Quantcast
PplWare Mobile

Microsoft torna ainda mais difícil mudar o browser através do Windows 11

                                    
                                

Autor: Pedro Simões


  1. atento says:

    E essa obrigatoriedade da microsoft poderá ficar sujeita a sanções!!

    • Manuel da Costa says:

      Qualquer utilizador pode mudar o browser… o que o artigo se refere é à NAVEGAÇÃO INTERNA NO COMPUTADOR LOCAL.
      Ora 99,99999999% dos utilizadores NUNCA abriu um ficheiro local num browser. 99% desses nem sabe o que é um ficheiro local.

  2. JR says:

    Acho que eles estão a declarar morte aos sistemas operativos que tanto conhecemos. E estão se a por a jeito a empresa, e eles querem impor e mais impor. Isso pode ter consequências no futuro. A ver vamos. Quando eles acordarem depois veem mais tarde com paninhos quentes para os clientes voltarem.

    • Manuel da Costa says:

      Esta medida afecta 1 em cada 60 milhões de utilizadores… que são os que usam os browsers, criando ficheiros locais. Para tudo o resto, o sistema é igual ao windows.
      É a mesma coisa que você tem o notepad e os ficheiros .txt a abrir lá. Se quiser que abram no Office365 ou no Iwriter, pode faze-lo, só que não é automático, pois o windows já tem a definição que os .txt é para abrir no bloco de notas.

  3. Digo eu says:

    A outro nível, o Whatsapp também tentou impor coisas aos utilizadores, que deram nos resultados que todos conhecemos …

  4. Secadegas says:

    O Safari riu-se deste post…

  5. Ze says:

    Windows xp bom, vista mau, 7 bom, 8 mau, 10 bom….11 será mau para vir o 12/13 bom, portanto evitem o 11 🙂

  6. Manuel da Costa says:

    Mas, 99,999999999999% dos utilizadores NUNCA usa ficheiros locais para abrir o browser. Até é uma forma de segurança, por causa dos 4500 milhões de utilizadores que carrega nos links sem ler 1 linha do mail…
    Quase, para aí 1 em cada 10 milhões usa outras funções, toda a gente usa o browser para inserir endereços e navegar até esses locais.

  7. :-) says:

    Sem problema, o Firefox já se define como predefinido na maioria dessas extensões de ficheiro. Cabe à Google e outros fazer o mesmo daqui para a frente.

  8. António says:

    Estratégias desesperadas e obscura da Microsoft para se impor ou para impor as suas aplicações:
    1. copiar a concorrência;
    2. unir-se à concorrência (se não os podes vencer, junta-te a eles);
    3. dificultar o acesso à concorrência

  9. lopes says:

    Honestamente não estou muito preocupado, desde sempre que houve o browser da Microsoft e não me ralei com isso, sempre usei outros como principal, agora definir nas configuração qual o principal isso acaba por ser irrelevante, até mesmo as extensões do ficheiros podem ser atribuídas de outra forma, logo é um não problema.

  10. Samuel MG says:

    B3 e C5!! Em cheio no porta-aviões da Microsoft 😛

  11. falcaobranco says:

    Volta windows7…. estás perdoado!!

  12. Tony says:

    Este artigo é extremamente sensacionalista.
    Usar outro browser nada tem a ver com abrir ficheiros com um programa.

    pplware mais uma vez a perder qualidade na sua cobertura jornalistica…

    Muito triste.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.