PplWare Mobile

Vamos começar a usar o Linux Ubuntu em vez do Windows 10? (4)


Pedro Pinto

Pedro Pinto é Administrador do site. É licenciado em Engenharia Informática pelo Instituto Politécnico da Guarda (IPG) e obteve o grau de Mestre em Computação Móvel pela mesma Instituição. É administrador de sistemas no Centro de Informática do IPG, docente na área da tecnologia e responsável pela Academia Cisco do IPG.

Destaques PPLWARE

  1. jota says:

    Não, obrigado! Não quero passar de cavalo para burro!

  2. Jorge says:

    Ate 2020 o win7 vai estar no meu pc, depois disso, talvez meta linux. Voces podiam era fazer um topico a ensinar a trabalhar com wine e playonlinux e se vale a pena mesmo usar esses softwares

    • Calvin says:

      Eu como usuário de Linux digo e repito, Wine|PlayonLinux|Winetricks|Crossover|Lutris são apenas “quebra-galhos”.
      Não vai achando que vai rodar todos os jogos usando as opções acima citadas porque não irás conseguir.
      E dependendo do jogo, pode até rodar (mas não terá a mesma performance que no Windows) e também, qualquer nova atualização para o jogo, DLC, uso de mods, seja o necessário para o jogo “quebrar” e não rodar.
      Se for jogar no Linux, jogue apenas os títulos que existem de forma oficial, use dual-boot Windows e Linux. Se não quiser de fato usar o Windows 10 e estás no 7, podes usar o 8.1 que pode facilmente ser transformado numa cópia perfeita do 7 e ainda mais rápido (procure na internet tutoriais que vais achar).

      • Ruy Acquaviva says:

        Geralmente o Wine é apresentado ao usuário novato, apenas para reduzir a insegurança que ele apresenta por entrar em contato com algo novo. Saber que pode acessar seu programa favorito no novo sistema quebra um pouco a resistência psicológica do usuário.
        Aliás, é essa resistência psicológica ao novo e apego ao que já é conhecido que, quando atinge um nível patológico, faz algumas pessoas passarem a vergonha de trollarem em artigos como este, xingando o Linux, talvez buscando com isso uma desculpa para não conhecer algo novo. E convenhamos que muitos nem conhecem tão bem assim aqueles softwares para Windows que dizem ser “essenciais e insubstituíveis”.
        Passado o momento inicial, é normal que o usuário novato vá se acostumando aos programas próprios para Linux, que executam as mesmas funções dos programas exclusivos para Windows.
        Apenas na área de jogos (que motivou o desenvolvimento do Playonlinux) esse interesse permanece e ainda assim para aqueles jogadores mais contumazes.

      • Lukinhas says:

        Concordo plenamente, são apenas quebra-galhos e não deveriam ser tomados como a principal alternativa. Se quer jogar, que jogue os jogos oficiais, compre uma consola ou use o ruindows.
        Sem contar que esse Wine instalado no Linux é um perigo e uma porta de entrada pra execução de arquivos perigosos do Ruindows no Linux.

  3. Maxluan Cruz says:

    uso o ubuntu desde 2013, ainda gosto muito, mas preferia quando era o Unity

    • Calvin says:

      Não tem nenhuma diferença entre Unity e Gnome, basicamente é a mesma coisa, o Unity só era mais feio… No inicio o Ubuntu sempre usou Gnome, o Unity foi mais tarde, basicamente só fizeram voltar as raízes.

  4. Luis says:

    Tentei mudar para Linux mas correu mal uma pequena coisa. Precisava dos drivers para uma pen wireless, concretamente para rtk8814ua. Até os tenho em Linux no CD que veio com a dita mas nunca os consegui por a funcionar. Tentei deepin, manjaro, mint e ubuntu e nada. Sem internet não dá. Assim, voltei ao Windows e logo na instalação do sistema operativo, sem grandes complicações, podia esfregar as mãos de contente com acesso à internet. Com muita pena minha mas assim, Linux, não dá mesmo…

  5. Luiz L. Marins says:

    Preciso converter pdfs para docx 100% editáveis como texto sem perder formatação, e isso, só consigo no Office Microsoft consegue fazer. Não adianta, já testes todos os disponíveis para Linus, e não atendem.

