Quantcast
PplWare Mobile

Teletrabalho: Empresas obrigadas a pagar despesas com energia e Net

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Sam says:

    Lá estão os deputados a criar entraves e a dar argumentos às empresas para que estas recusem a ideia do teletrabalho.

    • Maria says:

      Depende da empresa.
      Se tiver bos escrorios com rendas caras pode compensar.
      Para outras empresas não.
      Pessoas que tenham carro de serviço mas que fiquem em teletrabalho podem ter de abdicar dele.
      Também com o covid as pessoas entenderam que há coisas mais ou tão importantes como o trabalho e também podem dizer à empresa “adeus”
      Cada situação terá o seu enquadramento.

  2. Tonheco says:

    Basta as empresas dizerem que não pagam e quem não aceitar poder regressar ao posto de trabalho que acaba-se logo os “cheios de direitos”.

  3. Joao says:

    A mim parece-me bem. A empresa onde trabalho “obrigou-me” a ter 2 dias semanais de teletrabalho para assim poderem reduzir custos. Mas estando esses 2 dias em casa, as minhas despesas mensais vao subir consideravelmente, sobretudo no inverno e no verão pois vivo num sitio com aplitudes termicas muito altas.

    • Aquila Cunha Freitas says:

      Acho que tens as primícias trocadas. Do ponto de vista empresarial, não se lucra mandando o funcionário ficar dois dias em casa. Converse lá com o seu CEO para entender exatamente o que se passa. Assumo também que more do lado do escritório e não tem economia de tempo e nem transporte, mas as contas a subir considerávelmente já acho que seja outro motivo, é bom dar uma investigada nisso. Mas não se preocupe, com certeza não será viável ter funcionários a trabalhar remotamente quando se tiver que pagar suas contas, só os preferidos terão esse privilégio.

      • Joao says:

        Vê-se que não fazes a mais pequena ideia do que falas. Nota-se perfeitamente que nunca tiveste um cargo directivo nem nunca elaboraste orçamentos seja do que for. Também não tens qualquer noção de economia/finanças nem do impacto do real estate nas contas das empresas.
        A empesa onde trabalho, devido ao brexit, está a aumentar muito o nr. de empregados nos escritorios no continente e, por consequencia, os escritorios têm de aumentar o nr. de postos de trabalho. Como não estavam dispostos a assumir este custo extra e RISCO inerente, a solução encontrada foi mandar a malta para casa 20% do tempo. Isto, aliado ao conceito de hotdesks (que também deves desconhecer, mas…google it) permitiu, e contas feitas, aumentar cerca de 30% o numero de empregados por escritorio mantendo o mesmo espaço, que já estava no limite na maioria dos escritorios. Além disto, também se negociaram outras despesas como os seguros uma vez que ha menor risco, os serviços de limpeza, etc. Portanto SIM, há uma redução de custos significativa!
        Quanto ao meu caso particular, sim, vivo al lado do escritorio mas isso é irrelevante. As emrpesas não pagam transprote a ninguém e o tempo de deslocação não conta como horário de trabalho logo isso não pode ter sido em conta, a empresa não tem nada a ver com eu gastar mais o menos € em combustivel ou perder mais ou menos tempo em deslocações. Quanto às minhas despesas, pensa lá um pouco…no inverno faz frio, no verao calor. Sabes o que custa manter um ar condicionado e um aquecimento? Eu não investigo, eu faço contas…..
        Quanto à ultima frase, uma empresa que não possa pagar 15 ou 16 €, que é destes valores que se está a falar tendo em conta o que não vai gastar…não devia ter as portas abertas.

      • Joao says:

        E até te digo mais. A minha mulher está numa situação similar. Tinham um aluger de 25k/mes para cerca de 50 empregados. Mandaram toda a gente para casa e agora têm um pequeno espaço num co-work. Se algum trabalhador quer trabalhar no escritorio, tem de avisar para que a empresa reserve o espaço no co-work e…a empresa tem de pagar por dia/trabalhador! Cada vez que quer ter uma reunião presencial…paga-se pelo aluguer da sala… Parece-me a mim que quem tem as “primícias” todas trocadas es tu.

