Quantcast
PplWare Mobile

Carros elétricos são menos poluentes que os a combustão

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Luis Henrique Silva says:

    Isso já se sabia, embora há pessoas que lá batem na mesma tecla das baterias, embora elas são reaproveitadas, da maneira como anda os preços dos combustíveis, mais as pessoas vão mudar depressa para os eléctricos

    • Nuno says:

      Deixa estar que quando houver só VE, os impostos vão incidir todos sobre os VE, ou achas que o Governo vai desistir de cobrar impostos sobre os VE ?

      Basta serem ai uns 30% de VE em circulação e vais ver.

      Ainda há quem acredite no Pai Natal. lol

      • IonFan says:

        E nessa altura, que tipo de impostos achas que vão haver sobre os veículos a combustão e respectivo combustível?

        • José Fonseca Amadeu says:

          Então mas o idealizado não era que nessa altura fosse proibida a venda e circulação de veiculos a comustão ?

          • IonFan says:

            “Basta serem ai uns 30% de VE em circulação e vais ver.”. Pois é, estava-me a esquecer que nessa altura os restantes 70% andam de carroça…

  2. José Rodrigues says:

    Daqui a nada já não irá é haver matéria prima para tanto estudo ou debate. Mas pronto. Viva o novo seculo 21.

  3. Pedro says:

    O lobby dos veículos a combustão é incrível. Hoje fui colocar gasóleo simples no meu carro e, pela primeira vez na vida, paguei 1,50€/litro. Este é o preço que eu sempre disse que seria o limite para deixar de ter carro a gasóleo.

    Hoje em dia não há desculpa para não ter um EV. São bonitos (VW Golf-E, Peugeot 208E, Ford Mustang Mach-E ou o Tesla Model 3) e têm boas baterias. Se eu tivesse de escolher entre um eletrico ou combustão seria, sem dúvida, EV.

    • Nuno says:

      Bem…
      Quanto à questão do preço do combustível fóssil, em cada 100.00€ abastecimento, 60.00€ são impostos. 40.00€ é o preço do combustível.
      Quanto aos EV, bem, só de olhar para os preços desisto logo, EV só são interessantes para Empresas, particular, esquece.

    • frango says:

      com 1.500 euros fazes a festa e tens a gas a 0.70c…em vez de dares 50mil para poupares o ke?

    • TiGaSPT says:

      Desculpa mas esses carros que falaste sao autenticos crimes à industria automobilística e sao os mais feios que existem, voces e que vao todos à baila das modas e esquecem-se que estao a ser feitos combustíveis sintéticos que fazem o mesmo que os a gasolina de agora e poluem muito menos e nao quero saber do que os outros dizem, vou continuar a andar com o meu carrinho a gasolina ate não poder mais, EVs nao sao o futuro

      • IonFan says:

        E a energia para produzir combustíveis sintéticos vem de onde? Ou achas que a energia libertada na combustão é magia? No caso dos combustíveis fosseis foram milhões de anos de fotossíntese, no caso dos sintéticos vai ter que ser produzida pelo homem, tudo para depois ser queimada com 30% de eficiência contra 90% se tivesse sido carregada num EV. Ou seja, só pela parte da energia, um carro a usar combustível sintético precisa de 3x mais e, portanto, será 3x mais caro. Agora junta o impacto do custo do equipamento de produção (e as perdas de eficiencia deste), distribuição (e aqui também as perdas) e do armazenamento.

      • Bruno Garcia dos Santos says:

        Felizmente começo a ouvir alguém inteligente, ufa
        Pois só vejo iluminados, ou parolos como se diz na minha terra, não fazem ideia do que falam, mas como é moda bora dizer que os VE é que são ecológicos.
        1 ninguém está preocupado com a parte ecológica, muito pelo contrário, ou então seria utilizado o hidrogénio, energia limpa fácil acesso(água) e barata…. Não polui, não usa baterias manutenção quase nula e pode ser abastecido em qualquer cozinha ou casa de banho….