    Preciso trabalhar com arquivos na nuvem e off line ao mesmo tempo, e os aplicativos do Linux não tem essa facilidade.

    Então, quando o Linux tiver esses serviços de forma satisfatória, eu migro .. Por enquanto, não dá.

    • Marco says:

      O docx é um formato proprietário da Microsoft. É melhor guardar os trabalhos em formato odf que é um formato aberto e funciona em todos os programas.

      • arc says:

        Precisamente @Marco, é isso mesmo…Formato ODF (Open Document Format), foi criado pela OÁSIS, o qual foi lançado entre 2005 e 2006, se não estou em erro e tem identificação ISO 26300.

    • arc says:

      Nunca percebi, qual o problema de sincronizar com Google Drive, Cloud Mail, Dropbox, Yandex e Microsoft’s OneDrive em qualquer Distribuição de Linux!!!

      • arc says:

        e ainda Mail.ru!!

      • Ruy Acquaviva says:

        Eu não tive nenhum problema de sincronização com recursos na nuvem em mais de dez anos de uso intenso de Linux, com diversas distribuições.
        Conversões de e para formatos da Microsoft podem apresentar problemas, mas eu já tive problemas de conversão de formatos entre diferentes versões do Office, tanto no Word quanto no Excel e Powerpoint.
        Já tive que recorrer a sistemas de conversão online ou ao recurso de exportar o arquivo para formato ODF (ODT, ODS, etc) no Microsoft Office, para carregá-lo em outro programa. Interoperabilidade entre diferentes programas sempre apresenta alguns desafios, por isso foi criado o formato aberto ODF que, se seguido dentro das especificações, permite uma interoperabilidade eficiente.
        Acontece que a Microsoft não gosta de padrões. Muitas vezes ela não segue os padrões definido e por outras vezes o faz parcialmente, como no caso jscript, implementação do javascript feita pela Microsoft no qual foram introduzidas incompatibilidades. Isso motivado exclusivamente por interesses comerciais da empresa, em detrimento dos interesses dos usuários.
        Felizmente a Microsoft tem mudado muito essa postura nos últimos anos, passando a aderir mais aos padrões, o que é uma mudança elogiável.
        Discordo veementemente daqueles que dizem que o Linux não tem alternativas de software em relação ao sistema Windows, mas é óbvio que sempre haverá aqueles que, conhecendo os dois sistemas, irá avaliar que o Windows é o que mais lhe atende ou de sua maior preferência. E isso não tem nada de errado, é perfeitamente normal, como é normal que outros cheguem a essa mesma conclusão, mas em relação ao Linux.

      • Lukinhas says:

        Arch Linux é tão ridículo que só tem Dropbox via AUR, putz…

    • Johnson says:

      Luiz L Martins
      para trabalhar na nuvem: Free OFfice 2018/WPS office, o free office até oferece gratuitamente sincronização automática e app para até trabalhares no android. ambos são tipo copia do MS office, então até se vai sentir em casa.

  6. Danny says:

    Duvido fazerem um artigo assim: Vamos começar a usar Windows ao invés do Linux?

    Os linuxeros iriam ficar pistola com isso.

  7. jungolito says:

    A nivel pessoal ha que aproveitar. Ubuntu e mesmo muito bom. Nas empresas essa mudanca saira muito cara. Mas enfim…

  8. Carlos Silva says:

    A grande maioria do software que utilizo não funciona no Linux, logo o melhor seria mudar o título para: Vamos migrar do OSX para Linux?
    É que são ambos basicamente a mesma coisa e os users não irão encontrar problemas.

    • lol says:

      o teu caso é o teu caso. Nestes artigos não vamos tentar resolver casos específicos que requerem mais atenção…

    • arc says:

      Mais uma pérola…

      “É que são ambos basicamente a mesma coisa e os users não irão encontrar problemas.”

      Magnifico!!

      Mas o que mais gostei foi do “basicamente”, vamos lá saber o que quer dizer isso mesmo!!!

    • arc says:

      Engraçado, tudo o que uso em Arch Linux e Debian, também só funciona em distribuições Linux e nem em todas!

