PplWare Mobile

O que se prepara a Microsoft para apresentar amanhã sobre o Windows 95?


Apaixonado por tecnologia, encontro no Pplware a forma ideal de mostrar aos outros os meus conhecimentos e de partilhar tudo o que me interessa neste intrincado universo

Destaques PPLWARE

  1. Roberto says:

    Vão disponibilizar o código

    • Turning-tables says:

      De algo de 1995? Que dádiva estaram então a fazer. Código obsoleto é apenas nostalgia, não tem interesse.

      • Tecnical says:

        Ainda que não tenha interesse nenhum para ti, para quem desenvolve tecnologias de compatibilidade pode ser muito benéfico (wine, por ex).
        Apesar de estar obsoleto e ia permitir perceber como as coisas funcionam sem recorrer a artimanhas (existem muitas funcionalidades não documentadas).

        • Turning-tables says:

          Espera lá, tu queres desenvolver para o Windows 95? Li bem? Tecnologias de compatibilidade com o Windows 95?
          Se queres um conselho, muda urgentemente de projectos, porque quem tos impõe está a fazer te muito mal.
          Queres perceber o quê? Mas há alguma coisa de mágico no Windows 95 para tu queres perceber?
          fora até fiquei curioso para saber quais são os teus interesses no Windows 95. Podes explicar sff?

  2. Luís Teixeira says:

    É incrível como ainda chamam de sistema operativo ao Windows 3.XX ? Sinceramente estudaram onde?!

    • AlbertoSilva says:

      Quando se nasçe, somos seres humanos com apenas alguns centimetros de comprimento, com o decorrer dos anos vamos crescendo, quer fisicamente assim como mentalmente, bem, neste ultimo caso, por vezes alguns param no tempo. Outros continuam a evoluir. Faz parte da vida.
      Para vir escrever não nasceu ontem. Mas, tenha a idade que tiver, quando nasceu, pela sua logica de ideias, andou aqui por andar. TUDO NA VIDA TEM A SUA IMPORTANCIA NO SEU TEMPO.
      O seu comentário é puramente lamentável. Naquele tempo isso era importante quanto agora é o atual sistema. Daqui por um bom par de anos. Por essa ordem de ideias, voçe está completamente ULTRAPASSADO. Isso é certo. Tudo nasce,cresce, reproduz e morre. É o ciclo de TUDO.
      Agora pergunto eu. Em que planeta esteve desde que nasceu.

      • Carlitos says:

        Ele tem razão. O Windows 3.1 e demais não era um sistema operativo, era um ambiente gráfico que corria em DOS. DOS é que era o sistema operativo.

        Para alguém que escreve sobre informática e é licenciado na mesma, saber um pouco de história não fica mal.

        • iSheepNot says:

          Por essa ordem de ideias todos os sistemas operativos actuais não são mais do que interfaces gráficas sobre seja o que for.
          O que está errado. A forma como se interage com um sistema operativo é também, na sua essência, parte do sistema operativo. Mas não faz parte do core do sistema operativo.

          É o mesmo que dizer que o volante (interface gráfica) não faz parte de um automóvel, apenas o motor (core) porque o motor é que é o verdadeiro automóvel.

          Não vale a pena ser demasiado detalhista do que o necessário. Senão vejamos. Se se tirar toda a parte gráfica do Windows 95 onde é que irias aplicar aquilo? Sobre o unix? Foi feito para correr sobre o MS-DOS e vendido como parte integrante de tal fomo que vendido em separado não faz sentido. Portanto é parte do sistema operativo. E, querendo ou não, esse conjunto MS-DOS + (aquela) Interface gráfica é o sistema operativo Windows 95! Quando não tem Interface gráfica chama-se apenas MS-DOS.

          Agora, tirando isso, qual é a tua opinião sobre o artigo em si?

          • Rui says:

            Amigo, o seu silêncio vale mais do que as suas palavras.
            Decididamente não faz ideia do que seja um sistema operativo.
            Eu simplifico para si.
            Até ao Windows 95 o Windows não passava de uma máscara para executar comandos do sistema operativo (dos).
            Podia efectuar qualquer comando na linha de comandos. O Windows era apenas um interface.
            Com o Windows 95 tornou-se impossível fazer boot apenas para a linha de comandos.
            Sendo o ambiente gráfico indissociável do sistema operativo.
            A linha de comandos continuou a existir mas só se acedia a ela depois do ambiente gráfico arrancar.

