Quantcast
PplWare Mobile

Bancos cobram taxas mais caras em pagamentos “contactless”?

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Luna Pacheco says:

    Se cobrassem, o contactless seria abandonado pela maioria dos comerciantes num instante. E os que não abandonassem, ou metiam taxa para o consumidor, ou colocavam um aviso a pedir para não usar. O objetivo do contactless é tornar mais conveniente o uso dos cartões e dispositivos eletrónicos para pagamento, tornar mais fácil a compra de bens e pagamento de serviços – o que só por si mais que paga todos os custos extra inerentes ao serviço.

    • David Guerreiro says:

      O que sucede por vezes é que o aluguer dos equipamentos com contactless é superior. Agora duvido que seja, mas na época de transição que quisesse equipamentos com contactless teria de pagar mais por isso.

  2. João Silva says:

    Efetivamente não.
    No contrato que tenho, até pago menos por aceitar contactless do que em multibanco.
    0.8% sobre uma transação multibanco,
    0.6% se for em modo visa/MasterCard débito ou crédito.

  3. Redin says:

    Bolt Card resolve isso.
    https://youtu.be/7ZwW0yEZ81U
    Sem taxas e rápido como um raio. O TEU BANCO NO TEU BOLSO.

  4. deepturple says:

    os bancos no seu melhor.
    o sistema sem contacto até poupa no desgaste das máquinas… LOL
    a esmifrar até não poderem mais

  5. João says:

    Tenho de confirmar mas acho que o motivo pelo qual os comerciantes se queixam disto é porque para terem a opção de contactless nos terminais de pagamento, têm de ter contrato para opção de pagamento com cartão de credito visa/mastercard etc… Para comerciantes que só têm opção de pagamento multibanco por debito, o contactless não funciona.

  6. GM says:

    Tanta retórica por parte do BdP para justificar o injustificável. Numa transacção via TPA, existem no mínimo 3 custos envolvidos: o adquirente do produto/serviço paga (ou não, dependendo das situações) um valor anual pela utilização do cartão MB; o comerciante paga um valor mensal pela disponibilização do TPA; sempre que existe uma transacção, é cobrada uma taxa percentual do palor liquidado. Simplesmente VERGONHOSO e com a complacência do “regulador”. Por isso, sempre que posso, pago em dinheiro físico.

  7. Art says:

    então não percebo porque e que na farmácia onde vou querem sempre que eu pague introduzindo o cartão

    • David Guerreiro says:

      Há farmácias com terminais que não suportam contactless. Farmácias e não só, há muitos comerciantes com terminais sem suporte a contactless, porque são terminais antigos e para os substituir só por avaria, senão vai custar-lhes dinheiro. Os bancos não lhes trocam os terminais só porque sim.

      • Tiago Ferreira says:

        Não é bem assim David. Muitos estabelecimentos não aceitam contactless porque quem detém o serviço é a UNICRE e a UNICRE cobra taxas aos comerciantes por cada transação, não ao cliente, mas sim ao comerciante e por isso, muitos estabelecimentos não pedem ao banco ativação do serviço Contactless, como também inclui os cartões VISA e Mastercard e assim os estabelecimentos pedem a máquina TPA ao seu banco apenas para a função de Multibanco e MBWAY.

    • Pois says:

      Tenho visto isso em farmácias e com o terminal com o símbolo do contactless

  8. Ru says:

    Eu pago sempre em dinheiro. Assim não ando a alimentar bancos e tenho mais privacidade sobre os meus gastos (não peço factura de nada).

    • David Guerreiro says:

      Se teme que saibam os seus gastos, é porque tem fontes de rendimentos duvidosos. Quem está de consciência tranquila não tem problemas nenhuns. Eu quero lá saber que saibam que comprei 1kg de batatas ou paguei um almoço num restaurante. O dinheiro é meu, ganhei-o com o meu trabalho.

      • Ru says:

        “Se teme que saibam os seus gastos, é porque tem fontes de rendimentos duvidosos.”
        Sem querer ofender, mentalidade fraquinha. Mas respeito. Apenas exerço o meu direito à privacidade.
        Eventualmente será impossível continuar a ter este tipo de privacidade, mas enquanto puder aproveito da forma que melhor entendo.
        Se não tem nada a esconder, também não deve ter cortinados nem estores em casa. Ou será que faz actividades menos lícitas dentro de portas?

        • Ru says:

          E acrescento mais. O dinheiro é meu quando está no meu bolso. Não preciso de cartões/net para nada. Pago, recebo o troco. E os bancos não ganham comissões com as minhas despesas, nem estou dependente de terceiros para poder fazer um pagamento em qualquer lado.
          Obviamente tenho conta. E uso mbway, etc. Mas por norma, no dia a dia, uso dinheiro físico.

          • Ze Manel says:

            Essa mentalidade tinham os meus avós há 30 anos atrás.
            Experimente ir a Inglaterra e pagar em dinheiro… aliás tem sitios onde diz que apenas aceitam pagamentos em cartão. O custo de processar o dinheiro é muito superior ao custo de processar um pagamento em cartão.
            Mas ainda assim conheço pessoas que preferem pagar mais pelos serviços que consomem (telecomunicações, luz, etc) em vez de usarem uma coisa tão simples e segura como o débito direto.

