Quantcast
PplWare Mobile

GearBest está off e ninguém sabe porquê! Será que faliu?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Sardinha Enlatada says:

    Boa forma de ganhar publicidade, porque eu sinceramente nunca ouvi falar desta empresa.

  2. jota says:

    Não me admirava nada que tivesse falido, aos preços que têm praticado ultimamente, só podia dar nisto!

  3. José says:

    Já tinha saído uma noticia a dizer que os donos da mesma estavam falidos e em insolvência e que iria fechar de vez.

  4. Ptuga says:

    Era um site muito conhecido aqui há uns anos atrás, cheguei a mandar vir telemóveis de lá (o último em 2014, o primeiro One Plus acho), e veio! Lol, agora nos últimos anos já nem visitava o site, quando queria procurar alguma coisa ia logo ao AliExpress.

    Como eu deve ter havido muitos.

    • José says:

      Foi o primeiro site a ser conhecido em Portugal…depois veio o Aliexpress, Banggood etc…Mandei vir muita coisa da Gearbest e nunca tive grandes problemas. Mas realmente já há bastante tempo que também não fazia encomendas do site, principalmente desde que eles tiraram o Priority Express nos envios. Agora é Aliexpress e Amazon

      • Vítor M. says:

        O primeiro fomos nós que trabalhamos em 2013 (se não me engano), foi a XiaomiShop. Quando introduzimos em Portugal a Xiaomi. Depois vieram outros atrás.

        • Bob says:

          O primeiro foi a Aliexpress, a vender Xiaomi, em 2010 ou 2011. (se não me engano). Depois seguido de outras lojas do tipo Gearbest.
          Ninguém ficou à espera de 2013 e da “xiaomishop” 😀

          Falando-se de websites, como dito acima.

          • asdasd says:

            E depois ainda vieram as lojas espnaholas tipo powerplanet e só depois é que vieram essas lojecas nao oficiais para Portugal. Já tinha xiaomi à anos e ninguem conhecia a marca e muito tempo ainda se manteve na ignorancia portuguesa.

          • MP says:

            o primeiro foi mesmo o dealextreme que agora é dx.com

  5. Paulo says:

    A app ainda continua a funcionar, quem quiser aproveitar…. 🙂

  6. L.Sousa says:

    Existem pessoas a queixarem-se que já não receberam os seus artigos.

    • Nuno Nunes says:

      Eu comprei uma coisa no fim do ano passado e nunca enviavam e falavam sempre a mesma coisa que era falta de stock, se fosse falta de stock nem deviam estar a vender e depois eu pedi o retorno de volta para o paypal

    • F says:

      Comprassem produtos nacionais em ver de dar guito aos chineses.

      • Renato Gomes says:

        Nada como um bom smartphone nacional, dos melhores que há.

      • Vitor says:

        E as lojas Portuguesas de onde achas que mandavam vir os Xiaomis e restantes chinesices de electrónica?! 🙂 O “priority line” não foi só usado pelo consumidor final!…

        A concorrência hakeou a gearbest e fragilizou o site deles….e esta nova lei da UE, deve ter sido a gota de água que fez transbordar…

  7. R says:

    Já há bastante tempo que se fala em dificuldades financeiras.

  8. veerel says:

    Para mim, faliu à anos.

  9. Nuno José Almeida says:

    A Gearbest não tem nada a ver (modelo) com o Aliexpress. O Ali é um marketplace, ie, um loja de muitas lojas de maioritariamente dos próprios fabricantes. Dos dois Alis, o Aliexpress é para venda a retalho, o AliBaba para venda a grosso. O Gearbest é uma loja online só isso.

  10. Luis says:

    Posso garantir. Faliu. Quem fez encomendas recentemente preparem para ficar sem as mesmas.

  11. falcaobranco says:

    Quando a esmola é muita…

  12. Joao says:

    Agora entendo tar mais de um ano para receber um reembolso deles e eles tarem sempre a dizer para falar com o banco que tava feito o reembolso.
    Se tivesse recebido mesmo os 40€ a gearbest entrava em falencia ainda mais cedo

  13. David Guerreiro says:

    E isto não deve ficar por aqui, há mais lojas chinesas que devem seguir o mesmo caminho

  14. Claudio says:

    Isto com o fim da isenção fiscal que esta a acontecer em muitos países da UE, Portugal inclusive, muitos destes sites vão fechar. Os preços so eram competitivos desta forma.

