Quantcast
PplWare Mobile

GNR publica vídeo com manobras super perigosas com motas

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. lino says:

    O Cabrita anda de mota?

  2. Carolina Costa says:

    não vou criticar pois faço igual, muitas vezes la vou na ma minha cbr, uma bocado de fita cola e é sempre a enrolar punho.. quem anda assim já tem a perfeita noção dos perigos que correm, mas o pior mesmo são os carros que se atiram para a outra facha nas AE’s sem dar piscas.. por isso é que muitas vezes prefiro passar pela direita

  3. . says:

    Pois, é isso mesmo …

    Os outros é que têm de cumprir e sem falhas ou erros…

    E talvez por essas maneiras de ser estar este mundo esteja como esta …

    regras ?!

    Sim, mas para os outros ….

    Enfim…

  4. jorge santos says:

    Não consigo ver o vídeo. Vejo o espaço em branco onde deveria estar mas não mostra absolutamente nada.

  5. alt.menino says:

    GNR vs INFLUENCERS…..

  6. Há cada gajo says:

    O que são manobras perigosas, afinal ? Ir a 230km/h ?

    • SANDOKAN 1513 says:

      Não é,por acaso ?? Ai ir a 230 km/h não é um procedimento errado ?? Não me diga que ainda é pouco.Só faltava agora essa.

      • nuno a says:

        nao digo que ir a 230 seja um procedimento certo, não é, mas andar a 230 num veiculo concebido para andar a 299 em segurança não é inseguro, o problema são os sítios e as condições em que se anda a 230, de todos os acidentes que vi de moto independentemente da velocidade, alguns são curvas mal calculadas logo se dá um despiste, mas a maior parte são culpa dos automóveis.
        É muito fácil para um condutor automóvel incluindo eu também se distrair, nos seus próprios pensamentos, banco confortável, ac, musica, conversa com outros passageiros etc, isto não acontece quando se esta a conduzir um motociclo.
        O foco é completamente diferente, todos nós motards temos de estamos em cima do acontecimento mesmo que não o queiramos, o peso da moto, esforço fisico, a deslocação do ar, a inclinação, a deslocação do corpo na travagem, na aceleração tudo isto são factores que nos obrigam ou ate forçam a ter foco.
        O que me causa medo a andar de moto são os condutores desatentos.
        Eu como estou em ambos os lado percebo isto mas a maior parte dos automobilistas não, eu quando ando de moto consigo perceber se o automobilista que vai á minha frente tambem anda de moto pela maneira como coloca o carro na estrada ao se aperceber da minha presença, por outro lado por muitas vezes estive perto de ir ao chão a baixa velocidade porque não utilizam os espelhos não olham, não utilizam piscas, vao ao telemovel etc etc.

        • HL says:

          Para os motards a culpa é sempre dos outros claramente…

        • André Martins says:

          Compreendo tudo o que disseste, a sério. E confirmo que os automobilistas podem-se “distrair” com mais facilidade…mas…o teu texto vai sempre, um pouco ao encontro dos automobilistas.

          Mas os motards são um exemplo a seguir? Não..são exactamente o que são os automobilistas..humanos. E há os atentos, e os distraídos.

          • nuno a says:

            existem maus exemplos em 2 e 4 rodas não estou a por isso em causa, mas o factor atenção tem um peso grande e o motard esta e mais alerta que o automobilista em condições idênticas ( estrada transito tempo etc etc)
            Cumprimentos

          • V.T. says:

            Então se assim é, porque preferem sempre atacar motociclistas e ciclistas(que infelizmente também têm culpa no cartório)? Porque não focam aqueles que mais matam e provocam vitimas mortais no nosso país que são… os automobilistas?

        • Ricardo Carvalho says:

          Subscrevo. Como motard e automobilista confirmo que o nível de atenção de alguém que conduz uma mota é extremamente mais elevado do que quando se conduz um carro, levando por vezes, dependendo dos trajetos, em casos de viagens longas quase à exaustão psicológica (quem não é motard, mas já teve que estudar a sério para exames da faculdade deve perceber ao que me refiro).
          Por natureza não sou muito de “enrolar o punho” e conduzo sempre na defensiva quando ando de mota mas quando ando de carro, os erros e as distrações acontecem, como a qualquer um, e isso põe muito mais em perigo e causa muito mais acidentes do que uma mota a 200km/h na autoestrada. Um exemplo típico: mota na faixa da esquerda a ultrapassar um carro na autoestrada, o carro não se apercebe da mota e começa a manobra para ultrapassar o carro em frente, e de repente apercebe-se da mota e volta a faixa da direita. Só esta manobra que parece tão simples e demorou meio segundo pode fazer com que o motard se enfie nos rails, vá a 200 ou 50, pois o instinto é travar e virar a mota para não bater. Entao se for alguém com pouco experiencia, lá vai mais um para as estatísticas…
          É perigoso andar de mota ou de carro a 200? É. Quem causa mais acidentes e com danos colaterais? Os automobilistas sem dúvida.

