Quantcast
PplWare Mobile

Smart será a primeira marca a fazer a transição completa para os elétricos

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. Maria says:

    um smart elětrico?
    Será um must have.

  2. Rui says:

    So falam de electricos mas como fazem para ir de ferias o pessoal do porto como fazem dormen pelo caminho ?

  3. pedro says:

    asneira … deviam manter 1 motor de combustão como alternativa !!!!

  4. Tiago S. says:

    Primeiro que tudo melhorem a autonomia atroz do F2. Mesmo em circuito urbano, meia dúzia de voltas numa grande cidade vai-se logo a bateria (140kms de autonomia anunciada)

  5. FT says:

    Sou utilizador à 6 meses, inicialmente à força, de um Smart ForFour EQ.
    Devo admitir que o carro me conquistou e o ser eléctrico, embora careça de maior atenção à carga, não me restringe o dia a dia. Os 100km a 130km de autonomia são mais que suficientes para as rotinas diárias.
    Óbvio que não pode ser o único carro do agregado familiar.
    A ver se no futuro utilizo outras alternativas no mercado dos eléctricos.

    Não acredito que os eléctricos, neste formato a baterias, sejam o futuro. Mas é um bom passo intermédio.

    • anon says:

      Ou seja é um carro para dar umas voltinhas, não server para mais nada. Para andar menos que isso por dia pode passar bem sem o carro. Enorme tiro no pé.

      • paulo g. says:

        Essas voltinhas são 90% das viagens que as pessoas fazem… se tiver a oportunidade de carregar o carro todos os dias 100km as voltinhas seriam maiores… 500km por semana, faça as contas à gasolina.

      • Toni da Adega says:

        “Para andar menos que isso por dia pode passar bem sem o carro”.
        Ou seja uma carro só tem utilidade se uma pessoa andar pelo menos 100km por dia? Já agora qual é a % de pessoas que faz mais de 250 mil KM por ano (100KM por dia)?

        Smart sempre foi carro para dar umas voltinhas. É esse o conceito de carro urbano.

        • Toni da Adega says:

          … 25 mil KM por ano.

        • anon says:

          Um carro urbano para andar só dentro da cidade não faz sentido e vai contra todas as propostas para melhorar o meio ambiente.

          • Sergio J says:

            Quando tiveres filhos mudarás de conversa.

          • Toni da Adega says:

            Se objectivo dos ditos urbanos é fazer muitos KM’s (minimo 100KM/dia) e longas viagens, então não faz sentido comprar algo melhor que um Toyota IQ ou um Smart.

            E não esquecer as aceleras electricas que só possuem autonomia para 80km, Alguem que precise de fazer 100 ou 200km por dia também nao serve.

          • anon says:

            Quase nenhum elétrico atual serve para longas distancias. E os que servem são demasiado caros. Quem tem dinheiro para um carro elétrico atualmente, de certeza não está preocupado com o dinheiro que gastaria se tivesse um à combustão. Até porque muitos trocam carros passados 5 ou 10 anos.

          • Toni da Adega says:

            Portanto vai-se comprar um Smart a combustão, onde só podem viajar 2 pessoas sem bagagem com o objectivo de fazer viagens longas.

          • Ruy Acquaviva says:

            Seu raciocínio é invertido. Muitas pessoas usam carros grandes, com capacidade para longas viagens e vários passageiros, na cidade. De fato a maior parte das viagens dos carros convencionais são em circuito urbano, sendo as viagens longas a minoria de sua utilização. O conceito de carro urbano é substituir esses carros que já estão em uso por carros menores, com menor consumo de combustível e ocupação de espaço. Não se trata de substituir o transporte coletivo, este sim o mais racional em uso urbano, pelo carro urbano e sim substituir os carros grandes que já estão em uso urbano, por um modelo mais racional. Claro que isso precisa ser feito em um contexto onde o transporte coletivo é priorizado e incentivado pois o carro urbano sozinho não resolve nada.

      • FT says:

        Será sempre difícil que apenas um carro corresponda a todas as necessidades do utilizador.
        Por vezes gostaríamos de ter um descapotável, outras vezes um jipe e outras uma carrinha de transportes.

        O eléctrico, para já e na minha opinião, ainda é um carro desse género. Só irá servir um nicho de pessoas em que as limitações do carro não “chateiam”.

        Estes pequenos eléctricos, sejam que marca forem, com autonomias de 100km a 150km serão sempre excelentes escolhas para cidade, deslocação para o trabalho, para levar os miúdos à escola, para fazer recados, etc…

        Por isso mesmo é que não pode ser o único carro do agregado familiar!

  6. LA says:

    Vai ser um tiro no pé. Quem não tem garagem, ou postos de carregamento ao pé da casa, como carrega o carro? Ainda não existem infraestruturas suficientes, para fazer já está transição. Pelo mesmo cá em Portugal.

    • Toni da Adega says:

      Quem nao tiver nao compra,.
      Se formos a ver os carros desportivos nao servem para nada porque quem morar no monte nao pode o conduzir em caminhos com buracos, pedras e lama

    • anon says:

      E vai continuar assim por muito tempo. Pelo menos nas grandes cidades.

      • Toni da Adega says:

        Engracado que é nas grande cidades que se vendem mais carros electricos.

        • anon says:

          E quem compra os ditos carros? Eu conheço vários sítios onde vivem pessoas com dinheiro e ainda não vi nenhum carro elétrico estacionado à porta. Conclusão?

          • Filipe Coelho says:

            Provavelmente essas pessoas com dinheiro têm garagem, não deixam os carros à porta.

          • Toni da Adega says:

            Depende de onde vives e o que consideras ” pessoas com dinheiro” na empresa onde trabalho temos 4 carros electricos e nem é grande cidade.

