PplWare Mobile

Google, Facebook e Twitter podem ser multados por Bruxelas


Fonte: Reuters

Rui Bacelar

Desenvolveu desde cedo o gosto pela escrita e comunicação. Em leis formado, tem como hobbies a aquariofilia e a música. Mas é na tecnologia que encontrou o seu expoente máximo e no Pplware a plataforma ideal para a redação e produção de vídeo.

Destaques PPLWARE

  1. Pedro says:

    Finalmente!

  2. Luís Silva says:

    “multar a Google, Facebook, Twitter e outras plataformas online que não removam, no espaço de uma hora, o conteúdo extremista das suas plataformas”

    Eu quero multar os países que não removam os ativistas em 5 minutos 🙂

  3. José says:

    Censura portanto. As pessoas devem ser por elas proprias capazes de discernir situações extremistas.

  4. DrFrank says:

    Como dizem no artigo… Tarefa impossível porque tiram de um lado A e no entanto já apareceu noutro B de onde voltou a ser partilhado no lado A…

    No entanto parece uns primeiros passos no sentido da censura. Bloquar conteudos extremistas..daque nada estamos a bloquear as Catarinas e as Marianas… também podem ser consideradas extremistas mas na outra ponta 🙂

    • Nuno V says:

      Posso fazer uma pergunta? É conteúdos extremistas de entidades como o estado islâmico e outras organizações que promovem o extremismo islâmico, que fazer com essas? Deixamos estas também andarem na rede?

      • Chinesisses says:

        Tem de ser, se a ideia é liberdade de expressão… Agora podes é ter uma maior supervisão do que eles andam a fazer e ir contactando com as autoridades responsáveis sempre que tal aconteça… Mas censura não é solução, no fundo só piora, só estão a fazer com que eles procurem meios alternativos…

  5. rulez says:

    Falta de consciência e cultura das pessoas está a transformar o mundo num rebanho cada vez mais global que já deixou de pensar há muito tempo. Se cada um dedicasse 10 minutos por dia a meditar, a falar consigo mesmo, acredito que sentimentos de empatia e integridade viriam a eliminar, naturalmente, muitos dos males na sociedade. Mas como preferimos por mais regras e fazer leis superficiais vamos continuar a caminhar para o absurdo e para ignorância cada vez mais acentuada e destruidora, isto numa larga escala, porque individualmente são todos uns príncipes e princesas como dizia o outro.

  6. MAMEDE MACHADO says:

    A Comissão Europeia é dirigida por muitos políticos dos quais se destacam uma grande quantidade de corruptos basta ver o que acontece em Portugal e não lhes interessa a liberdade de expressão porque não querem que se saiba o que fazem de mal aos cidadãos é precisamente por isso que vão fazer tudo para que se saiba o menos possível os males que fazem e a corrupção que praticam. há lá muita gente honesta mas a maioria vivem da corrupção e do favorecimento a amigos. OLHEM BEM PARA PORTUGAL UM PAIS ONDE A CORRUPÇÃO ESTÁ A MATAR OS MAIS DESFAVORECIDOS E A UNIÃO EUROPEIA NADA FAZ. TENHO DITO.

  7. Gekko says:

    Esta proposta vai dar cabo de serviços mais pequenos (hosters de serviços de email e afins), que tem equipas mais pequenas.

    O facebook é uma empresa multinacional com 80000 funcionários, eles tem a capacidade de obedecer a isto.

    Há serviços de cloud e email, ou fornecedores de hosting mais pequenos com equipas de 3 a 5 pessoas.
    Não conseguem ter pessoas de prevenção 24h sobre 24h para responder a este tipo de emails no prazo de uma hora.

    Aplicar prazos destes por igual a toda as emresas, desde os facebooks do mundo a um por exemplo a um hoster independente com uma equipa de 3 pessoas é de loucos.

  8. Gekko says:

    Eu percebo a necessidade de lutar contra esse tipo de conteúdos online. Se eu fosse administrador de uma plataforma onde alguém colocasse o vídeo de por exemplo, o ataque terrorista às mesquitas na Nova Zelândia (que foi transmitido em direto no facebook), eu apagava isso mal soubesse, e apagava a conta da pessoa e denunciava às autoridades.

    Mas fica também a pergunta de o que é considerado extremismo pelos vários governos da União Europeia. Por exemplo, na Alemanha o diretor do equivalente ao SIS deu uma entrevista a dizer que; tudo é esquerda do SPD, o equivalente ao PS na Alemanha é extremismo.

    Na Hungria onde há um Governo proto-fascista, muita da oposição é considerada extremista.

    Como disse concordo que se deve combater coisas como as que aconteceram com o caso da Nova Zelândia. Mas tenho muitas dúvidas que esta seja a melhor maneira.

    Isto abre a porta a censura por parte de Governos. A notícia diz que Bruxelas está ciente que pode prejudicar plataformas mais pequenas e que tem que ter em conta a liberdade de expressão. Ok, que mecanismos tem para evitar isso? ….

  9. Carlos says:

    Que estupidez de medida, a meu ver. Apertar o cerco aos extremitas vai apertar o cerco a todos. Depois vem a conversa que já não há direito de expressão. Vamos todos acabar a partilhar apenas conteúdo politicamente correto e socialmente porreiro a menos que sejamos comediantes profissional… Pelo andar da coisa acho que vou já começar a ver uns cursos.

  10. manu says:

    apenas digo; “”O monstro do Artigo 13 e o fim da Internet””
    FIM DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO…!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.