PplWare Mobile

Xiaomi também já chegou ao mercado dos carros com um SUV de 11.900 euros


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Nelson Costa says:

    cheira me que isto vai dar asneira

    • Vítor M. says:

      Achas? 😀 a China fábrica tanta coisa boa, até carros para as grandes marcas mundiais, achas que não sabem fabricar carros? Contudo, partilho do que disseste… isto vai dar algo…. em breve vai ser possível comprar um carro elétrico como hoje se compra um smartphone.

      • Antonio says:

        Não confundas fabrico de marcas europeias ou americanas de carros ou motas na China com controlo de qualidade europeu, com carros ou motas chinesas! Quem anda por esse mundo fora vê muitas marcas chinesas de carros a circular em países do terceiro mundo e a fiabilidade é altamente duvidosa. Há uns anos atrás tentaram introduzir motas chinesas em Portugal. Inclusive ofereceram motas a estafetas para teste e o resultado foi…….. Desapareceram em pouco tempo! A metade do preço não paga a falta de fiabilidade! Telemóveis nós trocamos facilmente mas carros ou motas já não é bem assim. No entanto não estou a dizer que vai ser um erro da Xiaomi, porque no mercado chinês já estão habituados a falta de fiabilidade.

        • David says:

          Por isso é que as 3ª e 4ª marcas mais vendidas em Portugal são precisamente a Keeway e a Sym.

        • Toni da Adega says:

          Nas motas não e bem assim.
          As motas chinesas até se vendem na Europa, principalmente nas 50 e 125CC existe muito Mercado para essas motas.
          Se formos para as motas electricas, ai entao dominam por complete o Mercado (gama 50 e 125CC)
          Cheguei a ter uma 125 chinesa, baixo consumo (2,3L/100), bom rendimento, tive 0 problemas e gastava somemente 25€/ano em manutencao.

        • almeida says:

          Isso era verdade ha 15 anos. Quase todas as marcas europeias atualmente têm algum tipo de relacao com marcas chinesas, quer por participacao direta em bolsa, quer por parcerias. O know how já la está

        • Paulo says:

          A Benelli (motos) é uma marca italiana adquirida pela China. E existem mais como essa… foi uma das maneiras deles entrarem na Europa. Em termos de fiabilidade é como tudo na vida. Há que ter sorte com o que se compra. Mas também o preço não é igual às marcas europeias ou japonesas.

        • Louro says:

          “Telemóveis nós trocamos facilmente mas carros ou motas já não é bem assim”

          Quando vives num país onde um carro ou mota é um objecto de luxo, sim isso funciona dessa forma…

          Outras pessoas vivem em países onde ter um ou mais carros é algo vulgar e onde pessoas que preferem comprar carros usados trocam de carro de 6 em 6 meses… onde um carro usado com 6/7 anos, custa menos que um telemóvel topo de gama.

          • Mateus Pinto says:

            Trocar de 6 em 6 meses ?! Lol em que país é isso? Nem na Alemanha que é o maior mercado europeu de automóveis trocam mais rápido que cada 2-3 anos…

          • antunes says:

            não percebo esta moda recente de trocar sempre tudo.
            por exemplo, qd mudo de telemóvel é muito mais fácil comprar um novo (ou usado) e vender o antigo separadamente do que procurar alguém para trocar.

        • Vitolas says:

          Não é que não tenhas alguma razão no que dizes,mas se vires bem, temos os italianos que fazem carros que passam a maior parte das vezes parados do que a andar tal não é a qualidade,e os franceses com a sua maravilhosa fiabilidade a nível electrónica,os americanos em que os interiores tem a mesma qualidade do plástico de um copo de iogurte,entre outros exemplos.

        • Fernando says:

          E a Benelli?

      • Ricardo says:

        Na notícia podiam ter aprofundado a parte tecnológica do interior do Bestune T77 nomeadamente o holograma embutido no tablier =) cumps.

    • Wishmaster says:

      Não subestimes a Xiaomi 😉 As pessoas meteram na cabeça que tudo o que é chinês é mau e pronto….agora ficam nessa e passa-lhes despercebido o que se está a passar.