        Quem diz que os combustíveis fósseis estão a esgotar tem de se informar um pouco melhor, os minerais utilizados no fabrico de baterias são 100x mais raros que o petróleo

        Acreditem no que querem, ou falem só para mostrar que existem…. Chamados os verdadeiros “iluminados”

        Bons carregamentos a todos, que eu vou ali beber água

    • Hélio Musco says:

      A desculpa é o preço. Continua muito caro adquirir um EV, enquanto um a combustão são bastante mais acessíveis principalmente se usarmos o mercado de usados.

      • Peace says:

        A desculpa é a falta de soluções para carregamento, principalmente nos grandes centros urbanos, bem como o tempo que o carregamento leva. Ou tens uma garagem para carregares em casa à noite, ou não existem grandes soluções. Aqui na mesma zona apenas conheço 1 posto de carregamento e fica num centro comercial. Em tempos normais (sem covid), os carregadores estão sempre cheios de UBERs.

    • Redin says:

      Pago 60 cent/litro no meu GPL.
      80% menos poluente e numa fase de transição confortável até conseguir chegar a um elétrico ou hidrogeneo.

  4. Fabio Antunes says:

    Quando tiverem carregamentos rapidos para 1000 klm,pode ser que o pessoal adira aos electricos,para mim ainda não estão no ponto de substituir os a combustíveis fósseis..

    • Seal says:

      1000km é pouco.
      Nem sequer dá pra ir a Paris comprar um fromage…

    • Rodrigo says:

      E quando finalmente tiver carregamentos rápidos para 1000km ja ira comprar ou vai usar outra desculpa para nao aderir?

    • Nuno says:

      VE não compensa, só para empresas, então só o preço de trocar baterias…
      O que poupas não te chega para trocar baterias.
      Queres ver que os VE não fazem manutenção ?
      Vai ver os preços da manutenção (mão de obra).

      São várias as razões para não compensar o investimento.
      E acima de tudo estamos em Portugal, em que temos uns ordenados fora de órbita.

      • Nonnus says:

        A sua pergunta “Queres ver que os VE não fazem manutenção ?” prova o quanto você não faz a mínima ideia do que esta a falar.

        Respondendo a sua pergunta. Fazem, mas não com a mesma frequência. Pastilhas de travão duram 150 000km ou mais, pneus fazem 90 000km ou mais, por exemplo os pneus de trás do meu carro neste momento tem 110 000km e os da frente foram mudados aos 90 000km, desafio-o a fazer o mesmo num carro a combustão. Como não mudam óleo, correias e afins, pode-se dizer que a manutenção é muito inferior. Quanto aos preços das poucas intervenções que tem são os mesmos. Fica o conselho, informe-se antes de dizer asneiras.

        • barf says:

          Qual é o valor da troca das baterias no teu carro? Qual o tempo de serviço delas? Podem ser trocadas apenas células ou é por inteiro? Quando custa a obra para instalar o carregador em casa? Se é que é possivel fazê-lo. Ou fica-se dependente de terceiros para carregar o carro?
          E quanto aos pneus conheço quem faça 90 mil com os mesmos. Por isso nada de extraordinário. É obvio que é sempre bom que se poupe mais por troca. Por norma eu faço 70 mil mas também ando bastante e em AE. Mas não estamos a falar no game change da questão que é mesmo o preço das baterias. Falar de pneus e mudanças de oleos e travões são peanuts. É claro que tudo somado tudo conta. Mas se ao fim de 10 anos me pedirem 10 mil euros para trocar as baterias…eu não gasto 10 mil em manutenção em 10 anos no de combustão. Mas isto sou eu a mandar valores ao ar porque já vi um leaf a ter de trocar baterias e a valerem quase tanto como o valor do carro, por motivos vários e até um pouco alheios ao preço real. Mas que para o consumidor nada importa a nao ser o que vai pagar para ter o carro disponível de novo.

