Quantcast
PplWare Mobile

Hidrogénio verde será produzido no Cazaquistão através de um projeto colossal

                                    
                                

Autor: Ana Sofia


  1. lapizazul says:

    Há muito que venho a dizer que a Alemanha vai investir a fundo no H2, visto ser o futuro. Carros a pilhas são apenas transitários.

    • Test User says:

      Ignorância tão grande. Podes não gostar carros eléctricos que chamas de “carros a pilhas”.
      Os carros hidrogénio que adoras são basicamente carros eléctricos com um tanque de hidrogénio.

      • Zé Fonseca A. says:

        Mas não precisas de carregar as pilhas para andar.

        • RC says:

          Esse é o problema deles, que sai 10 vezes mais carro carregar a bateria dele através do hidrogénio.

          Por isso existirem à 50 ou 60 anos e nunca fizeram sucesso.

          • Zé Fonseca A. says:

            Assim que tiveres produção série de hidrogenio sairá mais barato que gasolina ou gasoleo, e praticamente ao mesmo preço que electricidade quando num sistema de carregamento publico.

            Também os EVs e até veiculos solares existem há 50 anos, a questão é, eram eficientes? a tecnologia era evoluida o suficiente? o lobby do petroleo deu espaço? houve investimento? Tudo respostas negativas. No caso actual, para EVs a tecnologia ainda não é evoluída o suficiente e trocar exploração de petroleo por exploração de litio, niquel e cobalto é só mudar os ovos do cesto, porque continuam podres na mesma.

        • Test User says:

          1- Errado, carros hidrogénio têm também uma bateria.

          2- Conceito de pilha só existe nos carros hidrogénio . Não é como referido ,
          pilha de combustível é um dispositivo electroquímico no qual reagem dois elementos químicos, o hidrogénio e o oxigénio para produzir electricidade.

          3- Carregas a bateria no caso carros eléctricos.
          Abastece o carros hidrogénio.
          Só difere a forma de fornecer energia ao motor eléctrico.

          • Zé Fonseca A. says:

            Estás a discutir o sexo dos anjos, carros a pilhas é um termo depreciativo para um electrico que tens de ligar à corrente..
            Caso eu tivesse um pilhas iria sentir que ando a conduzir um telemovel, chega ao final do dia e enquanto durmo tenho de o ligar à ficha 😀

          • RC says:

            Se tivesse um elétrico estava contente e não dizia disparates.

        • Nuno says:

          pois não precisas de transformar a eletrecidade que carrega as pilhas em hidrogeneo transportalo para bombas para abasteceres o carro para logo depois o carro transformar o hidrogeneo em eletrecidade outra vez nestes processos já tiveste montes de perdas para mim é a coisa mais estupida e ineficiente é bom para camioes avioes e navios para carros é uma estupidez

          • RC says:

            Para camiões e aviões é ainda mais estupido, pois o armazenamento é complicado e não se consegue autonomias como os electricos, apesar de estas serem baixas, além disso ninguém vai querer pagar a diferença de custo, que é mais do triplo do que andar a diesel.

          • Zé Fonseca A. says:

            Tudo o que referentes é desconhecimento.

            1- transformação electricidade em hidrogenio – será 100% e 24/7 pois será armazenavel infinitamente, tal como combustiveis fosseis.
            2- transporte – transporte realizado em pesados movidos a hidrogenio com o potencial da utilização dos existentes gaseodutos para fazer chegar às bombas ou até às casas das pessoas que pode servir não só para utilização em carros como em energia residencial.
            3- todas as perdas que tens não são importantes pois tens armazenamento, já para armazenar energia para carregamento de EVs precisas de poluir o dobro em exploração de metais e produção de baterias, abate de fauna e flora e tudo para passados uns anos teres de repetir o processo… isso sim é ineficiente.

          • RC says:

            Então o hidrogénio é produzido através de quê ?

            LOOOL

          • RC says:

            Não, transformar eletricidade em hidrogénio perde-se logo 25 %, depois converter em eletricidade perde-se 50 %, ou seja, dos 100% que tinha, fica com +- 25%.

            Portanto na melhor das hipoteses andar a hidrogénio usando electricidade de fontes renováveis, necessita de 4 a 5 vezes mais de potência instalada a um custo 4 a 5 vezes maior.

          • RC says:

            Não são importantes, portanto 100, no fim fica com 20 a 25 e não importa, quem paga o custo da energia é o totta, sabendo que a renovável é muito mais cara.

          • Zé Fonseca A. says:

            É mais cara se a comprares, não é mais cara se a produzires, é esse o conceito por trás do hidrogenio verde.
            Isso e tudo o que produzes armazenas a laboração 24/7, sem limite ao que podes armazenar.