  2. Joaquim Alcobia says:

    “(…)não irá desenvolver de raiz o seu automóvel e irá usar o model que muitas vezes usa.”
    Falta ali um o no modelo, penso eu.

    …de nada! 🙂

  3. Sérgio says:

    “A Xiaomi está a preparar o seu primeiro automóvel, que deverá chegar em breve ao mercado.”
    Mas será que chega ao mercado Europeu?
    É que por norma os carros chineses nunca são homologados na Europa.

    • Rui says:

      Eles compraram a Volvo por algum motivo. Realmente os carros chineses são péssimos nos testes de segurança, e desconfio que este não há-de ser diferente!
      Mas se comprarem as marcas mais seguras do mundo, ficam com o know how delas!!!!!
      Os chineses fizeram o mesmo com a indústria dos moldes, pediram às nossas empresas para os apoiar na instalação da indústria dos moldes na China (para quem não sabe, é dos poucos sectores que dominamos), e ficaram também com os nossos técnicos, porque o software não é tudo, é necessário efectuar cálculos complexos de deformação de uma peça acabada, por exemplo para ser colocado no tablier de um carro!!!!!

      • Nuno V says:

        Os carros chineses evoluíram bastante desde os primeiros teste horríveis de à mais de 5 anos atrás.

      • Mateus Pinto says:

        Os carros e motas chineses não são nem de perto tão rigorosamente fabricados, nem de perto desenhados para segurança.

        Com isto não significa que dentro duns anos não mude. A China só produzia terminais rascas e agora são uns dos melhores do mundo, só sobrevive a Apple e Samsung. Nos patins elétricos, relógios, etc também estão a dar cartas, computadores compraram a Thinkpad/IBM e tem modelos de topo.

        Basta os chineses comprarem um par de marcas de topo europeias e só sobreviverão um par de marcas alemãs e japonesas e talvez a Tesla.

        Não falta muito até dominarem o mundo… mandem para lá dinheirinho e tecnologia (E telemetria…) que eles agradecem.

        • Nuno V says:

          Essa nem sequer é de perto a única razão pela qual a China tem evoluído de tal forma. Esta tem investido bastante na educação, investigação científica, e tecnologia.

          • Rui says:

            Não Nuno, a China disparou económicamente quando deixou de ser um país comunista e passou a abraçar o capitalismo e acolheu toda a indústria do ocidente que nós expulsamos porque era poluente.
            Eles não se importaram e enriqueceram com isso e agora estão a comprar o mundo, empresa a empresa, país a país. Literalmente isso!

          • antunes says:

            Rui, nós não expulsámos nada por ser poluente. Começámos a fabricar na china porque lá não há respeito pelo ambiente e pelas pessoas, logo os custos são muito mais baixos. o “capitalismo” deles é um capitalismo de estado que destrói tudo e todos à volta para ganhar mais uns trocos. basicamente, o sonho molhado de qualquer capitalista europeu ou americano.
            Agora a Europa e os EUA estão a tentar implementar o mesmo sistema. já começaram com a censura, com a redução da segurança social e, nos EUA, com a destruição das regras e agências ambientais.

          • Nuno V says:

            @Rui
            A China nunca foi comunista. Sempre que tu falas de política efectuas sempre equivocações. A tua primeira equivocação é quando igualas um partido comunista ao comunismo como modelo económico. Para a tua informação nunca houve uma única nação comunista. Tal como Portugal nunca foi socialista, mesmo quando governados por um partido socialista. A República Popular da China foi, e continua a ser socialista. O modelo económico desta é o capitalismo de estado, tal como era a União Soviética. E esta foi a tua segunda equivocação, entre capitalismo e capitalismo de estado.

            E claro que os investimentos na educação e investigação e desenvolvimento técnico são os principais impulsionadores desta nação. Por alguma razão neste momento são precisamente aqueles que mais artigos revistos pelos pares publicam, ultrapassando os EUA em 2018.