            Por isso o Windows 95 é considerado um sistema operativo e o Windows 3.11 não.
            O Windows 95 era baseado no Windows NT que também ele funcionava da mesma forma, sendo esse o primeiro sistema operativo gráfico lançado pela Microsoft.
            As diferenças são mais profundas mas seria maçador para vocês explicar, no entanto acho que de forma simplista expliquei.
            Temos de ser precisos quando munidos de um curso superior explicamos algo aos outros. De contrário caímos no risco de induzir quem menos sabe em erro.
            A história e precisão do nosso passado constrói o nosso futuro.
            Não basta dizer que temos um curso e fazer artigos simplistas.

      • orgasmo says:

        Alberto Silva, você tem um bonito discurso, mas pelos vistos nem sabe do que está a falar, o windows 3.xx não é nem nunca foi um sistema operativo…

        perca um bocado e vá estudar a história que está disponível na Internet, pode ser que aprenda algo…

      • Tiago Ferreira says:

        AlbertoSilva sem dúvida o melhor comentário até hoje escrito para este legos na matéria que nunca criaram nada, nunca passaram dos reis do teclado, mas que por mais que critiquem o Windows, usam-no todos os dias, mesmo dizendo mal… Mas eu pergunto, o que seria do mundo sem Windows? Deixávamos de ter caixas ATM por exemplo… entre muitos outros serviços públicos. Parabéns pelo seu comentário 🙂

    • Vítor M. says:

      Luís, pior é não saber ler. Isso sim é preocupante. Porque embora de forma corrente, simplista se diga que o Windows sempre foi um sistema operativo, neste texto em particular refere que “Foi em 1995 que a Microsoft mostrou ao mundo uma das maiores evoluções que já lançou no campo dos sistemas operativos. Até esse momento, apenas o Windows 3.1 estava disponível e o Windows 95 veio revolucionar as interfaces e a forma como os utilizadores usavam estes sistemas.”

      Diz que é um sistema operativo na sua génese?

      Não, não diz, mas saber ler é importante Luís. Vá, bom dia 😉

      • Nuno Peixoto says:

        É o que acontece quando não sabemos ler. Aproveitamos logo a oportunidade para dar uma de cabotinos! 🙂

      • Marco says:

        Saber ler e escrever é importante.

        Embora nao diga que é, o texto leva nesse sentido.

        Off-topic:
        Alguém modera os comentários dos administradores?

        • Rui Machado says:

          Apoiado, leio muitas vezes o pplware, os comentários do Vitor M. embora por vezes acertados quando falham mostram muita arrogância e incapacidade de assumir erros.
          Errar é humano.
          No caso em questão todas as pessoas com o minimo de conhecimento sabem que o windows 3 3.11 e workgoup’s eram apenas ambientes graficos em cima de um sistema operativo que podia ser MS-Dos (microsoft) DR-DOS (digital research) e PC-Dos.
          Infelizmente acredito que o Vitor ao escrever não se tenha recordado e embora o texto não o diga explicitamente leva as pessoas a acharem que o windows 95 foi o sistema operativo que substitui o windows 3.11, na verdade veio substituir no ambiente gráfico sendo que o 3.11 era apenas um ambiente gráfico muito ao genero do GEM Paint, aplicativo similar surgido bem antes do windows.

          Na época que eu conheça apenas dois sistemas operativos existiam com ambiente grafico incorporado indissociável do sistema operativo:
          Mac-OS (Apple)
          OS2 (IBM)
          surgindo depois então o windows 95 que era na epoca uma variante do NT.

          Abraço e tenham calma tanto os comentadores como os moderadores…..

          • Vítor M. says:

            Não façam birras porque não erramos, e não escrevemos só para os pseudo-mega sabichões (que é malta TOP), escrevemos para todos. Depois, como referi com toda a humildade de quem vos lê e que não vos ignora nem vos trata com números, deixei no mesmo tom amistoso que o Luís Teixeira usou, as considerações que acho importantes.

            Sobre esta tua frase “No caso em questão todas as pessoas com o minimo de conhecimento sabem que o windows 3 3.11 e workgoup’s eram apenas ambientes graficos em cima de um sistema operativo que podia ser MS-Dos (microsoft) DR-DOS (digital research) e PC-Dos.”