    • Pe@ce says:

      Ultimamente já nem eram muito competitivos, as diferenças de preço já não compensavam a falta de garantia na maioria dos casos.

    • Manuel Costa says:

      O maior problema nem foram os impostos na Europa e EUA… são os correios.
      Na China, um contrato de envio de 1 milhão de encomendas internacionais, dava um valor de 4 cêntimos por envio. Em Março, o valor disparou para 22 cêntimos. Isto levou muitas lojas a desaparecer… principalmente porque para enviar equipamentos electrónicos, o valor é de 1,26 euros.

  15. Al CiD says:

    Está em andamento um exame de insolvência contra a empresa-mãe da Gearbest, a Globalegrow Ecommerce. A venda da subsidiária Patoxun tentou recentemente obter capital novo. No entanto, era quase previsível que isso não fosse suficiente para impedir processos de falência.

    FONTES:
    https://www.china-gadgets.de/gearbest-insolvenz/
    https://www.chinahandys.net/der-untergang-des-groessten-china-shops-ist-gearbest-pleite/
    https://www.gizmochina.com/2021/06/10/global-grow-gearbest-bankruptcy/
    https://www.cnx-software.com/2021/09/02/gearbests-parent-company-is-in-bankruptcy-review/
    😉
    .

  16. Sergio says:

    Gostava bastante do site mas já nao fazia compras lá algum tempo, ainda cheguei a mandar vir um portatil da xiaomi em 2018 e até hoje, sem problemas.
    Não sei até que ponto o fim das isenções fiscais, vão diminuir as vendas as estes sites.

  17. Mangostão says:

    SCAMMELS

  18. BM says:

    A minha ultima compra em Maio correu bem desde aí não voltei a comprar porque os preços deixaram de ser competitivos. Fiz algumas compras por lá…” morrem umas ..nascem outras..”
    Tudo isto poderá ser o reflexo da EU das cargas fiscais!

  19. Nelson says:

    Só tenho bem a dizer da Gearbest, mandei vir perto de umas 30 coisas e sempre me chegaram a casa, depois deixou de aparecer o envio com priority line e eu tive de procurar em outros lados.
    Mandei vir 5 telemóveis, 3 tablets, e outras coisas mas mais baratas.

  20. kodiakshadows says:

    A Gearbest nos últimos anos estava rodeada de maus parceiros e isso foi o enterro dela.

  21. XneloX says:

    Essa empresa ou lá o que seja tentou fugir à responsabilidade de resolver um problema de troca de encomendas para mim, mesmo com vídeos e fotos da encomenda que era impossível meter uma impressora 3D Ender 3 num pacote A3. Depois de resolvido com participação na polícia e PayPal nunca mais comprei la nada, desde salvo erro 2018.

  22. NL says:

    A verdade é que com a inclusão do IVA em tudo o que for extracomunitário e tapado o loophole (fosse lá ele qual fosse…) que permitia a venda de produtos sem IVA com envios a partir da EU (!?!) muitos produtos simplesmente deixaram de ser atrativos, em particular quando se considera a inexistência de garantias, de suporte, de documentação e os looooooongos envios juntamente com o “imposto” CTT e ineficiência dos mesmos a desalfandegar… Ou seja, deixa de compensar comprar quase tudo o que se consegue comprar diretamente na Europa, mesmo que a origem seja a China.

    Claro que haverá produtos que não se encontram (momentaneamente, no seu lançamento, as novidades, as “especialidades”, …) na Europa e esses poderá continuar a compensar mandar vir (importar).

    Terá sido esse o último prego no caixão da Gearbest…

    • Manuel Costa says:

      Existem muitas lojas chinesas que estão a fazer o pagamento do IVA e permitem o envio para a Europa sem problema da alfandega.
      Essas ainda conseguem preços inferiores aos da Europa (pois é onde 99% das lojas/vendedores fazem compras). Óbvio que um telemóvel de 100 euros vai passar a custar 130. Enquanto que os revendedores o vendem por 170.