          • Rui says:

            Como Nuno V? A China nunca foi comunista?
            Como é que se chama o partido que está no poder, esclareça-me lá?
            A revolução de 1917 na Rússia não aconteceu? Os países de leste, no antigo bloco de leste não era comunistas?
            Tenho de encontrar os meus professores de História que deram aulas na Universidade e pedir-lhes explicações porque só ensinaram-me asneiras!!!!!!!
            A China é absolutamente comunista (quem manda é o comité central), a Rússia foi até à pouco tempo comunista, até se transformar numa oligarquia………
            Cuba é comunista, a Venezuela é comunista….. e não acaba a lista!

          • Nuno V says:

            @Rui
            Nem mesmo depois de te ter explicado tu percebeste. Diz-me algo, o modelo económico de Portugal é o socialismo? Afinal de contas o governo é o Partido Socialista. Ou no anterior executivo o modelo económico de do nosso país era a social democracia? Afinal de contas o governo era do Partido Social Democrata. Em ambas as perguntas a resposta é não, o modelo económico do nosso país nesses dois períodos é, e foi o neoliberalismo. Não consegues distinguir partido de sistema em uso. Sendo uma sociedade comunista, uma sociedade sem classes sociais, dinheiro ou governo, aponta-me um único exemplo de tal na nossa história.

            A RPC, URSS, Cuba e Venezuela são socialistas. Olha até para o nome da União Soviética, União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Venezuela nem sequer é governada por um partido comunista, mas sim por um partido socialista, o Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV). É verdade que os comunistas vêm o socialismo como um estágio na transição para o comunismo, mas nenhuma nação tomou esse passo.

            Mais uma vez, aprende a distinguir a diferença entre os dois.

          • Hugo Nabais says:

            O comunismo não é passível de implementação. É um ideal a ser alcançado.
            O comunismo nunca chegou a ser concretizado em nenhum lado. O que foi/é aplicado é o socialismo.
            De acordo com a teoria marxista, o socialismo seria o estágio de transição entre o capitalismo e o comunismo. Nesse estágio haveria a necessidade de um Estado forte, controlado pela Classe Trabalhadora, como solução temporária para garantir a defesa contra a burguesia e demais nações capitalistas (portanto, contra-revolucionárias).
            Já o comunismo seria o “estágio final”, com ausência de distinção entre classes, onde não seria mais necessário um Estado para garantir a propriedade coletiva dos meios de produção.
            Apesar disto ser tudo verdade, podemos verificar que vários países estiveram num regime socialista com supostos ideais comunistas, mas nunca conseguindo atingir com sucesso esse tal estágio comunista.
            Levando assim muitos a concluir que o comunismo não tem sucesso. E outros a culpar a má governação ou deturpação dos ideias e continuando a acreditar num possível sucesso.

            Pessoalmente acho o comunismo um ideal utópico, pelo menos para a mentalidade humana actual porque:
            – As pessoas são diferentes. Pensam de maneiras diferentes. e para se atingir o comunismo todos teríamos que remar para o mesmo lado.
            – O ser humano se tiver rédea larga terá sempre tendência para se sentar à sombra da bananeira e deixar o que pode fazer hoje para amanha
            – O ser humano lida mal com o poder e facilmente corrompe e se deixa corromper.

          • Nuno V says:

            @Hugo Nabais
            Obrigado por conseguires explicar estas nuances ao Rui melhor que eu.

      • Marco Fontes says:

        Se repararem também já não existe a Saab. Também foi comprada por um grupo chinês. A NEVS se não me engano.

        • Nuno V says:

          A Saab foi realmente comprada pela NEVS, mas a NEVS não é chinesa, mas sim sueca.

          • Wishmaster says:

            @Nuno V
            respondendo ao teu comentário anterior, não este da Saab, estás a entrar por domínios da Ciência Política, com designações desconhecidas da maior parte das pessoas, pois para elas só existe fascismo (aqueles senhoras que nos vão tirar a liberdade de expressão e vão bater e expulsar os homossexuais), comunismo (aqueles senhores que nos vão tirar tudo e tudo é de todos, para eles é o regresso de Estaline que matou milhões, para eles o comunismo é isto e não existe diferença entre modelo económico e político), socialismo (aquele que tira aos ricos para dar aos pobres que não fazem nada e passam a vida no FB e a tomar café à custa do RSI), capitalismo (aqueles que só pensam na acumulação de capital, mas curiosamente a população deixa andar e está tudo bem, apesar de serem escravos), ponto final. Para a maioria da população, estas ideologias são vistas exclusivamente desta forma e rotulam os países desta maneira. China Comunista, Rússia Comunista, EUA capitalismo e democracia, etc…
            Portanto, o que quero dizer é que dificilmente compreenderão.

