Quantcast
PplWare Mobile

Os Talibãs controlam agora um dos maiores depósitos de lítio do planeta

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Simões


  1. miguel says:

    O Biden não soube sair, é o culpado por tudo que esta a acontecer, o Trump tinha um acordo para sair progressivamente mas este Biden meteu os pês pelas mãos, as tropas americanas a fugir com o rabo entre as pernas em directo em todos meios comunicação social, uma vergonha para a América!

    • Deste says:

      Podes expandir um pouco o teu ponto de vista sobre o Biden não saber sair?

      Pela informação disponivel, os ataques subiram perto de 50% desde que o trump assinou o acordou o acordo, e o biden adiou a saida do pais de Maio para Setembro.

      Ou seja eles já deviam ter saído á meses. Queria entender de onde vem a questão de não saber sair

    • Rambo says:

      Biden foi o maior erro de casting dos EUA…

      • Oralilas says:

        Falavam mal do Trump e este é muito pior! Eu sempre disse que o Trump foi um dos melhores presidentes dos ultimos tempos nos EUA. Nao teve uma unica guerra, soube negociar como ninguem uma paz com a coreia do norte, impor-se a china sem medo, impor respeitinho ao irao. E ainda oferecem um nobel da Paz ao obama por ter criado a primavera arabe e destruido a siria.

      • ajoaof says:

        Sim, e quanto ao trampa… o avô dele nunca devia ter nascido.

      • Adeus says:

        Entre Trump e Biden…Deixa lá tar o Bidem.

        • B@rão Vermelho says:

          Ouvi a explicação do Bidem, e até que faz algum sentido, eles próprias desistiram de lutar não vão ser os soldados Americanos a morrer por eles.
          Mas nada disto invalida a autentica trapalhada que é a saída.
          Ao ver as imagens parecia as imagens que se vê nos museus do Vietnam, sem legendas não se consegue distinguir em que país são.
          O mais inacreditável e ver a história a repetir-se, só falta dar as imagens dos porta aviões a mandar ao mar as aeronaves para arranjar mais espaço para levar os que são de interesse.
          Pobre USA.

    • Spoky says:

      Nao é o Biden, é os Estados Unidos que são uns criminosos.

      Até parece que não sabem onde foi criado o chefe do ISIS…

      Vergonha é termos este Estado Unidos a pensar que é o rei do mundo, quando é fraco e débil.

      • Rui says:

        Tomara a fortíssima Europa inteira ser tão forte como a fraquinha america!!!!!

        Eles eram os polícias do mundo porque lhes pediam para ser (assim quem rebenta dinheiro em armas são os americanos). O que este episódio demonstra é que os EUA não têem nem tiveram um Presidente à altura e estão a retirar porque têem de cortar custos e não podem estar em todo o lado. É que os EUA só no Afeganistão já gastaram tanto como o triplo de toda a dívida de Portugal (pública, privada e das empresas juntas).

        O spoky acha que os EUA são o mal do mundo….. então explique-me lá o que se passa no Irão (essa democracia), Venezuela, Cuba, Ucrãnia (acordou com uma dentada da Rússia e com a Rússia a financiar e colocar “rebeldes” do seu exército no leste da Ucrãnia, o que se passou na Abcásia, na Ossétia do Sul, e diga-me o que pensa dos Chineses que criaram ilhas artificiais nas águas de controlo de países estrangeiros: https://www.defensenews.com/opinion/commentary/2020/04/17/chinas-island-fortifications-are-a-challenge-to-international-norms/

        Você pensa que os EUA são a origem do mal do mundo?
        Olhe,a Rússia tem talvez o maior estratega à frente do país, antigo oficial do KGB, já ouviu falar? A Rússia sabe que é mais fraca e tem muito menos dinheiro que os EUA, as operações que faz são encobertas (acha que a Ucrãnia perdeu o leste do país para meia dúzia de rebeldes?), mas o verdadeiro novo líder mundial (e não será para melhor), é a China!

        Quem acompanha os assuntos militares, percebe que não há país no mundo que invista mais, de ano para ano, como os chineses. E sabe dizer-me para que querem os chineses serem a maior superpotência? É fácil, perceberam que os americanos estão mais fracos e não podem estar em todo o lado.

        Diga-me também o que pensa disto?
        https://www.nbcnews.com/think/opinion/threat-china-invading-taiwan-growing-every-day-what-u-s-ncna1273386

        Não me diga que os culpados são os americanos!!!!!

