Quantcast
PplWare Mobile

Governo pretende subir para 8 milhões os incentivos aos elétricos

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Crow- says:

    Campanha eleitoral de um governo demissionário…

  2. JF says:

    Uma vez mais, o Governo liderado pelo Primeiro-Ministro António Costa promove a destruição da Natureza, do Meio-Ambiente, e do Homem, ao fazer propaganda aos automóveis eléctricos que para além de ineficazes são extremamente poluentes.

    Na Finlândia, um cidadão Finlandês fez explodir o seu automóvel eléctrico:

    https://www.rt.com/news/543738-tesla-explosion-musk-finland/

    • Silva says:

      Sim, a defesa da natureza é feita através dos veículos a combustão, que entre a prospeção de petróleo, transporte em petroleiros até às refinarias, transporte até aos postos de combustíveis e na queima final, isto durante a duração de vida do veiculo. A isto juntamos as doenças respiratórias geradas pela poluição nas cidades. Isto sim é que é defender a natureza.

    • Louro says:

      Claro que sim, eu até estou a pensar em comprar um carro a diesel só para meter na sala com o motor ligado de dia e de noite para substituir o purificador de ar que lá tenho.

      Nao sei é que cor haverei de comprar para combinar com as cortinas.

      • Apenas Uma opinião says:

        lol

      • Keyboardcat says:

        A cor não interessa. Com um motor a diesel tudo vai ficar preto com a quantidade de carvão que sai pelo escape. Especialmente se seguires a recomendação dos mais sábios desta caixa de comentários, em que o melhor a fazer é remover o filtro de partículas.

        • Louro says:

          @Keyboardcat,
          Obrigado pela recomendacao, por acaso nao tinha pensado nisso.

          Qual achas ser as RPM ideais para purificar mais o ar? Qualquer coisa nas 3000rpm deve de chegar nao?

    • Apenas Uma opinião says:

      não percebo o comentário, teve oportunidade de ver o motivo pelo qual o proprietario fez isso? Não teve nada a ver com a capacidade ou não de poluir o ambiente… comentário completamente absurdo, por todos os motivos e mais alguns…

    • Samuel MGor says:

      Perdeste uma grande oportunidade para ficares quieto e “calado”.
      Quanto à noticia, se soubesses inglês, ele explodiu o tesla após saber o preço para substituir a bateria. A noticia não tem nada a ver com poluição 😛

    • RC says:

      Mais um petrolhead ambientalista.

      Nunca vi tantos na vida.

  3. Food Eat says:

    nem 1 euro por contribuinte dá

  4. Há cada gajo says:

    Subsidiar veículos que são demasiado caros para o que valem e que apenas são carros de brincar ou para exibicionismo pelintra ao fim de semana. Assim se estoura com os meus impostos.

  5. Tonheco says:

    O Costa até deve a andar a raspar no chão á procura de palha para dar de comer ao gado antes do final de Janeiro 🙂
    Por enquanto parece um espectro que aparece em todos os programas dos desocupados.

  6. Ze Nandoooo says:

    Nao sei se esse limite existe, mas os apoios não deveriam ser para veículos que custassem mais de 25 ou 30 mil euros.

    • Crow- says:

      Porque?…
      Então os gajos que mais impostos pagam e querem trocar o seu carro a diesel por um elétrico também não podem ter direito ao mísero apoio de 2000/3000€?
      Não é que isso faça muita diferença num carro de 50k ou 70k, mas é uma questão de justiça. Ou só quem vai comprar um Dacia Spring pode ter apoios do estado?
      O apoio é um valor fixo, não é proporcional ao valor do carro. O estado não vai ficar mais pobre se eu comprar um Mercedes EQS ou um Nissan Leaf.
      Há com cada um…

      • Ricardo Silva says:

        Realmente é verdade… há com cada um…
        Em poucas frases foste capaz de diz um bom par de asneira.
        Parece que para o Estado conceder um beneficio ao carro A ou B é a mesma coisa, mas na realidade não é, porque os incentivos não são concedidos porque sim ou porque há dinheiro para “esbanjar”.
        O Objectivo é incentivar a transição para uma moblidade mais sustentável, mas isso não pode acontecer a “qualquer preço” e deve ter também como objetivo que os construtores lançem VEs cada vez mais baratos, por isso, é melhor esquercer o incentivo para a compra do EQS, porque existe um limite para obter o incentivo do Estado sim, como é logico, em termos sociais e fiscais.
        Aliás se há coisa que está errada aqui é o limites do valor de compra dos VEs ser demasiado elevado, uma boa forma de acelerar a massificação, seria reduzir esses limites.

      • Ze Nandoooo says:

        Porque este apoio deve ser um *incentivo* à mudança, e como dizes, esse montante num carro de 50 ou 70 mil não faz diferença, logo, não é um incentivo.

