PplWare Mobile

Blizzard vira-se para o Linux?


Just another gamer ...

Destaques PPLWARE

  1. Filipe Neves says:

    A Blizzard pode-se dar ao luxo de ignorar jogadores que usem Linux, sim. Os 3 jogos deles continuam a fazer rios de dinheiro, e nao sei ate que ponto desenvolver algo para Linux compensa em termos de investimento.

    A Steam Box ja foi anunciada oficialmente.

    Referir a THQ como uma grande editora que pretende lancar versoes Linux no seu jogo… nao e um bom exemplo. A THQ esta na falencia e eles mal conseguem arranjar dinheiro para conseguir distribuir os seus jogos, quanto mais para desenvolver versoes Linux.

    Ate pode ser que seja verdade, mas nao sei ate que ponto a Blizzard estaria interessada em desenvolver outro projecto, visto que ja estao a desenvolver algo que sera lancado a medio/longo prazo.

    • MrT says:

      Pois no caso da THQ, até pode ser uma boa ideia coltarem-se para o Linux.
      Não tenho 100% de certeza no que vou dizer. Mas para windows provavelmente deve de ser preciso pagar licenças, já em linux é tudo aberto. E no caso de a consola da valve ser lançada, pode ser uma boa aposta ser a primeira ou das primeiras empresa (excluindo a propria valve), a ter um leque de jogos para esta consola.
      Pode requerir algum investimento inicial, mas mesmo assim deve de ser baixo, penso….

      • Ricardo says:

        Isso das licenças não sei, mas mesmo a virarem-se para linux não fazem dinheiro nenhum. Não lhes compensa.

        • Carlos Carvalho says:

          Ricardo ,

          Uma boa tarde , as estatísticas do final do ano de jogadores na plataforma Linux ainda em versão beta e com os pedidos de licenças ainda por satisfazer já eram 420.000 , este artigo foi publicado no Pplware , por isso Ricardo quando esta ou outra software house alargar a sua plataforma para outras distribuições que não sejam Ubuntu , porque há que frisar que para além dos constrangimentos com as licenças existe também o constrangimento de a mesma só estar disponível para a distribuição Ubuntu que neste momento nem é a que mais utilizadores tem , por isso não sei se é assim tão descabido e sem a importância que tu lhe quiseste dar .

          Cumprimentos

          Carlos Carvalho

        • Pedro Pinho says:

          Não fazem porquê? o dinheiro deles não é nas vendas dos jogos, é mais nas mensalidades.

  2. Luis Mendes says:

    Apesar de achar que isso são mais conjecturas do que outra coisa qualquer.

    Vocês esqueceram-se de referir que os jogos da blizzard já correm todos em OSX, que não é mais que um BSD (digamos um primo do linux), ou seja, portar uma aplicação OSX para Linux escolhendo uma distribuição tipo Ubunto como vez a Valve não devia ser nada dificil.

  3. Alyton Sogero says:

    Wow! Agora vou dar ambush por ssh, cuidado ai gente!

  4. jorge santos says:

    O Windows 8 foi a melhor coisa que aconteceu ao Linux.

    • EacHTimE says:

      É que foi mesmo!!

    • Belmira Dimas says:

      Com toda certeza. Finalmente o bom e velho linux vai poder mostrar o valor muito superior em termos de sistema operacional.Tenho o CD original do windows 7 Home Premium, mas como testei muitas distros linux por 1 ano, quando me dei conta percebí que não conseguia mais manter o windows por mais de 1 mês no meu PC. Migrei de vêz p/ o linux e espero e torço “MUITO” para que o linux passe a receber o valor que ele sempre mereceu.

  5. Ikari-pt says:

    Nenhuma dessas “Provas” é verdadeiramente uma prova, e pouco tem a ver com a Blizzard, a unica que têm relação é mesmo a ultima, o que não quer dizer muito pois uso o wine para muitos jogos de outras empresas.

    Podíamos substituir o nome da empresa por qualquer outra e fazer o mesmo artigo,não vejo fumo nenhum.