          • IonFan says:

            No meu caso, com um Model 3 LR, as baterias custam AGORA 11.000€. Não é algo que me preocupe porque sei que duram, na pior das hipóteses, uns 400.000km e, caso avariem depois da garantia, nessa altura vão custar bem menos.

            Não é necessário instalar carregador em casa. O carro carrega a partir de qualquer tomada doméstica. Caso seja necessário fazer mais que o que a tomada permite carregar diariamente (cerca de 150km durante a noite), dá para instalar uma tomada industrial (duplica a velocidade de carregamento) por uns 50€ ou um carregador de parede por 500€ mais instalação (não mais que 300-400€ para os casos mais complexos).

        • Bruno Garcia dos Santos says:

          Mas os pneus também são eléctricos? Quando liga a ficha eles voltam a crescer? Ou são 90.000km em cima do atrelado? Pastilhas 150.000km já vi que não passa dos 40km/h mas há quem utilize o carro para se deslocar e não para passear o cão

      • RC says:

        Então quanto custa as baterias ? sabe ?

        Ou consultou uma bola de cristal ?

    • Fabio says:

      Contam-se pelos dedos das mão as vezes que a grande maioria das pessoas faz 1000km de seguinda a conduzir, mas pelos visto é o argumento que a maioria usa como desculpa. Não podem parar 30m para descansar e carregar a bateria a 80%? Enfim…

    • Rui Girão says:

      Para? com 400 já fazes 3 horas de viagem seguidas e paras 30 minutos para descansar e carregar para 80%, na Tesla já é possivel isto, vais ser um heroe e fazer 10 horas seguidas? duvido…

      • José Fonseca Amadeu says:

        Tu paras 30 min a cada 3 horas e viagem? Eu paro 10 min a cada 6/8 horas.

        • Toni da Adega says:

          Isso é muito tempo perdido, tudo que seja menos de 12h de nem vale a pena parar.

        • Iris says:

          És o maior! Dão-se cartas de condução a tipos que pensam ser melhor que os outros todos e que a sua genética deveria ser base de estudo para melhorar as capacidades dos outros humanos.

          Como sempre os outros estão sempre todos errados, o código e os organismos oficiais não interessam para nada. Pelo menos não diga ser um individuo que consegue conduzir muito bem quando está alcoolizado.

          É que ‘existem’ muitos que dizem saber controlar-se muito bem e conduzir muito bem sobre o efeito do álcool.

          O IMT na ficha técnica de Fadiga e Stress diz:

          • Fazer uma pausa, em viagens longas, pelo menos de duas em duas horas. Nas pausas é importante que o condutor se movimente, beba líquidos estimulantes, ou coma alguma coisa.
          Se possível, o condutor deve também fazer uma pequena sesta para
          retemperar forças.

        • IonFan says:

          Conselho do IMT: ” Fazer uma pausa, em viagens longas, pelo menos de duas em duas horas. Nas pausas é importante que o condutor se movimente, beba líquidos estimulantes, ou coma alguma coisa. Se possível, o condutor deve também fazer uma pequena sesta para retemperar forças.”

          http://www.imt-ip.pt/sites/IMTT/Portugues/EnsinoConducao/ManuaisEnsinoConducao/Documents/Fichas/FT_FadigaeStress.pdf

          • IonFan says:

            É pergunta de exame. É melhor não fazer nenhuma asneira ao ponto de ter que ir tirar novamente a carta… Pelo menos esta pergunta vai falhar.

