PplWare Mobile

Centro de Madrid: Carros portugueses só entram com convite


Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. Tiago Silva says:

    E era de fazer o mesmo em Lisboa.

  2. Eu Mesmo says:

    Ou seja só os carros novos?

    Quais os carros que têm de ter o distintivo?
    Todos, exceto os a gasolina registados antes de 2000, a diesel antes de 2006 e motocicletas antes de 2000, que são considerados os mais poluidores e enquadram-se na categoria A. Estão também isentos aqueles que são considerados “modelos históricos”.

  3. abiper says:

    Portugueses, Franceses, Suiços, Americanos, Australianos ,…, Chineses.

  4. Rui says:

    Chega a ser cómica a consciência ecológica europeia!!!
    Até violam os tratados europeus, ao discriminarem os cidadãos de outro país da UE. Isso é violação dos tratados de livre circulação!

    Eu acho anedótico um país ter esta preocupação ecológica medonha com a capital e ter ainda centrais nucleares activas, inclusive abrigos subterrãneos para guardarem material radiotactivo. Uma das centrais está bem pertinho da nossa fronteira (e em simultãneo afastado da capital deles, vá-se lá saber porquê) e estamos a falar do país que proibiu o prestige de atracar em portos espanhóis e empurrou-o para águas nacionais! Ironia do destino, o derrame deu à costa espanhola!!!!!!!

    • MMario says:

      Nem + é isso mesmo a UE é uma farsa ridícula cheia de leis e leizinhas estúpidas e completamente idiotas , cheias de leis feitas a pressa basta perceber por exemplo o que é a merd de 1 filtro de partículas para perceber que foi feito a pressa e serve para lixar o consumidor que compra o carro e poluir ainda mais.
      E tudo isto serve para distrair as atenções culpa-se os automóvel por tudo assim já não apontam para a falta de planeamento das cidades onde tudo está concentrado, a falta de transporte rápidos e nada ganha ao metro, a alimentação manipulada que ninguém fala e que mata mais do que a Poluição, etc, etc.

      • Toni da Adega says:

        Quem faz discursos destes nao deve viver ou conhecer as grandes cidades. A poluicao nas cidades nao é algo teorico, é algo que se consegue ver e sentir diariamente.
        Ou vao agora afirma que o smog e o fumo é saudável.
        É preciso tomar medidas e reduzir drasticamente a poluicao atmosférica nestes locais, e por poluicao atmosférica nao falo em CO2.

        Eu tenho o previlégio de viver numa boa zona, mas vou frequentemente a Londres e a poluicao é visivel, muitas estacoes de metro possuem um smog constante. No final dia ao limpar o nariz consegue-se ver todas essas particulas.

        A nao ser que afirmem que todo este ambiente é saudável, nao há como ser contra estas medidas.

      • BC says:

        E a terra é plana, é isso?

        • Toni da Adega says:

          Isso não digo, mas deve ser daqueles que promovem que se deve fazer mais estradas para aumentar o número de carros e desta forma reduzir a poluição

  5. João Santos says:

    E eles também deviam de pagar quando para cá trazem carros espanhois, aí e nos aeroportos e navios tudo o que é estrageirada toca a pagar se quer cá estar ou passar cá

  6. Joao says:

    Este artigo está muito mal explicado e leva a entender que hà restrições especificas para os carros de matricula portuguesa, o que não é verdade.
    Os carros de matricula portuguesa têm exactamente as mesmas restricções que os carros de matricula espanhola, nem mais nem menos!

    Há também uma frase que está completamente incorrecta:

    “Na zona de circulação prioritária Madrid Central os portugueses só poderão entrar se conduzirem um veículo elétrico ou mediante um convite emitido por um residente, que tem a duração de um dia. ”

    O veiculo não tem de ser electrico! Uma vez mais, os veiculos de matricula extrangeira estão submetidos as mesmas normas portanto têm de ser equiparados aos veiculos com etiquetas eco ou zero. Podem também aceder se estacionarem num parque de estacionamento o se tiverem um lugar de garagem alugado!

  7. veloso domingos says:

    O cómico disto tudo é o sistema vigente, por um lado, fomentar o crescimento económico que leva a que as fábricas produzam mais e que mais consumidores adquiram os veículos gerando desta forma receitas e mais receitas para o Estado, por outro, é o desincentivo à utilização dos veículos. Não há nada como o termo intermédio para começar e, com o andar do tempo, ou seja, com a utilização dos carros elétricos tudo normalizará e a poluição, a meu ver, pouco irá melhorar…

    • MMario says:

      Num carro eletrifico desvia-se a poluição apenas deixa de ser uma para passar a ser outra porque radiação eletromagnética é pior do que a existente só que como não se vê esta-se bem.
      A baterias não se vê esta-se bem e tantas outras que ninguém ainda fala porque se aumentar-mos o gasto eletrifico as centrais têm de gerar mais energia que vão ter de fornecer logo + poluição.
      O que existe neste momento é uma formatação mental que a seu tempo ajuda no controle das populações a todos os níveis e o carro eletrifico também vai dar uma forte ajuda.
      Ao mesmo tempo força-se que as populações se endividem para comprar o eletrifico que isso é que é bom e populações endividadas são uns bons escravos tornam-se mansos e facilmente controláveis.

