Quantcast
PplWare Mobile

Vodafone quer despedir cerca de 90 pessoas

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Maria Inês Coelho


  1. Fungundu says:

    Isto é uma notícia? Tantos, mas mesmo tantos, usam essas artimanhas para cortarem nos gastos com o pessoal. O triste disto é que depois o patrão deixa de ser o A e passa a ser o B sem os beneficios do A (se eles existirem claro).

  2. VC says:

    Porcaria das empresas de trabalho temporário provoca isto…

    • Powerverde says:

      Que muitas vezes são de familiares de administradores/gestores das empresas que as contratam

      • José Gomes says:

        nem mais!

      • António says:

        Powerverde, nessa frase resumiu tudo. Em tempos trabalhei numa multinacional tecnológica aqui em Portugal e parte dos meus colegas eram ex funcionários dessa empresa que tinham sido “convidados” a sair da empresa para ingressarem logo de seguida (semana seguinte) noutra empresa, onde iam fazer exatamente o mesmo trabalho dentro da mesma empresa!!! O curioso é que essa empresa foi criada aquando da rescisão deles e pertencia a gente importante da empresa… coincidências!!

    • pinguim says:

      A porcaria é do capital internacional sem nome que faz coisas inominaveis com os trabalhadores so para terem o maximo de lucro, passando por cima de tudo.
      empresas de telecomunicaçºoes rentaveis e lucrativas, continuam com planos nazis a despachar pessoas de qq forma. Por outro lado as pessoas são pouco solidárias umas com as outras e metem a cabeça debaixo da terra para noa verem o que se passa.
      Devido a estas taticas nazis, na france telecom em 2014 houve uma onda de suicidios e para que? para uns tipos que nem sabemso quem sao terem mais uns lucrozinhos. estamos perto de um dia ter que refazer uma revolução e nacionalizar tudo novamente, talvez assim estas pessoas percebam que o que +e demais nao presta.

  3. David Guerreiro says:

    E ainda é 1 sorte não passarem para a China…

  4. eleck says:

    eu não aceitava a rescisão, é a isto que os engenheiros informáticos chamam de talhos de carne, quando nos referimos as consultoras (algumas pelo menos)

    • says:

      Dá vontade de não aceitar as maravilhosas ofertas que fazem os gestores. No entanto, quando eles querem despedir, isso acontece sempre com ou sem acordo. Por vezes, as condições com o acordo são melhores do que sem ele. Não devemos ser conformistas, mas também não podemos ser burros…

  5. Kaos says:

    Isto ja aconteceu com a NOS ha uns anos quando passaram um departamento completo para outsourcing

  6. WhoKnows says:

    Sejamos sinceros …. estas empresas de merd@, deviam de desaparecer, que só serve para criar trabalho precário

  7. neapo says:

    Estão sempre a tempo de criarem a vossa empresa, acho piada quando crêem que devem tecer opiniões sobre as empresas de terceiros. Quem está mal muda-se ou boicota os produtos da empresa.

    • Rui says:

      Quando tens o mercado inundado com empresas de outsourcing não há muito a fazer!!! Eu tive de ir encontrar a minha oportunidade no estrangeiro para livrar do outsourcing e penso que foi o melhor que fiz. Trabalha-se 8 horas, carga de trabalho adequada e adoram-nos como trabalhadores.

      • PL says:

        Porque cá fora é tudo bom.
        Deixem-se de parvoíces, uma empresa tem de dar lucro, e quando mais melhor.
        Quantos de vocês pedem ao patrão para ganhar menos de forma a que ele possa contratar outra pessoa?
        Ou dividem o salário com o vizinho desempregado?

        Imigrem, porque cá fora é tudo melhor.
        Eu assim que puder volto para Portugal, portanto quantos menos aí tiverem, menos concorrência.

        • naoliveira says:

          Como uma empresa tem de dar o máximo de lucro, se p. ex., fores a um restaurante que te sirva comida com 2 ou 3 dias estragada, tu não te importas, pois percebes que se deitasse fora essa comida estava a ter menos lucro.