    • Anonym says:

      “Podíamos substituir o nome da empresa por qualquer outra e fazer o mesmo artigo,não vejo fumo nenhum.” Concordo plenamente!

      Até pode ser verdade, não digo que não, mas todas estas “provas” nada têm a ver com a blizzard, mas apenas com um crescendo do investimento de empresas de jogos para Linux, o que já se suspeitava…

    • Pedro Pinto says:

      …a ver vamos daqui a uns dias! Fica o registo para posterior referencia 🙂

  6. joana says:

    a coisa esta a aquecer.

  7. Jose says:

    Tendo em conta que o número de jogadores nos jogos deles cada vez é mais pequeno, seria uma boa estratégia.

  8. Hugo says:

    O problema de Linux, posto nas palavras de representantes da Blizzard há uns anos, era a incapacidade de haver um garante de uniformização da base dos sistema a ser desenvolvido. Diversas distribuições Linux, mesmo dentro da mesma distribuição Linux existir bibliotecas ou versões diferentes usadas entre cada utilizador, existir diferentes combinações de hardware a suportar, etc, impedindo de existir realmente uma framework única de trabalho embora o SO seja o mesmo. Tendo em conta que sendo um jogo oficial e pago a Blizzard teria de garantir o suporte isso seria um esforço de titan, pelo que a blizzard abandonou o lançamento do client do WoW de linux. Não esquecer: a partir do momento que a Blizzard lance um client linux vê-se obrigada a dar suporte a ele (legalmente obrigada), o que torna virtualmente impossível dar suporte a todas as combinações ditas acima…. Agora se for numa distro uniforme e já suportada para o efeito de jogos (steam) a história é outra. Quer seja um SO inteiro quer seja somente a framework da plataforma que a steam possa disponibilizar, há uma framework única de trabalho comum a qualquer distro ou combinação, e aí só terão de dar suporte ao client nessas condições, limitando imenso o esforço (des)necessário. No fundo acaba por ser algo semelhante ao o que o DX trouxe ao Windows.

    • Carlos Carvalho says:

      Hugo ,

      A família Debian é muito vasta e a maioria das distribuições baseia-se nesta família , logo esse problema que colocas fica bastante reduzido , depois haverá que contar com a RED HAT / Fedora e com a Open Suse , depois as restantes distribuições representam um nr, marginal e provavelmente a comunidade encontrará uma solução para resolver o problema , já a muito que se fala numa reunificação dos formatos dos pacotes , pode ser que seja desta , o Linux é o Kernel por isso da compatibilidade de todas as distribuições pode ser transversal e já o é em milhentos casos só que os pacotes da família Debian estão no formato DEb outros estão em YUM caso da Suse outros estão em RPM , mas em qualquer uma dessas distribuições podes instalar a mesma aplicação que normalmente é compilada por cada uma das comunidades , mas basta que saibas compilar e fazes o download da fonte e depois compilas no formato da tua distro .

      Resumindo parece ser mais complicado do que realmente é e como disse mais de 80% das distribuições são da família Debian/Ubuntu .

      Cumprimentos

      Carlos Carvalho

      • Dat55 says:

        deixa fazer uma pequena correcção: yum não é um tipo de pacote, mas sim um gestor de pacotes como o apt ou pacman.
        Debian based =.deb
        Red hat based( red hat, fedora, suse)=.rpm

      • Hugo says:

        Eu sei que o problema fica reduzido, mas mesmo entre a mesma distro e a mesma versão as coisas podem mudar, posso escolher um outro repositório, criando n situações de incompatibilidade por usar versões de lib diferentes (ou que substituem as que uso). Eu usei durante imensos anos o gentoo mesmo por isso, caso tivesse problemas a instalar algo por incompatibilidades de libs não precisava de saltar o sistema de gestão de pacotes da distro, bastava-me criar um ebuild à medida para o que queria instalar, experimentar num ambiente chrooted que tinha na máquina para confirmar que instalava e desinstalava correctamente e avançava depois para a instalação na máquina mesmo. Entre distros o risco aumenta ainda mais, muitos usam repositórios próprios, com definições muito próprias onde instalar cada pacote (umas instalam libs no /usr/lib, outras instalam-nas no /usr/local/lib, e por aí em diante), e quem depois tem de dar suporte a isso acaba por ser obrigado a ter isso em conta. Havendo uma plataforma que crie uma camada de abstração entre o SO e essas peculiariedades e o que está a ser instalado facilita imenso, e é isso que digo no meu comentário. O suporte é dado nessas condições e não tendo de olhar para o client do jogo e o SO como um todo.