    • Joao Magalhaes says:

      Normalizar a poluição como? Donde vem a eletricidade? Mesmo que digas que existem formas de obter eletricidade de uma forma limpa quem paga o investimento? E chega ? Estás disposto a pagar 400 ou 500€ por mês em eletricidade ? Porque a nivem mundial o carvão é muito mais barato .

  8. alves says:

    Senhores peopleware… mudem la o “distintivo” para dístico…

  9. BrunoM says:

    enfim.. mais um dístico para espetar no párabrisas.
    A ideia era irradicá-los não?

    Não seria mais fácil digitalizar a coisa e evitar assim os dísticos que por sinal é mais uma nódoa para o ambiente pois é mais papel impresso (o dístico + o envio por correio + o envelope).
    Podiam fazer como em Londres com as Low Emission Zones, metam câmeras às portas da cidade e digitalizem as matrículas que lá passem, qualquer carro que não deveria circular simples: o dono é notificado com uma multa.

  10. Eleck says:

    era é fazer o mesmo aos espanhois, a ver se gostam, mas haveria de ser em todo o território nacional, terrestre e maritimo

  11. Z/OS says:

    Curioso, eu como cidadão pago os meus impostos. Como dono de um automóvel a gasolina pago os meus impostos de circulação que por sua vez pagam as estradas. Os veículos ditos ecológicos aparentemente nao pagam nada de impostos de circulação e nao estou a falr dos carros eléctricos. Eu nao tenho nada contra estes, pois mais cedo ou mais tarde terei um veículo ecológico. O problema é que quem paga os impostos de circulação paga as estradas em que conduzem. Quando não houver destes veículos poluentes, onde irá o estado buscar a nova mama para continuar a mamar e a fazer estradas? Ponham-se a pau que ainda virá aí uma grande surpresa… em nome da ecologia, da teoria do aquecimento global, em nome das gerações futuras…

    • MarioM says:

      Cada vez mais as populações e os povos são formatados mentalmente as técnicas usadas pelo Hitler , pelo Freud ,são cada vez mais aprimoradas e vai-se martelando e passando as mensagens que interessa que sejam absorvidas depois de algum tempo essas mensagens já fazem parte mental da população tornam-se facilmente manipuláveis porque as cidades e tudo está feito e programado para que as pessoas sejam guiadas ao consumo daquilo que parece ser a solução soluções com meias verdades .

  12. Miguel says:

    Solicitei um pedido de esclarecimento através do SOLVIT com base no princípio da liberdade de circulação e de não discriminação entre cidadãos de Estados-Membros. Ficarei a aguardar uma resposta.
    Deixo o link para mais alguém que deseje fazê-lo: http://ec.europa.eu/eu-rights/enquiry-complaint-form/home?languageCode=pt

    • MarioM says:

      Na melhor das hipóteses vão dar-lhe uma resposta de corrupto, torcendo a lei.
      Foi o que me fizeram quando apresentei em Portugal uma reclamação por causa da Circulação em Lisboa do carros antigos.
      Não se esqueça que “Os piores Corruptos são aqueles que torcem a lei” são esses que geram os outros. mas desses ninguém fala.

      • Miguel says:

        Já responderam. Agora mesmo. Coloco abaixo.

        Ex.mo Sr./Ex.ma Sr.a,

        Por favor, veja adiante a reposta ao seu pedido. Importa notar que os conselhos dados pelo A sua Europa – Aconselhamento são independentes e não podem ser considerados como a opinião da Comissão Europeia, de qualquer outra instituição da UE ou do seu pessoal, nem são vinculativos para a Comissão Europeia ou qualquer outra instituição da UE ou nacional.

        Exmo. Senhor

        Muito obrigado por ter contactado A Sua Europa Aconselhamento

        Relativamente à sua pergunta temos o prazer de informar:

        1 – Com efeito, os cidadãos portugueses e, consequentemente cidadãos europeus, não poderão ser discriminados em razão da sua nacionalidade de acordo com o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia (TFUE) tendo direito a igualdade de tratamento para com os cidadãos espanhóis que se encontram na mesma situação.

