Android?? Esse ao menos autorização! Tanta gentinha boa a dar infos de borla no Facebook e afins….

  12. LP says:

    Sera que as pessoas não se preocupam que mais que um algoritmo que “saiba onde estão e o que fazem”, i.e. , que sejam transformadas em números, se preocupam mais com o facto de saber que todas as PESSOAS saibam onde andam e o que fazem quando saem à rua? Ou será que saem com uma máscara para não serem reconhecidas e fazem tudo às escondidas? Será mais perigoso um algoritmo de empresas como a Google ou as pessoas que andam na rua?

    • Ingénuo Zinho says:

      Vives no monte só podes. Deves ser um tipo feliz.

      Não fazes a mínima ideia do que se passa à tua volta.

      Qualquer dia andas na rua e cai-te um drone em cima da cabeça e acordas para a realidade tarde demais.

      • LP says:

        Tu é que certamente és um eremita que vive no monte, com toda a tua privacidade, onde ninguém te vê, ninguém sabe o que fazes, ninguém te conhece. Um drone não tem nada a ver com o artigo, um drone é controlado por pessoas, não por algoritmos. Nunca fomos tão anónimos, tão “privados” como agora, em que nem os vizinhos conhecemos, nem eles a nós, em que se morre em casa e ninguém sabe durante dias, semanas, meses…

  13. Hugo says:

    Estranho este “artigo”… quem ler isto vai pensar que vai ter que deitar o seu android fora para comprar outro Smartphone com outro So qualquer!
    Se calhar deviam informar as pessoas que todos os SO fazem isto, ou parecido, incluindo o do seu computador…
    E a maior parte das coisas que são referidas neste artigo podem ser desactivadas,,, mas, numa sociedade em que as pessoas colocam tudo que fazem nas redes sociais, onde estão bem identificados e podem ser reconhecidos, não vejo qual o problema. Até porque neste caso, as empresas, não querem saber muito quem você é, mas apenas o que você consome… e algumas vezes até dá jeito.

    • Vítor M. says:

      Mas leu o artigo todo? Não me parece 😉 a explicação está lá, taxativa e com exemplos e tudo.

      Depois o dizer que a maior parte pode ser desactivada é revelador, quer dizer, poder pode, mas então porque não vem desactivado? 😉

      Por isso é que o artigo não é em nada estranho, bem pelo contrario, é muito oportuno. As pessoas com meia dúzia de linhas ficam a saber que há quem saiba da vida delas e não estamos a falar de malware.

      Cumprimentos Hugo.

      • Hugo says:

        Apenas achei estranho o facto de se dizer no artigo que o Android quer saber das nossas vidas, quando na realidade todos os Sistemas Operativos o querem.
        Quanto ao resto, toda a informação é obviamente útil.

        Cumprimentos Vítor M

  14. David.pt says:

    Quem não deve, não teme!

  15. Manuel says:

    Já só faltava esse comentário…

  16. mzzr says:

    todos preocupados com isto? a sério. que tugas

  17. Joaq says:

    A pessoa é que opta por partilhar as informações. Apesar de no android vir ativado por padrão.
    Eu desactivo a localização porque alem disso da privacidade (opinião de cada um), também gasta mais bateria. Só uso quando viajo.
    E isso do histórico de navegação(youtube/google) dá para desactivar, mas isso também não é grande coisa.
    Mesmo que queiramos apagar o histórico, aparece que para o utilizador foi “apagado”, mas Google nunca apaga tudo.

  18. Bruno Mateus says:

    As aulas de programação e tutoriais de redes, e calro o fantástico e animador “porque hoje é sexta” 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.