Quantcast
PplWare Mobile

Homem perde 500 mil dólares em jogos que a sua mãe deitou ao lixo

                                    
                                

Autor: Marisa Pinto


  1. ? says:

    Com esse dinheiro gasto comprava uma casa

  2. Hidelberto says:

    Devia ser presa! Dps admiram se de ficarem em lares sozinhos. os pais so servem para lixar a vida e raramente ajudam. N fosse por mim a trabalhar no duro n tinha o que tenho hoje!

  3. Nuno says:

    É bem feito para não deixar coisas no “armazém”.

    • N. Mendes says:

      Pois, não se devem guardar coisas num armazém. Devia ter deixado na cozinha ou numa casa de banho.

    • iMF says:

      What?
      Então tu pegas nas coisas que o teu filho deixa em tua casa e mandas fora sem perguntar nada?
      Principalmente coleções de coisas?

      Vela se um dia mais tarde ele não pense que o lixo és tu….

      • Hidelberto says:

        Depois admiram se de acabar num lar abandonados! Pais so se preocupam com eles, ha inumeros casos de pais que usam os filhos para lhes roubar dinheiro. Vejam o actor do sozinho em casa, o cantor pimba saul, os pais do RyanToys do youtube, entre tantos outros. Ja a mim até me ameacaram deserdar so porque a minha mulher é Cabo Verdiana, mas com muito trabalho n preciso da ajuda deles e hoje ja pedem desculpa mas n quero saber! So um desabafo, desculpem.

    • Nuno says:

      Tenham lá paciência. A casa dos pais não é armazém nenhum e quando o é talvez seja melhor informar os mesmos que a coisa a ou b ou c tem valor

  4. Rui Santos says:

    Bem feita para não ser um falhado com os seus joguinhos em saquinhos…

  5. R!cardo says:

    História muito mal contada

    • Luisão says:

      Também acho que deve de haver mais qualquer coisa… se tinha coisas com tanto valor, porque é que não alugou um armazém para o efeito? Acho muito estranho a mãe dele ter deitado tanta coisa fora assim mais nem menos, mas é só a minha opinião! Não terá a mãe vendido? Ou melhor não terá ele vendido ou guardado noutro lugar e agora quer acusar a mãe? Dos EUA espera-se das coisas mais estranhas e mais surrealistas…

  6. Dezzed says:

    É daquelas histórias que deveriam passar pela credibilidade do poligrafo sic.
    Então, suponhamos que a mãe do individuo em questão, nunca soube deste hobbie do filho ( colecionador de video-jogos) e remete-se para uma situação de limpeza no seu armazém em que estão lá as coisas do filho. O que deveria acontecer? A mãe contactar o filho para apurar o futuro dos objetos, certo?
    Uma suposição de uma normalidade da vida, poderia ser outra variável como a de mãe-filho chateados e como uma vingança… toma lá a tua coleção no lixo; e como o mundo das probabilidades é infinito, até poderíamos estar perante um caso da mãe doente, com alzheimer e nem estar lúcida das suas ações. Ou… por fim até um golpe de teatro de popularidade do individuo em questão: não tenho mas vou fingir que tive! marketing em prática.
    Brincadeiras à parte… esta história está mal explicada, se é que de facto exista alguma coisa para explicar!

  7. TrincaEspinhas says:

    Ele deveria estar grato à velha por o ter livrado de um vicio que causa mais danos à saúde pior que caspa ou a broa de milho.

  8. Joao Ptt says:

    Com uma “fortuna” tão grande admira não estar fechado num cofre bancário/ de uma empresa de segurança.
    Mas se a mãe achou que era lixo… provavelmente era.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.