          • RC says:

            Então e quem paga ? os marcianos ?

          • RC says:

            Então vão pagar o investimento para toda a vida ?

            LOL

      • RC says:

        Nem mais,também eles com uma bateria, mais pequena, mas tem.

    • Abreu says:

      Hidrogênio e preciso para
      a eletrificaçao dos veículos pesados

    • RC says:

      Enfim, carros a hidrogénio são eléctricos na mesma,

    • RC says:

      No entanto as ultimas previsões não apontam o hidrogénio como futuro, isto por uma razão simples, é demasiado caro e ineficiente. Ninguém está interessado em gastar 20 a 30 euros para fazer 100 kms.

      • André R. says:

        Também ninguém está interessado em comprar novas baterias a 25k€ para um carro elétrico. As coisas quando são massificadas tornam-se mais baratas…
        É uma questão de tempo até a produção de hidrogénio ser rentável. Dá tempo ao desenvolvimento…

        • Toni da Adega says:

          Basta o custo da produção eléctrica baixar e tornar-se mais rentável

          • RC says:

            Então nessa altura mais rentável serão os electricos, e até com maior autonomia, tal como já têm.

            A única vantagem que possuem é carregar em 5 a 15 anos, que rapidamente estão a perdê-la.

        • RC says:

          Primeiro nem as baterias de um tesla dos com mais autonomia custa isso, segundo, não se perguntou quanto custa a fuel cell do hidrogénio, que costuma durar menos que uma bateria que ele também tem.

          • Zé Fonseca A. says:

            Não espalhes desinformação, dura 30 anos a vida do veiculo e se por algum motivo fosse preciso trocar custaria 1/10.

          • RC says:

            Então mostre lá essa informação, arranje lá uma fuel cell que dure mais de 10 000 horas ?

        • RC says:

          E quando vai ser rentável ? nunca o foi desde que existem carros a hidrogénio há mais de 50 anos.

          Esqueçam o hidrogénio em carros particulares, no máximo vão ver alguns barcos a usar para diminuir as emissões.

      • Zé Fonseca A. says:

        Estás mal informado sobre os custos de abastecimento, isto sem grande produção, com produção em pleno estima-se que os valores sejam mais baixos que gasolina.

    • David says:

      Portanto estamos a usar 45 gigawatts de energia eólica e solar para fazer hidrogeneo que depois ainda precisas de os transportar ahah é muito mais eficiente usar logo os 24 gigawatts nos carros eletricos, o hidrogeneo é demasiado ineficiente os eletricos têm uma eficiencia de 95%

      • RC says:

        Alguém do que percebe do assunto.

        Este é o maior problema, o futuro é elétrico em qualquer vertente, seja com baterias, e talvez alguns a hidrogénio, mas eléctricos, exatamente por isto, eficiência..

      • Zé Fonseca A. says:

        Não percebes muito disto..
        Precisas de mais energia, mas estás sempre a armazenar, enquanto que com EVs, estás sempre a produzir e ou não armazenas ou precisas de poluir o dobro em exploração de metais e produção de baterias, abate de fauna e flora e tudo para passados uns anos teres de repetir o processo.. qual é que é ineficiente então ?
        Transporte podes fazer via gaseodutos já existentes.

        • RC says:

          Você é que não está informado, então as fuel cells são feitas de quê ? de caca de pombo ?

          Levam litio, cobalto, platina, gratife, entre muitos outros, e duram menos que as baterias.

          É pior, como todos os ciêntistas confirmam, por isso os que pouco percebem do campo dizem que é o futuro e os que conhecem e já trabalharam com essa tecnologia como eu, se quiser até lhe posso mostrar um banco de ensaio, dizem que não tem futuro nenhum, o que se pode confirmar já que é uma tecnologia com mais de 50 décadas de desenvolvimento e no final continua a ser o futuro.

          • RC says:

            Décadas não, 50 anos.

          • Zé Fonseca A. says:

            As baterias para as fuel cell tem 1/4 da capacidade de podem chegar a ter menos ainda, além disso duram a vida total do veiculo sem precisar de serem substituidas… só desconhecimento..

          • RC says:

            Então mas nesse lá dura a vida do carro? LOOOOOOOOOOOL

            Num hibrido também dura uma vida ?

            Então porque nos estados unidos os mirai andam a ser chamados para trocar a fuel cell e a bateria ?

        • RC says:

          É o costume, só as baterias é que precisam de ser fabricadas, combustiveis, motores a combustão, oléos e hidrogénio cai tudo do céu.

