Quantcast
PplWare Mobile

Construção de novas casas comprometida pela exigência de energia de data centers

                                    
                                

Autor: Maria Inês Coelho


  1. Tiriri says:

    Por isso é que as máquinas vão mandar nisto tudo!
    Até os humanos dão prioridade ás máquinas do que á própria espécie…

    #Sayhellotothematrix

  2. LA says:

    Nada de novo.
    E ainda a percentagem de carros eletricos, é baixa.

  3. SteveRobs says:

    É desligar alguns data centers.
    Tanta informatização e depois vivemos como animais.

  4. Micas says:

    Eu acho que deviam desligar alguns carros elétricos. Temos de ser verdes. Carros elétricos para abate, já.

    Principalmente carros com preço abaixo de 60000€

  5. Octávio says:

    Estamos lentamente (ou não) a caminhar num sentido em que a sociedade vai entender da pior maneira, que tudo vem da terra. Documentário ‘colapse’ está a envelhecer bem.

  6. João says:

    E o bitcoin que consome uma enorme quantidade de energia também? É ainda acham que esse fraude tem futuro.

    • ska says:

      Estava a ver que os criptohaters não vinham para aqui mandar uma laracha..

    • Zé Fonseca A. says:

      devias informar-te, nos sitios onde existe mineração de bitcoin existe excedente de energia principalmente no inverno, isso ajuda a estabilizar a rede e permite potenciar investimento em hidrica, solar e eolica, em alturas de pico de verão as farms de mineração é-lhes pedido que interrompam actividade de mineração para que exista energia suficiente para as pessoas arrefecerem as suas casas.
      vai lá fazer isso com qualquer outro serviço que consuma energia, principalmente datacenters.

  7. Joao Ptt says:

    Lá vai aquela malta ter de adoptar painéis solares (num país onde chove e faz mau tempo a maior parte do tempo, mas quem sabe com as alterações climáticas não começa a fazer Sol muito mais tempo).

    E entretanto “vão ter” de criar mais 6 ou 7 centrais nucleares para dar vazão a tanta necessidade energética. “vão ter” entre aspas, porque naturalmente é uma escolha, poderiam ter optado por centrais a carvão, a gasóleo, ou outra coisa qualquer como mais ventoinhas, mais barragens, entre outras tantas opções como meter painéis solares em todo o lado (num país com um tempo pouco propício para tal solução), até poderiam sei lá: meter geradores que funcionassem com o movimento da água dos rios mas de tal forma que não afectasse tanto como as barragens.
    Como já operam 15 centrais nucleares, abrir mais 6 ou 7 parece lógico para eles.
    Com o aumento das temperaturas, será que o nuclear não vai também tornar-se problemático?
    Sem falar nas catástrofes que também podem acontecer agora e que podem já afectar as centrais existentes.

  8. secalharya says:

    Desliguem as redes sociais e resolvem o problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.