Quantcast
PplWare Mobile

Honda CR-V Hybrid – Test drive ao novo e inteligente SUV

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Filipe F says:

    Um bocado caro para a oferta atual e um design que pouco se distingue dos suvs da honda com 6 ou 7 anos

    Para quem gosta de SUV hibridos existe o da Toyota (CH-R) mas que é um pouco ‘pequeno’ a nivel interior, e o imbatível preço qualidade Kia Niro que custa menos de 30 mil euros e é o suv hibrido mais económico que existe no mercado, cheio de extras.

    Ja agora nos vossos testes qual foi a média conseguida em cidade e em estrada?

  2. Crow- says:

    Como tem sido habitual, é feio que até dói..

  3. zefeio says:

    existe tanta mas tanta “coisa” feia tao boa e de chorar por mais!

  4. Ricardo Monteiro says:

    Pá interior muito confortável. Conheço o irmão desse a gasolina. Mas híbrido desse ser máquina.

  5. Pedro says:

    Autonomia de 2km em modo electrico. Fascinante.

  6. Vítor M. says:

    Não é, sabes a razão? Atualmente é impossível às grandes marcas dar o salto só porque sim. Quem fabrica há meio século ou mais, automóveis de combustão interna não pode da noite para o dia deixar de fabricar milhões de unidades para começar a fabricar motores elétricos. Além disso, com “meia dúzia” de carros elétricos, as infraestruturas de carregamento estão já muito aquém dos mínimos necessários. Tem de haver aqui no meio a transição natural. Não se podem saltar “notas de música” só porque já se vê o que poderá ser o futuro da indústria automóvel.

    Este e todos os híbridos estão a fazer a passagem, são um excelente compromisso para o presente, são o percurso natural para aquele que será o futuro desta indústria. Por isso faz todo o sentido e nesta altura, faz muito mais sentido um hibrido do que um elétrico.

    Ainda precisamos de mais tempo para preparar as estruturas, adaptar a forma como as pessoas usam os veículos, tratar de melhorar as vias, organizar o trânsito e esperar mesmo que a legislação se adapte às necessidades da evolução dos elétricos e dos autónomos. Isso leva tempo e, por isso existem estes veículos. Uns melhores, outros menos capazes e outros plug-in, outros não… mas todos servem mercados de milhões de utilizadores que ainda não querem dar o passo para o mercado incerto dos elétricos.

  7. Antonino says:

    fascinante mesmo são os 2 km de autonomia em electrico, só é hybrid porque tem dois (bastava um e desligado) motores electricos, mas não faz uso deles.

  8. Ana says:

    Híbridos a fazer 30km existe ?

  9. Pedro Fonseca says:

    O mais intrigante é o carregamento das baterias. O custo benefício muito alto e no BRASIL temos nuances incríveis das ruas, da segurança e dos impostos .

  10. Nuno Fernandes says:

    Apostem mas é no GPL e deixem o resto! Híbridos a GPL isso é que era interessante!

  11. Marcos says:

    Se este carro vier para o Brasil, com vai custar no mínimo uns R$ 96.000,00. Com base no salário mínimo, demoraria mais de 10 anos para terminar de pagar.

  12. bill says:

    “A condução torna-se suave graças a uma transmissão com uma velocidade (não há caixa de velocidades)”. Voces sabem mesmo o que estão a dizer? lol

  13. Geraldo de Menezes Caetano says:

    O Prius da Toyota é um híbrido a ser considerado, com um projeto moderno, custo de manutenção dentro da média do segmento. Designer deixa a desejar, feio e mal gosto. Seu irmão da Lexus, o CT 200h tem um desenho mais jovial, porém a um preço mais elevado.

  14. Zeferino says:

    Caixa CVT !! , 2km elétricos, supostos 184cv, 180km/h, 9s 0/100, 40000+€… incrível !!!

  15. Mr. Antunes says:

    Os valores de consumo 5.3 e 5.5 são WLTP? Para o peso, para os CV e tendo em conta os consumos reais que vocês conseguiram parece que a Honda tem aqui um sistema interessante.