        Meta na sua cabeça, o anterior Presidente americano e este deixaram um recado gigantesco: Quem não se quiser defender, os EUA não ajudam a defender-se contra ninguém!!!!!!!

    • PGomes says:

      O acordo foi assinado entre o governo dos EUA e os Taliban. O Trump foi apenas o POTUS que estava em posse, na altura.
      Um acordo não desaparece quando um país muda de Presidente. Mesmo após o Biden ter tomado o poder, o acordo continuou em vigor.
      O real problema é que os Taliban nunca tiveram intenção de o cumprir. E não o cumpriram seja durante a presidência do trump ou do Biden.
      Com a saída do exército dos EUA, apenas significa que tiveram toda a liberdade para atacar e conquistar o resto do país.
      O Trump tinha a intenção de sair ainda mais cedo do Afeganistão, o que iria significar que os Talibans iriam tomar o país, ainda mais cedo. Ou seja, o regresso dos Talibans ao poder, tal como era antes da invasão do Bush.
      Mas a realidade, é que os EUA nunca deveriam ter invadido o país e muito menos, gastar 20 anos, vários biliões de dólares e muitas vidas, a tentar conquistar um país.

      • Miguel says:

        “trilhão de dólares” e ainda o que vai continuar a gastar com os soldados desde pensões de invalidez, tratamentos médicos, etc, e todo material de guerra que deixaram para trás.

        • PGomes says:

          Não sabes contar? Ou não sabes que bilião na América é diferente do bilião na europa?
          Trillion (USA) = 10^12
          Billião (Europa) = 10^12

          Mas sim, ainda falta dinheiro todo a gastar em pensões, tratamentos, etc.
          E claro, agora os Talibans, têm algum do equipamento mais avançado do mundo. E algum dele, vai parar á China e Rússia, para ser desmontado e investigado.
          Podemos agradecer ao Bush por esta grande m*rda que ele criou.

      • Ricardo says:

        Deixe-se de tretas, o trump nunca sairia da forma como o Biden saiu, e se eles não cumpriram o acordo, o trump trataria o problema de outra forma. Além disso, a culpa é do Biden, pois com acordo ou sem, Biden podia ter alterado tudo, e de fato até alterou, à sua maneira e é o que se vê agora, milhares de pessoas a tentar fugir, outras a morrer, e descriminação contra as mulheres de volta. Mas o pior ainda está por vir e será aqui na Europa.

        • PGomes says:

          O acordo que está a ser cumprido, foi o que foi definido pela administração Trump. São os acordos de Doha, feito em Fevereiro de 2020, entre o governo Afegão, os Talibans, e o governo dos EUA.
          Este definia uma prazo de 14 meses para a retirada dos EUA do país, os Talibans não podia albergar grupos terroristas, como a Al-Qaeda, a troca de prisioneiros de ambos os lados.
          O Biden e o Trump concordaram desde sempre numa coisa, que os EUA têm de sair dos EUA. E em boa medida, o Biden cumpriu exactamente o que foi definido nos acordos de Doha. Ou seja, nesta situação o Trump e o Biden iriam fazer o mesmo.
          O Biden tinha duas escolhas, cumprir o acordo assinado pela administração Trump, ou voltar á guerra.
          E independentemente do POTUS ser o Trump ou o Biden, os Talibans nunca iriam cumprir os acordos. O objectivo dos Talibans sempre foi retomar controlo do país, tal como era há 20 anos atrás.
          E precisas de te lembrar que o povo afegão escolheu render-se, quase sem dar luta aos Talibans. Seja por cobardia, ou por concordarem com os Talibans.

          • João says:

            Tinha ideia que o acordo de Doha nem sequer tinha sido negociado com o governo afegão e que tinha sido uma negociação directa entre o governo dos EUA e os talibans.

      • João says:

        O tomada de decisão da saída foi feita pelo Obama.

        Trump pode ser criticado por não ter cancelado tal decisão, agora não pode carregar toda a culpa como querem fazer para variar.

        Durante esta novela tivemos 3 POTUS no poder, 2 Democratas e 1 Republicano, mas o Republicano é o único culpado vamos lá saber porque …

        No final das contas que se lixam são o povo Afegão e os Europeus que vão receber mais um mar de refugiados.

        • PGomes says:

          O Obama tentou sair, mas não conseguiu apoio suficiente.
          Foi o Trump que finalmente consegui o acordo entre as 3 partes.
          Aliás, quando o Biden adiou a saída que seria em Março de 2021, o Trump atacou logo a decisão do Biden.
          Caso o Trump fosse Potus, a saída do Afeganistão teria sido ainda mais rápida.