      • fogo says:

        Não deveria haver apoios para a compra de carros novos, ponto.
        Nunca tive condições para comprar um carro novo, e estou sempre a financiar quem os pode comprar…

        • Louro says:

          Nao estas a financiar quem os pode comprar, estas a pagar impostos como todos, se alguem ganha mais paga mais impostos, portanto se ganhas menos, contribuis menos que eles.
          De uma certa forma o governo nao esta a financiar nada, esta a “dar de volta” uma pequena parte dos impostos pagos pela compra do carro.

      • Grunho says:

        O Nissan Leaf, vá que não vá, agora quem compra um Mercedes EQS não precisa de apoio para nada.

  7. Luís Costa says:

    Isto até 30 de janeiro vai ser um tal prometer coisas que não cumpriram.. e depois é ver os enganaditos a irem atrás da palha.. este governo Costa só promete mas fazer tá qieto

  8. °0° says:

    Incentivos a quem tem posses de comprar carro novo, já quem quer comprar carro importado “usado” paga chorudos impostos.
    Governos a ser governos.

  9. Bernardo duro says:

    Mecânicos e vendedores óleo gasolineiras etc o vosso fim está próximo aprendam uma profissão… Senão….

    • FreakOnALeash says:

      Comentário infeliz! Também quero um BEV para mim, mas nem classe média sou. Na questão dos mecânicos e afins, como em tudo há bons e maus profissionais!

  10. Silva says:

    Ninguém lhe vai arranjar nada, não se constroem carros a a pensar “em cada gajo”. Não gosta? Não compra, é indiferente. Pelintras são os que, continuamente, comentam de forma negativa cada notícia, inventando, arranjando argumentos falsos e infantis, para justificar os buracos nos bolsos.

  11. alt.menino says:

    As alternativas são poucas ou a circulação passa a ser uma coisa de classes, do tipo só para….. ou então terá de se começar a utilizar mais o conceito de uma econômia circular.

  12. Fernando Pereira says:

    Se estes 8 mil milhões fossem destinados a autocarros electricos que podem transportar não apenas 5 mas 50 passageiros, era mais bem empregue.

  13. Silva says:

    Primeiro, não são 8 mil milhões, são 8 milhões. De que forma é que esse investimento seria melhor? Que autonomia têm os autocarros elétricos? Quanto custam? Que infraestrutura seria necessária. Enfim.

    • RC says:

      Custam muito e reduzem muito o custo de operação, há cidades já com milhares deles em operação, a média anda pelos 300 km por carga, na maioria dos casos nem nem metade usam.

    • Fernando Pereira says:

      Quando se vê no centro de uma cidade meia dúzia, se não mais, de autocarros a poluir o ar , acho que isso seria um bom beneficio/investimento . Certamente que uma autonomia de 600 KM dava para economizar mais em CO2 do que os 600 Km de 1 veiculo ligeiro . O custo, nem que fosse 10 x mais do que os 50 K de alguns ligeiros, certamente que teríamos retorno . As infraestruturas , não é problema. O local ondem aparcam certamente que tem condições para efetuar as recargas. A vontade da mudança para que todos usufruam é que é pouca. Enfim….

  14. Silva says:

    Isso é simplesmente falar sem qualquer tipo de fundamento, sem saber custos, desafios, benefícios. Apenas chuta para a atmosfera opiniões, mais nada. Quer tornar um problema complexo em algo de simples, como se fossem todos burros e o Fernando um génio, que mesmo sem perceber nada do tema, tem todas as soluções na algibeira.

  15. Silva says:

    Quais argumentos? Deu algum? Apenas opiniões sem fundamentação, que depois não chega a concluir. Que virar o bico ao prego? É que o primeiro a ficar sem resposta fui eu, portanto ficamos esclarecidos.

    • RC says:

      Hein ?

      Você não fez o mesmo ? afirmou que não se sabe, eu disse que sabia, e perguntei quais são as duvidas ?

      Sobre financiamento eu perguntei para quê, para o carro, para a luz ?

    • RC says:

      Ah, já percebi, financiamento dos 8 milhões ?

      Esse dinheiro vem do fundo ambiental, não é financiamento, ou gasta ou devolve.

      Entre no site do Fundo Ambiental, está lá tudo e também onde o dinheiro é usado, do mesmo que serve para fazer ciclovias, passadiços, investimento em transportes públicos, comparticipação dos passes, etc,etc,

  16. Silva says:

    Mas quais 8 milhões? Não invente… Para os 8 milhões, não preciso de explicação. Era mesmo para o seu “projeto” de mobilidade elétrica. Mas deixe estar, desfrute o natal e não perca tempo com coisas que, pelos vistos, nem faz ideia.

    • RC says:

      Para o meu projeto ? não tenho projeto nenhum, comprei os veículos, instalei painéis e pronto, o dinheiro que ia literalmente para queimar, uso-o para meu proveito.

      Faço, tanto que fiz…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.