        • Aquila Cunha Freitas says:

          Desculpe-me lá se o ofendi. Contra machões de comentários só me resta dar-lhe a razão. Impossível tem uma discussão produtiva em comentários. Só lhe digo uma coisa, talvez eu saiba mais do que pensa e trabalho para o maior unicórnio da europa. Só sei que vou estar muito bem recebendo salário de país nórdico e viver 6 meses no em Portugal e 6 meses no Brasil. Países de custo de vida baixo.

    • Andre silva says:

      Ui. Vais chorar que 500 mbps não chegam para trabalhar e tens que colocar giga para funcionar.

      Eu gasto 120€ por mês em gasóleo só para ir trabalhar. Se ficar em casa, nem metade gasto disso no in verno e com aquecimento a gás natural

      • Joao says:

        E o gas natural é de borla…E não tem a ver com a largura de banda em si…tem a ver com as limitacoes dos ISPs as VPNs. Se gastas 120€ em gasoelo por mes, problema teu. COmo diz o outro, estudasses.

  4. Aquila Cunha Freitas says:

    E assim que o teletrabalho foi extinto em Portugal enquanto que o resto do mundo ganha liberdade geográfica.

    • Tonheco says:

      Mesmo, é daquelas coisas que já se sabe qual vai ser o resultado.

    • Joao says:

      No resto do mundo está-se a aplicar legislação similar.

      • Aquila Cunha Freitas says:

        No meu mundo ainda não, aliás enquanto escrevia estava a mensagem acima estava no comboio a caminho do aeroporto no horário de trabalho a trabalhar para apanhar um vôo para ir trabalhar da Alemanha com um colega novo. E quer saber, a minha empresa não pagou nada. Estou feliz assim. A minha empresa fez um inquérito e a maioria esmagadora pediu liberdade ao invés de subsídios.

        • Tonheco says:

          Ora nem mais.
          As empresas só têm de dizer que se querem ficar em teletrabalho têm de pagar as próprias despesas e quem não concordar pode ir para o local de trabalho.
          Assim ficam todos contentes.

        • Swappie Guy says:

          Ora nem mais, os trabalhadores é que têm de pagar para trabalhar, na minha empresa onde tenho 200 funcionários, todos eles pagam-me 10000€ cada um por mês para poderem trabalhar na minha empresa…eu pagar para eles trabalharem? Isso é que era bom.

        • Hgcgfgf says:

          Como é o regime de teletrabalho fora do país? E legal ?
          Teleletralho e possível noutros países da União Europeia?

          • Pedro says:

            Há um tempo tive uma reunião com a sucursal inglesa de uma grande empresa de IT e têm um regime hibrido quem quer ir para o escritório vai para o escritório e quem quer ficar em teletrabalho fica em teletrabalho, sendo que a pessoa que falei (era um comercial) estava em casa.

        • Maria says:

          ok. Fez uma troca de acordo.
          Deram-lhe mais liberdade em troca de dinheiro (chame-lhe subsídio, compensação, o que quiser).
          Portanto resumindo, fez um troca financeira,pirque tem uma atividade que o permite.

      • Luís Costa says:

        Espera para veres quando esta medida entrar em vigor e os sindicatos andarem a chatear as empresas para pagarem tudo e mais alguma coisa que logo vês as empresas a dizerem “voltem já já para o escritório” tanto simples quanto isso

        • Joao says:

          Então porque é que as empresas não fazem já isso? O que ganham em manter a malta em casa? Repara que os teus, e a maioria, dos argumentos são com base em suposições e previsões do futuro ao estilo da pomba gira. Niguém dá numeros..

    • Toni da Adega says:

      Por esse mundo fora trabalhar remotamente é considerado um benefício/incentivo. Empresas que não permitam alguma flexibilidade/opção de trabalhar remotamente estão a ter muitas dificuldades em contratar.

      O Português prefere passar dezenas de horas por mês enfiado no trânsito para “poupar” 20 ou 30€ por mês.