            …tu sabes que o que dizes não é verdade, estás a levantar uma ideia errada. Grande parte das pessoas não sabe que o Windows 3.11 sequer existiu, quando mais saber que era ou não um sistema operativo. Mas, mesmo muitos sabendo que existiu, de certeza que lhe chamam sistema operativo, e já nem se lembram do DOS 😉

            Sobre o Macintosh Operating System é outra coisa boa e que também teve o seu caminho até ao dia de hoje.

            Mas obrigado pelo comentário, pelo menos deste aqui um ou outro dado que ajuda a perceber o “problema” levantado pelo Luís 😉

            Abraço e bom fim de semana.

          • Turning-tables says:

            Não escreves só para pseudo-mega sabichões, mas escreves muito para incultos, para gente que são praticamente analfabetos tecnológicos. O problema é que o Portugal para quem tu escreves já mudou um pouco. Malta a estudar são aos pontapés.

          • Vítor M. says:

            Mudou, mas o que está para trás, ainda continua bem desconhecido. Muita gente ainda desconhece a história e julga que tudo começou “um destes dias”, por isso é importante enquadrar e dar como exemplo casos práticos.

          • mico says:

            oh Vitor, olha que estou de fora da contenda, mas sou do tempo do MS-Dos, Unix, programei RPG2, Cobol, Assembler, etc…
            Agora é linguagens finas para pessoas finas com mãos delicadas, confesso que não percebo das mesmas porque a minha carreira profissional foi depois toda noutro sentido. Piratear passwords dos colegas com ecrans ficticios em sistemas s36 e as400 da IBM era um must. A melhor frase que eu li foi…
            “Power off in progress…”

          • Turning-tables says:

            Mico, partia pedra portanto. Era realmente uma coisa de paciência de ferro, mas também o que se pagava dantes era bem mais do que agora. Ainda me lembro de ler num jornal que o salário pago a programadores, ainda nem acabado a licenciatura, e já batia e bem o salário dos meus pais. Nessa altura pensava que tinha acertado na escolha e que iria ser tipo médico ou juiz, em questões de salário claro.
            Em relação às linguagens de hoje em dia, os motes são abstração, isolamento, reduzir ao mínimo side effects, portanto, nada de apontadores malucos, nada de goto a saltar para qualquer lado, etc. O que se ganha com isto? Segurança, estabilidade, performance e aglomeração de software. Sim já sei que me vai dizer que faz um algoritmo que calcula algo que eu não consigo bater em termos de performance numa linguagem alto nível. Mas isso são coisas pequenas e muito isoladas.

          • mico says:

            Turning tables, nao vou dizer nada quando tens razao.
            Era mesmo o tempo da tecnopedra eh eh eh.
            Linguagens dificeis, uma variavel errada, um indicador interruptor numa folha rpg em vez de ligar era para desligar… horas perdidas.
            Sempre vi a tecnologia como uma ferramenta para aumentar a capacidade do ser humano e atingir objetivos, e nao como castradora, a tecnologia ser o fim em si, como o caminho que leva a tecnologia para o povo. Mas tal já era expectavel à época. Sim, programador na altura ganhava muito. embro-me de estar num café com um amigo e de lhe dizer que havia pessoas com sorte, que o meu formador de Rpg ganhava 300 contos na altura porque era um Masterkey de uma empresa e que era bom. Numa mesa ao lado levantou-se uma senhora na altura e que me disse que tinha ouvido a conversa e que a sorte se procurava. E deu-me o cartao de visita dela de uma Seguradora e disse-me que quando finalizasse o RPG para ir falar com ela se quisesse iniciar a carreira… depois veio a tropa e pronto, não estava destinado.
            Abc e Bom Natal

      • Filipe Ferreira says:

        Vítor. Eu sei ler. Leio muito bem já há muitos anos. E mesmo não sendo uma questão importante, ao ler o texto, interpretei exactamente como o Luís Teixeira.
        “….lançou no campo dos sistemas operativos. Até esse momento, apenas o Windows 3.1 estava disponível” dá a entender que esta a colocar tudo no mesmo “saco”. Acredito que não tenha sido essa a intenção. Acredito que o Vítor sabe perfeitamente que o 3.11 não é um sistema operativo. Mas é esse entendimento que sobressai. Nada de grave e que acontece inúmeras vezes, quando o emissor transmite uma mensagem e é rececionada de forma diferente do objetivo. Nada de grave. Grave é não ter ficado com essa noção e ter colocado uma resposta, no mínimo, deselegante.

