Quantcast
PplWare Mobile

Radares de Velocidade: Quase 12 mil condutores apanhados (só numa semana)

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. cardoso says:

    Carrega Costa, que o povo gosta! Dizem que é para prevenção

    • Vitor Tavares says:

      Não tenho dúvidas que o limite de velocidade é para prevenção…mas se o povo gosta de “brincar” o Costa só tem que agradecer as “contribuições voluntárias” de alguns (muitos) condutores! Seria muito pior se em vez de “contribuições voluntárias” fossem impostos obrigatórios!

    • Manuel da Rocha says:

      Fonte da Telha, Almada.
      Entre 2016 e 2019, morreram 9 pessoas, em despistes violentos, com menos de 26 anos de idade. Culparam a estrada (uma quase recta de 4km), que tinha sido asfaltada em 2016. Na pandemia, mais 7 mortos, um carro com 3 morreram todos, novamente jovens até 24 anos de idade. No final de 2021 (creio que faz agora 1 ano), colocaram lá 2 radares, um deles a meio da recta e outro no acesso da Charneca da Caparica. Desde aí para cá, 1 acidente que foi um pneu ter rebentado e o condutor, um idoso que reside na Aroeira, embateu num muro, só provocando pequenos danos. Até as empresas de reboques se andam a queixar, que chegavam a ser 50 acidentes, a cada fim de semana, agora não há nada.
      (Numa das pontas há 3 grandes discotecas e dá acesso ás discotecas da Costa da Caparica.)
      Por isso, afinal a culpa é dos radares, que acabaram com os acidentes e despistes.

  2. Realista says:

    Não é caça à multa, dizem eles…

    • Vitor Tavares says:

      Nem é necessário ir “caçar”…as “presas” apresentam-se voluntariamente!

    • José da Apatia says:

      Deviam fazer isso todos os dias. Na Suiça é permanente, por exemplo. Não são socialistas. São, ou ficam, mais cívicos.

    • Manuel da Rocha says:

      Se impedirem 50000 acidentes e impedirem 10 vítimas mortais, que venham mais 2000000000000 caças à multa.

      • Há cada gajo says:

        Não impedem nada. A velocidade não mata. Se matasse não teríamos rallies nem qualquer desporto automóvel. O que mata e no qual não se investe é o comportamento, é a educação. Esse é que é o problema. E o governo sabe disto, claro. Mas como sabe que o povo é parvo, acena-lhe com a farsa da prevenção para receber mais receita. Não tenhas ilusões.

        • Silva says:

          Claro que não, são todos parvos, você e que percebe disto. lol

          • Há cada gajo says:

            Sabes quem eu sou por acaso ? Não sabes. Devias pensar um pouco mais sobre as a coisas. Pensar pela tua própria cabeça, claro. E não seres só mais um. Claro que ainda és novo. O tempo dirá. Um dia saberás.

        • Silva says:

          “Sabes”? Companheiro, não andámos na escola juntos, que me lembre. E não sei quem é nem quero saber, mais um ilustre que acredita ser o galo da copeira. Essa conversa de pensar pela própria cabeça já é antiga, típica que quem não percebe nada dos assuntos mas acredita que, no fundo da própria ignorância, domina todos os temas da atualidade. Espero então pela sua chegada, tipo Messias.

  3. SANDOKAN 1513 says:

    Quase 12 mil condutores apanhados só numa semana é muito pessoal,muito mesmo.Tudo por excesso de velocidade.Dá mais de 1.700 condutores apanhados por dia.É bastante.E estamos a falar só no excesso de velocidade.

    • rjSampaio says:

      gostava de saber se é malta “repetente” ou é a primeira vez, se calhar numa unica semana é pouco mas de um modo geral,.

