Quantcast
PplWare Mobile

Londres vai limitar velocidade para 24 km/h já em 2022

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. lopes says:

    Limitar a 24km\H mais vale andar a pé sempre é mais económico.

    • sómaisum says:

      a pé nao digo, mas de bicicleta, é facil manter medias de 20km/s sem quase nenhum esforço..

    • Blackbit says:

      Andar a pé cansa e nem toda a gente o pode fazer (3ª idade por exemplo).
      Impor esses limites é absurdo, a propria congestao do trafego acaba por auto-limitar a velocidade do trafego!
      Mais eficaz seria impor a circulação a carros em modo eletrico (BEV e hybrid plug-in) retirando assim a poluição do centro da cidade ou rever a legislação sobre a forma como sao aquecidas as casas pois o uso de fogões a lenha ou caldeiras antigas (a gasoleo…) tem tanto ou mais impacto que a circulação automovel.

      • Memória says:

        Por vezes limitar a velocidade máxima faz que a velocidade *real* aumente. É paradoxal mas acontece.
        Aquecer as casas este Inverno (de que forma fôr) vai ser um grande problema. muitas vezes literalmente de vida ou de morte
        No entretanto estou a ficar mais que farto de proibições e imposições

      • Matias says:

        o Problema é mesmo a circulação dos carros, quer sejam os fumegante squer sejam os litiosos. Devia tudo pagar portagem bem cara para entrar nas cidades

      • Vrael says:

        “Nem toda a gente pode”, mas podem comprar eletricos?! Tudo o que seja obrigar há sempre alguem prejudicado.

  2. Aí aí ai says:

    Pronto vai aumentar ainda mais o tráfico… conduzir em Londres já e a dor de cabeça por causa do tráfico com isto ainda pior.
    Não há muitos acidentes e o problema são os transportes públicos e táxis nao os privados.

    Quem cá vive sabe que maior parte to tráfico são estes dois componentes. Só no centro são 4/5 taxis por cada privado mais os autocarros….. mas pronto

    • Pedro Pinto says:

      Tráfego 🙂 Tráfico é outra coisa

      • Aí aí ai says:

        Meu autocorrect agradece haha mas eu já não presto muita atenção a escrita já que muita coisa mudou desde a minha última visita a portugal e agora perco-me mas obrigado

    • Logica says:

      Faz sentido. 80% da tráfego é de carros particulares, onde por cada carro vai um ocupante. E a culpa é dos transportes públcios. Boa lógica.

      • Aí aí ai says:

        Se vives em Londres sabes do que falo. Se não concordas não sabes do que falas.
        Maior parte dos carros no centro de Londres – onde realmente o tráfego é horrível, são transportes públicos ou causados por estes. Refiro ao facto de termos duas lanes é uma só ser bus lane as vezes. O facto de que o número de táxis no centro de Londres e maior que o número de particulares. Se não concordas com isto – não sabes do que falas.

        Particulares, onde só uma pessoa conduz isso já não são muitos. Lembra-te que tens a congestion zone que agora vai até domingo e ainda pagas muito no parking, logo tens mais particulares com mais de uma pessoa no carro.

        Again, se discordas pesquisa inline ou vai lá no centro e observa bem

        • José says:

          É verdade. Em Londres uso e muito o metro porque fico quase sempre em Uxbridge. Autocarro? Nem pensar! Andar de automóvel por ali é um horror. Nada como mostram nos filmes. Por cá, não é melhor, com uma diferença: temos menos transportes públicos e quando os há são demasiado espaçados no tempo. Perde-se uma hora para se fazer um trajecto que de carro leva 10 minutos. Ora, tempo é dinheiro.

  3. lapizazul says:

    Criar ainda mais problemas de tráfico com ainda mais engarrafamentos não só é estupido como cria ainda mais poluição.

  4. PeFerreira says:

    Reduzir poluição atmosferica… Mas ninguém tem aquela barra de consumo instantâneo no carro e nota que as primeiras mudanças são as que consomem mais? (algo aqui não bate certo…)

    • José says:

      Menos pensam nos navios de Cruzeiro e nos outros seis milhões que cruzam os mares! Falo de navios porque nem sei quantos barcos andam por aí, mas devem ser milhões! Cada um desses navios gasta segundo li há tempos, o mesmo que 400.000 automóveis, no entanto, todos assobiam para o lado e o motorista que tem de fazer a sua vida é, quem paga mais! Qualquer dia ter carro é crime, mas curiosamente o ar não está mais limpo. Por que será?