          LOOOOL

          • Zé Fonseca A. says:

            É trocar um mal por outro, no caso dos EVs por outro ainda pior pelo menos enquanto a tecnologia não estiver no ponto que seria preciso para andarem a correr a minerar todo o litio do mundo.
            Ainda precisamos de 50 anos para os EVs serem uma alternativa viavel, hidrogenio está pronto agora, é só dar seguimento a estes projectos.

          • RC says:

            Então mas não percebi, então mas as fuel cell são criadas pelo São Pedro, é isso ?

          • RC says:

            Eu só vejo dizer que é melhor quem desconhece a tecnologia ou tem algo a ganhar com o hidrogénio, ou seja, com os fundos, de resto não vê mais ninguém a falar bem do assunto.

            Não encontra artigos cientificos a dizer que as fuel cell são melhores que as baterias, até porque usam os mesmos recursos e são 4 vezes menos eficientes, ou seja, precisa de instalar 4 a 5 vezes mais paineis e eolicas para fazer os mesmos kms.

            Então e as baterias não armazenam na mesma ? no caso do hidrogénio só armazena até o reservatorio estar cheio, reservatório esse que custam mais que baterias, e também não são construídos pelo São Pedro, como anda a insinuar.

          • RC says:

            Já agora veja o artigo e veja o que apontam os ultimos estudos para a penetração do hidrogénio vs eléctrico puro.

            https: //observador.pt/2021/06/29/europa-venda-de-electricos-bate-combustao-em-2028-preve-relatorio/?fbclid=IwAR3c3wuiXfEIpVgpMkyPi-H7dScJ7xI1d9eZ20J0Gl2VU_U5j2gBssW0pdo

          • Zé Fonseca A. says:

            Pelo contrário, precisas de menos energia porque podes produzir 24/7 e armazenar, imaginando que para alimentares todos os carros EVs precisarias de 1M de paineis, para produzir o equivalente de hidrogenio para os mesmos kms poderias até só precisar de 1000 paineis pois a produção é contínua e tudo o que produzes está a ser armazenado.

          • RC says:

            Mas precisa de menos energia como ?

            Se a eletrolise têm uma eficiência média de 70% e reação inversa para gerar eletricidade tem 50%.

            Para produzir um kilo de hidrogénio necessita de 40-41 kwh de eletricidade, esse kilo faz 100 kms no mirai, num carro idêntico elétrico faz cerca de 300 a 350 kms na mesma média.

            Desinformação anda você a promover.

          • RC says:

            A produção é continua com paineis, sim sim, até produzem de noite. LOOOOL

            Errado, a produção de hidrogénio obriga a um consumo constante de energia, porque os electrolizadores só são eficientes a uma certa potência, basta passar uma nuvem para parar de produzir e arranca novamente quando a nuvem passar.

            Não seja ignorante, se fosse bom, já existia à muito, à décadas que a tecnologia existe, simplesmente não é viável, agora como vêm milhões para isso já toda a gente os quer aproveitar.

          • RC says:

            A prova do que disse está neste artigo, com 45 Gw instalados pretendem produzir 3 milhões de toneladas, que eu acho muito otimista, pelas contas à produção que o solar e eolica produzem hoje em dia diria que é possivel produzir entre 2 a 2.5 milhões de toneladas de hidrogénio.

            Ora cada kilo de hidrogénio faz 100 kms.

            Portanto 3 000 000 000 kgs / 100 = 30 milhões de kms a hidrogénio.

            Assumindo a produção que dizem conseguir, conseguem produzir:

            3 000 000 000 * 40 kwh por kilo = 120 000 000 000 kwh

            Um carro eléctrico gasta em média 15 kwh, à mesma média que o kilo de hidrogénio faz 100 kms.

            120 000 000 000 / 15 / 100 = 80 000 000 = 80 milhões de kms e não estou a contar com os gastos de pressurização, transporte e repressurização nos postos, que tira na fatia uns 15 a 20%.

          • RC says:

            As contas não estão certas, em vez de multiplicar, dividi:

            3 000 000 000 * 100 = 300 000 milhões de kms.

            Metendo esta energia em eléctricos:

            3 000 000 000 * 40 = 800 000 milhões de kms.

        • David says:

          Amigo eu não preciso de armazenar nada eu ligo a tomada ao carro e ele esta a carregar

  2. honorato says:

    carro a hidrogénio são a agua basicamente que usa a eletricidade para separar oxigénio do hidrogénio a eletrólise mais nada. houve um tipo que fez isso no brasil pós o carro a produzir hidrogénio e depois de um reportagem desapareceu do mapa

    • RC says:

      Não, carros a hidrogénio usam o hidrogénio e oxigénio do ar onde converte em energia elétrica que alimenta uma bateria e consecutivamente o motor elétrico, a água é o subproduto desta reação.