    • cloroquinase says:

      Bidê entregou para china, não para os taliban.

  2. klimane says:

    Soluções vão aparecer de certeza.
    O dinheiro resolve qualquer problema e a ganância dá uma ajuda.
    Os americanos falharam porque nunca compreenderam o povo, o terreno e como comunicar com os afegãos.
    O dinheiro gasto em equipamento militar e tropas dava para criar condições minimamente apreciáveis para os afegãos verem os americanos como amigos e não inimigos perpétuos.

  3. Carlos says:

    Aqui em Portugal acontece o mesmo. Também ha uns talibãns que querem o mesmo. A diferença é que estes são da religião socialista.

  4. miguel says:

    Mais uma vez, os Mujahidins conseguiram derrotar uma força invasora, isso é que vai ficar para a História.

    Tenho pena daquelas jovens que nasceram a menos de 20 anos, porque vai ser muito difíceis para elas aceitar o que lhes vai acontecer 🙁

    Mas só o povo do Afeganistão é que tem o direito de fazer algo contra isso, e não a América ou Europa.

  5. dqdq says:

    quem quer saber de lítio quando há ópio?

  6. Vasco says:

    Os taliban vão, tal como as mulheres e homens “da vida” oferecer os seus préstimos a quem der mais. A mentalidade de comerciante é a prevalecente naquele povo tribal: são desorganizados mas podem sempre ser comprados. Aliás foi assim que os EUA se mantiveram lá 20 anos, comprando a lealdade -falsa obviamente- do povo afegão, permitindo a produção de papoilas… E foi assim tb que o exército afegão enorme e muito bem equipado não disparou um único tiro contra os talibans, e i próprio presidente fugiu de helicóptero deixando na pista 5 milhões de dólares em sacos, que já não cabiam sequer a bordo… Portanto o Lítio será de quem o apanhar. Business as usual.

    • CRP says:

      “o Lítio será de quem o apanhar.”

      Dou-te a resposta e não é da minha autoria. Lê alguns jornais internacionais.
      Algo como isto, li ontem:
      “China fica com Lítio, Europa com os Afegãos”

      • Rambo says:

        Brilhante! É exactamente isso que vai acontecer.

      • Rambo says:

        Percebe-se agora o porquê de uma tomada de poder tão rápida por parte dos Taliban…

        • Vasco says:

          O eixo sino-russo está a aproveitar-se bem do declínio dos EUA da Europa. Até realizam ostensivamente manobras militares conjuntas. Pois é: o Lítio já deve estar distribuído em acordos secretos.

          • Rui says:

            É mais ou menos isso.

            Mas aqui na Europa e particularmente em Portugal, muitos ingénuos não percebem isso. A única superpotência que existe está em declínio e a China que vai ser a nova e única super-potência mundial, está coligada com a Rússia por interesse. Apesar de que a Rússia não confia por aí além nos chineses.

            Quase toda a gente percebeu que no mundo manda quem tem mais força (maiores e melhores forças armadas), nós europeus (muitos de nós), pensam que o mundo rege-se só porque falamos bem…… coitados! Vejam lá como a Rússia e a Turquia trataram a UE. Eles têem cá um medo dos europeus…….. não estivessem os americanos em dezenas de bases militares na Alemanha e a esta hora já tínhamos todos o retrato de Putin lá em Casa!!!!!

          • Robin says:

            Porque acham que as eleições na america foram o maior roubo da historia com intervenção estrangeira juntamente com traidores internos.
            O Trump , não fazia parta das mafias do poder ,e fazia frente a muita gente.

          • Rui says:

            Mas tb o Trump era um anormal que na realidade considerava a Europa o maior inimigo dos EUA!!!!!!!

          • RPG says:

            Facto Nº1 – A china teve o maior crescimento económico-social sem precedentes na história da humanidade, e apenas em 50 anos.
            Facto Nº2 – Durante este processo, não se envolveu em qualquer tipo de guerra, com nenhuma nação.
            Facto Nº3 – Durante os últimos 240 anos.. os EUA tiveram 18 anos sem estarem envolvidos em alguma guerra.

            Lá porque o ocidente evolui a sua economia através de guerras, colonialismo, etc, etc.. não significa que o mesmo tenha de ser regra para todos. A china é a prova viva de que é possível ser forte sem recorrer à força e ao armamento que você indica 😉 O investimento que têm feito a nível militar, é unicamente para defesa… eles sabem bem com quem estão a lidar.. afinal de contas foram vítimas durante anos desse mesmo colonialismo e das atrocidades cometidas em terras chinesas, e ainda das tentativas de desestabilizarão constantes em diversos pontos geográficos recentes.