          • Ru says:

            Respondendo aqui ao Ze Manel.
            Débito directo??? Na via verde e mais nada. Ponto final e assunto resolvido. Aqui recebe-se factura, e paga-se com entidade/valor. Ponto final. Não há débitos directos para mais nada. Da mesma forma que não há pagamentos a crédito. Aliás, nem cartão de crédito há. Aqui trabalha-se a pronto oagamento. Preferencialmente em dinheiro físico.
            Se gosta de modernices, tudo bem. Respeito. Da mesma forma que espero ser respeitado pelas minhas escolhas.

          • Joao Ptt says:

            Se gosta de privacidade a Via Verde é do pior.
            Muito conveniente, sem dúvida, mas a privacidade não parece ser muito elevada pelo que me contam… que é relativamente fácil de obter a informação.
            Certamente a empresa negará tal, mas e como é que provam para além da dúvida razoável que não é assim tão fácil?

          • ervilhoid says:

            A mentalidade dos avós… eu contra mim falo, mas pensa que se pegares em 100€ e pagares com cartão e essa empresa quiser fazer um pagamento de 100€ já não pode porque os 100 já são menos devido às taxas, agora continua adiante e verás os 100€ iniciais desaparecerem

    • Rui Fernandes says:

      Como já foi dito, porventura, terá rendimentos de proveniência duvidosa… o que aliás, está em linha com o resto do texto (“não peço factura de nada”).
      Não pedir fatura, antes de mais, só serve para alimentar a economia paralela… aquela subterrânea, que todos sabem que existe, mas ninguém quer ver!! Porventura, é dessa mesma economia que vossa senhoria se alimenta!!
      Os “galegos” do costume cá estarão, como sempre, para sustentar o estado (estradas, escolas, SNS, redes de energia, Segurança Social, Caixa Nacional de Pensões, todos o serviços públicos, etc., etc.)
      Deixem-se anda, que vão no bom caminho… quando isto der o estoiro de vez, fogem para o estrangeiro e de lá gritam: ahh e tal, Portugal é uma terra de corruptos e incompetentes!!!

      • Ru says:

        Que ideias tão estranhas que por aí andam. O facto de não pedir factura, não implica que o comerciante não registe o pagamento. Mais uma vez, se o faço é por privacidade.
        Mas se a opinião geral é que quem faz isso é porque anda a praticar certo tipo de actividades, fiquem lá com essa ideia.
        Daqui a pouco vou ali ao hipermercado, pagar em dinheiro. De certeza que eles vão meter o dinheiro no bolso, sem registo nenhum da venda.

      • Loll says:

        Hum, então, eu, como trabalhador independente, que tenho de passar um recibo cada vez que recebo dinheiro, alimento a economia paralela por não pedir fatura???
        Venham-me prender agora!! estou a jantar num restaurante, vou pagar com dinheiro e não vou pedir fatura
        Vou mesmo escapar-me de muito á conta disso

        • Jamaral says:

          “alimento a economia paralela por não pedir fatura???”

          Alimenta a fuga ao fisco.

          O valor do imposto é-lhe cobrado e não é entregue ao estado acabando por ficar no bolso de alguém.

          Resultado?

          Devido a essa falta de sensatez , o estado , que obviamente não pode ficar a perder, aumenta a carga fiscal a todos aqueles que efetivamente contribuem para uma sociedade justa,

          Mas percebo que seja, para si, muita coisa para assimilar… É o que temos!

          • Ze Manel says:

            Depois são aqueles que daqui a uns anos dirão… Ah o estado é isto e aquilo, eu só tenho 300€ de reforma e descontei toda a vida… pois!

          • joao says:

            Se descontaste a vida toda, tens mais de 300…

            Ou achas que descontar 5 ou 10 anitos e o mesmo que descontar a vida toda?

  9. Figueiredo says:

    Pior do que isso, é o que a taxa de desemprego está a infligir aos Portugueses e ao País.

  10. Pintor says:

    Já deixei de comprar por não aceitarem contactless. Raramente ando com carteira.Relógio e telefone são suficientes.Cartão de cidadão, carta de condução, documentos dos carros, pagamentos tudo em formato electrónico.

  11. Fernando says:

    A razão das taxas serem mais caras, é entre Multibanco/Visa/Mastercard. Para o consumidor em nada faz diferença. Para o comerciante a conversa é outra.
    Já devem ter reparado que muitos dos vossos cartões dão a escolher entre pagar com Visa/Mastercard ou Multibanco. O Multibanco tem a taxa mais baixa e é a rede só portuguesa. O MBWay também é processado na rede multibanco. Já as restantes têm taxas mais elevadas para o comerciante e a função contactless dos cartões faz parte da rede Visa ou Mastercard.
    No caso do meu TPA da CGD pago apenas 0,7% sobre o valor das operações da rede multibanco sejam inserindo o cartão e escolhendo multibanco ou por MBWay. Já as restantes acresce 7 cêntimos por transação. Portanto estão a ver o porque de o comerciante não gostar muito de contactless.

    • Joao Ptt says:

      Mas os comerciantes não metem um preço mais elevado nos produtos já a contar com todas essas taxinhas? Eu assume que sim. Se pagar a dinheiro eles poupam as taxas, se pagar pelo multibanco (coisa que os terminais OBRIGAM a escolher, a não ser que não ofereçam qualquer outra opção) a taxa é mais baixa para o comerciante que pelas redes de crédito… e eu prefiro porque pelo menos as empresas internacionais não têm acesso à operação e fica tudo limitado a empresas portuguesas, a menos que o terminal esteja a utilizar uma empresa estrangeira para fazer o processamento da informação e eles obtenham essa informação de alguma maneira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.