        • IonFan says:

          No “Guia do Herói ao Volante 2021” vem que as pausas devem ser de 10 minutos a cada 6/8 horas ou, se tiver o nível de Super Herói ao Volante, de 5 minutos a cada 1000km. Infelizmente não encontro o link 🙁

          • José Fonseca Amadeu says:

            Devem fazer muitas viagens vocês..
            Todos os anos faço férias de inverno, quando vou para Espanha, França, Suiça levo sempre carro porque gosto do passeio, não conheço ninguém que faça viagens dessas que faça paragens nem de 4 em 4h, quando mais de 2 em 2h. Mais depressa troco de lugar com a esposa que paramos, isto é igual em toda a gente que faz viagens longas.
            Vivi muitos anos nos US e habituei-me a atravessar estados de carro, muito comum as pessoas revezarem-se e até dormirem.
            Estão formatados à tugolândia que é tudo ali ao lado, para vocês uma viagem é ir ao algarve passar as férias de verão, eu dou por mim a ir ao algarve almoçar e voltar no proprio dia ou no dia a seguir.

          • Eu says:

            José todos os algarvios fazem isso!
            Almoçar por lá, também é costume deles 😀

          • Toni da Adega says:

            Cada um tem nocoes diferentes de férias. Para mim passar dias inteiros dentro de um carro não é a minha definicão de férias.

            Prefiro meter-me num avião e assim poupo 2 ou 3 dias em viagens.
            Já tenho saido do trabalho e sexta á noite já estou a dormir no Hotel, sábado de manha a gozar as férias.

          • José Fonseca Amadeu says:

            Toni, então experimenta enfiar 5 pessoas num avião com roupa de inverno, fatos de neve, 3 conjuntos de ski + botas + protecções, + 2 conjuntos snowboard + botas + protecções e ir de avião.
            Só em viagem e transfers são uns 2500/3000€, fora a logistica, de carro faço a festa por 500/600€ e não tenho problema de logistica, saio de casa com equipamento e deixo à porta no hotel.

          • IonFan says:

            2500/3000€? O que é isso para quem escreve como o José escreveu ali noutro artigo?
            “Eu sou um free spirit, quantas vezes não acordo a um sábado de decido só porque sim ir ao algarve passar uns dias ou ir até madrid ou sevilha, preferia cortar os pulsos bem devagar que ter de planear todos os passos que dou e ter de planear viagens com tempos de pausa, paro para abastecer, compro um gelado e sigo viagem, não perco tempo a “esticar pernas” ou fazer tempo em estações de serviço, quando paro para comer faço-o em restaurantes, raramente encontro carregadores.
            Dou muito valor à minha liberdade, e sou mais livre a pagar combustivel e estar dependente do mercado do petroleo do que não pagar 1 centimo para me deslocar e ter de levar o itenerario todo comigo.”

        • Iris says:

          Lá está você com desculpas. A dizer que todos fazem e que ninguém respeita. Primeiro o senhor não conhece os milhões de pessoas que conduzem diariamente e como o fazem. Segundo se você vir outros atirarem-se da ponte também vai?

          Trocar de lugar com outro condutor é uma solução mais segura e provavelmente a única aconselhada. Somos todos super-heróis até nos acontecer algo a nos ou aos outros por nossa causa!

          Até noutros pontos ligados com a saúde isso faz mal, por exemplo, deve beber bastante agua por dia para evitar desidratação e problemas com os rins como” “pedras” e isto leva a que pelo menos em menos a cada 2 hora tenha de urinar. Como acha possível ser saudável psicologicamente e fisicamente conduzir durante tantas horas?

          Faz mal à coluna, faz mal a muitas coisas. Ninguém é de ferro e quando os sintomas começam a aparecer até é capaz de ignorar o facto de fazer este tipo de coisas como se nada fosse. Uma pausa pequena que seja não se perde assim tanto tempo.

          Tenham mais juízo.

  5. g says:

    Como podem comparar o peso dos metais perdidos com o peso do petróleo consumido? nao seria mais justo comparar o impacto ambiental da extração da matéria prima para um carro eléctrico vs carro a combustão?
    Alem disso, penso que actualmente o processo de reciclagem dos metais ainda nao compensa monetariamente e energeticamente do que extrair material “novo”.

    Na minha opinião, tanto um como o outro e com a tecnologia corrente, são problemáticos em termos ambientais pois a matéria-prima é limitada, a reciclagem do material é reduzida e os processos de extração sao igualmente prejudiciais para o ambiente.
    Seria interessante incluir veículos a hidrogénio no estudo.

