PplWare Mobile

Apache OpenOffice, a mega suite office


Entusiasta do software, tudo começou com uma programação de Basic no Spectrum 128K do irmão mais velho! Desde aí, nunca mais parei!

Destaques PPLWARE

  1. RMR says:

    Começei a pouco tempo com o Linux, e tenho estado um pocuo desiludido com o Libreoffice (lentidão)…..acham que o OpenOffice é melhor que o Libre?

    • Phil Walker says:

      Também uso o libreoffice e, fiquei com essa dúvida, qual a melhor?

    • kekes says:

      Basicamente são a mesma coisa, pois são baseados no mesmo. Tirando umas optimizações não há muita diferença, mas acho que o libreoffice tem um desenvolvimento mais activo. Se tiver errado que me corrijam.

      • FFerreira says:

        É verdade o openoffice tem desenvolvido pouco e quando desenvolve é só depois dos lançamentos do libreoffice.

        • Claudio F Filho says:

          Na verdade, o LibreOffice é “cliente” do OpenOffice. Conta com o desenvolvimento de sua comunidade e pega todo o desenvolvimento do Open. Isso se dá devido a licença, que permite que o LO pegue as contribuições do OO mas a volta não é possível, tb por questões de licença.

    • Claudio F Filho says:

      O controle de qualidade do AOO é diferente do LO. O processo deles é similar ao Debian – está pronto qdo estiver. Assim, geralmente o LO lança versões “mais rápido” q o AOO. Mas a qualidade é questionável. Tenho relatos de empresas q usavam LO e passaram ao AOO por estabilidade e “quebra” de seus arquivos (travamentos e perdas).

    • Merlin says:

      Na verdade, RMR, o LibreOffice (LO) é DE LONGE superior ao OpenOffice (AOO).

      No entanto recomendo realizar algumas pesquisas em vez de se basear em comentários de visitantes que, muitas vezes, não tem qualquer conhecimento tecnologico que os capacite para fornecer respostas sobre determinados temas, baseando-se apenas naquilo que gostam mais (tipo clubes de futebol) deixando de parte a tecnologia propriamente dita.

      Ainda assim deixo alguns pontos pelos quais pode começar a procurar.

      1º. Antes de mais deve ter conhecimento de que o LibreOffice foi inicialmente uma “cópia” (ou como é chamado por informaticos – um Fork) do OpenOffice. Esse fork, resultou de um já enorme descontentamento por parte dos programadores por a SUN não aceitar certos melhoramentos ao OpenOffice (chegou a existir até um outro Fork, chamado Go-OO) e da posterior compra da SUN pela Oracle. Estas duas coisas, associadas ao facto de a Oracle deixar o OO num “limbo” durante quase 2 anos motivou a que os principais programadores criassem um projecto aletrnativo chamado LibreOffice (e refira-se que isso custo-lhes o emprego!)

      Portanto, de certa forma, o LO É O AOO (dai serem tão parecidos)

      MAS parecido não é igual!!!

      Então o que é que o LibreOffice tem de melhor em relação ao AOO?

      2. O fork foi criado exactamente para introduzirem funções e melhoramentos que não haviam sido aceites anteriormente.

      O LibreOffice teve:

      *melhoramentos de código
      *Remoção de codigo obsoleto
      *Optimizações de uso de memória (gasta menos RAM)
      *Optimizações de arrante (arranca mais rapidamente)
      *Reescrição de muitas funcionalidades
      *ETC

      Além disso tem um variado numero de novas funcionalidades que podem ser vistas em LibreOffice.org. (por exemplo, maior compatibilidade com ficheiros do MS Office)

      Mas há ainda outro detalhe do qual pouca gente se apercebe:

      3. LICENÇAS
      Este é um pouco muito IMPORTANTE. O AOO usa uma Licença Apache enquanto que o LO usa uma licença LGPL. Na pratica isto quer dizer que o LibreOffice pode copiar TODAS as funções novas que o OpenOffice incluir, mas o OpenOffice NÃO PODE incluir funções do LibreOffice (ainda recentemente o LibreOffice incluiu a Barra Lateral que a IBM doou ao OpenOffice).

