5 alternativas ao Microsoft Office para Linux (Parte I)


Destaques PPLWARE

74 Respostas

  1. Carlos Carvalho says:

    Vivas,
    é certo que podem ser consideradas alternativas mas a questão da formação entre formatos vai sempre deixar a desejar por quem optar trabalhar em formatos proprietários , por exemplo os da Microsoft vs os formatos disponibilizados por cada uma das suites. 🙂

    • Alucard says:

      É esse o problema dos formatos proprietários, quem opta por usá-los depois fica preso ao software e não tem escolha possível.
      Existe um formato de documentos totalmente aberto, a norma ODF, e com algum esforço, planeamento e organização é possível migrar para ela. Usando ODF, depois és livre de escolher o software que pretendas.

      • Tico says:

        Basta escrever no terminal “sudo apt-get install ttf-mscorefonts-installer”.

      • Paulo Jaime says:

        Bom Dia ! Isso não corresponde à verdade , a configuração padrão pode ser alterada em ferramentas e os documentos gerados serem salvos / abertos em diversas versões dos formatos da Microsoft Office , os essenciais Words , Excel e PPS….. além do mais não funciona só em linux …existe versão para Windows !!!

    • AlexAlex says:

      O WPS Office dá muito bem com formatos da MS, inclusive ainda nem tem suporte aos formatos da ODF.

    • Paulo Jaime says:

      Bom Dia ! Isso não corresponde à verdade , a configuração padrão pode ser alterada em ferramentas e os documentos gerados serem salvos / abertos em diversas versões dos formatos da Microsoft Office , os essenciais Words , Excel e PPS…..

    • Jesse James says:

      O formato atual da microsoft é aberto.
      Se você renomear qualquer arquivo do word tem acesso à estrutura do mesmo que é, basicamente vários arquivos XML. Além disso o formato está aberto e livre o que quer dizer que qualquer desses programas consegue salvar e ler nos formatos do Office. O libreOffice, por exemplo, faz isso sem problema nenhum. Você abre e salva qualquer arquivo do office nele. Eu uso ele e o Office.

  2. Samuel L. J. says:

    O WPS parece ja se parece com o office.

    A MS apoia tanto o linux que até faz pacotes do office para o MAC mas linux…

    • Modem says:

      E os outros não, queres ver?
      Ou só conheceste o office a partir da versão 2007?

    • Crow- says:

      É tudo uma questão de mercado e cultura.
      O típico utilizador de Linux quer um sistema 100% open source ou pelo menos gratuito, logo mesmo que houvesse Microsoft Office para Linux iria ignorar.
      Tirando algumas excepções e alguma utilização empresarial, o mercado não é relevante face ao esforço/investimento que a Microsoft teria que fazer.

      • N'uno says:

        Eu não creio que o investimento seja o calcanhar de Aquiles… Vendo bem a coisa, desenvolver para Mac partindo da base Windows terá sido o grande passo, dada a diferença substancial de arquitecturas. Já passar de Mac para Linux será um passinho bem pequeno ou, pelo menos, bem mais pequeno. Ambos os sistemas partilham a base tecnológica.
        A Microsoft não investe num Office para Linux porque isso iria acabar com os poucos argumentos que tem para manter o seu sistema operativo. E não creio que seja tanto uma questão de preço, pois existe software pago no mundo Linux.

      • Anónimo says:

        É como aquele fracasso de nome “Steam”, o qual ninguém no mundo Linux quer… oh wait!

  3. rrp says:

    Acho que o texto deveria de começar assim:
    “O Office da Microsoft é indiscutivelmente a solução mais utilizada na área da produtividade. A esmagadora maioria dos utilizadores não sabem como utilizar todas as potencialidades desta plataforma e o que não faltam por aí são boas alternativas para quilo que fazem.”

    • lmx says:

      Ora nem mais 😉
      +100

    • Evandro Mesquita says:

      Bem, diria o mesmo aos usuários que utilizam apenas o MS Office, estes não sabem aproveitar toda a pontecialidade das demais plataformas, como o LibreOffice com seu suporte a Python em macros, como ao Google Docs com seu Google Script, este inclusive que consegue oferecer muito mais possibilidades que qualquer macro no MS Office.

