Quantcast
PplWare Mobile

Aqua é o primeiro super iate luxuoso movido a hidrogénio

                                    
                                

Imagem: Sinot

Autor: Vítor M.


  1. mautempoemlisboa says:

    Tendo em conta q o zero absoluto andas ali nos -273, parece-me demasiado incrível a informação a negrito dos -250

  2. Fulano says:

    Cada vez mais o futuro aponta ao Hidrogenio, apesar das cabecinhas pensadoras que por aqui pastam acharem que a baterias é que é….

    • rodrigo says:

      onde esta o posto de abastecimento de hidrogénio mais perto de ti? Enquanto que todos temos um posto eléctrico em casa.
      os eléctricos sao o futuro sem duvida. os de hidrogénios so daqui a décadas

  3. Filipe Coelho says:

    This will be fun…

  4. Joao Ptt says:

    O problema do hidrogénio é o “cabum” (explosão) ser potencialmente muito grave. Talvez seja possível prevenir explosões catastróficas com muitos e bons sistemas redundantes de segurança, mas é uma questão que não pode ser minimizada… porque se algum explodir de forma catastrófica é suficiente para acabar com toda a linhagem de produtos. Que ninguém vai querer estar num barco, avião ou automóvel se souber que em caso de acidente com o hidrogénio as probabilidades de morrer são mais que muitas.

    • Filipe Coelho says:

      Ora nem mais! Enquanto que a gasolina e o lítio ardem, o hidrogénio explode… Eu continuo a achar que o mais equilibrado é ter baterias não poluentes, como as de grafeno, e produção de energia limpa para as carregar, e aí sim, pode ser produzida com hidrogénio ou outras formas limpas.

      • AzoreanRoot says:

        É mito hidrogênio não explode já foram feitos estudos, principalmente para tanques de foguetes espaciais e combustíveis fósseis são mais perigosos, e lítio também dificilmente explode, até hoje não há caso de um EV explodir, incendiar sim.
        Hidrogênio é o futuro mas temos que mudar a infraestrutura, lutar o lobby do oil e melhorar o armazenamento.

    • Hugo says:

      É essa a razão de estarem a optar por carros eléctricos e não a hidrogénio. Mas o futuro é hidrogénio.

    • Gonçalo says:

      Isso não é questão sequer.. As baterias eléctricas actuais também possuem elevados riscos de explosão. . Há uma entrevista recente com o prémio Nobel da química no Sapo, acerca disso. Os carros a gasolina e a diesel tb podem explodir. Quantas vezes aconteceu?

      O hidrogénio é o futuro. Já era para ser há mais tempo se o lobby das baterias eléctricas não aparecesse. A BMW, a Mercedes e sobretudo a Toyota tinham projectos de combustão interna de hidrogénio e de pilhas de hidrogénio em desenvolvimento já no final dos anos 90. Puseram um pouco de lado, por causa da pressão dos mercados. Mas por trás, continuam os seus projectos com o hidrogénio, porque sabem que esse é o futuro próximo, e quando chegar a altura vão dominar o mercado.

      Aliás, o hidrogénio será mesmo a fonte de energia mais limpa e eficiente. O fabrico das baterias de lítio e de outro tipo de metais pesados emite imensos poluentes derivados da sua manipulação. E já nem conto com a energia necessária para serem produzidas, que tem de vir de algum lado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.