      Ou seja, o LibreOffice, em termos de funções, estará SEMPRE mais avançado do que o OpenOffice. E nisto nem há qualquer discussão.

      Além disso há que salientar o ponto do qual eu mais gosto:

      4. o LibreOffice é muito mais “amigo” da comunidade.

      5. e para que tenha uma ideia, deve haver também alguma razão para quase todas as distribuições de Linux (e TODAS AS PRINCIPAIS) TEREM MUDADO PARA O LIBREOFFICE.

      deixo ainda uma dica: se gosta de Tecnologia, mantenha debaixo de Olho o Calligra Suite. É mais limitado em questões de funcionalidades, mas a nivel da base de programação em que assenta… é do melhor que há em termos de Office’s.

      • Merlin says:

        Há ainda que referir que o ciclo de novas versões do LibreOffice possibilita que a correcção de Bugs chegue mais rapidamente ao utilizador, bem como novas optimizações e novas funcionalidades. Todos os meses sai uma versão nova!

  2. okapi says:

    É a suite office que venho a usar à uns meses ( V.4 ) e não tenho razão de queixa. Claro que não é uma MS office mas para o que faço chega perfeitamente.

  3. Anónimo says:

    O LibreOffice é a continuação do OpenOffice. O que resta do OpenOffice é gerido quase exclusivamente pela IBM… e está praticamente abandonado.

    • FFerreira says:

      Isso não é verdade.
      Existe uma forte comunidade a desenvolver o libreoffice.
      Ainda à pouco tempo saiu um novo livro de suporte para utilizadores.
      Actualmente é o contrario, estas novas funcionalidades no libreoffice já existe à pelo menos 2 versões.

    • Nuno Vieira says:

      Acho que está a confundir com o facto da IBM ter doado o código do Lotus Symphony à Apache. Quem gere o OpenOffice é a Apache.

  4. NS says:

    Apre! quando nos referimos a lapsos temporais o há tem sempre agá. Há quinze dias, há dois minutos, há três anos… etc! Há coelho à caçador. O à com acento agudo refere-se a um objeto, ação, motivo, etc…

    Desculpem, mas o nosso português merece ser bem escrito e falado!

    • okapi says:

      Pois até tens toda a razão, mas quando vejo aqui escrita que nem português me parece ser e quando já é mais abrasukada, nunca aqui vi o teu “nick” a reclamar ou a dizer daqui Del Rey que o nosso português merece mais respeito… . Quanto à minha falha e porque fui o único e antes de ti ninguém o cometeu, estou-me ca*ando para o que dizes, porque o português é HÁ MUITOS, MUITOS ANOS a minha segunda língua igual a outras e nem por isso escrevo pior que muitos que aqui vêm e que escrevem e falam diariamente. Todos entenderam e o melhor é guardares essa sabedoria toda para os fóruns da especialidade.

  5. Marcos says:

    Alguém sabe se o calc deste open office aceita macros feitos para excell.

    Eu uso o libre office e ele infelizmente não aceita. :.-(

    Obrigado

    • FFerreira says:

      O Openoffice também não tem…
      Na maioria das macros tem de ser refeitas uma vez que a ””linguagem”” usada nas macros (vba) é proprietária (m$).

      Espero ter ajudado 🙂

  6. Maurilio says:

    As empresas pagam tão caro para ter a suíte de escritório da Microsoft, equanto poderiam reduzir custos utilizando em seus terminais o OpenOffice. Até mesmo o governo gasta tanto com licenças.

    • FFerreira says:

      O problema é que a maioria só usa o outlook e nem sabe utilizar o restos mas compram as versões profissionais para todos e gastam milhões em licenças..

    • Joao Campos says:

      Aqui usamos o libreoffice, mas vamos mudar. É que o mundo à nossa volta usa todo Microsoft e há coisas que não ficam bem ou não funcionam mesmo, como é o caso de alguns ficheiros excel com macros.

      Tem sido uma luta, mas já desisti, vamos mesmo migrar para M$ (perdoem-me o uso do cifrão, foi a única vez na vida que o fiz, mas parece-me apropriado visto que vai custar dinheiro).