  5. Aquila Cunha Freitas says:

    E assim que o teletrabalho foi extinto em Portugal enquanto que o resto do mundo ganha liberdade geográfica.

    • Manuel Costa says:

      Para pagarem 4% além dos 16 a 60% para pagar a trabalhadores em países terceiros?
      Isso funciona com o telemarketing e com os serviços informática (que nunca ficam abaixo dos 200000 euros por serviço base), para o resto só és parvo e mentiroso.

      • Aquila Cunha Freitas says:

        Não entendo o motivo da arrogância. É de família ou toquei em alguma ferida? Não foi por querer. O que sei é qualquer intervenção estatal em contratos voluntários realizados por duas partes sem sai pela culatra.

        • Maria says:

          Há sempre intervenção estatal na regulação do trabalho. Em todos, uns mais liberais outros menos.
          Quando não há regulação chama-se escravidão.
          Talvez pense que a Alemanha não regula o Trabalho?

          • Aquila Cunha Freitas says:

            Contratos voluntários entre duas partes não é escravidão. Como disse, são voluntários, ninguém está a lhe ameaçar violência para assinar um contrato de trabalho. Cabe as partes saberem o que é melhor para si.

  6. Nomade Digital says:

    Pior ideia de sempre

  7. Fernando says:

    Internet pagam o mesmo porque o preço não sobe consoante maior uso, e a eletricidade não deve subir assim tanto de preço ao fim do mês, já pra não falar do que poupam ao não usar carro pra ir trabalhar

    • Joao says:

      A electricidade sim pode subir, e muito. Sabes o que custa manter um ar condicionado ou aquecimento ligado? E o que se poupa ou deixa de poupar por não usar o carro, não é da conta da empresa. A empresa não paga essa despesa.

      • JR says:

        ” Sabes o que custa manter um ar condicionado ou aquecimento ligado?”
        Esta pergunta so demonstra que não sabes como é viver sem isso…. Existem toneladas de formas de conseguir mos ter um ambiente natural em casa sem qualquer aquecimento ou ar condicionado…

        • Rui Costa says:

          Se do lado de fora estiver 5-10º, não tenciono ter um clima “natural” em casa.

        • Joao says:

          O teu comentario demonstra que não conheces outras realidades para além da tua. Onde vivo este verão os termometros bateram os 48º. No inverno, chegaram aos -12. Explica-me lá como é que faço para estar confortavel dentro de casa sem gastar energia…

          • Ângelo says:

            Esta notícia é portuguesa, de uma lei portuguesa para portugueses em Portugal. Logo ele está a falar de trabalhar no nosso clima, onde não há essa amplitude de temperaturas.

          • Joao says:

            Esta nao, más ha zonas do país onde é inviavel trabalhar sem aquecimeento ou ar condicionado. O país nao e so Lisboa.

    • Nuno Teixeira says:

      «De acordo com a proposta, consideram-se despesas adicionais “as correspondentes à aquisição de bens e/ou serviços de que o trabalhador não dispunha antes da celebração do acordo” de teletrabalho, assim como “as determinadas por comparação com as despesas homólogas do trabalhador no mesmo mês do último ano anterior à aplicação desse acordo”.»

      Aumentou o custo se foi necessário mudar de plano de Internet e tem como estimar se houve mais consumo de electricidade ou não.

      Concordo que certamente houve outros custos que deixaram de pesar como o passe e/ou gasolina ou portagens. Daí que esta medida não ser vinculativa e fica na consciência de cada um.

      • Jorge Pedro Miguel says:

        Nuno, descreveste uma das partes mais sensiveis do que se está a passar, (Concordo que certamente houve outros custos que deixaram de pesar como o passe e/ou gasolina ou portagens. Daí que esta medida não ser vinculativa e fica na consciência de cada um.), complicado para as empresas estarem a perder esta receita, (Aumentou o custo se foi necessário mudar de plano de Internet e tem como estimar se houve mais consumo de electricidade ou não.), motivo pelo qual as energias estão a aumentar, isto tem todo o seu lado, ganhas em um lado roubam para o outro, abraço.