    • Rodrigo says:

      Os veiculos a hidrogênio utilizam baterias tal como os V.E.

      • Nuno says:

        Sim utilizam, mas a diferença é ENORME.
        Carros a Hidrogénio utilizam uma bateria pequena de 1,6 kWh, que serve exclusivamente para a fase de arranque e para assegurar os picos de potência.
        Veículos eléctricos utilizam baterias de 40, 60 ou 100 kWh.
        Carros a Hidrogénio ou a célula de combustível, produzem a sua própria energia.
        Veículos eléctricos, retiram a sua energia da rede eléctrica.

        O futuro obviamente, será de carros a fuel cell, célula de combustível ou Hidrogénio, como lhe queiram chamar.

        • Sateliko says:

          A tecla que ouvimos há mais de 20 anos, não são, nem nunca serão, o hidrogénio será usado provavelmente na aviação, indústria naval e como depósito nas industrias.
          O uso do hidrogénio num automóvel tem uma eficiencia energetica a rondar os 20 e poucos %, num EV passa os 90% é ligado somente À tomada. No hidrogénio, é produzido(consome quantidades absurdas para a hidrolise), é transportado e reservado, tudo a temperaturas e pressões altas que consomem mais energia.
          Os carros a fuel cell sao basicamente um EV com outra fonte de energia, até em termos de regeneração são para esquecer, quando chegarmos a esse ponto já as baterias têm uma densidade energetica bem maior e com velocidades de carregamento superiores, como vamos assistir já com as celulas 4680 da Tesla e provavelmente estará para breve as de estado sólido.

          • Nuno says:

            Se bem entendi, o Governo de Portugal vai cometer um erro ao investir 7 mil milhões de euros no Hidrogénio ?

          • G says:

            Os painéis solares também só têm uma eficiência de 15%-30% e mesmo assim são cada vez mais utilizados para produção de energia. A sua reciclagem é muito reduzida e os minerais são extraídos à custa de muita energia, água e mão de obra explorada. É difícil dizer qual a melhor opção a longo prazo porque todas as tecnologias têm as suas desvantagens.

          • Toni da Adega says:

            @G
            Nao esquecer do promenor que a central de hidrogénio irá ser maioritariamente alimentada por painéis solares. ISto porque para a geracao de hidrogénio é necessario uma quantidade enorme de electricidade.

        • Toni da Adega says:

          E esse hidrogénio como é criado? Com energia eléctrica. Para se ter hidrogénio é necessário uma uma central eléctrica.
          A energia eléctrica necessária para abastecer 1 veículo a Hidrogénio dá para abastecer 2 a 3 carros eléctricos.

          • Redin says:

            A mais valia do hidrogénio está na capacidade de armazenamento para consumo noturno ou indisponibilidade.
            Não é sustentável um armazenamento por baterias.

          • Toni da Adega says:

            É verdade que a mais valia do hidrogénio está na capacidade de armazenamento. Mas é necessario 3x mais energia.

            Por exemplo se tivermos uma central electrica com capacidade de producao para carregar 1000 veiculos electricos, com mesma central electrica só possivel produzir energia para 300/350 veiculos a hidrogénio.

          • José Fonseca Amadeu says:

            Não importa a quantidade de energia necessária desde que seja possivel o seu armazenamento para posterior abastecimento.
            É melhor que ter um carro limitado em distancia e cuja pegada ecologica não é medida com a extração de metais e com a disposiçao dos mesmos.
            Se quiserem falar em green, um carro a hidrogenio é 90% mais green que qualquer EV.

          • IonFan says:

            @José Fonseca Amadeu, como assim não importa a energia necessária? Já me respondeu a um comentário a dizer que a infraestrutura para suportar os EVs sería megalómana, mas agora acha que ter se produzir 3x mais energia é na boa?