      E apesar de minha clara preferência pelo LibreOffice, não menospreze os concorrentes, o Google Docs cada dia ganha mais espaço em empresas, que estão a trocar a solução offline, por uma online e colaborativa. Foi por este motivo que a Microsoft levou o Office para a nuvem, mas ainda de forma limitada, quando comparado ao concorrente.

      Portanto, aqui temos dois pontos, costume e gosto, muitos já estão habituados com a solução da Microsoft, outros simplesmente gostam, mas em momento algum ela é a adotada por ser superior, pois existem diversos pontos em que seus concorrentes oferecem maiores vantagens, duas das quais citei no inicio deste.

  4. Alucard says:

    A única opção racional que um utilizador de Linux tem no que toca a uma suite de escritório é o LibreOffice. É de longe o melhor software de código aberto para este propósito, apesar de ter ainda muito por onde melhorar. Não admira que seja incluída em todas as principais distribuições. O Apache está moribundo sem utilizadores nem colaboradores, O Caligra / Koffice ainda tem que comer muita papa cerélac para chegar aos calcanhares do Libre/OpenOffice, quanto mais do MS Office. E a interface é uma confusão, típico de programas KDE.

    O Google Drive é um serviço Cloud, é bom mas penso ser outra categoria de produtos.

    • Rubiks says:

      @Alucard quanto ao KingOffice ter que comer papa acho que não sabes do que falas! Trabalhei e trabalho porque sou obrigado a trabalhar com ele (LO) e não chega nem a 20% da facilidade de uso do KO! Uso o KO desda versão em inglês e digo te que em alguns aspectos a quase que deixa o MO a chorar num canto! Por isso o LO pode copiar algo dos chineses se quer melhorar a suite de escritório!

      • Joaquim Fernandes says:

        @Rubiks, visto ser um utilizador do WPS Office, pode dizer se a versão gratuita cria marca de água a imprimir ou na criação do pdf, porque lembro-me de uma vez ler, não me lembro bem onde, que a versão gratuita criava uma marca de água nos ficheiros. Se me pudesse esclarecer essa dúvida agradecia.

        • Rubiks says:

          @Joaquim Fernandes pelo que tenho testado nunca encontrei a “marca de água” em nenhum pfd,doc,etc…

          • Joaquim Fernandes says:

            @Rubiks, muito obrigado pela resposta, acho que vou dar então uma oportunidade ao WPS, visto que recebo e tenho que reencaminhar muitos documentos em formato .doc, evitando assim ter que usar o office online, e poder começar a usar uma aplicação offline mais completa.

      • Alucard says:

        Eu não falei do Kingsoft Office porque esse nunca usei. O KOffice era o antigo nome do actual Calligra Suite, que começou como um projecto para o ambiente gráfico KDE. Desculpa se não me fiz entender.

        • Rubiks says:

          @Alucard peço te desculpa mas como chamo KO ao KingOffice pensei que tivesses a falar desse! Se for o actual Calligra Suite concordo contigo!

        • Khidreal says:

          estás errado, o KO é hoje o WPS office, não o Calligra!!!
          basta pesquisares na net “kingsoft office”, clicas num link e és redirecionado para o WPS.
          http://www.kingsoftstore.com
          http://www.ksosoft.com
          wps.com
          é tudo o mesmo agora, o calligra não tem nada a ver com o KO. se abrires os links acima, sendo os 1os dois da kingsoft, o banner no top da pagina mostra a imagem WPS office.

  5. pedro silva says:

    O Krita é uma aplicação profissional alternativa/semelhante ao SketchBook (da Autodesk) e não ao Paint (que poderá ser comparado ao MyPaint, Paint.NET e Autodesk Pixlr)…

    • Alucard says:

      Não é para todos. Eu próprio gostava de o saber usar, mas como é que aprendo isso facilmente, sem ter um cadeira na faculdade? O comum dos mortais precisa de editores WYSIWYG.

      • Bruno Xavier Santos says:

        concordo que no início não seja fácil nem intuitivo como o word mas, estudando um bom tutorial é fácil de aprender. Requer mais tempo para aprender mas depois compensa. Não é preciso de nenhuma cadeira na faculdade para aprender, requer é paciência e um bom tutorial.

      • taberneiro says:

        existe um óptimo tutorial de referência para iniciados: The Not So Short Introduction to LaTeX

      • taberneiro says:

        …e aconselho o TeXstudio como editor.