          • Don Lae says:

            RPG

            “Facto 1”: sim, à custa de trair os ideias comunistas económicos, investimento estrangeiro, particularmente dos EUA, e espionagem industrial. No entanto, o seu crescimento tem desacelerado fortemente, precisamente devido ao facto de ter poucos amigos.

            “Facto 2”: envolveu-se sim, na Guerra da Coreia, confrontos com a URSS, guerra no Vietname. Além disso, têm sido extremamente pobres durante todo esse período. Sem falar das inúmeras repressões e disputas dentro do seu território e com os seus vizinhos. Aproveitaram-se do mundo globalista aberto e cada vez mais pacífico do Ocidente, ao mesmo tempo que recusam fazer o mesmo em casa. Ou seja, cuspem no prato em que comem. Ah, e exploram sem piedade os recursos naturais da Rússia com condições de roubo.

            “Facto 3”: Enquanto isso, a China matou mais de 100 milhões de pessoas em guerras internas e gigantescos crimes de guerra dentro do seu território até os anos 1970.

            Em suma, é óptimo que os chineses (e qualquer outro povo) se tornem mais prósperos, mas o mundo não precisa de um partido e país totalitário à frente do mundo. Apesar de tudo, os EUA não deixam de ser o mal menor, claramente. A diferença nas taxas de crescimento entre os EUA e a China têm-se reduzido desde os anos 2000.

            Menos fanatismo por regimes fanaticamente anti-democráticos, e que já mostraram muita coisa má, mas só se tornarão pior à medida que ganham poder.

          • RPG says:

            1. Correto, o que tem valido ao CCP é que tem uma elevada capacidade de auto-análise, de corrigir os erros, e evoluir nesse sentido. Hoje em dia, de comunismo apenas tem o nome. De resto, sim, graças a reformas internas, investimento externo e interno e muito trabalho duro. Não invalida o que disse, e é claro que existe sempre um motivo para as coisas acontecerem, felizmente neste caso não foi à lei da bala ou da bomba.

            2. Esses confrontos que menciona, envolveu-se, não os iniciou, e qualquer das formas são anteriores ao período em que começou a grande escalada económica, com o acordo de Nixon e reformas de Deng Xiaoping. Antes disso, foram anos de puro retrocesso com Mao como se sabe.

            3. Sim, houve vários confrontos internos naturalmente ao longo da história. Nunca foram no entanto um povo colonizador mesmo quando possuía a maior frota de navios do mundo durante a dinastia Ming. Não entendo onde isso é relevante nesta discussão, ou melhor, o que há de diferente nesse ponto em comparação com os EUA por exemplo, que simplesmente dizimaram mais de 100 milhões de indígenas da face da terra lol. https://www.aa.com.tr/uploads/userFiles/d3e453f6-588f-43e5-9099-582b22558014/US-HISTORY-RIDDLED-WITH-MASSACRED-GENOCIDE.jpg

            Muito longe de fanatismo mesmo lol, seja do que for. Espero que o regime caia dentro de alguns anos, e que uma democracia emerja na China. No entanto, é sempre bom trazer contexto à conversa, e ver que o mundo não é a preto e branco. E muito menos, que uma democracia só por si, é algo positivo, porque pode não o ser. Do mesmo modo, a democracia está longe de ser o melhor sistema para alguns povos, devido às circunstâncias sócio-económicas que vivem, porque a população no geral ainda não tem um nível de educação ideal, etc, etc. O que não faltam são exemplos disso. A Índia é um exemplo falhado de uma democracia num país tão populoso como a China.

          • Don Lae says:

            RPG, ainda bem que o teu ponto de vista é tão sensato. O problema é que na Internet isso é frequentemente, e pelo menos à 1ª vista, impossível de distinguir de bots e maus atores de países autoritários e totalitários, que querem retroceder o nível civilizacional do mundo usando todos os truques na manga para criticar países mais livres e justificar as ações dos seus governos. As democracias ainda estão em vários aspetos deficientes no seu combate a isso, e permitem que os seus sistemas legais, bancários e informáticos sejam usados por esses governos como cavalos de Tróia.