      • MM says:

        Esta é a prova que software deste género só é útil para privados.
        Eu uso inensivamente o Ms Office a nível profissional. Se podíamos mudar?! Não!! É que nem pensar. Os OpenOffice e LibreOffice, etc, é tudo muito giro, mas para trabalhar a sério não dá, não tem as ferramentas necessárias para que se tornem realmente produtivos.

        • Gerardo says:

          Se reparares no comentário deles, a qualidade do produto não tem nada haver com a mudança, mas sim o facto de o mundo à volta usar o Office da M$?? O problema seria exactamente o mesmo se andasse tudo a usar LO e tu Insistisses no M$ Office. Chatei-me que as pessoas diagam que o produto não presta porque os docs ficam todos desformatados. É que me irrita até ao osso, ora que porra se fazes no Software A e depois vai tentar usar um compatível, claro que nunca será a mesma coisa. Espero pelo dia em que a cota do LO ou do AOO sejam bastantes altas, o pessoal comece a receber documentos e o Office da M$ os comece a desformatar todos.

          Vão começar todos a dizer “este office da M$ não vale um caracol”

          • MM says:

            Não tem nada a ver com a formatação ou desformatação de texto. Tal como disse, eu uso profissionalmente o MsOffice a um nível que provavelmente poucos daqui usam. Trata-se de ferramentas, trata-se de automatismos, trata-se de interface, trata-se de muita coisa e não somente à compatibilidade.
            A mim o que me irrita são as pessoas que só usam o office para escrever umas linhas e para fazer umas apresentações manhosas virem dizer que as opções open office estão ao nível do MSOffice. Não estão e não estarão tão cedo.

  7. PCap says:

    Bom dia
    Desculpem a questão, mas gostaria de saber qual/quais as diferenças entre OOffice e LOffice e qual o mais actual e fiável. Muito obrigado. PCap

    • Pedro says:

      Infelizmente essas duas qualidades não existem num só Office. O mais actual é o LibreOffice. Tem tido um desenvolvimento muito rápido nos últimos anos. O problema do desenvolvimento rápido é que ao mesmo tempo que adicionam novas funções também adicionam novos erros e pior que isso regressões (isto é, funções que antes estavam bem passam a ter erros).
      Assim, o mais fiável é o OpenOffice.
      A minha recomendação: experimente o OpenOffice. Se as funções que necessita no dia a dia não existirem no OpenOffice, experimente o LibreOffice, pode ser que já tenham sido adicionadas…

      • PCap says:

        Muito obrigado. Seguirei o seu conselho.

        • Chrono says:

          Sempre usei o OpenOffice até há uns anos atrás, quando o seu desenvolvimento estagnou. Agora uso o LibreOffice. Sim, o OpenOffice parece mais estável, mas a mim já não me tiram o LibreOffice.
          Também temos que nos lembrar que se algo tem um erro ou bugs, o mais certo é ser actualizado. É que o que acontece com o LibreOffice. Já com o OpenOffice, podem passar anos até os problemas serem corrigidos…

  8. Claudio says:

    Mais dos mesmo! Sigo o Open Office e derivados desde há muitos anos. Apesar de já ter tentado abandonar o MS Office definitivamente, nunca o consegui fazer… Do meu ponto de vista acho a interface com o utilizador desconfortável ( a semiótica utilizada é discutível, ícones horríveis, independentemente do tema, etc…). As sucessivas atualizações basearam-se na criação de funcionalidades e correção de bugs! A interface é algo semelhante ao que havia há 10 anos atrás! Como utilizador, considero ser necessária uma interface gráfica mais usável e confortável (o lotus symphony é um exemplo desse esforço).

  9. João Silva says:

    Sem querer menosprezar os projectos OpenOffice e LibreOffice, estes parecem terem parado no tempo do MS Office 2003, pois a forma de trabalhar não oferece tanta rapidez e produtividade. Alguns benchmarks demonstram que a UI de pulldown menus e toolbars é menos produtiva que a interface contextual Fluent User adoptada pela MS a partir da versão 2007 do Office.