          • José Fonseca Amadeu says:

            A questão é mesmo essa, ser armazenavel, tipicamente a energia que se produz em casa para carregar os EVs não é armazenavel, logo que importância tem a energia consumida para produzir hidrogenio? Podes até produzir hidrogenio só em vazio, que vai ser mais rentavel a longo prazo que carregar os EVs em casa.
            Que me digam que ficaria mais barato num racio de 1 para 4 ou 1 para 5 o electrico face a ter de comprar hidrogenio a 4 USD o KG, eu concordo em absoluto, mas será que isso vale os shortcomings dos EVs?

          • IonFan says:

            @José Fonseca Amadeu, a electricidade produzida em casa não dá para ser armazenada? Já ouviu falar naquela coisa nova que inventaram agora chamada “bateria”? E quem não pode armazenar em casa pode injectar na rede para ser armazenada, por exemplo, em barragens. A maioria da hidroeléctricas actuais já permite armazenar energia bombeando agua de novo para a albufeira, que ainda assim tem mais do dobro da eficiência do ciclo do hidrogénio.

            E acha que é viável a produção e armazenamento de H2 em casa de forma segura? Se o seu vizinho decidir produzir e armazenar H2, vai ficar descansado?
            https://www.electrive.com/2019/06/11/norway-explosion-at-fuel-cell-filling-station/

          • RC says:

            @José Fonseca Amadeu

            Então e como faz fuel cells sem minerais ? pode começar pela platina, cobalto, grafite, entre muitos outros. E tem outro problema, a platina no final de vida de uma fuel cell, que é curto, entre 5 a 10 mil horas de uso, equivale a 200 mil kms, ela simplesmente desaparece, nem pode ser reutilizada por já não existe.

            Se as fuel cell fossem boas já se usavam em massa, já que é uma tecnologia bem explorada, à mais de 50 anos e sempre fracassou para uso em veículos e até em outros.

          • RC says:

            E já agora, é errado dizer que o impacto não é medido, esta mesma entidade em abril de 2020 publicou um artigo com esses impactos.

        • José Bacalhau says:

          É capaz de ter razão. Há pouco tempo comprei um carro à minha filha recém-licenciada. Estudei a a questão com algum cuidado e rapidamente concluí que para o tipo de utilização dela a coisa não funcionava. Ela tem que fazer trajetos tipo Évora-Lisboa e de vez em quando Lisboa-Algarve, para além de utilização diária em cidade. Economicamente um pequeno utilitário a gasolina é imbatível. Talvez um Tesla funcionasse mas é muito caro e na autoestrada vejo-os sempre a 100km/h, o que não augura nada de bom em termos de autonomia. É uma tecnologia ainda muito insuficiente exceto na utilização diária citadina em exclusivo.

        • RC says:

          O governo não está a investir em hidrogénio para carros, mas sim para a industria que usa gás como fonte de energia. Já que em veículos nunca vingaram, porque simplesmente não são viáveis, ou está interessado em pagar 20 a 25 euros para fazer 100 kms ?

    • RC says:

      Isso já foi feito, leia o estudo da mesma entidade de abril do ano passado.

      Google: “T&E how electric”

  6. Rui says:

    Enquanto as baterias não durarem aí uns bons 15 anos pra n dizer 20 anos como tenho o meu carro n mudo!!!
    Nada melhor como ter um super 5 são os mais fiáveis e os melhores

  7. Joaquim andre says:

    Ja agora depois de haver tanto carro eletrico que nao faz poluição, resta saber a quantidade de poluição que haverá para produzir a tao desejada Electricidade. Alguem se habilita a responder????

    • RC says:

      Não é preciso responder, leia os restantes artigos da mesma entidade.

    • RC says:

      Já agora, o que pensa que faz mais poluição, um veiculo com 80 % de eficiência desde a fonte de energia até à roda, ou um que tem entre 20 a 30% desde o deposito até à roda (ficando de fora toda a extração, transporte e refinação)

      Pois é, após isso deixa-se de fazer perguntas tolas como a que fez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.