      • SANDOKAN 1513 says:

        Quase 12.000 condutores apanhados por excesso de velocidade numa semana num país pequeno como Portugal é “pouco” ?? Eu nem acredito no que leio. 😐

        • Manuel da Rocha says:

          Em muitos sítios é pouco. Sei de 3 semáforos, que não possuem radar, em que ficam vermelhos, por excesso de velocidade, muitos carros (e falo em centenas, por dia) passam lá a 170 a 200kmh, em zonas residenciais. Ainda há pouco mais de uma semana, um rapaz espetou-se contra o muro de uma vivenda, a 206kmh, a menos de 100 metros de um desses semáforos. Culpou um ouriço, que atropelou e que o fez perder o controlo do BMW. Curioso que o seguro dele pagou o arranjo do muro, mal terão lido que ia a mais de 200kmh numa zona de 30kmh, como indicam os sinais que não teria visto, tal era a velocidade. O ouriço é que morreu e acabou por não ser acusado de nada.

  4. Rrrrrrrr says:

    Mas se há um limite por lei… qual é o mal?

    • Vitor Tavares says:

      Na minha opinião o único mal é as multas serem baixas…

    • Mr. Y says:

      Não adianta vires com esse argumento pois terás como resposta: existe limite mas a velocidade é demasiado baixa ou porque não faz sentido estar ali porque naquele local não há assim tantos acidentes.

      É chato uma pessoa andar a 120 numa via de 3 faixas sem ninguém onde se pode andar a 180? É, mas não é transgredindo a lei que vai fazer com esse limite aumente. A lei é essa tem de se cumprir mesmo que se discorde.

      • RicM says:

        A maioria das queixas não tem a ver com esse cenário, mas com velocidades de 50Km/h em vias com 3 faixas em linha reta e com visibilidade a grande distância que tornam a condução mais perigosa pelo facto do/a condutor(a) ter que se concentrar no velocímetro e, desse modo, tirar os olhos da estrada. Dou como exemplo a Avenida Lusíada em Lisboa, no sentido Benfica-Hospital Stª Mª, em que tirar o pé do acelerador não é suficiente pois com a inclinação descendente acentuada não há maneira de manter o carro abaixo do limite sem estar focado no painel e a travar constantemente. Ou há, ir a 30Km/h em 2ª. No lado oposto, que tem inclinação ascendente, consegue-se ir no limite mas a ter que trocar constantemente de mudança pois a 3ª já pede outra e a 4ª fica a morrer; super saudável para o motor…

      • Rrrrrrrr says:

        Não concordo.
        Esse cenário pode fazer sentido, em condições perfeitas.
        Quanto maior a velocidade menor o tempo de reação e maior o perigo.
        A estrada pode estar vazia, mas pode ser de noite, pode um animal atravessar a estrada, podem estar detritos ou buracos na estrada, pode estar nevoeiro…
        Arranjem lá uma velocidade dinâmica tendo em conta o tipo de condições.
        Se chegar 5 minutos mais cedo faz tanta diferença, é sair 5 m minutos antes.

        • xxx0pt says:

          No exemplo dele usou a Av Lusiada que não tem qualquer passadeira nem é suposto andarem peões, é a direito e há muita visibilidade, acreditas que a mudança para um limite de 80 contra os 50 atuais mesmo com chuva e nevoeiro causaria mais acidentes? Para isso e por essa ordem de ideias o melhor é reduzir a 2ª circular e eixo Norte Sul também para 50Km/h não? Até tem mais entradas e saídas e muito mais transito…

      • polik says:

        E ser apanhado a 70 numa via com as 3 faixas sem trânsito para nenhum dos lados, em que o limite é 50?

        Av. Santos e Castro, Lisboa

        • JP says:

          Já aconteceu à minha esposa. Aqui temos dois temas distintos: 1º O limite de velocidade, que realmente está desenquadrado – questão que se repete noutros locais;
          2º – O incumprimento do limite, que é indicado, é visível e para muitos até aparece no programa de GPS do carro/smartphone.
          No 1º, devemos discordar e tentar mudança, no 2º temos que cumprir, e se não o fizermos, estamos sujeitos a apanhar multa, conforme o código da estrada.

  5. Foram avisados says:

    O governo já tinha dito que iria investir X, em novos radares, porque esperava receber X+Y, em multas…

    • Silva says:

      Mas isso é normal. Quem é apanhado, não e obrigado a ir em excesso, certo? A sorte de muitos é que as autoridades não multam por estacionamento selvagem, rotundas feitas a direito e não cumprimento da sinalização, por exemplo. Senão em vem de 12.000 eram 50.000. Ai sim, era um mimo para o erário público, para a segurança de todos e para as escolas de condução.