    O que eu posso relatar baseado em 13k km num C-HR híbrido:
    – Em autoestrada o consumo é ligeiramente inferior, 0,2 ~ 0,3 l/100km, em relação a um 1.0 125cv ecoboost. Em percursos mistos onde com o ecoboost fazia 6,5 ~ 7 l, com o C-HR faço entre 3,5 ~ 3,8 l (isto durante o inverno, no verão deve baixar um pouco).
    Se o objetivo é basicamente autoestrada o mais barato é diesel ou GPL. Agora virem dizer que a diferença de consumo que os híbridos conseguem é marginal… Obviamente existem híbridos mais bem conseguidos e outros que pra lá caminham (ou então que vão ter de usar as patentes da Toyota :p).
    – Não tem motor de arranque nem embraiagem, toda a manutenção relativa a essas partes desaparece. Basicamente serão as revisões, a média em 5 anos é 200€ por ano.

    O que faz confusão a muita boa gente é que o modo de condução num híbrido tem de ser diferente para tirar o máximo proveito. O híbrido só vem corrigir as nossas asneiras e aproveitar os declives, com isso consegue-se reaproveitar alguma energia.

    O que me chateia, aqui em Portugal pode-se ter um carro que plui menos mas temos de pagar mais imposto de circulação (pois as cilindradas mais eficientes em atikson são altas) que as carcaças que por aí andam…

    Ps.: É sempre engraçado ler mitos (infundados) que até dos elétricos transitaram para os híbridos

    • Joao says:

      Os hibridos têm sim embraiagem e caixa de velocidades. A manutenção é praticamente igual a um veiculo convencional. O motor termico está lá à mesma.
      C-HR 1.0 ecoboost??? ecoboost é uma técnologia da ford… e não existe nenhum C-HR ecoboost.

      • Joao says:

        queria dizer que não existe nenhu, C-HR 1.0 ainda que, obviamente, ecoboost também não.

      • Mr. Antunes says:

        Olá João!

        Aconselho-te a pesquisares o que é o PSD da Toyota, assim conseguirás perceber um pouco do que aqui se fala.

        De resto aconselho um café e uma nova leitura do que eu escrevi. Faço comparações entre o C-HR e um ecoboost, lamento que não consigas entender o meu português.

        • Joao says:

          Caro Antunes,

          Em nenhum momento referes que se trata de outro carro/modelo portanto parte-se do principio que estamos a falar do mesmo carro. Comparar consumos de carros completamente diferentes é desonesto. Se esse tal ecoboost está montado numa C-MAX, é normal que os consumos sejam muito inferiores aos de um C-HR, um carro mais leve, mais pequeno, com melhor aerodinamica…
          Relativamente ao PSD da Toyota, é uma tecnologia que faz a simbiose entre os 2 motores. Esse sistema tem sim relações diferentes (caixa de velocidadea) ainda que não funciona como uma transmissão normal. O motor de arranque é realmente suprimido mas este componente tem normalmente uma vida util muito alargada e carece de manutenção.
          Relativamente às revisões, qual é o intervalo de manutenção dos 2 carros que referes?

          • Mr. Antunes says:

            Continuo a aconselhar um café 😉

            As comparações que fiz dos consumos são baseadas em 800km que faço todas as semanas, sempre nos mesmos percursos, entre estes carros:
            Focus HB, peso ~ 1335 kg, revisões aos 15k km ou ao passar do ano, 5 anos = 1120 €
            C-HR, peso ~ 1380 kg, revisões aos 15k km ou ao passar do ano = 1000 €

          • Joao says:

            Suspeito que a distância torna esse café inviável, se não aceitaria com agrado.
            Ora aí está… o intervalo entre revisões e exactamente o mesmo para ambos os veículos e há uma diferença de apenas 120€ em 2 anos. Podemos então concluir que a manutenção e a mesma num híbrido ou estou errado?

          • Mr. Antunes says:

            Se o gasolina durante 10 anos só trocar óleo do motor e filtros inerentes, e nunca tiver nenhuma manutenção associada a embraiagem/turbos/FAPs/alternador/motor de arranque (não vou falar dos calços dos travões :p), pode-se considerar que estão na mesma gama de custos (tirando os consumos que são mais baixos nos híbridos).

            Se estivermos a falar de gasóleo, só os valores das revisões já são mais altos.

            Cada caso é um caso, não existe nenhuma solução dourada para todo e qualquer tipo de caso de uso.

  16. Joao says:

    *a diferença é de 120€ em 5 anos. Nao é apreciável.

  17. Diogo says:

    Quem quer um carro hybrid que faça 30kms ou mais é modo eléctrico que compre um plugin são óptimas opções para quem faz viagens pequenas agora quem faz viagens grandes esqueçam os plugins porque assim que ficam sem bateria os consumos disparam para números exorbitantes. Já os full hybrid como ahonda e a Toyota foram foram feitos para andar sempre em modo hybrid e fazer sempre consumos baixos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.