PplWare Mobile

Código da Estrada: Qual deve ser a distância entre veículos


Fonte: IMT

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. aj says:

    do que eu vejo diariamrnte é, o mais proximo possivel, assim chegam mais cedo ao destino.

  2. ToFerreira says:

    Gostava de saber quantas multas são passadas diariamente por isto, em oposição ao excesso de velocidade.

    • José Rodrigues says:

      Sempre que uma equipa de acidentes se desloca a um acidente que tenha sido uma colisão traseira, averiguadas as circunstâncias, há lugar a levantamento do respectivo auto de contra-ordenação. São levantados muitos. Tirada a distância lateral de segurança, é difícil levantar auto por não haver forma de saber se a distância é segura ou não.

  3. iFernando says:

    Só não entendo, como é possível andarmos a conduzir um veiculo durante mais de 50 anos, sem necessitarmos de saber o código da estrada em vigor.
    Só precisamos saber na data do exame de código.
    Não há qualquer esforço das autoridades de transito em informar todos.

    • José Rodrigues says:

      O código da estrada aprende-se na escola de condução e em casa. As forças de segurança só têm como missão verificar o cumprimento do mesmo por parte dos condutores.

      • iFernando says:

        O código aprendes na escola 1 vez na vida, depois conduzes durante 50 ou 60 anos sem precisares de mais nada.
        Sabes a diferença entre o código da estrada de há 40 anos e agora?
        Nem os Espanhóis e Franceses sabem circular nas nossas rotundas…

  4. LSousa says:

    A distância necessária para parar um veículo em segurança é muito subjectiva, pois depende de várias variáveis: tipo e condição dos pneumáticos, tipo e condição dos travões, reflexos do condutor, tipo do condutor que nos precede… Eu cá quando vejo alguém a querer ir rápido até me desvio para ele passar, agora existe muito artista que vai a 10kmh em zonas em que não se pode ultrapassar e passa logo para velocidades supersónicas mal existe oportunidade de ultrapassar passando novamente para velocidade tartaruga mal fica uma via sem permissão de ultrapassagem…

    • Joao Magalhaes says:

      Opa, eu também não gosto deles mas 1 ou 2 minutos a mais não vai matar ninguém de certeza, para mim o problema é quando eu vou dentro do limites de velocidade, deixo distância de segurança e existem sempre os idiotas que acham que aquilo é um espaço para eles quando ultrapassam onde não devem. O ideal era a policia começar a aplicar a devida multa para quem não cumpre mas depois lá vem o tipico português desrespeitador a dizer que é caça à multa, resultado, vamos ter sempre isto na estrada

  5. Einstein says:

    Pior é quando vou de mota e as pessoas insistem em andar coladinhos a Mim!!!

    Se eu cair não terão tempo de travar, logo IREI SER ATROPELADO MORTALMENTE ! ! !

    POR FAVOR DÊM DISTÂNCIAS AOS VEICULOS SOBRETUDO ÀS MOTAS, PENSEM SEMPRE SE ELE CAIR SERÁ QUE VOU TER TEMPO DE TRAVAR ? ? ?

    • Paulo L says:

      O mesmo se pede ás motas, respeitem os carros, não ultrapassar pelo meio de duas vias, não sair de trás para a direita passando pelo meio de 2 veículos, respeitem os sinais, etc.

      Muitas vezes vou trocar de faixa, sou grande fã do pisca e por isso uso sempre (99% das vezes), olho para o espelho da direita, tenho espaço, olho para a frente para calcular o ângulo com base no carro da frente, e quando vou iniciar a manobra, olho para o espelho da direita outra vez para garantir que sigo tendo o espaço e lá vem uma moto que sai de trás do outro carro em ultrapassagem pelo meio das duas fachas.

      Querem respeito, respeitem o mesmo código que os carros.

  6. João Coelho says:

    Qual a distância? É a distância necessária e suficiente para travar em segurança e evitar o obstáculo!

  7. Carlos says:

    Sou condutor de automóveis e motociclos. Faço milhares de quilómetros por ano em ambos. Enquanto motociclista observo que os carros não circulam o mais à direita possível, não deixando espaço para que os motard ultrapassem. O maior problema dos acidentes das motas tem a ver com os recentes condutores das 125 cc que fazem coisas insensatas. Todavia, o maior perigo vejo-o enquanto condutor de carros, pois as asneiras são mais gritantes. Só o facto de os automobilistas conduzirem com o telemóvel na mão a enviar sms e afins é pior do que conduzir com alguma taxa de alcoolémia. Comportamentos errantes que dão origem a acidentes motas. Nas motas não há disso.
    Os portugueses parecem ladrões de automóveis a conduzir.
    Não respeitam peões, ciclistas e motociclistas, os mais vulneráveis. São gangsters a guiar. É o xico espertismo nacional nas estradas.

    • Ricardo says:

      Já viste alguém conduzir em contra mão numa rotunda, via rapida ou auto estrada por estar a mexer ou a enviar mensagens num telemovel? Eu nao. Mas o contrario ja vi…

  8. Carlos says:

    É caso de especialista.
    Já me desviei de um velho na saída de uma autoestrada. Vinha a entrar nela. Tive de sair na seguinte 30 km depois, caso contrário era morte certa.

  9. Carlos says:

    https://pplware.sapo.pt/informacao/usar-o-telemvel-a-conduzir-aumenta-23-vezes-o-risco-de-acidente/

    Aqui os números são claros para quem usa telemóvel a conduzir. A multa devia ser de 1000 euros. E mesmo assim não chegava. O português é incivilizado. É o maior.

  10. José Rodrigues says:

    Foi a resposta à sua afirmação de que deveriam ser os agentes fiscalizadores de trânsito a ensinar o CE. Defendo o mesmo que o Senhor, que na hora de renovar a carta ver se o condutor está ou não ciente das regras de trânsito actuais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.