Quantcast
PplWare Mobile

Preços da gasolina e gasóleo baixam na próxima semana! Saiba quanto…

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. SANDOKAN 1513 says:

    Vá lá,8 cêntimos não é muito mas é melhor que nada.

  2. Elkido says:

    Grande fartura…..o Governo Português já mama mais de 1€ por litro na gasolina… cerca de 1.10€ por litro….2 ou 3 cêntimos a menos são migalhas Os Portugueses são roubados a torto e a direito porque querem…. era pararem o país todo …. abaixarem as gasolinas 30 e tal cêntimos por litro e os gasóleos 20 e tal cêntimos por litro como na Espanha….e o Governo Espanhol já tem bons lucros nos combustíveis.
    E na Espanha o vencimento mínimo são cerca de 990€. ..nos supermercados é tudo mais barato….o nível de vida dos Espanhóis é 2x superior ao nosso porque somos parvos e deixamos ser enganados pelo Governo Português e pelos ricos empresários

  3. GM says:

    Ficam mais baratos ou….não ficam tão caros? Fica a pergunta!

  4. Atento says:

    Já vai sendo tempo de as pessoas começarem a pensar e deixarem de «emprenhar» pelos ouvidos … perdoem-me os mais sensíveis, a verborreia barata.

    A evolução dos preços dos combustíveis é uma farsa ao nível das bruxas na Idade Média. Apenas o «povão» que quer ser enganado, o é.

    Para os que não querem continuar no obscurantismo da «evolução dos preços da matéria prima nos mercados internacionais», fica uma dica.
    Procurem correlacionar a evolução de três indicadores nos últimos vinte anos (lembro que correlacionar é comparar e ver semelhanças e diferenças … com algum esforço mental):
    – preços do barril de petróleo no mercado internacional
    – preços dos refinados (pode ser combustíveis na boca de abastecimento, como a gasolina ou gasóleo)
    – rendimento médio disponível (na população portuguesa)

    Para os preguiçosos ou mais curtos de «tempo», fica a conclusão:
    . Nenhuma relação entre preço do barril versus preço dos refinados (gasolina/gasóleo)
    . Nenhuma relação entre preço do barril versus rendimento disponível
    . evolução em paralelo do preço dos refinados (combustiveis) e rendimento disponível

    Para os verdadeiramente curtos de «tempo» para a análise, fica a conclusão:
    o aumento ou diminuição dos preços dos combustíveis acompanharam sempre a variação dos rendimentos dos «benditos tugas», ou, de uma forma mais acutilante, o Estado (seja qual for a cor partidária) sempre primou pela cobrança do imposto máximo possível, em função do rendimento disponível para o contribuinte (maximizou a produção de receita) e, como o ponto mais acessível para essa intervenção eram os combustíveis, voilá.
    De qualquer modo, desengane-se o «povão» se pensa que «agora vou comprar um elétrico e não vou mais ser enganado», pois a transição já foi iniciada há uns anos. A transição de receita já foi preparada e acomodada pelo finado Medina Carreira, que em devido tempo assegurou a implementação de reformas que assegurassem a dita receita. Os impostos sobre o património, as taxas (aplicáveis a tudo e um par de botas), assim como a melhoria da vigilância fiscal, permitem o abandono da dependência dos impostos sobre os combustíveis.

    • miguelito says:

      Ficar fechado em casa dá nisto. Tldr

      • GM says:

        Pois deverias. Pode ser que aprendesses algo.

        • Miguel says:

          Aprender com aquela verborreia de disparates? 😀

          Os dados desmontam as tangas do moço:
          https://carburantes.tumblr.com/day/2021/11/13

          • Atento says:

            Não costumo responder a não ser que seja mesmo necessário, por isso, aqui vai a resposta pedagógica.
            Porque diz que os dados desmontam o que afirmei ?
            Apesar das séries que apresenta serem curtas, é, mesmo assim, visível o paralelismo entre “salário mínimo” e imposto (com a taxa de carbono a fazer o acompanhamento).
            Uma nota: Os portugueses não ganham todos o salário mínimo, pelo que a comparação que faz não dará resultados próximos da realidade.
            Agora, agarre nos dados da Pordata (são os mesmos que os seus gráficos utilizam) relativos aos preços dos combustíveis (os que têm melhor sequência são gasóleo e gasolina super sem chumbo, restantes são mais recentes ou são combustíveis que foram descontinuados) e os relativos ao rendimento médio disponível (não o salário mínimo) e observe a evolução (tem dados desde 1985; análises deste tipo não se fazem a dois anos, devem sempre ser feitas com intervalos não inferiores a uma geração).
            Vai ver que, apesar de necessitar de um pouco mais de «tempo» que colocar um mero link, permite ter uma visão mais abrangente da evolução.

          • Miguel says:

            “ visível o paralelismo
            entre “salário mínimo” e imposto ”

            o chamado paralelismo divergente?
            😀

          • Miguel says:

            Sim, vou “necessitar de um pouco mais de «tempo» que colocar um mero link”.
            Vou ter de fazer copypaste de mais uma tabela…
            (quando tiver tempo volto)

  5. Elkido says:

    Sandokan 8 cêntimos? Estás a brincar mano…. daqui do Algarve para Espanha a diferença do preço da gasolina sem chumbo 95 são quase 40 cêntimos por litro… Só se deixa enganar quem quer dos que moram pertinho de Espanha

  6. Elkido says:

    O nível de vida em Portugal cada vez está se afundando mais e mais.Está a ficar ao nível da Roménia e Bulgária e Estónia….
    Não escolham outro Governo não….

  7. PJA says:

    O barril baixou para $100 não a $130. Deixem-se de musica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.