    O Kingsoft Office 2013 para Windows e Linux é uma alternativa bastante interessante, pois é um clone do MS office ao oferecer a interface semelhante ao Fluent User e permitir interoperabilidade com o MSOffice.
    Não é Opensource, mas é gratuita. A suite traz 3 programas: Kingsoft Writer, Kingsoft Presentation e Kingsoft Spreadsheet.
    O único senão para mim é o facto de não haver localização portuguesa, apesar de se poder instalar corrector ortográfico português.

    Experimentem:
    Windows: http://www.ksosoft.com/product/office-free.html
    Linux: http://wps-community.org/download.html
    Android: https://play.google.com/store/apps/details?id=cn.wps.moffice_i18n&hl=pt_PT

    Reviews:
    https://pplware.sapo.pt/apple/kingsoft-office-o-clone-perfeito-do-microsoft-office/
    http://www.noobslab.com/2013/05/microsoft-office-alternative-kingsoft.html

    • lmx says:

      o Libreoffice e o openoffice não pararam no tempo…pura e simplesmente não aderiram a loucura que certa suite aderiu…

      Par por eles não terem seguido essa linha não quer dizer que pararam no tempo 😉

      • João Silva says:

        A interface é basicamente o que se usava há 10-15 anos. Quando o OpenOffice foi criado para ser um substituto alternativo ao MS Office. Tinha a mesma interface e funcionalidade, tanto que a curva de aprendizagem de transição era quase insignificante. No entanto o MSOffice evoluiu e, queremos ou não, é o ex-libris do seu género no mercado.
        O Open/Libre Office ao não optar em acompanhar a referência de mercado, deixou-se ultrapassar e penso que foi aí “a morte do artista”. Até o wordperfect office também evoluiu para manter maior semelhança ao MSOffice.
        Ainda vou mais além: em abril de 2014 foi analisado que apenas existem 1.58% de utilizadores desktop Linux. Aposto que esteve valor seria incomparativamente maior se as suites Open/libre Office fosse mais parecido com o MSOffice actual.

    • jedi says:

      Concordo com o joão Silva. Tenho instalado no meu desktop com windows 8.1 o kingsoft office 2013 e é do melhor, tanto a nivel gráfico como com a compaitibilidade de ficheiros com o MS office. Uma das funcionalidade que gostei foi de abrir varios documentos numa so janela, sem abrir outra, através de tabs. simplesmente de best e é gratuito. 😉

      Nota: é pena nao existir para mac osx, se nao ja tinha instalado tambem.

    • Rui says:

      Desconhecia esta alternativa, muito interessante, obrigado por partilhares.

  10. jmcs says:

    boas, eu utilizo o open e estou quase satisfeito, quase porque não consigo fazer correções ortográficas, alguém o sabe como fazer?

  11. Vidal says:

    Não acho que o OpenOffice parou no tempo. Acho que por ser livre, está bom demais porque não exige que a cada nova versão você tenha que reaprender tudo como é o caso do Office.
    É justamente pelo lucro que isso acontece, se não houvesse mudança ninguém precisaria de cursos ou de atualizações, que é onde a MS ganha.
    O OpenOffice faz tudo que o MS Office faz e muito melhor pois ele trabalha como você quer, já o Office, você pena e precisa fazer seu trabalho como ele quer, pra mudar alguma coisa é um sofrimento, pelo menos é isso que tenho vivenciado no meu trabalho, alias, tinha vivenciado, pois já adotei o OpenOffice lá também.

  12. Nuno Santos says:

    Boas,

    Ambos sao optimos substitutos ao office, mas ainda lhes falta umas coisinhas principalmente poder-se trabalhar com macros ativas.

    Mas para uso diario prefiro ambos ao da Microsoft

  13. Nuno says:

    Fui utilizador do OpenOffice durante 7 anos e pasei ha cerca de um ano para o libreoffice.

    Deixei de utilizar o libreoffice recentemente devido a um bug na folha de cálculo que me fez perder perto de 300€.

    Fiz um orçamento com fórmulas e qual não foi o meu espanto que uma delas dava um valor incorrecto.

    Importando o mesmo ficheiro para o Excel online ou para o google spreadsheets, a mesmíssima fórmula apresentava o valor correcto.

    Por isso, tenham muito cuidado com as continhas…

  14. Openoffice 4.1 único programa que nos dá a capacidade de sentir um livre 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.