    • Toni da Adega says:

      Eletricidade é utilizada para a producao de Hidrogénio. E o Hidrogénio depois é utilizado para a producao de eletricidade para o motor elétrico.

      Basicamente é necessário centrais electricas para produzir hidrogénio para se poder produzir electricidade

      • RC says:

        Com a diferença que para um elétrico com baterias, produz-se 100 e aproveita-se 80 a 85% nas rodas, num a hidrogénio na melhor das hipóteses, 20 a 25 % nas rodas.

    • Tadeu says:

      se o carro tinha “electricidade” para quê produzir hidrogénio no carro? Isso só leva a desperdiçar energia.

  3. Silva says:

    O Costa ainda não lhes explicou das potencialidades de Portugal, virão logo a correr!

  4. Marcos Correia says:

    Hidrogénio é o futuro, o inconveniente actual de ser altamente inflamável o que complica o armazenamento do mesmo deixa existir com esta nova tecnologia:

    https: //observador.pt/2021/02/11/este-pudim-de-hidrogenio-resolve-os-problemas-das-fuel-cells/

    Resultado: armazenamento barato e seguro de hidrogénio.

    • RC says:

      Então e vai deixar de ser inflamável no futuro? LOOOL

      • LP says:

        É mais fácil fazer perguntas parvas que ler o artigo…

        • RC says:

          Onde diz que não é inflamável ?

          Talvez deva também ler o artigo:

          ” pasta existe, enquanto tal, à temperatura e pressão ambiente, suportando temperaturas elevadas sem se alterar ou arder, pelo menos até 250ºC.”

          • Marcos Correia says:

            A gasolina entra em combustão aos 280 graus e o diesel a 210 graus, e não é por isso que parámos de usar veículos a diesel e a gasolina durante 100 anos nem os automóveis explodiram todos….

          • RC says:

            Nos carros o hidrogénio não é para ser usado em combustão.

          • Marcos Correia says:

            O raciocinio e argumento que o sr. RC apontou era que era inflamável nos 250º, argumento esse que foi refutado conforme demonstrei.
            É verdade, nos carros o hidrogénio não é usado em combustão mas como matéria-prima, o que é irrelevante para o argumento que procura demonstrar em que o hidrogénio é mais inflamável que o hidrogénio. As condições/perigos para o sistema entrar a estas temperaturas é igual para ambos os sistemas.

          • RC says:

            Eu não disse que era inflamável aos 250ºC, o artigo que você postou é que diz que até aos 250ºC não é.

            È irrelevante como ? Baterias também não são inflamaveis e já houve casos de “thermal runway”.

            Claro que é relevante, até porque já explidiram postos de abastecimento.

          • RC says:

            Os problemas do hidrogénio já são bem conhecidos, pouca densidade de armazenamento, custos altos de armazenamento, custos altos de produção e uma eficiência abaixo da gasolina.

            Por isso mesmo nunca teve futuro, no entanto muitos dizem ser o futuro por causa daquele argumento “é o elemento mais abundante do universo”, é verdade, só que ele não existe no planeta como precisamos dele, ou seja, quem diz isso não pesca nada de fisica e quimica e não assistiu à aula no ciclo onde foi feita a experiência com eléctrólise onde o professor foi muito claro;”esta reação separa a molécula da água em 2 elementos gastando energia e portanto libertando calor”.

          • Marcos Correia says:

            O artigo diz claramente:
            “A pasta em causa é composta por hidreto de magnésio (MgH2), que se consegue misturando magnésio em pó com hidrogénio a 350ºC e uma pressão de 6 bar, a que se junta depois um composto orgânico denominado éster e um sal metálico. É esta mistura que origina um produto viscoso, mas estável. A pasta existe, enquanto tal, à temperatura e pressão ambiente, suportando temperaturas elevadas sem se alterar ou arder, pelo menos até 250ºC.”

            E

            “Os cientistas envolvidos afirmam ainda que se a pasta é barata (deverá rondar 3€ por kg), verá o seu custo ser ainda mais reduzido perante o incremento do volume de produção, tornando a solução mais interessante e permitindo que as FC evoluam da actual quase miragem para algo palpável no médio prazo.”

            Tomei a liberdade de ver o artigo original, segue o link:
            https://www.ifam.fraunhofer.de/en/Press_Releases/Hydrogen-powered_drives_for_e-scooters.html

            A sério a sério? Só o futuro o dirá….neste momento os foguetões espaciais têm como combustível o mesmo hidrogénio que o Elon Musk diz que jamais será viável.

          • RC says:

            Custo de 3 euros por kg, agora falta juntar o resto, lucro, impostos, etc.
            Um litro de gasolina custa 50 cêntimos.