            Mas é sempre bem-vindo o teu comentário no sentido de elucidar as pessoas, apesar de ser incompreendido pelos demais.

        • Marco Saraiva says:

          Os orientais andam a comprar tudo, a TATA por exemplo, que é uma empresa internacional Indiana comprou a Jaguar Land Rover Automotive PLC. Por isso quando estiverem a comprar um destes carros desenganem-se, já não são Britânicos desde 2008, no fundo andam a conduzir carros Indianos.

      • Wishmaster says:

        @Rui

        A longo prazo, o capitalismo desenvolvido por privados, portanto, este neo-liberalismo a que assistimos só atrasa a Ciência, a Tecnologia, a Educação.

        Porque tudo orbita em prol da acumulação de capital, com efeitos nefastos na produção criativa, científica, tecnológica. Estas só são feitas na medida em que produzam receita, mas nem nisso é bom porque não investe no verdadeiro “capital”, que é o capital humano. O capitalismo como é considerado geralmente, cai sobre si próprio, sim, e nunca logrará alcançar os feitos que, nestes tempos que vivemos, outro modelo já poderia ter alcançado.

        • Nildo says:

          KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
          O capitalismo e tão ruim o todos querem fugir pra esses países, por ex EUA!
          bom mesmo é o comunismo, mas pq será que ninguém quer ir pra cuba, nicarágua, corea do norte, venezuela etcc?
          kkkkkkkkkkk
          só rindo mesmo.

          • Nuno V says:

            Tendo em conta que tanto a Venezuela como a Nicarágua não são governados por partidos comunistas, demonstra um desconhecimento crasso de tua parte.

      • Pedro F. Sousa says:

        Os moldes da china que têm qualidade custam tanto como os nossos…
        Não compensa comprar lá, nem compensa a longa espera para os importar…
        Além disso, há o mesmo problema em relação ao envio do aço e do sistema de injeção para a china…

  4. Pedro Fernandes says:

    Se lançarem um modelo eléctrico, e que seja homologado na Europa, vou ponderar comprar um 🙂

    • JonnyKid says:

      eu ja tenho a trotineta há quase 2 anos e de momento estou a procura da scooter eletrica. Depois quiçá o suv!!!

    • Pedro F. Sousa says:

      Nunca nenhum carro chinês foi homologado na Europa por falta de segurança…
      Têm 0 pontos onde praticamente todas as marcas europeias têm a pontuação máxima…
      Depois, 11900€ com imposto automóvel e IVA já vai para cima de 18000€…
      Se o preço aumentar para aumentar a segurança nem quero imaginar onde isto vai parar…

  5. TugAzeiteiro says:

    O problema é que este SUV ou idêntico para ser comercializado na Europa tem que respeitar certas normas de segurança, coisa que não acontece na China… sim 11.900€ é tentador, mas para ser comercializado por cá o preço não irá certamente ser esse!!

  6. Filipe Ezequiel says:

    O problema vai ser quando chegar a portugal, como não pode ser enviado por via priorite line, vai chegar carregadinho de impostos pelo menos uns 20000 e muito mil vai custar! hehehehe!

  7. Pedro Ribeiro says:

    Deviam ter-se ficado pelas trotinetes!

  8. Nildo says:

    Será que a bangood ou gearbest entrega em Portugal?
    Kkkkkkkkkkkkkm

  9. Arnaldo Raposo says:

    Vai ter publicidade na consola?

  10. Arnaldo Raposo says:

    Vai ter publicidade na consola?

    • Eduardo says:

      Isso foi um 2012, em 7 anos muita coisa muda, e já se sabe que para entrar no mercado europeu vão ter de cumprir com as normas europeias.

