PplWare Mobile

Tesla Model 3 atinge mesmo a velocidade máxima definida? Esta foi testada e provada


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Anonimo says:

    “Basta uma atualização de software e rapidamente tudo muda, decerto sempre para melhor.”

    Tal e qual os Citroen Saxo e Peugeut 106 do Tunning…

    • A diferença é que aqui não tens de ir à marca e esperar que façam essa atualização.
      Para além disso, tens periodicamente essas atualizações, ao passo que nessas marcas tens de esperar que surja um problema para que (eventualmente) ele seja aplicado.

    • Renato Nismo says:

      sim os psa e hondas,
      basta pagar mão de obra para programar ou comprar outra centralina modificada para alcançar mais de 9 mil rotações e retirar o limite de velocidade

      quanto a este tesla.. basta update ao sistema que fica melhor ou diferente do que quando foi fabricado..
      mas será possível os crackers modificarem o sistema operativo da tesla com custom update ? poderá ter tantos benefícios como pontos negativos

  2. Miguel says:

    As outras marcas ainda estão longe.
    A Tesla nunca mostra as cartas todas, esperem pelo próximo update e o carro fica com mais uma novidade…

  3. Carlos says:

    Insano um auto desenvolver tal velocidade. Correr não tem levado a humanidade a lugar algum, ao contrário, milhares de vidas ceifadas todos os anos.

    • Ramiro says:

      Correr sempre deu mais segurança. Onde acha que se inventou o ABS, Eds e outras tecnologias que depois passaram para os carros de produção? Foi certamente no mundo da competição. Não é suposto naturalmente atingir estas velocidades em estrada. Para isso, faça como este senhor e vá dar uma volta ao autódromo.

    • Paulo Ferreira says:

      A maior parte dos acidentes com mortos e feridos acontecem em tecido urbano, mesmo nas passadeiras.

      • O novo do restelo says:

        A Alemanha é exemplo que podes ir a essas velocidades e os acidentes são muito inferiores a Portugal. Ninguém anda com psa ou Honda -tipo toininhos- mas sim com carros a sério.

  4. eu mesmo says:

    é xo dore de cotevelo hihihi

  5. Philleas45 says:

    Gostava de saber a opinião do IMT, cá em Portugal às alterações técnicas feitas por software as caracteristicas técnicas do carro após homolgação nacional

  6. Dhaaa says:

    Qualquer superbike à Venda em PT, sem limitador bate acima dos 300 km/h

  7. Tuga Tesla says:

    E aqui na porcaria da UE os Tesla não fazem mais porque temos uma cambada de deficientes mentais corruptos a fazerem leis para agradar às marcas da idade da pedra europeias.

  8. João Coelho says:

    A evolução do automóvel é uma história com pouco mais de 100 anos, onde cada passo, cada mudança foi estudada, ensaiada e testada. E agora há uma empresa que produz carros, e com um simples apgrade no software o carro sobe de nível…humm! Isto tem tudo para acabar mal, muito mal mesmo! É o deslumbramento por esta forma de apgrade tolhe a razão!

    • Paulo Santos says:

      Errado João Coelho. A indústria automóvel sempre foi muito corporativista. Nem sempre as tecnologias são logo aceites. Veja o caso dos cintos de segurança.

      • João Coelho says:

        E a Tesla representanta a massificação do carro elétrico? Discordo! É a sua opinião, válida como a minha!

        • Paulo Santos says:

          Não representa rigorosamente nada. Mas se não fosse a Tesla a “puxar a carroça para a frente” a evolução estaria a ser mais lenta e ainda não teríamos muitas marcas sem elétricos.

          • João Coelho says:

            Bem, mas isso é um mérito que eu lhe reconheço desde que acompanho a empresa e o Elon Musk! Já escrevi sobre isso,… mas no mais já não vejo contributo!

  9. João Coelho says:

    Para além de que o importante nos carros elétricos é a autonomia vs tempo de recarga! A velocidade não é um objetivo, não é um propósito, não é um fim em si mesmo! A adoção do carro elétrico tem o propósito de alterar hábitos de vida, e a velocidade na estrada é um deles!

  10. Rui Oliveira says:

    Por acreditar na tecnologia e no produto é que há cerca de um mês encomendei um Model 3, infelizmente ainda não o tenho por erros sucessivos no departamento de entrega.
    O mais curioso é que ninguém, sim, NINGUÉM sabe para quando terei o atualmente melhor veículo do mundo e, os contactos para onde possa apresentar diretamente uma reclamação.

    Se alguém me puder ajudar a tentar fazer o que pelos vistos a Tesla Portugal não consegue ficarei grato com a divulgação dos contactos.

    Cumprimentos
    Rui Oliveira

    • João Coelho says:

      No seu lugar, apresentaria o caso diretamente ao CEO Elon Musk! É que a avaliar pelo nível das suas intervenções públicas e nas redes sociais, a questão resolveria-se numa semana!

  11. falcaobranco says:

    O bacano a conduzir assim a 260km/h num carro electrico ( com algum tipo de medo ou receio… ) é melhor ele não andar em nenhum porsche ou ferrari… 😀

    Mas é bom para Tesla esta publicidade…

  12. Diego says:

    Eu vejo um problema gravíssimo nisso. Pois detestaria comprar um produto sabendo que a marca impõe travas e limitações simplesmente porque quer e não por limitação física. Se compro algo, quero poder usufruir de sua totalidade!

    • Paulo Santos says:

      A Mercedes e a Audi também impõem limitações. No elétrico da Mercedes o limite é 180, acho.

      • Paulo L says:

        Não só nos eléctricos, também no convencionais existe. A CItroen spacetourer está limitada a 173, muito provavelmente para minha segurança.
        A velocidade nem se sente muito, mas parar o bicho a 170 é um desafio

        • Diego says:

          Aí também está querendo demais, uma van tem e deve ser limitada por motivos óbvios, falta de capacidade técnica. Uma van não tem estrutura alguma para andar nessa velocidade, esse sequer é o objetivo dela.

      • Diego says:

        Tem que verificar o motivo, se for limitação técnica, ok. Se for simplesmente uma limitação imposta simplesmente porque a marca quer, aí fere os direitos do consumidor.

    • João Coelho says:

      Pois essa análise é que está correta! Mas a paixão tolhe a razão a muita gente…

  13. João Coelho says:

    Estão nesta situação vários princípios em causa. Todos eles a questionar a empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.