      • NL says:

        Dou o exemplo do novíssimo Mi Pad 5:
        – No Ali ronda os 500€; garantia = 0 (admito que vá baixar bastante)
        – Nas lojas PT 399€ (pré reserva); garantia = 2 anos

        O “problema” do Ali é que muitas “lojas” (vendedores) tem dimensão relativamente pequena e em coisas caras apenas beneficiavam de negociatas (tipo, scalper, revenda, etc; acho)… Isto não é válido para tudo e todos mas, quando o negócio entra em economia de escala não sei se vão conseguir competir com as mesma estrutura de custos (taxas; impostos; envios, …). Mas admito que até posso estar enganado: esta é a sensação que eu tenho de observar a evolução da generalidade dos produtos que comprei ou estava interessado em comprar.

        A própria subsidiação de que se falava do estado chines, a começar logo nos custos de envio (ridiculamente baixos), que depois “sobrecarregavam” os serviços postais nacionais (por causa de um acordo que nunca percebi muito bem) foi posta em cheque com a necessidade de desalfandegar tudo (mesmo o que já pagou IVA na origem), compensando assim as operadoras de correio. Se não me engano, bem antes desta lei, já havia países do norte da Europa em que os correios cobravam extra para entregar qualquer encomenda da china.

        Há muitas coisas que vou continuar a comprar (embora não tenha comprado nada desde que mudou a lei), ou por comodidade) ou porque simplesmente não há alternativa na europa.

  23. Rui Manuel says:

    Não entendo alguns comentários, ainda hoje recebi a minha encomenda e de bónus enviaram um telefone da Xiaomi.
    Veio pela DHL

    • Manuel Acácio says:

      Aqui está outro pobre que só encomenda chinês. Fazer funcionar a economia da União Europeia que é bom…
      E por isto que o nosso país está como está.

      • Rui Manuel says:

        Certamente deve ter muito juízo para comprar produtos da Apple, tenha juízo, foi o Passos que destruiu este país

      • Lucas says:

        Foi sem sobra de duvida o comentário mais instruído de todos. Ora dê-me lá um exemplo, basta um, de um qualquer electrónico, venha lá de onde vier, que não tenha feito funcionar a economia chinesa.

        Pois…

        É por isso que o país está como está , muita gente só vê a árvore e não têm a percepção da floresta que a rodeia. A ser pobre de tino e xenófobo , mais valia ter estado calado.

  24. Manuel Acácio says:

    Só os pobres é que encomendam neste tipo de loja.
    Porque não compram nas lojas oficiais? Eu compro os meus iPhones na loja oficial da Apple.

  25. Comuna liberal says:

    A causa foi a redução do horário de trabalho para 35h semanais. Não só não aumentou produtividade como faliram.

  26. José Pedro says:

    comprei um telemóvel umidigi a11 em agosto…que sorte ter chegado!

  27. Daniel says:

    Só fiz uma compra há mais de 3 anos (e correu tudo bem) mas não tem nada a ver com a Aliexpress…

    • Nuno Nunes says:

      Desde 2019 a empresa esta uma lastima, eu fiz duas compras la no final de 2019 e outubro 2020 e como nunca enviavam eu pedir o dinheiro de volta e mandei lixar a empresa

  28. Renato Gomes says:

    A Gearbest nunca foi concorrente do ALiexpress, quanto mais da Banggood. A Banggod sim isso é que é uma loja top. Agora Gearbest vem em queda livre desde à dois anos. Andou a cavar a cova agora meteu-se lá dentro.
    Há anos que não tinha preços de jeito, o fim estava mais que visto.

  29. Karlos says:

    Se está morta, paz à sua alma.
    Só tive problemas com esta loja online, nomeadamente com as entregas.

  30. caganotas says:

    Comprei duas coisas este mês no aliexpress china e foi liberado na alfandega sem qualquer problema. 10 dias o tempo de entrega. Se o vendedor mandar tudo direitinho, com o iva já pago, não há nenhum stress. Claro que depois deve haver os vendedores mamões, que pagas o iva e não declaram e aqui pagas novamente e atrasa o processo todo.

  31. Nuno Nunes says:

    O site parece que voltou a vida mas eu nao vou comprar nada lol

  32. Nelson says:

    Milagre, ressuscitou

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.