        2 – De acordo com o Artigo 18.º do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia:

        «No âmbito de aplicação dos Tratados, e sem prejuízo das suas disposições especiais, é proibida toda e qualquer discriminação em razão da nacionalidade.
        O Parlamento Europeu e o Conselho, deliberando de acordo com o processo legislativo ordinário, podem adotar normas destinadas a proibir essa discriminação.»

        3 – De igual forma, a Carta dos Direitos Fundamentais da União Europeia prevê no seu artigo 21.º sobre «Não discriminação» que:

        « No âmbito de aplicação do Tratado que institui a Comunidade Europeia e do Tratado da União Europeia, e sem prejuízo das disposições especiais destes Tratados, é proibida toda a discriminação em razão da nacionalidade.»

        4 – Poderá apresentar o caso com cópia de todos os documentos pertinentes às seguintes entidades:

        – Provedor de Justiça espanhol – el Defensor del Pueblo – órgão mediador entre os cidadãos e a Administração Pública espanhola

        – Presidente da Câmara Municipal de Madrid

        – Deputados portugueses e espanhóis ao Parlamento Europeu

        – Comissão de Petições ao Parlamento Europeu

        – Comité das Regiões Europeu

        – Câmara de Comércio e Indústria Luso Espanhola

        5 – Poderá também apresentar o caso ao Conselheiro Social da Embaixada de Portugal em Madrid e da DGACCP – Direção Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas bem como Associações portuguesas nesse Estado-Membro.

        6 – Poderá contactar em Portugal, a Embaixada de Espanha e apresentar-lhes a sua questão.

        7 – Contactos úteis:

        – Provedor de Justiça espanhol – el Defensor del Pueblo:

        Website: https://www.defensordelpueblo.es/

        – Câmara Municipal de Madrid:

        Website: https://www.madrid.es/portal/site/munimadrid

        – Deputados portugueses e espanhóis ao Parlamento Europeu:

        Website: http://www.europarl.europa.eu/meps/pt/home

        – Comissão de Petições ao Parlamento Europeu:

        Website: http://www.europarl.europa.eu/at-your-service/pt/be-heard/petitions

        – Comité das Regiões Europeu:

        Website: https://cor.europa.eu/pt

        – Câmara de Comércio e Indústria Luso Espanhola:

        Website: https://www.portugalespanha.org/index.php

        – Embaixada de Portugal em Madrid:

        Website: https://www.madrid.embaixadaportugal.mne.pt/pt

        – DGACCP – Direção Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas:

        Website: https://www.portaldascomunidades.mne.pt/pt/quem-somos/direcao-geral-dos-assuntos-consulares-e-das-comunidades-portuguesas/contactos

        – Associações portuguesas em Espanha:

        Website: http://observatorioemigracao.pt/np4/18/

        – Embaixada de Espanha:

        Website: http://www.exteriores.gob.es/Embajadas/Lisboa/es/Paginas/inicio.aspx

        Cumprimentos
        A Sua Europa Aconselhamento

        Para fazer outro pedido, visite o sítio A sua Europa – Aconselhamento. Não responda a esta mensagem.

        O seu pedido:
        Foi publicada notícia em que era restringida a circulação de veículos de matrícula estrangeira no centro de Madrid, excepto se por convite de residente. A mesma notícia indicava que para aceder a certas estradas em redor de Madrid passava a ser requerido um dístico no veículo. Esta informação parece conflituar com a liberdade de circulação e parece evidenciar a existência de um tratamento discriminatório nesta matéria entre cidadão espanhol e cidadão de outro Estado-Membro. Agradecia clarificação. Deixo a notícia referida: https://pplware.sapo.pt/motores/madrid-carros-so-com-convite/

        Com os melhores cumprimentos,

        A equipa do «A sua Europa – Aconselhamento»

  13. Porconta says:

    Tenho dificuldade em acreditar nesta noticia, não na proibição de carros poluentes mas nas restrições aos carros de Portugueses, e então aos Franceses, e os dos outros países da Europa, podem? expliquem melhor isso, pois se for verdade temos o caldo entornado na Europa.

  14. Luis carreira says:

    Qualquer dia parece-me que vou deixar de ter carro uma vez que começam a proibir os carros velhos de andar.. Com o meu ordenado ridículo de 645€ base em que pouco mais aumenta com o subsidio de alimentação , nunca irei conseguir comprar um veiculo ecologico…

  15. MarioM says:

    noticias/estudo-garante-que-eletricos-nao-sao-solucao-para-travar-alteracoes-climaticas/?utm_source=tsf.pt&utm_medium=recomendadas&utm_campaign=afterArticle

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.