  5. Pedro says:

    Lá vem as lombas …

    • Danyyel says:

      As lombas não pode ser. Então as lombas são poluentes. Um carro em velocidade constante produz menos poluição do que se tiver de travar para passar uma lomba. (Gazes provenientes da travagem (apesar de pouco importante) e os gases de vai produzir para recuperar a velocidade o mais rapidamente possível) Mas ninguém quer saber, o mais importante é conseguir sacar mais uns €€ seja diretamente ou indiretamente

  6. Miguel says:

    Resumindo só podem andar de trotinetes ou bicicletas 🙂

  7. Vasco says:

    100% de acordo desde que existam excepções para veículos prioritários e de entrega de mercadorias essenciais. Mais do que reduzir a velocidade o verdadeiro objectivo é que a posse de carro próprio caia em desuso nas cidades, o que em si mesmo é uma excelente decisão.

    • danny says:

      ” … o verdadeiro objectivo é que a posse de carro próprio caia em desuso nas cidades,…
      ” Quer dizer…quem vive na cidade não pode ter carro. Querem sair da cidade e não podem. É isso?…É com cada ideia.

      • B@rão Vermelho says:

        Com todo o respeito, mas não é difícil entender a opinião do @Vasco.
        É para não entrar carros na cidade de pessoas que podiam ir de transportes, das pessoas que conheço que moram em Lisboa, nenhuma utiliza o carro para o seu dia a dia

        • pois says:

          Muitos dos que moram em Lisboa não andam de carro, quando o têm, talvez para não perder o lugar de estacionamento que conseguiram,com muita dificuldade à porta de casa ou para não passar pelo aborrecimento do transito. E então fazem a escolha de andar a pé, de bicicleta, de trotinete, de transportes públicos, de taxi/uber, “and so on”…

    • José says:

      Isso faria sentido em cidades pequenas, mas hoje muitas pessoas percorrem mais de 50 km ou mais para ir trabalhar! Não esqueça que há cidades com dezenas de quilómetros, algumas são impossíveis de se conhecer numa semana, imagine viver sem meios para se deslocar num meio desses ou então levar uma hora para um percurso que se faz em 10 minutos e ainda, estar sujeito à péssima oferta que existe em alguns locais. A ser assim, deveria voltar-se a trabalhar perto de onde vive, faria mais sentido. Por que ninguém fala nisso? Morde ou não serve de desculpa para penalizar mais o cidadão? Tão preocupados que estes tipos andam com o clima julgam que alguma vez poderão alterar e disso posso falar com conhecimento de causa visto que estudei fenómenos climáticos. Al+em disso: leiam textos de quem sabe do que fala: https ://sicnoticias.pt/especiais/crise-climatica/2021-10-05-Alteracoes-climaticas-Nao-vamos-combater-nada-temos-de-nos-adaptar-8a36421d ou ainda https ://ionline.sapo.pt/artigo/572276/alteracoes-climaticas-ha-quem-diga-que-a-culpa-nao-e-do-homem ou vejam a opinião do Prémio Nobel da Física: https ://ionline.sapo.pt/artigo/572276/alteracoes-climaticas-ha-quem-diga-que-a-culpa-nao-e-do-homem. Pois é opiniões há muitas, no entanto ainda não sabemos nada de nada, muitos falam e ganham fortunas, mas não passam de uma espécie de astrólogos que dizem o que o cliente quer ouvir! Sempre ouvi que o caminho do meio é sempre o melhor …

  8. Mig21 says:

    Mais uma daquelas politiques do politicamente correcto. Se querem reduzir mortes da estrada, não me parece que “na cidade” seja o maior foco de mortes rodoviárias.
    Por outro lado se querem reduzir a poluição, assim como algumas cidades limitarram o acesso a carros mais antigos, porque não limitar o acesso a carros mais poluidores (há muitos carros novos que poluem bem mais que 3 ou 4 carros citadinos (as chamadas grandes bombas).

  9. André R. says:

    A 24km/h vamos na segunda mudança, com o carro a pedir uma terceira e vamos numa terceira com o carro a pedir uma segunda…

  10. RatazanaDoPunjab says:

    Ai quando o Cabrita souber disto… Ele gosta tanto de andar depressa.
    Paciência…

  11. kodiakshadows says:

    Em Glasgow já começaram a pintar o asfalto com avisos de 20 milhas e concordoc com a medida

  12. Lucas says:

    Em muitas cidades onde o FRIO, CHUVA e declives abundam bicicletas ou trotinetes não são opção.