      • Zaark says:

        Sabes como aprendi? Deram-me um trabalho para fazer em um mês, decidi que o ia fazer em LaTeX, e entreguei-o feito em LaTeX. Hoje não o dispenso nem por nada.

        O segredo: “Uma não tão breve introdução ao LaTeX 2e”, alguma pesquisa pela net, vontade de aprender, dedicação, desprendimento do pensamento “ai que é difícil”.

      • N'uno says:

        latex é o ideal para publicações científicas e/ou académicas. É uma autêntica linguagem, e como todas as linguagens tem uma curva de aprendizagem. Vale muito a pena para quem elabora documentos longos, embora se consiga trabalhar bastante bem com tais documentos no Word (usando naturalmente funcionalidades que 90% do pessoal desconhece ou não sabe usar).

      • Gil says:

        LaTex é simplesmente espectacular. Não temos que nos preocupar com a formatação, por isso é só escrever e escrever. Tipo Html com css. Quem se der ao trabalho de aprender só tem a ganhar com isso a médio e longo prazo. A curva de aprendizagem até nem é grande coisa. E depois de criarmos um template que se adeque ás nossas necessidades é sempre a rolar. E a qualidade final do documento é ao mais alto nível, qualidade tipográfica.

    • Bruno Xavier Santos says:

      Exato. Desde que comecei a usa lo, nunca mais abri o word. É mais prático e mais produtivo do que qualquer um que foi citado no texto.

    • Gonçalo says:

      O latex é uma meta-linguagem para definir formatação de documentos.
      Permite-te tendo um template que não te chateies tanto com a formatação, mas tabelas usas um serviço decente web para fazer o que fazes em excell, e a maioria das vezes parece que estás a pseudo editar código e não a escrever um documento. Havendo alternativas WYSIWYG tilpo Lyx mas mesmo assim não tão intuitivas de inicio como um editor de documentos como word (MS) ou writer (Libre, etc.).

      Existem exportadores via plugin mas em geral usar ou office ou latex pessoalmente já me abituei a alternar entre os dois mas exportadores diferentes com possibilidade de editar o .tex faziam uma adopção muito maior.

    • Adolfo Dias says:

      Fica-me um bocado apertado, prefiro a licra! ;D

    • pedro silva says:

      Uma excelente ferramenta especializada e o 3 parece-me muito interessante mas para o comum dos utilizadores não faz sentido. Eu uso para documentos de formatação sistemática (manuais e documentos de foro académico).

    • Anónimo says:

      É bom para fazer luvas, preservativos e outras coisas…

  6. Miguel says:

    Neste momento o WPS office já ultrupassou largamente o libre office e já anda a usar o WPS office e até agora tudo o que abre e funciona no MS office funciona igual aqui

  7. Jeudi says:

    se falow do Google Drive deveria ter falado do Office Online (que é gratuito/web) que é uma alteranativa ao Office pago e da para usar no Linux via Browse.

    só comentando

  8. Figas says:

    O Office tornou-se tão bom, tão bom que não existe concorrência, nem “alternativas”, apenas Office ou um editor de trabalhos gratuito.

    • RubenS says:

      A verdade é que as pessoas habituaram-se tanto ao Office que nem se dignam de experimentar outras alternativas.

      Quando digo às pessoas de outras alternativas dizem tipo “Epah só sei mexer em office…” ou “Office é o melhor o resto não vale a pena…” nem se experimentaram os outros quanto mais dizerem opiniões deste tipo.

      • AlexAlex says:

        E a maioria não precisa mais que um Abiword.

        • ruca says:

          a maioria que usa o office tem o office comprado ( empresas) e precisam para muito mais do que podes imaginar. as únicas pessoas que poderiam usar alternativas grátis são as que usam o office crackado essas até o wordpad serve.

          • pedro silva says:

            Discordo. Na minha empresa não existe M Office mas sim LibreOffice e nós desenvolvemos modelos financeiros e de uso corporativo (facturação via Base+SQL, contratos pré-formatados de preenchimento rápido, entre muitos outros…).
            A ferramenta é importante mas não fundamental. Sabendo usá-la é possível concretizar o que se deseja. Tem de se olhar às funcionalidades e não ao programa porque diferentes programas fazem o mesmo de forma diferente.