            Essa figura dos 100 milhões mortos pelos EUA está altamente exagerada, devido à extremamente baixa densidade populacional das Américas. Além disso, foi o próprio Ocidente e os EUA a elaborarem as regras e condutas civilizadas, que hoje têm mais enraizadas que nunca, e é graças à Revolução Industrial no Ocidente que se espalhou ao resto do mundo (descolonizado) que os humanos estão cada vez mais prósperos. Não se pode olhar apenas para os lados negativos ou positivos de algo.

            E a democracia, sem ser perfeita, requer na maior parte das vezes uma população mais culta e rica, e é politicamente mais estável e sustentável que outras formas de governo, ao permitir um mínimo de voz e influência a todos os grupos.

            Falaste na Índia, e muito bem, um país que apesar de se livrar do colonialismo inglês (e antes esteve sob o jugo mughal), resistiu à tentação de se tornar uma ditadura, e a partir dos anos 1980-1990 começou a desenvolver-se a sério. Ultimamente tem tido alguns retrocessos democráticos e em termos de reformas, mas esperemos que sejam temporários, ou que pelo menos não sejam muito grandes.

            Portanto, é possível sim em casos como a China, Coreia do Sul, Taiwan, mas também Espanha, Grécia e até o nosso Portugal desenvolvermo-nos muito em tempos de ditadura, mas no máximo devem ser passos transitórios. Aliás, quanto mais ricas se tornam as populações, mais direitos e liberdades elas querem ter, e tornam-se assim semelhantes às pessoas ricas do passado. As democracias plenas e quase plenas têm relações mais amigáveis e estáveis entre si, e respeitam mais as populações dentro e fora dos seus territórios. Acho que todos queremos isso.

            Obrigado pela conversa.

      • Vasco says:

        Sim mas serão poucos. A maioria daquelas pessoas ficarão pelo Irão e países em redor. Penso que para cá -Europa-, virão mais aqueles que colaboraram com os aliados e EUA, ONGs etc.

      • PorcoDoPunjab says:

        Com os líderes europeus que temos, não tenha qualquer dúvida sobre isso.

  7. Miguel says:

    Tudo pela loucura dos electricos e as baterias…. $$$

    • Filipe says:

      Sim, baterias que vão ser produzidas na china, em fábricas que trabalham a carvão.

      • Miguel says:

        Carvão não exageremos, de certeza poderá existir alguma produção assim, mas cada vez mais existe a transição na China…
        No entanto, numa coisa tens razão… a Europa e os EUA que à tanto tempo andavam a sondar o Afeganistão agora sabemos porquê, não eram razões humanitárias de certeza, aliás até porque as armas dos Talibãs são com certeza americanas ou Russas…

        • Rambo says:

          Não tem noção do que está a dizer. Sim o carvão ainda é a principal fonte de energia mundial, a par com o petróleo.
          Veja a matriz energética mundial. As energias renováveis representam 10%.

  8. ToFerreira says:

    Cá em Portugal também está nas mãos de terroristas.

  9. Carolina Costa says:

    eu avisei que ainda iam sentir falta do trump.. o “maluco” quem apoiava o biden agora pode ver o que aí bem…

  10. Manolo says:

    Em Portugal também temos os TaliPAN que terrorizam o povo em prol da “natureza”.

    • zakarias says:

      Esses só se preocupam com as touradas. Quando grandes empreendimentos são construidos em cima de reservas naturais, ou quando uma etnia rouba cavalos no alentejo e ficam magros só com pele e osso, os TaliPAN não querem saber.

  11. jk says:

    talibans vs civilizaçao
    kem vai ganhar?

  12. dude says:

    Litio… Energia limpa… O que é que me escapou nesta frase?

  13. PorcodoJIhah says:

    Agora é que vao ver, ou pagam ou ficam com carros a carvao!

  14. Pio says:

    Agora entendi tudo: o entreguista do Biden deu de bandeja para a China _maior explorador de “terras-raras” do planeta_ essas reservas de lítio, à fim de desafiar os Estados Unidos, mantendo viva a intriga geopolítica. Não tinha entendido essa retirada sem sentido, mas, agora, faz sentido.

  15. Nildo says:

    A única coisa que tenho certeza é que em pouco começará explodir coisas pelo mundo afora em pouco tempo, podem printar.
    Centenas, se não milhares dos refugiados que estão saindo desesperadamente do Afeganistão são terroristas “infiltrados”.
    O tilibã é dos piores grupos terroristas da actualidade, são fanáticos “religiosos” ao extremo, qualquer um “não crente” para eles se não se “converterem” é pena de morte, nem paneleiros se safam.

  16. Miguel says:

    Boas notícias para Portugal. Maior produtor europeu de lítio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.