    • Ruy Acquaviva says:

      O título da série não tem problema nenhum, está corretíssimo.
      Se os softwares que você quer não rodam em Linux não use esse sistema.
      Quando você escrever os seus artigos pode colocar neles esse título que diz preferir.
      E o Linux não é basicamente a mesma coisa que o MacOS.

  9. lol says:

    Caro pplware, o nome do sistema operativo é Ubuntu. não tem Linux em nenhuma parte do nome, por favor repensem nos títulos e mudem para algo mais correcto. Obrigado.

    • Calvin says:

      Eu acho ridículo esse povo que fica o tempo todo tempo nos corrigindo que não é “Linux”, é “GNU/Linux”.
      Mudou minha vida.

      • Calvin says:

        youtube.com/watch?v=l58PuRhEx2o

      • arc says:

        E NÃO é Linux. Linux é o Kernel!!!!

        GNU/Linux, são unicamente as Distribuições de Linux, apadrinhadas como tal pela Gnu e pela Free Software Foundation…ver em…https://www.gnu.org/distros/free-distros.html

        Portanto, quem utilizar uma destas 9 distribuições, SIM, usa GNU/Linux!!!

        As restantes são…tudo menos Distribuições GNU/Linux…Linux Mint, Debian, Red Hat Enterprise Linux, CentOS, Arch Linux. etc.

        • Calvin says:

          Veja o vídeo arc – o buraco é mais em baixo, mesmo estando em pt-BR creio que vais a entender.

          Sugiro este vídeo: youtube.com/watch?v=TRFVq4t2MaQ [Não existe “Gnu/Linux”]

          • Calvin says:

            Também sugiro este:
            youtube.com/watch?v=aclEJDnerOw [Muito além do GNU]

            Infelizmente, não encontrei canais portugueses sobre Linux de cunho mais técnico.

          • arc says:

            @Calvin, eu felismente entendo bem o Pt-BR, alias muito bem, por motivos que não interessa nada.
            Mas em que ficamos….

            Debian é GNU/Linux?
            Fedora é GNU/Linux?
            Ubuntu é GNU/Linux?

            O que é por exemplo…Guix System Distribution?

          • arc says:

            @ Calvi…resolvemos assim….Sistemas Operativos Linux! eheheh

        • Danny says:

          Calvin, você é um usuário anti-GNU?

          • arc says:

            Olhe que em tempos, conheci o Sr Stallman e também não gostei mesmo nada!
            O que NÃO invalida em NADA, todo o seu MAGNIFICO contributo, para uma das melhores panóplias de ferramentas que usamos hoje em dia, as quais são pedra de toque em todas as Distribuições de Linux e NÃO só!

            Uma coisa, é reconhecer o seu trabalho como coder, hacker ético, outra coisa é o seu lado…enfim…no comments!!!

          • arc says:

            Calvi, NAO…desculpe…Calvin.

          • Lukinhas says:

            Acho que vcs estão a discutir algo tão inútil

            É biscoito ou bolacha?

  10. PJ says:

    Bom dia,

    Meu problema em usar Linux é que fico sempre com má qualidade de imagem.

  11. d4rkw3b says:

    Outra vez arroz?
    Para quando um: Vamos começar a usar o Linux Ubuntu em vez do MacOS?

    Porquê? Simples, basicamente ninguém utiliza ambos os sistemas, e em termos prácticos, estão a anos da simplicidade e compatibilidade do Windows.

    Também tenho computadores a.pp.le (palavra censurada aqui), mas um tem Ubuntu, e o outro corre Windows, mas ninguem me vê a falar disso, porque são opcões que se têm e que devem ser respeitadas.

    • Vítor M. says:

      Isso já usas, usar macOS tem só por si uma vertente forte “linux”, mas nem está em causa, porque o mercado é Windows e muitas vezes, se não mesmo a maioria das vezes, as pessoas escolhem Windows porque desconhecem a qualidade das distros Linux. Claro que há muita boa gente que não tem outra hipótese se não colocar Windows, visto ser o sistema operativo mais abrangente, mas fora isso, hoje com uma máquina razoável, uma boa distro Linux com aspeto amigável, web services de gestão e de office, não precisas de gastar dinheiro em licenças Windows, office, anti-malware e afins.