            Portanto a pasta até aos 250 ºC não arde, isso é diferente do que disse me quê ?

            É viável para viagens que não sai mais baratas de outra forma, porque não existem, quando falo em viavél quer dizer que o custo é muito superior ao que existe.

          • RC says:

            Essa pasta nunca vai ficar a esse preço, e se ler bem o artigo fica a saber porquê, hoje um kilo de hidrogénio sem qualquer outro componente, puro a 99% e comprimido, custa entre 10 euros (Alemanha) a 15 doláres EUA, 17 Noruega, entre outros preços, repare que Noruega é o país dos eléctricos, começou por adoptar e instalar alguns postos, mas com o explosão de uma das 2 que havia, recuaram, entretanto fecharam as que havia, no ano passado já passaram a abrir algumas mas com preços mais elevados.

            Sim, só o futuro dirá, no entanto já andamos nesse futuro à mais de 50 anos, sigo e até trabalhei com hidrogénio no inicio dos anos 2000, e desde então e até antes não tem havido desenvolvimentos, isto porque o problema é simplesmente físico e quimico, não existe no planeta terra da forma como necessitamos dele.

            Sobre esse projecto, siga-o e vai ver o resultado daqui a uns tempos, já houve uma scooter eléctrica em Portugal alimentada com uma fuel cell, que funcionava do mesmo modo, como extensor de autonomia, aliás, é assim que todos os veiculos funcionam. Funcionou, tinha o dobro da autonomia que tinha só eléctrica, mas só o depósito de hidrogénio custava o dobro da scooter, e hoje custa exatamente o mesmo, cerca de 6 mil euros, a conversão para uma scooter fica em cerca de 20 mil euros, isto para uma scooter com 150 a 180 kms de autonomia da mesma gama das 50cc.

    • Zé Fonseca A. says:

      Again.. desconhecimento.. em caso de rompimento de um tanque de hidrogenio o mesmo é tão rarefeito que demora menos de 1s a evaporar para a atmosfera. Já foram feitos testes de tentativa de pegar fogo nessas circunstancias e não conseguiram.

  5. FreakOnALeash says:

    Great Success!

  6. Marco Silva says:

    O Futuro, pelo menos a curto médio prazo, vai ser a conjugação de todas estes combustíveis, e aqui acrescentaria outro, o combustível sintético, ou como lhe chamam eFUEL. As vantagens são várias: as emissões de carbono são nulas, aproveitam os motores de combustão e a rede de distribuição não tem que ser alterada.
    Veremos qual a tecnologia que vai prevalecer, se é que uma delas será dominante.

  7. gigbola says:

    Mal por mal, que venha o mais conveniente.
    Para mim, entre ter 1000 km de autonomia em 5 minutos, ou 30 minutos, dou preferência aos 5 minutos.

  8. Vitor Oliveira says:

    Sr. RC
    O sr nos comentários que forneceu aqui, tando deu informação como a desinformação.
    Carros a fazerem 1000km com hidrogenio já existe:
    https: //www.turbo.pt/toyota-mirai-recorde-hidrogenio/
    Apezar do avanço com a tecnologia, os carros elétricos a carregamento ainda estão um pouco longe do que podem ser. Sabia que se todos os que teem carros a combustão, comprassem um elétrico, a rede de distribuição elétrica não teria capacidade para os carregar a todos?
    É claro que e um preço intereçante carregar esses carros em casa, mas é nos postos de abastecimento rápidos num futuro próximo?

    Sem contar que é interessante eu comprar um carro assim, carregar em casa e carregar no trabalho. É os outros?E nos prédios sem garagem?
    É claro, o tempo de carregamento,
    A duração das baterias que ao precisar de trocar muitos já começaram a colocar a venda.
    No carro a hidrogénio basicamente é atestar e andar seja qual for o tipo de veículo

    O carro elétrico por carregamento e bom, eu gosto da ideia, mas é como ter um Lamborghini, um espanto quando são raros mas o prático é comunidade não está lá .

    • RC says:

      Fazem mas a 35 a 40 kmh, não é a velocidade que normalmente usamos, um tesla model 3 e um hyundai Kauai

      https:/ /www.razaoautomovel.com/2020/08/hyundai-kauai-electric-recorde-autonomia-eletrica

      Sabia que que se todos comprassem eléctrico o consumo da rede aumentava 15%, isto em Portugal.

      Com isto só me está a dar razão, se não chega para eléctricos também não vai chegar para hidrogénio, já que consumem muito mais, esse argumento é sim desinformação.

      Pela mesma razão, se hidrogénio é feito de eletricidade, então como ficamos ? ainda para mais que os a hidrogénio necessitam de 4 vezes mais energia electrica.