  9. Kingdra says:

    Bons dias a todos.

    Ora para quem não sabe o wow já de si tem um client nativo para linux, que andou em teste nos betas do wow vanilla. A blizzard não lançou e citando eles porque, ter que dar suporte a milhentas distribuições de linux ao mesmo tempo era um grande custo para a empresa e um grande desperdício de recursos humanos então o client nunca saiu.

    Já agora, o único projecto conhecido da blizzard actualmente e o titan, um suposto mmorpg e para alem do seu code name não se sabe mais nada por isso não, não estou a ver isso acontecer.

    • CMatomic says:

      O problema não é as varias distribuições , o problema é de quem fala das coisas sem perceber delas .

      existe 3 sistemas de instalação automáticos em Linux
      o mais comuns são DEB e RPM , a diferença não é muito e é fácil de portar, alias ate se pode instalar um pacote deb num sistema RPM desde que sejam jogos ou programas que não seja sujeitos a dependências não padrão dos sistemas .

      e depois existe os bin e run

      que geralmente são utilizados para jogos em linux , e funcionam em qualquer distro e do tipo um .exe do windows .

      por isso podem utilizar um sistema padrão para todas distribuições o mais indicado é o bin isto no caso de jogos .

      se utilizarem o bin é fácil de fazer uma versão de instalação para DEB ou para RPM .

      • Kingdra says:

        Dude not my words.

        Quem afirmou isto foi mesmo um dev da blizzard por isso ya, não sei, se calhar ate sabem o que e que estão a dizer, porque quem já andou ou anda no mundo de linux já sabe que cada distro tem os seu próprios problemas, e que por vezes diferem entre si por variadíssimas razões eu próprio já passei por isso.

        • Glink says:

          dude tens 3 ramos diferentes, e não são assim tãaao diferentes, se é pelo instalador, usa-se o .bin ou .run é igual em todas e sim o CMatomic tem razão no que diz

  10. Pedro Pinho says:

    Se realmente acontecer, será um grande passo para o linux, pois é uma grande empresa. Para mim seria fantástico pois continua a ser o meu único entrave que me leva a usar windows, para correr na perfeição WoW.

  11. Ricardo says:

    Epa ate concordo que o o jogo faça o port para Linux mas se não levar atrás o curse ou outro qualquer não sei se terá grande adesão.Epa é uma pena que o curse não funcione tão bem em mac como em windows.Vamos esperar para ver

  12. K says:

    A única coisa que acho de interessante nisto é a possibilidade de a Blizzard levar outras companhias de jogos de “arrasto” e fazer com que a moda de jogo em linux pegue de vez. Pelo que percebo, nunca pegou verdadeiramente por não ser interessante desenvolver, o que levou a que a coisa nunca massificasse. Já espero ver esta tendencia a inverter à muito.

    De resto, a blizzard não tem nada que me interesse minimamente e a forma como eles tem tratado os clientes deles tem sido deplorável. Joguei WoW durante anos e não me arrependo. Mas deixou de ser interessante quando a blizzard achou que por os jogadores a fazer a mesma coisa repetidamente durante meses tinha piada, entre outros. Tornar o jogo uma obrigação e não diversão é o mesmo que me tratarem como um saco de dinheiro. Senti me insultado, perdeu todo o interesse e não tenciono voltar.

    Não melhorou quando lançaram o fiasco mais conhecido como Diablo3. Comprei e detestei. Detestei o jogo que se resumia a um grind massivo sem interesse (isto pode ser debatido, mas é ao que se resume), detestei o facto do jogo ter sérios problemas de performance (injogável, mesmo) em sistemas que passavam largamente os requisitos recomendados, detestei a forma como fui tratado pelo suporte e que nunca tive solução, detestei o facto que querer devolver o jogo mas não o poder fazer por ter ficado associado a minha conta da battlenet, coisa que a blizzard fez questão de me dizer que é definitivo.