      Não vale a pena julgar já por erros passados, é esperar para ver.

  11. Bruno M. says:

    Não se esqueçam que a Europa exige testes específicos que terão que ser implementados caso queiram exportar para a Europa.

    A partir daí a questão da “fiabilidade” é questionável!!

    • André T says:

      Desde que não lhe ponham um motor BMW ou TDI (vag) está resolvido o problema de fiabilidade.
      Não tenho Renault, nem quero, mas se só houvesse Renault muito mecânico tinha a oficina fechada.

      • Joao says:

        acho que as marcas hj em dia ja é mais fama que outra coisa tenho um renault ja com muitos km e ate agr 0 problemas tambem é a gasolina e grande parte dos problemas na renault foram nos motores a gasoleo que hj em dia ja esta mais que ultrapassado ate a mercedez usa os 1.5 dci que sao belos motores para quem quer fazer bons consumos para quem quer andar a 200kmh esquecam

        Ja a VW tem a fama de ter fiabilidade mas tem montes de problemas pode ter melhores acabamentos que marcas francesas mas a fiabilidade esta muito abaixo do que se pensa pelo menos na minha opiniao e na minha experiencia pessoal primeiro tiveram os problemas das emissoes dps vendeream carros que nao deviam os carros a partir de 2011/2012 perderam muito fiabilidade e hj em dia ja vejo que a vw ja nao é o que era

      • Hugo Nabais says:

        Cada um diz o que quiser mas um estudo efectuado em Inglaterra que foi feito com dados reais de malhares de carro, tem no seu top 10 de marcas que dão menos problemas:

        1. Lexus – 95.12 per cent
        2. Jaguar – 91.81 per cent
        3. Mercedes – 90.77 per cent
        4. Honda – 90.44 per cent
        5. Skoda – 90.16 per cent
        6. Toyota – 90.11 per cent
        7. Volvo – 89.61 per cent
        8. Hyundai – 89.04 per cent
        9. MINI – 88.93 per cent
        10. Mazda – 88.87 per cent

        100% representaria todos os carros vendidos sem apresentar qualquer problema.

        No fim da tabela:

        18. Ford – 87.00 per cent
        19. Volkswagen – 86.96 per cent
        20. Audi – 86.09 per cent
        21. Citroen – 85.82 per cent
        22. Alfa Romeo – 85.58 per cent
        23. Peugeot – 85.36 per cent
        24. Nissan – 85.21 per cent
        25. Dacia – 85.10 per cent
        26. Vauxhall – 83.64 per cent
        27. Chevrolet – 79.20 per cent

  12. Castro says:

    Porra foi preciso ver e ler .esta notícia . Para me aperceber quanto eu amo o meu carro o meu queridona o meu Saxo 1999…..

  13. Jorge says:

    Se é da Xiaomi deveria ser um … XUV …. e não um SUV, eh eh eh …

  14. António Poiares says:

    Pois é minha gente, e ai estamos nós, também chineses. Deixamos de produzir, porque fica mais barato vindo da china, e agora o chinês tem o nosso dinheiro, e compra tudo. Viva a china…

  15. Fernando says:

    A Benelli é feita na China e está a vender bem. Isto já aconteceu com o Japão… vamos trabalhar no turismo?

  16. Bestunes says:

    Não será vendido na Europa? No problem! Manda-se vir da Gearbest por priority line ahah

  17. Luis says:

    Lembro-me de outro produto que a Xiaomi também participou, a scooter eletrica Super Soco SU anunciado a 800$ (dolares), so que cá em portugal 800$ são 3000€. Magic happens.

    11.900€ mas quando chegar a Portugal é 30.000 né?

    • Bruno M. says:

      Não te esqueças que o valor de um carro novo, cá em portugal fora impostos, é uma pechincha, com impostos + lucro do stand vai em muito casos para quase o dobro, ou mais do dobro!!

      Portanto, acredito que com impostos, fica pelos 18000/20000 + coisa menos coisa!

  18. jonip says:

    Não o encontro na gearbest. Alguém tem o link?
    Qual é o método para não passar na alfandega?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.