        • André Silva says:

          A empresa onde trabalho, quando foi da pandemia, só um pólo logistico (pequeno) onde trabalhavam 8 pax no armazém e cerca de outro tanto nos escritórios passou de uma conta de energia de 6500€ / mes com iva para 3000 com iva. Coitada da empresa… não poupa.
          Quanto á energia em casa, passei de 25€ / mes para 35€ mes… gastava 120€ em gasoleo, passei a gastar 20€ vou chorar

          • Jorge Pedro Miguel says:

            André, comigo foi igual, deixei de pagar despesas na ordem dos 250 paus mês, com gasóleos, almoços, jantares, cafés o próprio stress (médicos), etc… para um extra de mais 20€ mês na fatura da luz, estou a poupar por mês 230 paus, achas que me estou a chatear minimamente com isso, nem pensar, abraço.

  8. Tonheco says:

    Na empresa onde atualmente trabalho (cerca de 500 colaboradores) até ao final do ano cada pessoa é pbrigada a ir ao local de trabalho uma vez por semana, mas se quiser pode ir os dias todos da semana para o local de trabalho.
    Adivinhem lá quantas pessoas vão mais de uma vez por semana?
    Adivinhem lá o que vai acontecer com esta medida?

  9. Elton says:

    A mim o que me dá comichão é ver “putos” de 20 e 30 anos por aqui no pplware a terem ideologias neoliberais, onde o trabalhador não deve ter direitos. Isso é que me mete impressão.

    Mas… Vendo bem , agora até percebo pq é que alguém com mestrado ganha 800€.
    Para este tipo de pessoas é tudo muito normal.
    Incha puto… És comido e gostas .

    • Tonheco says:

      A mim o que me dá comichão é ver “putos” de 20 e 30 anos por aqui no pplware a terem ideologias comunistas, onde o trabalhador não deve ter deveres. Isso é que me mete impressão, e não perceberem que estas medidas na maioria dos casos apenas vão acabar com o teletrabalho e que devido a elas muita gente que não se importava de ficar em casa e pagar as contas (talvez por pouparem no transporte e tempo de deslocação) vão ter de voltar ao trabalho a tempo inteiro.

      Incha puto… Tudo queres e tudo perdes.

      • Joao says:

        A parte de que esta medida vai acabar com o teletrabalho é uma especulação tua. E ninguém falou em reduzir deveres dos trabalhadores. E não fazes a minima ideia do que é o comunismo, para dizer tais barbaridades.

      • José Carlos da Silva says:

        Isto.

      • Aquila Cunha Freitas says:

        Tonheco disse tudo.

      • Nuno Teixeira says:

        Isto não é uma OBRIGAÇÃO da empresa. O trabalhador é que toma essa decisão. Se achar que compensa ficar em teletrabalho porque poupa mais ao fim do mês até poderá suportar por inteiro as despesas extras que tem para ficar em casa.

        • Zé Fonseca A. says:

          Deixa sair a adenda ao CT para ver, mas pelo que falam é mesmo obrigação.
          Problema é que isso nem sequer é mesuravel, imaginando uma familia de 4 como eu, com o teletrabalho vim, eu, a minha mulher e os filhos para casa, natural que os meus consumos aumentem, mas que percentagem desse aumento é meu, deve a empresa pagar tudo, e se assim for a empresa da minha mulher deve fazer o mesmo, mais um pouco e fico com a conta da luz paga.
          E também vem a questão da morada, eu vivo em Lisboa, mas a minha morada no meu contrato de trabalho e para fins legais é uma casa secundária no alentejo, quando em teletrabalho tanto estou numa como noutra, depende da vontade de compromissos familiares e sociais, como será aferido o custo, dividem pelas duas casas, só conta a morada presente no contrato de trabalho?
          Aplicabilidade dubia no minimo já para não falar que vai demover 90% das empresas do teletrabalho, para mim tudo se irá manter igual, mas para muita gente é o fim de alguma poupança.