      Veja o estudo do acp que diz que 69% dos alujamentos têm garagem e local de estacionamento próprio.
      Página 14:

      https: //observatorio.acp.pt/estudos/condutor_portugues/14/index.html

      A duração das baterias é superior ás fuel cell, não encontra nenhuma fuel cell a durar mais de 10 000 mil horas, o que fazendo a conta dá para um carro fazer 150 a 200 mil kms, e já agora os carros a hidrogénio também têm bateria de tracção, mais pequena e pelo tamanho que tem mais cara, a bateria do mirai é igual à do toyota prius, que custa 2400 euros. Portanto mais uma vez a desinformação é da sua parte.

      Nesse caso deve escolher um electrico sim, porque os a hidrogénio são todos carros muito menos potentes, encontre lá um carro a hidrogénio com mais de 200cv ? E se quiser posso mostra-lhe um review de um hyundai nexo nas montanhas da Noruega onde por várias vezes o carro entrou em modo de baixa potência, isto porque a fuel conseguia produzir energia suficiente para a tração do veiculo durante as subidas, por isso mesmo é usada uma bateria pelo meio.

      Portanto pelo que posso ver, a desinformação é da sua parte.

      Já agora e para que fique a saber, atualmente e financiado o hidrogénio custa entre 10 a 17 euros o kilo na europa, o que faz com que um carro a hidrogénio custe isso por cada 100 kms, custando mais que um eléctrico da mesma gama e tendo menos de metade da potência.

    • RC says:

      Um tesla model s , um model 3 e um hyundai kauay também já passaram os 1000 kms, mas a essa velocidade, é bom ler sempre tudo para não passar informações erradas.

      Os hidrogénio que existem hoje são grandes por fora, pequenos por dentro, ou seja, sem espaço e mais pesados que elétricos devido aos sistemas que têm de ter.

    • RC says:

      Não existem nada perfeito, a única vantagem que os hidrogénio têm é essa, não pode carregar em casa e pode fazer num posto, mas até essa vantagem está a perder, porque na prática um a hidrogénio leva entre 5 a 15 minutos a abastecer (dizem 5 minutos mas não é bem assim), 5 minutos para o primeiro a chegar à bomba, e a cada intervalo de 10 a 15 minutos, isto porque os tanques intermédios têm de repressurizar, existem videos no youtube a mostrar o processo.

      Nesse tempo um elétrico já carrega 200 kms, ou seja, ainda continuam mais lentos, mas fazem-o a um custo muito inferior.

      Eu não os meto de lado, até porque cada um tem uma utilização especifica, agora nunca vão conseguir competir com os BEV (battery electric vehicle) tanto em custo de aquisição, como custo de utilização e até simplicidade.

  9. Nuno Manuel Alves says:

    Concordo com o RC relativamente ao hidrogênio… E uma anedota.
    Estou a espera do hidrogênio milagroso dos tugas parece me que sei quem vai pagar outra vez tudo quando chegarem a conclusão que não tem eficiência …mas pronto Os Tugossauros gostam de hidrogênio alguns até pensam que o vão colocar em motores de combustão

    Nunca na vida vou trocar 15 cent de kW para carregar um EV por sei lá quantos euros para atestar de hidrogênio… Já nem falo nos metais raros que e preciso para as células …. Enfim

    • RC says:

      Nem mais, ainda à poucos dias a toyota provou que hidrogénio na combustão é mesmo só para rir, num desafio de 24 horas a andar, provou-se o que já se espera desta tecnologia, problemática, lenta, com pouca autonomia, com custos exorbitantes, bom para quem gosta da combustão.

      Em 24 horas, fez 1634 kms, onde reabasteceu 35 vezes, esses 35 reabastecimentos duraram 4h:5m, ou seja, cada reabastecimento durou 7 minutos em média, bom tempo considerando que têm uma bomba só para eles, caso fosse partilhada o tempo aumentava e muito.

      Portanto 46.68 kms por abastecimento, onde tem de encher os depósitos que até lhe tiraram a visão pela janela traseira, no local tem um depósito de hidrogénio.

      Assumindo que este tem uma capacidade idêntica ao mirai, são cerca de 6 kilos por abastecimento, o que dá a um custo médio de 14 euros por kilo, são 182 euros de hidrogénio a cada 100 kms rodados, mas atenção que o carro fez uma média de velocidade de 137 kmh, fez cerca de metade dos kms que fez o vencedor.

