Quantcast
PplWare Mobile

Vendas no Facebook ou Instagram têm de ser comunicadas ao Fisco

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Euéquesei says:

    O monstro insaciável ataca….
    Nunca chega, é sempre pouco.
    Porque não pedem aos lelos a contabilidade das roupas falsas que vendem?
    Deveria render uns belos trocos.
    Deixo aqui a dica….

    • Jorge says:

      +1
      Há “portugueses” de primeira e de segunda categoria.
      Os de primeira categoria onde se incluem os lelos, os chinos e os políticos, possuem regras específicas que lhes permite fazerem o que quiserem.
      Depois há os de segunda categoria, que somos a maioria, onde os impostos (ilegalmente) até se sobrepõem uns aos outros … o que é estranho é sermos a maioria.

  2. Nuno Silva says:

    2023? Não se preocupem. Até lá pelo menos o FB já foi à vida.

  3. poiou says:

    Não percebi é se eles se referem ao dinheiro ganho pelos users ao vender coisas ou se ao dinheiro que as plataformas pagam aos users pelas views.

    Se for no caso das vendas , as plataformas vão dizer que são apenas intermediários e que quem faz a operação é o vendedor, e ele que declare o que tem a declarar.

    • José Fonseca Amadeu says:

      Não são as plataformas que tem de fazer nada, são os próprios vendedores que usam as plataformas como meio de venda.
      E isso já é obrigatório fazer, caso contrário incorrem em fuga ao fisco, única diferença aqui é que as auditorias vão poder ser realizadas por qualquer estado membro, significa que não vai existir margem para fugas como há hoje.

    • Manuel da Costa says:

      Referem-se ás vendas em grupos ou vendas através das próprias plataformas (onde é possível usar moedas virtuais para pagar). O que as plataformas pagam, já é registado e enviado ás autoridades, desde 2019.

  4. anon says:

    “O objetivo passa por obrigar os operadores de plataformas digitais a comunicarem os rendimentos obtidos pelos vendedores.”
    portanto, se esta notícia se refere às lojinhas de bijuterias, roupinhas, acessórios etc etc que por aqui andam, a plataforma vai declarar o quê exatamente? são apenas um intermediário, não há botão para adicionar a carrinhos de compras nem outra forma de pagar/fazer checkout diretamente no facebook (neste caso), portanto não têm noção de volume de vendas em concreto. os utilizadores apenas entram em contacto com os vendedores e lá se desenrascam com transferências, mbway, etc… a menos que obriguem as plataformas a isso mesmo, ou seja, a criar páginas específicas para lojas com venda direta na plataforma (seja facebook ou outra). só assim conseguem saber quanto é que de facto vende.

    • José Fonseca Amadeu says:

      Não são as plataformas mas sim os vendedores que usam as plataformas.

      • Helder Pinto says:

        “O objetivo passa por obrigar os operadores de plataformas digitais a comunicarem os rendimentos obtidos pelos vendedores.”
        A noticia está bastante explicita… é a plataforma que vai comunicar os rendimentos dos vendedores…

    • Oscar says:

      Tem razão vai ser dificil de controlar, se eu fizer uma venda via chat como eles sabem? Fica dificil

    • Manuel da Costa says:

      Se usares os serviços do FB/InT para vender, está lá a opção de registar a venda para indexar os utilizadores que negociam o produto. É essa informação que será comunicada, em como o “André” vendeu 3000 euros a 200 utilizadores.

  5. Ze says:

    Para ir ao bolso do.povo o governo trabalha rapido, ja para pagar ao povo o sistema informatico esta sempre lento e com falhas

  6. TSSRK says:

    Entao se eu vender a minha PS4 tenho de declarar ao fisco? É tudo lucro para eles? E a depreciação que teve o bem em questão?

    • darth says:

      ha-de ser uma percentagem do que vendes, tipo iva. vendes por pouco, cobram pouco, vendes por muito, cobram mais

    • cb says:

      Não é para vendas particulares de um telemóvel ou uma xbox ou ps4 mas sim se fizeres vida a vender vários artigos deste tipo ou de outras coisas

    • Manuel da Costa says:

      Isto não se refere a 1 venda… são os utilizadores que tem lojas não físicas, nas redes sociais. Esses chegam a usar serviços de pagamentos (como o Paypal ou o FB) para receberem o dinheiro de outros utilizadores.
      Já estava previsto na legislação de 2019. A pandemia é que atrasa a implementação para 2023.

  7. Mauro C says:

    Fico abismado com a mentalidade destes portugueses de m*rda. Todos reclamam que querem melhores hospitais, centros de saúde, escolas com todas as mordomias para os filhos, estradas em condições, polícia na rua, funcionários públicos em quantidade e qualidade que não os façam esperar mais que 5 minutos nas filas, mas pagar importos para suportar isso tudo… não, os outros que paguem. Pagar impostos para um benefício colectivo da sociedade é um dever moral. Quem não concorda, não deveria usufruir do que os outros pagam, e devia ir viver para uma selva.

  8. Ah pois é says:

    Diz isso ao gajos da EDP e das offshores…

  9. Hugo says:

    Como é lógico. Que sentido faz quem tem uma loja de rua pagar tudo e mais alguma coisa, e os “empreendedores” do instagram venderem tudo sem factura, e sem impostos?

  10. XneloX says:

    Ufa, pensei que tinham incluído o OLX, AdWords, admin, custo justo e outras do genero

  11. JJ_ says:

    Claramente esta malta que esta a trabalhar em leis para a Internet, na UE, não percebe nada do assunto… Vergonha.

    Então eu enviou uma msg via Facebook para um utilizador para comprar algo, pago via MBWay um valor e recebo o artigo. Como é que o Facebook sabe quanto foi a venda?

    Vão dizer: “o vendedor tem declarar aquilo que vende!”
    Mas, isso sempre foi assim, cabe a cada vendedor declarar o que vende. As plataformas online, salvo seja um sistema de loja onde o dinheiro passa diretamente por si, nada podem fazer nem tem essa informação.

    Com esta e outras leis já feitas ou faladas, chego a conclusão que esta malta percebe tanto de internet, que para aceder ao site da UE, em vez de escrever o endereço europa.eu, entram dentro do google e pesquisam por união europeia…

    • Manuel da Costa says:

      Se você vender 1 produto (ou uma dúzia) não usa os serviços de publicidade da rede social… se faz lá negócios, vai ter a secção de negócios activa (pois permite receber dinheiro por outras vias).
      Além de que se receber mais de 2000 euros anuais, via Mbway, o seu banco irá comunicar ás finanças e ao BdP, que recebeu esse valor em pequenas parcelas.

  12. Samuel MG says:

    Existe sempre maneira de contornar a lei!! Para já o Facebook está a morrer.

  13. antonio farturas says:

    claro que sim mas primeiro os deveres do sr contribuinte e os deveres do sr fiscoda rep da bananas estao na valeta, sim 7000 euros anuais e uma fortuna sem duvida lol peçam também aos srs administradores de bancos falidos sr doutores empresários de empresas estatais que colocam em paraísos fiscais os lucros, e resgates pagos pelos nossos impostos, fortes com os fracos cãezinhos amestrados com os fortes e esta a sina de Portugal, quem diz a verdade e alvo abater assim vai este penico sem duvida

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.