          • Nuno Teixeira says:

            O que eu quero dizer com obrigação é de que a empresa também não é obrigada a pagar-te o passe nem a gasolina ou o que quer que seja que pagues para ires ao local de trabalho.

            Nem me lembrei desses esquemas onde poderás ter a Internet ou
            a conta da luz paga por duas empresas. O tuga é lixado 🙂

            Mas resumindo se uma empresa não consegue suportar 20-30 Euros que poderá ser esse o custo máximo adicional então duvifdo que deveria ter as portas fechadas.

          • Nuno Teixeira says:

            queria dizer as portas abertas*

          • Joao says:

            Exacto! É que até parece que se está a falar de quantias exorbitantes. Cá para mim os que estão contra esta medida estão é com medo de ter que volver a TRABALHAR no escritorio e que se acabe a mama de “trabalhar” em casa.

          • Zé Fonseca A. says:

            Problema não é a quantia mas sim a vontade de despender dessa quantia para todos os colaboradores.

          • Pedro says:

            Como assim mama de trabalhar em casa? Quando o teletrabalho era obrigatório tinha de estar disponivel para todas as chamadas, reuniões, imputar horas nas tarefas, e além disso podem ver os commits e pushes que fiz para o servidor, temos objetivos em termos de tarefas por sprint”.
            O único caso que conheço na minha empresa de alguém que quis voltar para o escritório foi porque “tinha saudades de ir ao café e restaurante com as colegas” e que “em teletrabalho há dias que nem sai de casa”.

          • Ricardo Outor says:

            @Joao – 3 de Novembro de 2021 às 17:44 – Não é medo nem mama, é falta de vontade de voltar a aturar labregos como tu no escritório, em casa estou sou eu e não tenho certa lixeira de gente à minha volta…

            Se quiseres voltar para a idade das cavernas, estás à vontade, não queiras è obrigar os outros a voltar ao atraso de vida que tanto amas…

      • Swappie Guy says:

        Óh Tonheco, na minha empresa os meus funcionários é que me pagam para trabalharem…ainda bem que pensas assim porque quando quiseres também podes vir trabalhar para a minha empresa.

        Os meus funcionários pagam-me 10000€ cada para poderem trabalhar, isto aconteceu assim, eu e os meus funcionários chegámos à conclusão que eles fazem desgaste no armazém, desgaste no escritório, desgaste nos carros, desgaste no wc e etc, portanto não sou eu que tenho de lhes pagar mas sim eles a mim.

        Tonheco, queres trabalhar? Paga.

        • Pedro says:

          A menos que tenhas a grande sorte de viver perto do local de trabalho, a escolha é entre pagar para ir trabalhar ou pagar para trabalhar.

          Mas pronto, certamente muitos de nós não temos a sorte que tens e por isso temos de optar por uma destas duas alternativas.

          • Swappie Guy says:

            Por isso mesmo é que é de rir como é que em pleno séc. XXI ainda há gente que acha que não se deve lutar pelos seus direitos.

            Como é que neste séc. ainda é normal 2 funcionários numa empresa com o mesmo encargo receberem o mesmo sendo que 1 vive a 20km e o outro vive ao lado e vai a pé?

            Vamos supor que o que vive a 20km gasta 100€ em deslocações fora as manutenções que um carro tem, inspeção, etc.. e o que vive ao lado nem tem carro porque não precisa, não é injusto? Uma compensação para quem vive mais longe era mais do que justa, assim como a medida deste artigo do pplware é mais do que justa.

            Para compensarem quem se desloca com carro devia haver uma lei que obrigasse as empresas a pagar esse extra, por exemplo uma tabela onde de 5 a 10km pagavam X, de 10 a 15km outro X, etc.

            O mesmo para quem de desloca de transportes públicos porque ninguém tem culpa da não possiblidade de poder viver ao lado do trabalho e ninguém deveria ser obrigado a pagar isso do seu ordenado.