      Aparte dos problemas que tiveram, por a tecnologia não está madura, o que saliento é o tempo de abastecimento, ainda assim numa pista, a autonomia, e o custo.

      https://toyotatimes.jp/en/insidetoyota/150.html

  10. Nuno Manuel Alves says:

    E para não falar do hidrogénio milagroso dos Tugossauros, estou para ver o balde de M.E.RD.A que vai sair dai…
    enfim… as células de hidrogénio já existem desde os anos 60, com poucas evoluções ate aos dias de hoje(2021)
    falam do lítio mas esquecem se que as células levam platina se não estou em erro… não m parece uma alternativa viável, pelo menos para já.
    Só o facto de ser preciso gás e eletricidade para produzir hidrogénio, já torna todo o processo completamente ineficiente (cerca de 60% de eficácia) se não estou em erro.
    Depois o transporte e distribuição … OMG !!! num pais nórdico qualquer acho que houve um posto qualquer que explodiu e foi complicado… amigos não… venham as baterias e carregamentos na garagem (para quem puder).

    • RC says:

      Tem razão sim, mas as fuel cells são mais antigas, até mais antigas que os carros, inventadas em 1838 por Sir William Grove, nos anos 60 apareceu o primeiro protótipo a fuel cell.

      Sim, são muito ineficientes, por isso não se usarem, usando eletricidade para produzir hidrogénio, tem uma eficiência media de 70%, as fuel cells têm uma eficiência de 50 a 60%, ou seja, contando com todos os outros processos, de armazenamento, pressurização dos depósitos, numa aplicação como um carro, não passa os 20 % de eficiência desde a fonte de e energia até à roda.

      Esse pais foi a Noruega, pais dos eléctricos, onde os hidrogénio falharam redondamente, primeiro porque são caros, segundo porque existem poucos postos e são muito caros, e depois houve problemas com essa explosão.

      Um kilo de hidrogénio na Noruega, saliento que é o pais que mais incentiva os elétricos, custa 17 euros, o necessário para fazer 100 kms num veiculo como o Toyota Mirai.

      Já agora, um posto de abastecimento na Noruega custa 4 milhões de euros (convertendo a coroa deles para o euro) que permite carregar apenas 40 veículos por dia, com esse dinheiro consegue-se instalar postos de carga para 1440 veículos elétricos carregarem por dia.

  11. Nuno Manuel Alves says:

    Concordo!!!

    Pah, não tem lugar para já, trocar um combustível por outro a preços exorbitantes nahhhh isso é para esquecer.
    Um carro elétrico e simples e funcional (200 / 250 peças ao contrario dos combustão 1500 pecas).
    Para não falar na eficiência do elétrico a bateria…. minimo 90%
    Nos 150 anos de combustao onde a evolução é ZERO, os eletricos conseguem ser muito mais rentaveis e competitivos, imaginem entre 10 a 15 KW para fazerem 100 Km pahhh as contas são simples de fazer.
    Abrem um capot de um Packard de 1905 e um carro de 2021 é igual ( bloco de metal com furos e mais metal dentro a andar para cima e para baixo mergulhado numa piscina de oleo)
    É impensável andar montado em algo com 150 anos a cagar fumo (e barulhos gloriosos) e pagar uma fortuna por combustível que custa meia dúzia de cêntimos a produzir ….. Enfim

  12. Nuno Manuel Alves says:

    RC

    Eu penso sempre com o bolso se o produto interessar muito bem caso contrario nem pensar .
    Em vez de pagar 1.50eur. por gasóleo / gasolina que custa meia dúzia de cêntimos a fazer e optar por um carro elétrico para mim e a melhor solução.
    Agora temos o outro lado da equação .: eu nao pago 35 mil euros por um zoe elétrico carro do segmento B, mas nem pensar nisso, um carro elétrico e composto por um motor e um controlador ligado a uma bateria.
    NEm que a vaca comece a dançar e a cantar isso não vai acontecer principalmente os preços das baterias que me da uma vontade de rir que nem e bom…. o Musk veio dizer que o preço por Kw na bateria para a Tesla anda nos 110 USd para nos europeus são menos de 100 paus…pah eu não alinho em filmes…

    Mais uma vez .: se o produto vale o meu dinheiro, então sim eu compro agora quando não vale ….fica na carteira ate melhores dias

    • RC says:

      Pois, por isso é que tem baixado com o tempo, vários economistas já vieram dizer que dentro de alguns anos o preço será igual. É uma questão de tempo, por agora estou servido com os meus 2 veículos que me custaram menos de 10 mil, em segunda mão claro.

  13. Nuno Manuel Alves says:

    RC

    se o KW esta a 100 euros e uma bateria por exemplo de um leaf de primeira geração que tem 22 ou 23 Kw tem uma bateria a custar menos de 2500 euros os gajos pedem te 7500 euros mais iva a mim da me vontade de rir ::):):):)):):):):):):):):):):)… nem sei o que dizer
    Enfim, isto tudo dá-me vontade de rir… faz me lembrar os retardados que compram telefones por 1000 euros muahhahahahahahaha como se tal coisa existisse ai a serio …. épico mesmo

    • RC says:

      Custa para eles, agora tem de juntar todo o resto, bms, cabos, estrutura, montagem e tudo mais.