        • Vítor M. says:

          Sim lançou no campo dos sistemas operativos, alias, as bases dos sistemas operativos atuais da Microsoft são estes sistemas como o Windows 3.1. Está simples de perceber, não diz que o Windows 3.1 é um sistema operativo de génese. Não tem nada de deselegante, apenas respondi ao Luís na mesma alegre ironia, de uma escola que ele fala onde é importante saber ler e interpretar. Sempre dentro da elegância de ajudar a esclarecer 😉

          Não sejam virgens ofendidas 😉

          Aquele abraço.

          • Filipe Ferreira says:

            A ultima vez que ouvi essa ” das virgens ofendidas”, foi de uma deputada que sinalizou a presença de um outro na Assembleia da República e que veio discursar toda cheia de razão, rematando com essa celebre frase. És administrador do forum, tens responsabilidades acrescidas em relação a um vulgar comentador. E por isso, e na minha opinião, não te podes deixar tentar em responder no mesmo tom. Deverias dar o exemplo.
            Mas é só uma opinião. 😉

          • Vítor M. says:

            Lá está, é preciso educar e alguns têm de ser educados a dialogar, trocar ideias e não ficarem ofendidos porque alguém troca argumentos. Filipe, é assim que se deve estar na vida, e não esconder a mão que atirou a pedra 😉 não há cá superioridade ou elevação de ego, é falar com as pessoas para que aprendam a estar no online, como estão na sociedade, com inteligência. Mais que dar opiniões, tens de dar exemplos 😉

            Abraço.

    • Luis says:

      O Luís tinha duas vias, uma era mostrar a arrogância típica das caixas de comentários para se sentir superior e assim puxar pelo próprio ego rebaixando os demais, outra era fazer um comentário pela positiva tentando clarificar uma questão que de importante pouco ou nada tem, mas que certamente serviria para trazer uma pouco da história do Windows e SO. O Luís optou pela primeira opção! Cada um que tire as suas ilações…

      Sobre a frase “Sinceramente estudaram onde?!”, seria preocupante que qualquer curso de informática ou estudante andasse a perder tempo com estas histórias. Isto é coisa para curiosos e/ou “cotas”.

    • Luis Silva says:

      Pronto vamos lá acabar com as guerras….

      https://pt.wikipedia.org/wiki/Windows_3.x

      sei que tens razão mas não precisavas de falar assim 😛

      aqui na própria wiki diz mesmo isso windows 3.x era um ambiente gráfico que corria sobre o MS-DOS, que ao inicializar o PC iniciava o MS-DOS e depois tínhamos de digitar WIN na prompt de comandos do MS-DOS.

      Acho que estamos todos esclarecidos……

      • PAULO SILVA says:

        Ou podiamos por na pasta «arranque» o comando win e voila! ja arrancava sempre em modo windows 🙂
        pena que a maior parte dos programas rodava em DOS…
        (era do meu tempo…)

    • PAULO SILVA says:

      Se alguém quiser tirar dúvidas, tenho o MS-DOS 6, o win 3.0, 3.1, 3.11, Win 95 A/B/C, WIN 98 /SE, MILLENNIUM (nao recomendo de todo), WIN 2K /SP2/SP4, WIN XP ORIGINAL (2001), SP1/SP2/SP3 ETC.
      Instalam e depois tiram as dúvidas de como funcionavam .)

  3. Diogo says:

    softwear, ou seja vai ser uma skin, obviamente…

    • Inter says:

      Estava a ver que não aparecia aqui nenhum comentário a dizer que é que a Microsoft tinha apresentado no dia depois do artigo. Muito obrigado. Sempre foi mais importante o teu comentário do que todos os outros que li em que as pessoas entram em guerrilhas uns com os outros… O normal na Internet.

  4. Nuno says:

    Há Ha logos nas camisolas

  5. FugaparaVigo says:

    Já vi pessoalmente um tablet e um telefone a correr o Win95 sem qualquer lag ou problema.

    • Mateus Pinto says:

      Desconfio que até o novo Nokia 3310 corre o Windows 95 rápido em emulação…

      Qualquer Android, iOS etc são muito superiores e complexos e (quase) ao nível do W10. Um chip ARM hoje em dia já rivaliza com a maior parte dos x86 para consumo doméstico.

    • Rui Machado says:

      Emular um sistema operativo é uma coisa correr aplicacoes exigentes nativas para esse sistema já seria outra fruta.
      Gostava de ver esse tablet a correr um jogo qualquer de windows 95…..