      • Pepe says:

        Dá trabalho, é mais rentável o radar e menos esforço

        • Manuel da Rocha says:

          O radar também reduz, brutalmente, o número de acidentes.
          Desde que o colocaram no acesso à Fonte da Telha, em Almada, num ano só lá existiu 1 acidente ligeiro. O normal chegaram a ser, mais de, 50 num só fim de semana, de verão.
          Aqueles 2 radares (há outro no concelho ao lado na estrada que dá acesso a essa), já salvaram muitas vidas… passando também muitas multas.

  6. compro essa também says:

    Se saírem à rua podem ver tanta infração que deita por terra quer os 60% mencionandos como a teoria da caça à multa.

    Atualmente perante o que se pode ver nas estradas penso que ninguém é multado ou não se via tanta infração, é isso que se depreende facilmente.

    397 atropelamentos e fuga e milhares de acidentes …

    É necessário e urgente muito mais policia na rua e mais radares sem qualquer tipo de duvida.

    A situação actual é intolerável, porque não se pode andar em segurança na rua, seja a pé ou mesmo de carro…

    • pepe says:

      Dá trabalho, é mais rentável o radar e menos esforço… E já agora dêem aumento salarial aos radares… Contribuem mais que a polícia. Há dias eu queria sair do prédio com o carrinho do bebê em vialonga e estava um carro estacionado no passeio… Telefonei a polícia e aconselharam a eu falar com o meu vizinho para tirar o carro para eu passar… Ou seja lugar cativo e eu q me f… Conclusão, o passeio cheio de óleo é q é bom… Polícia trabalhar? Tá quieto. Ovelhas defendam lá a bófia vá…

      • pH says:

        Essa foi a resposta que eu recebi quando tinha um carro estacionado com uma das rodas em cima da rampa da garagem: “ah e tal temos ordens para não multar e falar antes com as pessoas”.
        Trabalhar custa, ter radares a fazer o trabalho por nós é bem mais fácil. O problema é que 90% ou mais das infrações cometidas diariamente saem impunes (incorreta circulação nas rotundas, falta de piscas, estacionamentos, falar ao telefone, etc.), por falta de controlo e vontade da polícia que anda na rua. Triste mas a é a realidade.

  7. PM says:

    Percebo que se respeitem os limites de velocidade, pois eles são definidos considerando inúmeras variáveis, segurança incluída. Agora a constante ladainha que a principal ou uma das principais causas dos acidentes ser o excesso de velocidade é que não vai com nada. E que tal fiscalizarem inspeções aos veículos, manobras perigosas, falta de sinalização, utilização de telemóvel, animais soltos dentro dos carros, álcool e outras substâncias, etc. etc.? Pois, dá mais trabalho para obter a mesma receita…

    • pepe says:

      Dá trabalho, é mais rentável o radar e menos esforço

    • Rrrrrrrr says:

      O principal motivo pode não ser a velocidade… mas pode ser um forte indício.

    • Manuel da Rocha says:

      Sei de 2 radares que comprovam que 99% dos acidentes tem origem em velocidade excessiva em qualquer situação (maioria há outras anexas, como excesso de álcool ou drogas e sonolência).
      Em 4 anos 17 pessoas perderam a vida em pouco mais de 4000 metros de estrada. Culpavam a estrada por ser uma semi recta e exagerarem no acelerador. Chegaram a passar de 50 acidentes entre a noite de sexta e madrugada de segunda, nalguns casos estava a polícia a prestar assistência e acontecia outro a menos de 2000 metros dali.
      Desde que os radares lá foram colocados, num ano inteiro, só existiu 1 acidente, ligeiro. Um idoso a quem rebentou um pneus e ficou encostado a um muro de uma casa. Coincidência?
      Não sei quantas pessoas já lá terão sido multadas, no verão, os jovens exageram e chegavam a fazer ali corridas. Agora mudaram-se para Marisol e Charneca, onde é habitual aparecerem carros enfaixados em muros ou rotundas destruídas, nas madrugadas de fim de semana.