      Não são caras, acredite, eu comprei uma de um tesla para a minha carrinha e não achei caro, e dei um pouco mais de 7 mil euros por 45kwh. Não encontra estes preços em mais nenhuma bateria do mercado. É por isso que surgiu aquela confusão das baterias dos leafs a pedirem 20 a 30 mil por uma bateria, porque havia muita empresa a querer comprar aquela bateria para outras aplicações, então a nissan aumentou abruptamente o preço dela e criou um desconto para os carros vendidos por eles que fossem lá trocar a bateria pelo valor de 7000 euros + montagem + iva.

    • RC says:

      Nuno,atenção que já não se vende o pack de 24kwh (22 kwh uteis), os 7000 euros é para um pack de 30 ou 40 kwh.

  14. Nuno Manuel Alves says:

    Vá lá 7000 para 45kw já não me parece tão mal … Relativamente a Nissan eu pensava que os primeiros eram os tais 7000 mais iva com apenas ou 22 kW …muito honestamente… Mas mesmo assim parece m dinheiro a mais …ano passado voltei a comprar um diesel porke m fizeram um desconto de quase 10.000 euros na compra do carro… Comprei em Fevereiro de 2020, no mês de Março entrou o novo orçamento de estado onde previa mais 500 euros para os particulares e 250 para as empresas na compra de algum carro movido a diesel.
    Agora andei a ver todas as marcas com plug in e até mesmo os híbridos sem plug e cheguei ao fim comprei outra merda a diesel porke ??
    A diferença no segmento eram 10 euros no mínimo e alguns até iam para 15 mil de diferença … A minha esposa sendo ela economista perguntou me .: Olha lá uma bateria de 10 kW e um motor elétrico quanto achas que custa ? Minha reposta não custa 10 mil ou 15 mil euros ….fiz as contas ao KW a minha “Fresca” nahhh vamos voltar a comprar a diesel…ainda por cima nem compensava comprar a gasolina turbo 150 euros de diferença … Nem havia muito que escolher muito honestamente …

    • RC says:

      É verdade que são mais caros, mas é uma questão de fazer bem as contas, acima de 10 mil euros só as baterias da tesla, e estamos a falar de baterias com 55 a 100 kwh.

      No caso do leaf sempre foram os 7000 mil euros, mesmo quando havia as 24 kwh, (não se esqueça do h a seguir ao kw, é muito importante, kw é potência, kwh é capacidade), quando saiu o de 30kwh, depois o de 40 e agora o de 62 kwh continua a ser sempre o mesmo preço. Ou seja, se tiver um de 24 kwh e precise de trocar, eles trocam para uma de 30 kwh por 7 mil euros, no de 40 e 62 a mesma coisa.

      As baterias estão a durar muito tempo, existem por ai carros com 300 e 400 mil com as baterias de origem, no caso dos leaf tem havido apenas problemas em carros de TVDE’s que fazem muitas cargas rápidas, e como o leaf não tem referigeração acaba por danificar mais a bateria.

      É tudo uma questão de contas, eu chego a fazer 240 kms por dia, imagine quanto gastava se fosse a diesel. Para quem faz poucos é realmente mais complicado reaver a diferença.

    • RC says:

      Existem campanhas iguais para os electricos, a nissan neste momento está a fazer até 10 mil euros de desconto no leaf, a juntar a isso tem o incentivo do estado de 3000 euros.

  15. Nuno Manuel Alves says:

    eu comprei um Citroen C4 Grand Space Tourer, nao ha produto nas marcas para um mini monovolume so tem M.E.RD.A nos Stands .: Suvs Suvinhos crossover e crossoverzinhos … nao gosto nada desses carros são mais pesados, caros, gastam mais, andam menos, não tem nada a favor muito honestamente… e foi complicado comprar outro carro, mas la troquei a minha Cmax … se a Ford Tivesse outra Cmax com mild hibrid e o motor de 155 cv 1.0 turbo teria comprado na boa… mas infelizmente o modelo acabou em 2019 se não estou em erro, muitas pessoas estão a trocar de carro e nao tem produto no mercado para substituir o que tem, a minha irma teve o mesmo problema, mas la comprou a Renault Scennic mild hybrid, que tb acabou com o motor MHV… enfim RC sinto que não há alternativas no mercado em termos de modelos e motorizações sejam elas elétricas ou assistidas… enfim

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.