            Mas é um facto que os carros electricos sao mais populares nas cidades.

            Em Londres carros electricos é ao pontapé e a muitas das pessoas que conheco já estao a instalar carregadores em casa/garagem e vao comprar electricos no espaco max de 2 anos.

  7. Realista says:

    Por isso é que os F2 andam a desaparecer das estradas…

  8. João Coelho says:

    O carro elétrico está prestes a chegar em força! Finalmente vamos ter muitas e boas opções, para além da marca americana de que se fala todos os dias! Próxima estação, trocar a bateria por células fotovoltaicas! Essa será a via para a autonomia que precisamos! E não as baterias!

    • anon says:

      Estes carros com células fotovoltaicas devem ter uns impostos bem grandes, imagino.

    • Micaela says:

      As celulas fotovoltaicas servem para acumular energia nas baterias, que por sua vez alimentam os motores elétricos. Sem baterias o carro não anda, pq a potência gerada dos painéis fotovoltaicos é muito pequena, menos de 250 W e qq motor elétrico tem pelo menos 50 000 W, ou seja 50KW

  9. TugAzeiteiro says:

    A Smart só vai ser electrifica porque a construtora Chinesa “Geely” comprou 50% à Daimler. E como muitos não sabem, os Chineses estão a produzir em força carros/autocarros/camiões/motos eléctricos… e sendo o Smart um carro pequeno é ideal para o mercado deles. Claro está vão fazer o Smart 100% electrifico, e a Daimler aproveita a tecnologia, quem sabe para implementar nos seus Mercedes num futuro próximo.
    As construtoras Europeias estão a dormir com os eléctricos, vamos ver é se não morrem durante o sono, enquanto os Chineses e os Americanos levam anos de avanço!

    • Toni da Adega says:

      Em termos de veiculos electricos os chineses sao quem está mais a investir. Nas motos é exactamente o mesmo, existem inumeras marcas que vendem exclusivamente motas electricas.

      • TugAzeiteiro says:

        O governo Chinês está a subsidiar fortemente as suas empresas para elas passarem a produzir apenas veículos eléctricos. Por ex. em algumas cidades, com índices de poluição elevado, compras a matricula (que é basicamente uma licença) e renovas anualmente… o que acontece é que não há mais “matriculas” para carros a combustão, obrigando as pessoas a comprarem veículos eléctricos.
        Daí dizer que num futuro muito próximo as construtoras Europeias vão levar “porrada”… basta uma marca Chinesa entrar no mercado Europeu (salvo erro até já se falou que irá acontecer em 2020), com carros 100% eléctricos com uma autonomia e qualidade decentes e com preço entre os 15-20mil Eur…

        • Toni da Adega says:

          Se as construtoras Europeias não reagirem rapidamente, bem podem estar em apuros, andam a adiar ao maximo e quando abrirem os olhos pode ser um pouco tarde.
          Muitos são contra os electricos mas o certo é que mais uns anos e os carros a combustão já não podem ser vendidos, e nessa altura quem se não se adaptou fica para tras

          • Micaela says:

            A VW tem 50 biliões (milhares de milhoes) investidos nos elétricos, que vão desde o Taycan (luxo) até aos citadinos (e-up, e-city go e e-mii). Tem 2 carros de volume de vendas a comecR vendas no fim do ano, id.3 e el-born, para além de 3 ou 4 suvs. Ou seja, o porta-avioes demora a mudar de direção mas depois é imparável. Cumprimentos

    • Heinz says:

      A chinesa Geely possui 9,7% das ações da Daimler AG.

  10. DUFLES says:

    Já é realidade anda em um carro eletrico e recarrega na energia solar,custo zero!!

    • Micaela says:

      É verdade, mas os painéis num dia completo ensolarado acumulam o equivalente a 30km de autonomia. Nada mau, para quem quiser andar à borla na cidade. O preco do carro é superior a 25mil euros, mas não é comparável aos das marcas conhecidas. O nome é Sion, da Sono Motors !!

  11. Anibal Emanuel says:

    “Os custos de produção destes carros elétricos são mais elevados, o que vai encarecer o seu preço final” Como?? O chassis é praticamente o mesmo que os de motor a combustão, o motor elétrico tem muito menos componentes e a tecnologia em si é mais simples que um motor a combustão. O único componente com um valor bastante dispar dos convencionais é a bateria, mas esta por norma não é vendida, é alugada.

    Conclusão os preços dos carros elétricos vão à boleia da moda verde e de ter quem compre, porque certamente os custos de produção são bastante reduzidos em comparação com os carros de combustão.

    • anon says:

      Nem mais. E não tarda nada vão ser inventados mais impostos para estes carros para recuperar o dinheiro perdido com combustíveis.

    • Toni da Adega says:

      Então isso significa que a maioria das marcas nao investe muito em carros elétricos porque as margens são demasiado grandes. Convem manter as margens de lucro bem baixas …

      • Micaela says:

        Verdade, mas a marca elétrica Tesla e algumas chinesas (Bio, BYD etc) obrigam as europeias a converterem-se ou morrerem. O mercado de concorrência tem as suas vantagens!

  12. Adriano Siqueira says:

    Aqui no Brasil ainda são muito caros, o que inviabiliza…o smart seria excelente pra andar dentro das cidades.

  13. Tiago says:

    encarecer mais o carro? Sao pouco baratos ja, por acaso são…. Daqui a nada vendam-nos ao preço de 63 amgs….

  14. Marco says:

    Em percursos com declives ao longo do percurso é para esquecer, nem faz 100 Km por carga…mais vale um Zoe ou um Leaf…só serve mesmo para quem faz percursos muito curtos e é casa/trabalho/casa até porque nem dá para trazer muita coisa do supermercado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.