    Carros elétricos não são opção. caríssimos e puluidores em termos de fabrico.

    Solução, mais e melhores transportes públicos. Com intervalos de 15min. entre transporte e financiados pelas Câmaras.

    Tudo o resto são fabulações de lobbies. Sejam ambientalistas seja de grupos económicos ou presidentes de câmara patrocinados por modelos verdes mas com muitas luvas €€€€ por baixo da mesa.

    15 milhas hora é só estúpido.

    • kodiakshadows says:

      É por isso que o Park automóvel em Oslo é + de 90% elétrico e o uso da bicicleta elétrica é normal e tem muitos transporte e públicos também

      • Gates says:

        Oslo não tem os salários de Portugal.
        Oslo não tem declives como Lisboa Guarda Covilhã etc…

        • kodiakshadows says:

          Leste bem o comentário do @Lucas? Então abre a pestana e eu te dou uma ajuda.
          “Em muitas cidades onde o FRIO, CHUVA e declives abundam bicicletas ou trotinetes não são opção.

          Carros elétricos não são opção. caríssimos e puluidores em termos de fabrico.

          Não tem nada a haver com ordenados

  13. Manuel Costa says:

    Para quem anda a pé numa cidade (Lisboa) é fácil perceber que os 30kmh são só para os dias de muito trânsito. Nas ruas secundárias com menos tráfego, por cada pessoa que cumpre os 30kmh, 50000 vão bem acima dos 100kmh. Quando alguém surge para atravessar numa passadeira, é só travagens bruscas e é quando não aceleram ainda mais para passar antes da pessoa chegar a meio da passadeira.
    Junto a Entrecampos, vi um rapaz ser atropelado, porque um condutor vinha lançado, bem acima de 80kph, passou o vermelho e virou para a direita, o rapaz viu o sinal de passadeira a piscar, ainda verde, ia na bicicleta e continuou, levou uma trancada de um carro que fez a curva fora de mão. Quem estava do lado de lá da avenida viu tudo. Se tivesse cumprido os 50kmh que é o limite, tinha ficado no vermelho e não aleijava o peão. E isto é diário. Carros a alta velocidade, aproveitando quando o trânsito é menor…

  14. R says:

    A prioridade nacional deveria ser adequar a sinalização (limites de velocidade, etc.) às vias existentes. Há tanta coisa mal por esse país fora.
    Mas não, é mais fácil mandar caçar multas…

  15. wtvlol says:

    Ridículo. Mais vale ir a pé.

  16. SocrateSocialistAmigos says:

    Um medida excelente com o intuito de reduzir as alterações climáticas e as emissões prejudiciais para um cidadão.
    Os governos devem impor mais de modo possamos lutar juntos socialmente!

    • Luis Costa says:

      Andar numa segunda polui mais que andar numa terceira. A medida visa reduzir os acidentes mas faz aumentar o consumo dos carros por Km

    • José Maria Oliveira Simões says:

      Vai lá tentar meter uma multinha aos vulcões (poluição com cinzas, chuvas acidas, dióxido de carbono, enxofre, gases venenosos, lava, tremores de terra, aumento da temperatura). Tenta lá meter-te com a mãe natureza e logo vez como é bom. Já agora, manda uma cartinha ao sol, para ele não ter ideias malucas de mandar tanta radiação térmica e fluxo magnético. Diz-lhe para não provocar alterações climáticas e prejudicar as radio comunicações no planeta terra.

        • José Maria Oliveira Simões says:

          Não é politicamente correcto, diria. Mas debaixo do chapéu há quem tenha alguma coisa … Agora a serio, pensar e não engolir tudo, principalmente, não fazer como os papagaios. Não faz mal a ninguém investigar para poder avaliar se a informação que lhe é fornecida é correcta e verdadeira. Nesta historia, está visto que a informação não é 100% correcta e tem como objectivo manipular a opinião de modo a atingir determinados fins. Obviamente, há quem enfie o barrete e vá com a carneirada.

  17. Redin says:

    Já que a intenção será universalmente a eletrificação de viaturas automóveis num futuro próximo, porque não substituir todos por “carrinhos de choque” das feiras? Parece que essa velocidade é igual.

  18. LA says:

    Os governos que limitem as viagens de avião e de barco. E tentem acabar com os carros antigos, de alta cilindrada e a gasóleo. Esses sim, são os mais poluentes. Carros hibridos, ou não, com cilindradas até aos 1300 cm3, é mais do que suficiente.