    • xbuzzy says:

      Pelos vistos teres supostamente mais de 20 ou 30 anos não te trouxe inteligência/conhecimento nenhum.
      Quantas pessoas gastam centenas de €€ para se deslocar para o trabalho todos os dias?, existe subsidio para essas despeças também? ou o trabalhador já as equaciona quando decide aceitar o trabalho?
      É verdade que a electricidade está a aumentar, mas os combustíveis também, logo a não ser que possas ir a pé para o trabalho (uma percentagem minúscula) fica sempre mais barato trabalhar de casa. Consegues perceber ou precisas de 1 subsidio para o cérebro xuxalista?

      • Joao says:

        Quanto gasta em média um trabalhador de escritorio, em portugal, em deslocações para o local de trabalho?
        Dá-me numeros…não especulações…

        • Rui Costa says:

          Qunado trabalhava 100% presencial, gastava 40€/mes

        • Pedro says:

          Presencialmente gasto 50 euros semanais em combustivel + Portagens (auto-estrada + ponte 25 de abril ou Vasco da Gama dependendo da que ter menos trânsito) (em média 65 euros mensais) + Estacionamento (45€ mensais), portanto dá cerca de 310 euros por mês, felizmente como agora somos 2, dividimos entre nós, a isso acrescem as horas em filas de trânsito e os acidentes que acontecem nos dias de chuva.
          Mas há piores, há quem more no norte e centro e tenha de arrendar casas em Lisboa e esses pouparam ainda mais durante o tempo em que trabalhámos exclusivamente em teletrabalho (alguns infelizmente perderam a casa, outros tiveram sorte porque o senhorio não arrendou a mais ninguém).
          Gostava que fosse especulação como dizes, mas a verdade é que desde que se começou a falar disto, passámos de um sistema por turnos 1 semana em casa e 1 semana presencial para o atual em que apenas temos um dia em teletrabalho por semana não acumulável, gostava que fosse especulação, mas na minha empresa (750 colaboradores) não foi assim, espero que tenham mais liberdade de escolha nas outras empresas e que aí realmente não seja apenas a especulação que falas.

        • Toni da Adega says:

          0€ não é a media de certeza

    • Luis Fonseca says:

      Melhor comentário era impossível. Não sei como é que as pessoas abdicam de lutar pelos seus direitos. Ainda por cima quando são jovens…

      • Swappie Guy says:

        Não te preocupes porque muitos dos que aqui comentam nem se quer trabalham, outros até estão no trabalho mas a cabeça está noutro sítio (são que dizem à família e amigos que trabalham muito mas na verdade não fazem nada) e só uma minoria é que sabe o que a vida custa.

    • Toni da Adega says:

      Engraçado nos países onde se ganha mais é onde existe mais flexibilidade e opção de trabalhar remotamente. Em muitas áreas é difícil encontrar emprego 100% no escritório.

  10. Jorge Pedro Miguel says:

    Já vi aqui tantos comentários absurdos meus Deus, eu vou dispensar os custos associados aos meus gastos em luz e net, por favor, só os passes e o tempo que eu perco todos os dias a ir para o trabalho, por favor, qualquer funcionário em teletrabalho tem um incremento substancial no seu desempenho, sejamos sérios e equitativos, como é obvio alguns ressabiados não lhes interessa que o país aumente a produtividade, como consubstancialmente aprovam estas macabras idiotices, a pedido dos seus compadres, enfim, é a triste sina de um país à beira do precipício e que tão bem lhes sabe lá estarem, é só cheirar dinheirinho, que país de ficção.

  11. João says:

    A mim já me pagaram a net que é para não estarem com tretas. E a seguir segue-se a electricidade.

  12. Elton says:

    Estás enganado Tonheco.
    As empresas gastam muito mais no escritório.
    Não tenhas pena de quem tem lucros de milhões e acha que um salário e ajudas de custo são uma chatice que deveria acabar.

  13. FAR says:

    Não consigo perceber ao certo quem é que esta medida visa ajudar. Mas alguém que trabalhe por contra de outrém, feitas as contas, fica a perder € ao trabalhar a partir de casa?

    Pergunta sincera, realmente não me ocorre nenhum cenário à parte aquelas pessoas que moram muito perto (e podem ir a pé) do trabalho e que não gastam nem tempo nem € nas deslocações, mas isso não é um cenário comum.