        • Pedro F. says:

          Acho piada toda a gente a criticar para no fim chegar à conclusão óbvia…
          A culpa é dos 2…
          Acusam os que andam de mota de se fazerem passar por especiais e defendem quem anda de carro só para no fim admitir que a culpa é dos 2…
          Se é dos 2 não vale a pena defender.
          E é óbvio que cada um puxa a brasa à sua sardinha mas pelos comentários dá para ver mais que bem quem anda de carro e quem anda de mota.
          Isso só por si já revela que somos todos tendenciosos a defender “o nosso lado” com a ligeira diferença que quem anda de mota geralmente também anda de carro mas o contrário já não se aplica…

        • TiagoC says:

          Concordo Nuno!

      • Há cada gajo says:

        Pois, ira a 230 km/h não é uma manobra perigosa. É difícil perceberes. Tal como outros não percebem, mesmo as autoridades. E é por isso que invariavelmente vamos andar a falar nisto ano após ano, época festiva após época festiva, verão após verão… sem resultados ! Não me admira muito pois por cá são poucos os que usam a cabeça.

  7. SANDOKAN 1513 says:

    Até arrepia ver o vídeo.Agora ainda por cima anda por aí uma loucura com o raio das moto 4 que eu nem vos conto.Em todo o lado se vê esta m**** de motos.

  8. SANDOKAN 1513 says:

    Eu que não passo dos 100 km/h e já vou ali com muita prudência e por vezes com o coração nas mãos em certas estradas,imaginem o que é andar a mais de 200 km/h !! Se tiverem um acidente é praticamente morte certa,infelizmente.

    • Pedro F. says:

      É para garantir que em caso de acidente não ficam como os gajos que vão a 100km/h…
      Isso de viver numa cadeira a comer por uma palhinha é muito mau.
      Principalmente agora que a venda de palhinhas é proibida…

  9. Sardinha Enlatada says:

    Algumas pessoas nunca vao ter respeito pelos outros nas estradas. Tem o potencial nas maos e dao-lhe gas ate estourar.

  10. nuno a says:

    deixo aqui o seguinte pensamento:
    Se um motard vai em velocidade alta quanto muito tem direito a multa ou suspensão da carta , mas quando vai em alta velocidade e um carro muda de faixa sem sinalizar e ocorre um acidente a culpa é de quem? do motard porque ia em alta velocidade ou do condutor do carro que causou o acidente porque não sinalizou a manobra ou utilizou os espelhos?

    • Pedro F. says:

      O problema de sempre… 2 infrações igualmente más mas uma tem um número grande associado…
      É como o gajo que vai a conduzir a respeitar todas as regras e leva de frente com um acelera que se despistou mas no final de contas é culpado porque tinha bebido uns copos e passou do número legalmente permitido…

    • Kito says:

      A culpa é efectivamente do condutor da viatura porque não sinalizou a mudança de faixa no entanto, se o condutor da mota for dentro dos limites de velocidade, poderá eventualmente reagir a tempo da manobra não sinalizada do condutor auto, será ou não? Por isso é importante tanto automobilistas como “motards”, não ultrapassem os limites de velocidade, ou se ultrapassarem que seja dentro de certa razoabilidade, aquela percentagem permitida, vcs sabem…julgo eu.

    • Pedro says:

      A culpa é dos dois como é mais do que óbvio. Se o automobilista tivesse assinalado a mudança de faixa não havia acidente, se o motard fosse a cumprir os limites de velocidade, conseguia defender-se da asneira do automobilista….simples

    • Ru says:

      Isso é facílimo. A culpa é dos dois. Nenhum deles cumpriu o código de estrada. E não há nenhuma desculpa possível a dar. O código de estrada pode não ser o melhor, mas é para cumprir.