  9. Ruivix says:

    Por acaso gosto muito do OpenOffice (em Windows)…

  10. sakura says:

    O Office da Microsoft esta em : windows,
    Linux,
    osx,
    windows mobile, ios, andorid, claro que cada plantaforma tem as suas limitaçoes.
    Por isso é uma das mais usadas.

  11. Jorge says:

    Pena não existir nada compatível com o MS ACCESS. Está é a grande dificuldade a nível empresarial.

  12. David Ramos says:

    Microsoft office com o wine e pronto

  13. Paulo Jaime says:

    Bom Dia ! Isso não corresponde à verdade , a configuração padrão pode ser alterada em ferramentas e os documentos gerados serem salvos / abertos em diversas versões dos formatos da Microsoft Office , os essenciais Words , Excel e PPS….. além do mais não funciona só em linux …existe versão para Windows !!!

  14. Jorge says:

    Pois, mas não é a mm coisa.

  15. Jorge says:

    Olá Rafael. Provavelmente expliquei-mr mal. Quem usa o access são os utilizadores, e as pseudo-dbs, crescem que nem cogumelos. No libre office existem excelentes alternativas a Word e companhia, mas para o access…

  16. Raul Lopes says:

    Ou você pode simplesmente instalar o Office da Microsoft no Linux com o PlayOnLinux com menos de 5 cliques e deixar toda essa baboseira de que “Linux não tem Word” pra lá. Foi o que eu fiz.

    • Khidreal says:

      mas usa muitos recursos… aqui à uns anos tentei rodar o office 2010 no wine, consegui, ao preço de 2GB de ram constantes e 70% de utilização do CPU… nem podia ter o browser e o reprodutor de musica ligado, senão o office nem se mexia…

      • N'uno says:

        Há uns anos 2GB seriam muitos recursos, principalmente em máquinas 32bit, mas hoje em dia não são nada… Eu uso o Office 2007 numa máquina Mint com 8GB sem qualquer problema de lentidão. E é uma máquina com mais de 8 anos, que agora vai finalmente ceder a vez a uma arquitectura de 64bit. Hoje em dia até as distribuições linux começam a desistir dos 32bit.

  17. Nome says:

    O problema não são apenas as alternativas, mas sim quem as utiliza. Maior parte das pessoas começou a utilizar computadores com produtos da Micro$oft e assim continuaram até hoje. É uma questão de hábito e, principalmente, de mentalidade: as pessoas são preguiçosas por natureza e não gostam de aprender a mexer em algo novo. Para além disto, os governos ainda ajudam a Micro$oft e cagam nas alternativas.

  18. Osvander says:

    Por que será que as linhas se sobrepõe umas nas outra no write? Como resolver isto?

  19. Mike says:

    A utilização de servidores MS Exchange é um dos motivos que leva muitas empresas a optarem pelo MS Office que na versão Business e superior inclui o cliente de Email que suporta todas as funções do MS Exchange: o Outlook! Por curiosidade, alguém conhece algum cliente de Email alternativo totalmente compatível com o MS Exchange (ex.: Pastas Públicas, Calendários Partilhados, etc.)?

  20. Liberdade says:

    Libreoffice e Google drive, sem dúvida os melhores. Quem ainda usa formatos proprietários deve ser choné! Mesmo os que usam a suite da Microsoft, já deviam ter tido o cuidado de passar a gravar os documentos em formato aberto .odf.

    • Khidreal says:

      sabes quais os formatos abertos do word, powerpoint e excel? é que eu estou “amarrado” ao MS office porque no local onde tiro o curso é só MS office, então se eu pude-se gravar tudo em formato aberto, penso que não iria ter problemas em abrir os ficheiros tanto numa office gratuita como no MS office, penso nisto porque o meu aninho de MS office vai acabar e não estou com apetite em pagar por uma suite em que não vou usar 70% do que tem…

      • Khidreal says:

        oh ok já descobri, pesquisei ali no powerpoint e apareceu uma opção curiosa chamada open document 😛
        usando isto devo ter uma boa compatibilidade esteja usando tanto word como WPS office como libre office ou outros não? devem renderizar todos igual, com todos os objetos no sitio em que foram colocados certo?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.