    Passei ao lado do starcraft2, não posso falar desse.

    Ou seja, a blizzard, que outrora considerei a melhor software house do momento, está agora entre as piores. Talvez voltem a melhorar em lançamentos futuros mas não me podia estar mais nas tintas para o que eles possam fazer com a oferta actual deles.

    TL,DR: Tratar clientes como sacos de dinheiro não funciona.

  13. Jorge Costa says:

    Nenhuma dessas “provas” é uma prova LOL!

    A prova é a seguinte.
    A blizzard já têm um cliente do World Of Warcrfat desde o ano 2011. Esse cliente é usado internamente na empresa e já se falou muito disso. O não lançamento desse cliente para fora foi a questão das distribuições, problemas que poderia ter com Hardware (Tal como a Steam tinha e a Nvidia veio ajudar) e a falat de utilizadores. COm o crecer dos utilizadores no mundo Linux e com a Steam já disponível a Blizzard vai querer ser também uma das empresas pioneiras a desenvolver grandes jogos para o Linux. O Jogo que vai sair este ano certamente vai ser o Word of Warcraft.

    Abraços

  14. Alucard says:

    No caso particular da Blizzard não vejo provas, vejo muito fumo mas sem fogo por enquanto.
    No caso do Steam para Linux, o facto de ainda estar em beta e já ter mais de 400 mil utilizadores, deixa-me optimista para o sucesso desta empreitada. Apesar do suporte oficial ser apenas para Ubuntu, foi lindo ver a comunidade das várias distros, Fedora, Gentoo, SüSE, etc a empacotar rapidamente o cliente Steam para as suas distribuições.
    E é como o Carlos disse, basta à Valve suportar as duas principais famílias: Debian e Red Hat. Actualmente suportando o Ubuntu seria trivial estender o suporte ao Mint ou mesmo ao Debian.

  15. NT says:

    Boas…
    Mais uma “prova”, aqui à uns tempos (semanas ou meses…) A blizzard estava ‘descontente’ com o windows 8.
    http://kotaku.com/5929569/blizzard-isnt-happy-with-windows-8-either
    http://www.tomshardware.com/news/Rob-Pardo-Gabe-Newell-Windows-8-Catastrophe-Blizzard,16478.html

    Acho que muitas dessas companhias se querem afastar da microsoft porque a mesma tem agora uma appstore, em que os ‘fabricantes’ de software têm que respeitar certas normas para estar na loja… e sim pagar…

    Quanto ao pessoal se ‘queixar’ dar suporte a minhentas distribuições, vejam lá o caso da Steam que foi lançado para ubuntu e já está a correr em minhentas distros.
    Tendo em conta que os ‘tops’ da blizzard são o mmorpg até secalhar podem ter um cliente ‘opensource’ que o pessoal das distro possa olhar e por isso a funcionar.
    Mas acho que enquanto não existirem OEM’s a fazer bons pcs préinstalados com linux (e não estou a falar de PC’s de super baixa gama com uma distro discontinuada) e ter uma boas base de jogos o pessoal vai sempre pensar que linux é aquela coisa de programadores e geeks informáticos.

  16. Hugo says:

    Problema principal é conseguirem dar supporte a todas a distribuições, visto que cada distribuição tem a sua maneira optimizar/usar certas libs.

    Podem é criar eles uma distribuição própria e só dao supporta para essa 😀

  17. zekaao says:

    A Blizzard baniu clientes do jogo Diablo 3 por estarem a jogar em SO Linux Alegando que quem o fazia era para utilizar BOT e outros tipos de cheating. Acredito que alguns o fizessem mas banir só Porque o SO não é Windows ou MAC sem provas de BOT ou outro tipo de cheating …?
    Basta um grande dar o primeiro passo o resto vai atrás. e acredito que mais e mais contribua para o crescimento das Distro de Linux. BEm HAja STEAM.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.