    • Há cada gajo says:

      Também, mas principalmente : educar, educar e educar. É “só” isto, mas custa muito e não dá receita.

  8. Vasco says:

    Faltam câmaras nos semáforos. No domingo à noite vi três carros a passar o vermelho aceso um tempo antes. Assim sem mais e consecutivamente.
    Podem arrecadar muito mais dinheirinho e fazerem-nos o favor de tirar ao mesmo tempo essa gente da estrada, senhores governantes?

    • Silva says:

      Isso é que era, retirar esses animais da estrada, criando mais segurança para todos, e os cofres do estado também gostariam.

    • Pepe says:

      Dá trabalho, é mais rentável 9 radar e menos esforço

    • Manuel da Rocha says:

      Isso vejo todos os dias…
      De uma varanda da casa dos meus pais, é visível um semáforo de velocidade. Durante o dia, maioria param. Durante a noite, ainda aceleram mais quando vão disparados e o sinal fica vermelho a 120 metros de distância. Cá parar, não podem, estão com pressa. Nas noites de chuva, é fácil encontrar peças, espalhadas pelos passeios e baldios. Como os passeios são altos, lá ficam as peças.

  9. PedroC says:

    Aqui só se vê Srs Perfeitos
    Não excedem nunca o limite de velocidade (mesmo em locais estúpidos)
    Nunca falham um pisca
    Nunca pisam uma continua ( nem para ultrapassar um autocarro numa paragem)
    Nunca passam um semáforo em laranja ( mesmo quando têm tempo para parar antes)
    Se tudo fosse filmado, 99% dos que estão aqui a comentar eram multados

    • RicM says:

      Isto é só gente que pode cuspir à vontade para o ar que nunca lhes cai em cima…

    • JP says:

      Não, isso só você é que diz. Aqui não há perfeitos, há apenas quem queira cumprir e ande atento: temos sinalização, até temos sistemas com mapas e GPS que nos avisam da velocidade e se a estamos a exceder. Isso é comentário típico de que não cumpre, não quer cumprir nem percebe/aceita como é que alguém cumpre. Nós fazemos a nossa parte, faça a sua. E sim, já fui multado por excesso de velocidade. O que fiz? Assumo, paguei e comecei a andar mais atento.

      • PedroC says:

        Onde é que no meu comentário vê que eu não cumpro?
        Quem falha não tem direito de criticar os outros se também falham e falhamos TODOS, por isso o meu comentários aos srs perfeitos (que não existem, mas alguns pensam que são)

    • Rrrrrrrr says:

      Mas estás a dizer que não se deviam passar multas? Ou que todos devíamos ser multados se cometermos uma infração? Apoio o segundo!

    • Manuel da Rocha says:

      O problema é existirem muitos como você.
      Cá andar a 30kmh se não há carros nos 7000 metros da estrada. Vá de meter a 6 e ir a 290kmh que se demora muito menos… até ao dia que se enfaixa, morre ou mata alguém e lá se foi o herói.

      • PedroC says:

        Se fossem todos como eu, estava tudo bem… eu tento cumprir com o código da estrada TODO, não é só a velocidade. Mas perfeitos não existe e você não é excepção.

  10. Pepe says:

    É inconcebível zonas em Lisboa, com 2 vias para cada lado, livres de passadeiras e pedestres o limite seja 40km/h e seja ultrapassado por trotinetes elétricas… É inconcebível o limite mínimo de velocidade aumentar e o máximo não, mantendo o mesmo limite desde o tempo da carroça, não falo 250km/h mas uns míseros 140 já não era mau e não me venham com tretas que é por seguirmos a norma europeia porque os alemães têm autoestradas sem limite numa das vias. É inadmissível venderem automóveis que dão quase 300 km h e não os limitarem e não me venham falar que estão porque nunca ouvi falar de Porsche Ferrari Lamborghini com limitador, vendem o pecado e vivem à custa dos erros dos outros como se o erro nunca fosse do estado mamador de quase 50% de imposto automóvel, imposto único de circulação, portagens, imposto sobre combustível etc etc etc … Podes comprar o foguetão mas não podes voar ou levas multa. Maldito estado fascista mentiroso e omissor da verdade. Malditos os que sendo ovelhas concordam… Chamo a isto de falsa segurança, não multam os que conduzem mal ou que estacionam mal mas em estradas livres a perder de vista e sem ninguém impõem limites estúpidos para muitos pagarem… Vão trabalhar…