  19. Sergio J says:

    Braga também já tem a algum tempo várias zonas 30. Foram aumentados passeios, reduzidos estacionamentos, colocado passadareiras sobre elevadas e acima de tudo reduzido a velocidade para 30 km/h. No início a maior parte das pessoas não percebe as vantagens, a necessidade de passeios tão largos. Mas o que 3um facto é que agora vê-se muito mais pessoas nos passeios nessas zonas da cidade. A cidade tem vindo aos poucos a voltasse para os peões. Claro que ainda temos autênticas autoestradaa a atravessar a cidade,mas aos poucos a cidade tem-se vindo a transformar.
    Creio que esta estratégia tem vindo a ser adoptado também por outras cidades do país. Era giro fazermos aqui um colecção desses vários exemplos nas urbes do nosso país.

    • B@rão Vermelho says:

      O nosso problema aqui em Portugal, é que tudo foi feito para utilizarmos a viatura pessoal, tudo, desde autoestrada para curtas distâncias como a A5, Cascais Lisboa, e agora querem a todo o custo voltar com está politica a traz em tempo record.

  20. Luis Costa says:

    Não ha nada melhor do que morar numa vila, longe do caos e da poluição.

  21. contacto says:

    Todos os carros tem de ser limitados de fábrica a 120 km /h de velocidade máxima.

    • Oiiiii says:

      Explicame como se fosse muito burro o porque dessa ideia

      • nelson says:

        se é ilegal andar a mais velocidade, porque não?

        O zé povinho vai inventar desculpas porque sabe que ninguém respeita isso…
        O governo vai inventar desculpas porque as multas sabem bem…

        • oiiiii says:

          é ilegal CÁ, se eu quiser ir no meu carro limitado a 120 até a Alemanha para poder acelerar á vontade já nao posso porque tenho o carro limitado???

          • nelson says:

            Deves ter uma percentagem extremamente reduzida de pessoas a quem isso se aplica. De qualquer forma isso parece os argumentos dos que vão para países de terceiro mundo fazer barbaridades porque lá não é crime, lá não é… mas tu vives cá.

          • oiiiii says:

            pronto, parece que meia palavra não basta e tenho de explicar tudo.
            o contacto disse “Todos os carros tem de ser limitados de fábrica a 120 km /h de velocidade máxima.” ora, isso é simplesmente estúpido visto que a velocidade máxima em cada país é diferente.
            https://viagem.estudarnaeuropa.eu/s/4106/78493-Autoestradas-limites-de-velocidade-normais.htm
            querem limitar os carros, provavelmente vão fazê-lo mais cedo ou mais tarde, mas que o façam em condições, se o limitarem apenas a 120 acredito que seja mais perigoso do que se for “ilimitado”
            não sei quanto a ti, mas para fazer ultrapassagens em segurança muitas das vezes tens de passar os limites de velocidade.
            Chama-lhe argumento de terceiro mundo ou o que quiseres mas não deixa de ser um argumento válido, falei na Alemanha porque muito se fala das estradas sem limite, se vires o link que pus no inicio deste comentário vais ver que existem vários países onde o limite de velocidade é superior a 120 (pelo menos em 2015), e volto a bater no ceguinho, se quiser ir a esses países, até pode ser de férias, e quiser andar a 130 já não vou poder por o meu carro ser limitado aos 120 porque em Portugal esse é o máximo permitido? ok em Portugal é 120, noutros sitios são outros valores e eu quero/posso/é legal andar lá a essas velocidades.

  22. SANDOKAN 1513 says:

    “A cidade de Londres pretende introduzir um limite de velocidade global de 24 km/h (15 milhas por hora) “em toda a cidade”. ” Kkk,agora é que vão ser elas.Se se lembram de fazer o mesmo aqui em Portugal vai ser o bom e o bonito.Vai ser da maneira que o pessoal vai andar mais a pé,mainada. 🙂

    • José Maria Oliveira Simões says:

      Desde que começaram com esta ideia luminosa das alterações climáticas que só tenho visto coisas interessantes, como por exemplo: Aumento dos impostos por causa das alterações climáticas, Aumento do preço dos combustíveis, aumento da eletricidade, o aumento da quantidade de bichas de automóveis por causa do pára arranca, aumento dos gastos com combustíveis pelos carros no para arranca. Em síntese, uma maravilha.

  23. Joao says:

    Esta proposta é da City of London não de Londres, que só sera aplicada na City of London.

    Basicamente só afecta uma parte muito pequena da grande cidade, onde o trafego garante que não andas a muito mais que isso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.