      Claro que não estamos a falar num gamer (porque na cabeça de muitos todos os utilizadores Windows são gamers), esses não têm outra alternativa a não ser o poderoso Windows (e os seus títulos desenvolvidos à medida), mas há 85% dos utilizadores Windows que apenas usam para ir ao mail, ir à internet, ir às redes sociais, fazer algumas edições de imagem, escrever uns textos, alinhavar umas tabelas no excel e pouco mais. Acrescentando muitos developers que criam em linguagens transversais a qualquer sistema operativo… eu diria que 70% dos utilizadores ficaram bem servidos com uma distro Linux.

      Mas nada chega à influência do Windows, à versatilidade e tentacularidade.

      • arc says:

        Vitor M, gostei dessa abordagem sensata…e principalmente disto: “Mas nada chega à influência do Windows, à versatilidade e tentacularidade.”

        • Pérolas says:

          É….. influ€€€€€€€ncia, ainda domina em desktops e «o polvo»… fantástico, um verdadeiro paradigma de moral e ética! «Join us» LOL

      • Joao Rodrigues says:

        Concordo com o que dizes, muitos esquecem-se que computador nao é so gaming. Eu desde sempre gostei muito de jogar e por isso sempre usei windows, mas tendo começado o curso de eng informatica no ano passado, era recomendado a instalação do Ubuntu para uma cadeira (em caixa virtual ou dual boot), e desde então prefiro usar o Ubuntu para progamação.

  12. Filipe Tubaraão says:

    Linux e so uma versão imitada e barata do macos

  13. AP says:

    Não obrigado, gosto que as ferramentas trabalhem para mim, não eu que trabalhe para as ferramentas funcionarem (mal). Gostava eu muito de ter um uso do computador tão limitado que conseguia viver e trabalhar apenas em editores de texto e browser. Para além disso, detesto usar terminais, pelo que pior receita (para mim) não pode haver. Isso e não poder jogar, editar vídeos, a bateria do portátil não dura nada, caneta e touch zero, etc…

    • Gabriel says:

      Caro AP bem-vindo ao ano de 2018. Tenho o prazer de o informar que desde a última vez que viu noticias sobre os sistemas linux (pelo seu discurso será eventualmente 2003) já existe suporte até para hardware proprietário do MS Studio (touch, caneta, …) podendo inferir que hardware com funcionalidades similares mais utilizados já são muito bem suportados

      Quanto a jogos tenho a dizer que a steam conta com cerca de 10 000 jogos para linux.

      Quanto a edição de mídia a grande indústria como por exemplo Hollywood dispensa bem software da Adobe (sim não é só o Premiere que serve para editar vídeo) optando por ferramentas Open Source

    • Ruy Acquaviva says:

      Seu comentário é uma asneira do início ao fim. Não é uma questão de opinião, você escreveu mentiras. Só não sei se faz isso por ignorância ou má fé. Sendo que uma coisa não exclui a outra.

  14. arc says:

    E lá andam alguns a alimentar a trolaria!

  15. Paulo says:

    Para os sábios muitos dos servidores mundiais correm em Linux!

    Bem mudei para Linux em casa em 2010 para o Linux Mint… Não quero outra coisa! Claro que tudo dependo para que precisamos.. Mas tenho o LibreOffice que gera PDF e tenho me safado…

    Pelo menos não impanca, é super rápido.

    Experimentem vão ver.

    Podem instalar o VirtualBox , download duma imagem Linux e experimentem, não perdem nada!

  16. Clodoaldo Santos says:

    Eu como usuário comum que uso computador para navegar internet, textos, planilhas, apresentações, redes sociais, ver fotos, ouvir músicas, assistir filmes sou muito bem atendido por distribuições como Ubuntu e LinuxMint. Não precisa ser nenhum gênio da informática para usar u!a dessas distribuições.

  17. Altino says:

    A Canonical paga comissão ao Pedro Pinto por cada artigo CUbuntu que ele escreve 😀

    • Pérolas says:

      @Altino: Se fores por essa rua junta a Appl€, a M$, os fabricantes de carros «aldramães», os produtos Xinêses, enfim, tudo o que esteja na notícias do pplware… LOL Acho que há ali uma inclinaçãozinha para a Appl€, mas, ninguém é perfeito, tal como nós os dois: um inclinado para o linux e outro para a m$ 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.