    • Há cada gajo says:

      A mudança de faixa é a manobra perigosa.

    • Ricardo Carvalho says:

      E se a mota fosse abaixo do limite de velocidade e mesmo assim levasse com o carro que não fez o sinal?? Interessa mesmo de quem é a culpa se o gajo da mota se enfiar num pinheiro na berma da estrada e ficar paraplégico ou morrer porque o Dr. que vai de carro não lhe apeteceu fazer sinal? Episódios destes é mato na estrada.
      Eu costumo dizer, quando ando de mota até o olho do c& vai aberto, porque o cinto de segurança e o airbag são os meus ossos…

  11. HL says:

    Que perguntinha… Que voltas se tenta dar para ver se desculpam os que andam de mota. Na estrada toda a gente tem que dar prioridade aos meninos, toda a gente tem que se desviar para as madames passerem, ultrapassam de qualquer maneira mesmo que tenham linha contínua, passam pelo meio dos carros como se fosse algo normal, aceleram que é uma coisa doida, depois fazem perguntas como esta onde a resposta é mais que óbvia, que a culpa é dos dois, mas fazem mais numa de se fazerem de coitadinhos. É pena os policias não multarem mais e o governo não obrigar os mesmo a andar como se fossem carros. É pena.

  12. SteveRobs says:

    Se não é para se dar essas velocidades então pq é que permitem que se vendam veículos, neste caso motas, que o permitem?

    É como ser legar a venda de armas e depois esperar que quem as compra não as dispare!
    Pois …. É só para ficar a olhar para elas.

    Hipocrisia dos governos!

  13. Narciso Miranda says:

    Pena nao mostrarem é quandos carros nao fazem pisca, viram sem olhar, vão ao telemovel…e acertam sempre num coitado de uma mota…

    • Vitolas says:

      Curioso que, conheço bastante gente que tem motas e sempre que caíram foi sozinhos, sem a interferência de terceiros, e é assim que caem a maior parte das vezes, sozinhos. Para alem que, os dois acidentes que tive foram ambos com a malta das motas e em ambas as situações foram em entroncamentos onde os excelentíssimos senhores acharam por bem ultrapassar quando eu ia virar para a esquerda porque não podem esperar como os outros e onde o que ganharam foi serem culpados, danificarem as motas e ainda se aleijarem.

    • Rui Costa says:

      Está tambem a falar do “coitado de uma mota” que está a passar no meio das filas de transito?

  14. PedroLeal says:

    o melhor de tudo neste video ainda são as 50cc na AE hehe

  15. Dr.Dre says:

    Vejo aqui muita gente com inveja dos motociclistas, ou é impressão minha? Tanto ressabiamento não é normal… Vale o que vale a minha opinião e a minha experiência como motociclista, mas a verdade é que a única vez que me magoei a circular de moto foi por causa de um sacana qualquer ter derramado óleo numa curva…e pronto, não vale a pena dar mais pérolas a porcos, porque “haters gona hate”…

  16. falcaobranco says:

    Não estou de modo algum contra este tipo de iniciativas por parte da GNR em alertar para os perigos mas em certas circunstancias, as nossas leis estão muito ultrapassadas em relação ao estado das nossas estradas e os carros actuais… mas sinceramente tambem enquanto nao houver CIVISMO na estrada, nunca se vai mudar nada…

  17. Vasco says:

    Conduzir moto no dia a dia e nas vias publicas é para gente fria, com perfeito autodomínio e que não seja adepto da velocidade. Só esses sobrevivem e mesmo assim apenas graças ao sexto sentido ganho através de muita experiência, no que diz respeito à capacidade de prever os erros dos outros utilizadores da estrada. A esmagadora maioria acha que conduz muito bem e nada lhe acontece… até acontecer. Conduzir moto é uma arte ao alcance de poucos e não implica de todo o uso de velocidade excessiva, mas que todos tenham a certeza de que o para-choques da moto é sempre o motociclista… Confiar na sorte num acto tão simples como uma deslocação diária para o trabalho, por exemplo? É que nas circunstâncias actuais, com a falta de civismo que reina nas estradas portuguesas e com os problemas mentais que afectam uma elevada percentagem da população, conduzir uma moto é tudo, menos dar primazia à segurança.

  18. Tuga apenas no tutano says:

    Estou a ver mal ou até havia Famel metidas ao barulho… Andam assim tão rápido??

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.