    • Zé Fonseca A. says:

      Eu gasto mais em casa, mas lá estar, não é um cenario comum, tenho carro da empresa com cartão frota e se quiser ir de transportes tenho passe pago, em refeições gasto mais porque tenho de pagar entrega, se for ao restaurante pago praticamente o mesmo.
      Em muitas empresas que tenham passe pago e cantina tipicamente fica mais barato ir para a empresa.

  14. Toni da Adega says:

    Eu cá pedi para ficar a trabalhar 100% remotamente tudo uma questão de opção.
    Aproveitei mudei-me, moro agora junto à praia. Estou quase a 2h do escritório mas estou melhor de quando ia diariamente para o escritório.
    Enquanto o pessoal anda enfiado no transito eu estou numa esplanada à beira mar. Sem falar que todos os fins de semana são como umas mini férias.
    Penso que compensa os 20 ou 30€ que pago mais em electricidade.

    • Joao says:

      Tens sorte. No meu contrato dirá que tenho de teletrabalhar desde a minha residencia habitual.

      • Toni da Adega says:

        Posso ter ido para mais longe, mas como alterei a morada fiscal trabalho na minha residência habitual. Podem colocar algumas condições em termos de acessibilidade, mas nenhuma empresa pode impedir de um funcionário de mudar de casa.

        • Joao says:

          Mais ou menos, não podes ir viver para o extrangeiro nem para as ilhas. E se não tens no contrato que estás em teletrabalho, a empresa pode sempre exigir que vás ao escritorio, independentemente de estar a 5m ou a 5horas.

          • Toni da Adega says:

            Quem for viver para o estrangeiro não vai certamente ficar com o emprego/ordenado de Portugal.
            Eu vou ao escritório sempre que for necessário, mas nunca mais que 1 x por semana, actualmente vou 1 x por mes.

  15. eu2 says:

    Como é que se mede o consumo extra de eletricidade?

  16. . says:

    Coitadinhos dos doentes partidários !

    Pagem para trabalhar !!

    Quem trabalha em casa nem come nem bebe …

    Melhor ainda !

    Bom como se sabe quando uma empresa se fixa num determinado local gera economia ” indirectamente “, economia local … alem disso, se virmos bem tambem gera diversas interações sociais…. sendo nós, o ser humano um animal social, essa parte das vidas humanas é saúde… enfim antropologia…

    Conheço um ultra liberal que nem as regras laborais sabe e tem raiva de quem o alerta para….
    Esta desempregado e a viver em casa dos pais…

    Cada caso será um caso mas medir tudo por um unico umbigo é errado.

  17. B@rão Vermelho says:

    No meu caso moro perto do local de trabalho vou de trotinet Xiaomi, tenho tudo eléctrico em casa aquecimento de água placa eléctrica, no trabalho tenho refeitório e o almoço fica por 1,80€, os custos em casa com a EDP, passam para o dobro, a água ficou mais ou menos na mesma vou mais vezes ao wc, mas não tenho de me vestir todos os dias com roupa lavada, mas não concordo com o pagamento, não vou aceitar o teletrabalho porque me obrigam a ir 1 dia por semana, ou seja lá se vai a vantagem de ficar em teletrabalho, não posso ir para lado nenhum porque tenho de ir ao local, não concordo de todo com está obrigação.
    Por enquanto ainda estou em teletrabalho porque sou doente crónico, mas estou a ser pressionado a assinar a adenda para teletrabalho

  18. Rolha says:

    Mais uma medida com uma grande ambiguidade nos termos em que se pode aplicar, com tantos casos que podem existir de não se vai saber bem como se aplica em casos diferenciados de varias pessoas em teletrabalho no mesmo agregado etc.

    Mais engraçado ainda vai ser quando o governo perceber que este regime se aplica à própria Função Pública e que terá que o aplicar com os consequentes aumentos de custos. Mas como o Estado segue o lema de faz oque te digo e não o que faço, logo surgirá uma despach oinformal para os serviços públicos não autorizarem teletrabalho nenhum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.