    • JP says:

      Eu também gostava de poder andar mais rápido em determinadas vias, mas a verdade é que a sinistralidade em Portugal é brutal, e a principal causa é o excesso de velocidade. Em relação ao não se multar, por exemplo, o estacionamento selvagem, estou totalmente de acordo.

  11. pepe says:

    E quem me prova que os radares estão a ler bem a velocidade? Mostrem-me um documento válido por uma entidade certificada e técnica… Só naquela… Ah e tal mas eles têm e tal… Sim… Sim… Já pedi e nunca vi nada

    • JP says:

      Neste momento quando recebe a multa já vem com essa informação. Assim pode ficar mais descansado. Convém é tirar o pé do acelerador.

    • G. says:

      Se for um radar SINCRO o certificado vai junto com a multa. Para alem disso os carros marcam mais KMs de velocidade do que vão na realidade, dos meus 3, 1 tem uma diferença de 5KMS e os outros 2 tem uma diferença de 8kms.

    • Manuel da Rocha says:

      Pode pagar 6 milhões de euros, que um advogado e juristas lhe podem tentar essa.
      O problema é que no final do processo, você paga 6 milhões de euros a esses, paga 1700 euros da multa e ficar sem carta, caso tivesse mais de 1,2 de álcool.
      Por isso é que é mais fácil pagar os 700 euros da multa, perder 3 pontos e para a próxima não exagerar.

  12. falcaobranco says:

    O que me enerva mesmo, mesmo, mesmo…é o pessoal a 80 na faixa do meio, isso sim, fico f…….

    • JP says:

      A mim enerva-me mais ter que me desviar nas rotundas, porque a maioria não as sabe fazer ou faz a direito; Sair de casa e ter uns espertos a ocuparem a entrada da garagem, em segunda fila, em zonas de proibido estacionar, em cima de passadeiras, nas curvas, nos passeios, nas paragens de autocarro, nas raias, no traçado amarelo, nos traços contínuos, nas rotundas, etc… , quem acelera depois de ver o vermelho, quem acha que as faixas de aceleração têm prioridade, quem não faz pisca, quem vai na esquerda nas auto estradas com pisca feito a fazer máximos, para poder ir a mais de 200km/h sem abrandar, quem muda de faixa no ultimo segundo, para passar à frente dos outros. Esse é o menos mau. Se vão na do meio, é só ultrapassar pela esquerda.

  13. Luis says:

    Na minha opinião deviam era controlar melhor a utilização do telemóvel. As multas por excesso de velocidades já sabemos que são fáceis de obter para os cofres públicos. Se reinvestissem esse dinheiro para termos melhores estradas nacionais, com menos buracos, melhor iluminação / visibilidade, etc. Mas não, é uma vergonha o que se vê por todo o Portugal.

  14. asdrubalinex_ says:

    Somos um país de Pilotos

  15. Infinity says:

    Também só é apanhado em excesso de velocidade quem quer.

    • Jonathan says:

      Realmente, acho um número muito baixo para número de carros fiscalizados.

      Fazendo as contas, estamos a falar de:
      99.521% – Condutores cumprem os limites de velocidade
      0.479% – Condutores infratores

      Se olharmos apenas para números, parecem bastante animadores.

  16. Há cada gajo says:

    A velocidade não mata. O comportamento, esse sim. E não se investe em educação, como é óbvio, pois isso acabaria com a receita. Os novos radares de Lisboa custaram 2 milhoes de euros e as receitas foram orçamentadas em mais de 10. Só não vê quem não quer. Prevenção ???? Mas alguém quer saber disso ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.