  6. Jabba says:

    …reparem na palavra “Softwear” e na imagem que é claramente de uma camisola ou algum artigo de vestuário.
    “Softwear” não é Software! Pode ser algo wearable em alusão ao Windows 95 (por exemplo)

  7. L-95N says:

    Vão descontinuar o windows 10 porque chegaram à conclusão que o windows 95 é melhor?

  8. informado says:

    https://reactos.org/ React OS o Linux parecido com o Win 95 e funciona!!!!!!!!!!!!

  9. Kito says:

    Alguém me sabe dizer se o “editor de vídeos” do do win 95 pode ser recuperado e em que sistema trabalha? Apesar de ser um programa muito simples , para mim era o ideal para editar vídeos caseiros, dado que não sou um expert na matéria. Saudações à comunidade…

    • orgasmo says:

      softwares daquela era, agora não se consegue corre-los nos sistemas actuais, queres usa-los, a forma mais fácil é instalar uma maquina virtual, instalar o win95 e podes usar á vontade todos os programas da época…

  10. Carlos Mariano says:

    O Pedro Simões navega na maionese com frequência! Foi apenas uma camisola com o logo do Windows 95! Achavam o que, que iam libertar o theme do Windows 10 numa Insider Preview ou que iam libertar o código fonte no Git?

    Por amor da santa!

    • Lê lá bem o texto, que eu acho que não o fizeste…
      “Achavam o que, que iam libertar o theme do Windows 10 numa Insider Preview ou que iam libertar o código fonte no Git”
      Em lado nenhum se fala de libertarem o que quer que seja. É que nem se apresentam essas possibilidades.
      Se alguém está a navegar onde quer que seja acho que és tu 😉

  11. Rui Machado says:

    O artigo é um pouco pobre.
    “Foi em 1995 que a Microsoft mostrou ao mundo uma das maiores evoluções que já lançou no campo dos sistemas operativos.”
    Na verdade ja existiam muitos sistemas operativos com ambiente grafico e dos que conheco todos eram superiores, desde o Mac OS ao OS2 e muto mais poderosos. nao vejo por isso onde esta a grande revolucao.
    Foi uma revolucao mas apenas para a Microsoft que passou do Dos com um windows 3.1 em cima passou para um sistema muito melhor.

    “Até esse momento, apenas o Windows 3.1 estava disponível e o Windows 95 veio revolucionar as interfaces e a forma como os utilizadores usavam estes sistemas.”

    Esta frase induz em erro e leva quem nao sabe a pensar que o windows 3.1 era um sistema operativo, leva tambem o leitor a crer que do windows 3.1 se passou para o windows 95 esquecendo o windows 3.11 que foi bem mais importante que o 3.1 pois foi o primeiro a poder usar redes e consequentemente a internet.
    Ao contrario do afirmado a interface do windows 95 tambem nao revolucionou nada, essa revolucao foi bem antes com o Mac OS seguido mais tarde pelas varias versoes do windows do OS2 e até de um dos primeiros ambientes graficos para unix o X, tentando nao esquecer o next.
    A grande revolucao do windows 95 foi aproximar o windows do OS2 e ter pela primeira vez multitarefa no seu sistema operativo se bem que nao fosse uma multitarefa verdadeira como o OS2.

    Teve o mérito de ser facil de piratear, oferecerem os sitemas a faculdades e escolas e necessitar de bem menos RAM que o OS2 numa epoca em que memoria RAM era mais valiosa do que ouro e drogas.

    O grande merito de Bill Gates e da Microsoft foi vender um produto pior no momento certo ao cliente certo e massificar destruindo a concorrencia.
    Fez isso com os sitemas operativos domesticos, com o office e com o internet explorer, se bem que passados estes anos tem a sua primeira derrota ao adoptar a base de um browser concorrente para substituir o seu falhado EDGE.

    • O problema é que se ficam apenas nesse ponto e não no que é a verdadeira notícia. Essa avaliação foi feita por muita gente, infelizmente.

      Quanto ao Windows 3.1 ser ou não um SO, nem afloramos isso. Apenas mostrámos a passagem de um para o outro.

      Mas, infelizmente, continuam a ler coisas que não estão escritas, ditas ou sequer pensadas.

      • Rui says:

        Quem escreve tem obrigação de ser claro e informado.
        Perdoa mas na minha opinião o artigo induz em erro como várias pessoas referiram.
        Como eu referi historicamente e também errado.
        Aliás escrevi vários textos que não foram publicados não percebo como.
        Agradeço o teres permitido este mostrando que mesmo discordando de quem te criticou não me censuras.

        Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.