          • PL says:

            O comentario de treta, quando não há argumentos partimos para as comparações estupidas

            Servir alimentos estragados é ilegal
            Usar empresas de outsorcing não
            A culpa é dos sindicatos e a chamada segurança do trabalho.
            Uma empresa é obrigada a manter um funcionário mesmo que não precise dele, se perder um cliente não pode baixar o número de recursos por causa dos contratos a longo termo.
            Por isso o outsorcing é uma boa solução, mais cara mas com menos ricos
            Depois admiram-se que empresas abrem falência quando perdem um cliente e em vez de despedir 20% vão todos para o desemprego

            Para que fique claro sou contra contratos e direitos iguais para trabalhadores.
            Muitas vezes tenho colegas que ganham o mesmo que eu e produzem menos, noutros casos produzem mais, cada um devia negociar o salário com base no seu valor.
            E a história de o patrão despedir pessoal só porque está mal disposto é conversa se sindicato, ninguém no seu perfeito juízo despede um bom funcionário a menos que não tenha outra alternativa

      • neapo says:

        Cria a tua empresa, ninguém te proíbe disso. Se não estás satisfeito, é começarem a organizar comissões de trabalhadores e começar a protestar por coisas válidas em vez de estarem sentados em casa a verem futebol e quinta das celebridades.

    • golf says:

      Concordo. Eu estou prestes a boicotar. Só me enganam uma vez. A Vodafone tem o pior serviço de apoio ao cliente que já vi em portugal, e ainda querem despedir essas pessoas? Só se for de facto por ser um departamento tao mau.

    • sigsegv says:

      Ainda não perceberam que o problema não são as empresas mas o fraco valor que estas criam? sendo que por mais valor que se cria grande parte vai para sustentar um estado cancerígeno?

      • Pedro Silva says:

        Melhor post, realmente com um estado que estrupa toda a riqueza produzida no nosso país para clientelismos e parasitas políticos gastarem a la “gardere”.
        As empresas não públicas , neste caso os empresários vêm-se fodi€&#os para gerar lucros decentes de forma a conseguirem expandirem os seus negócios, muitas das vezes com ZERO ajudas do estado guloso, que é implacável na cobrança de impostos.
        Cada vez é mais dificil ter empresas com muitos empregados em Portugal.

        • ARCDOS says:

          Essa da cobrança de impostos ser implacável por parte do estado é gira.
          O exemplo da Banca, que pagava menos IRC que as empresas privadas.
          Que davam lucros assombrosos, mas que foram bem empregues, no bolso
          dos ingénuos banqueiros. E note-se que a banca é um negócio de risco
          conforme se tem visto e revisto !!!!!!!!!!!!! . Os desgraçados dos banqueiros
          estão todos na miséria. Alguns até já se tornaram sem-abrigo. Coitados.

  8. Adriano Cardal says:

    Infelizmente nada diferente da concorrência… estas empresas de trabalho temporário minam tudo!

  9. tilt says:

    Na Europa o que não faltam é empresas de trabalho temporário e acreditem se não fosse isso , muitas das famílias andava a passar fome. Há casos na UK em que existem trabalhadores que trabalham 16H semanais e o a renda da casa é suportada em parte pelo governo, para poderem sobreviver. Ou as pessoas aceitam ou vão andar um eternidade à procura do dia que tenham um trabalho atempo inteiro. Hoje é mais a procura do que a oferta e só os bom é que têm lugar a um. Infelizmente mas esta é a realidade.

    • Madheisen says:

      Que eu saiba ca’ so não trabalha a full time quem não quer, vejo muita gente a reclamar que não consegue arranjar full time e etc, mas… Quantos deles querem mesmo ter esse full time e se aplicar todos os dias para o merecerem ? Trabalhei em uma empresa onde o trabalho era nocturno, por semana recrutávamos 5 pessoas, com sorte 1 delas ainda ficava meia semana mas nenhum deles queria trabalho “duro” digo duro com aspas porque comparado a exploração que vivia em Portugal por parte dos meus empregadores isso sim era duro, ca e’ o céu.

  10. David Santiago says:

    Falta o comentário dos defensores da austeridade a dizer que é melhor isto do que ficarem sem o emprego ….

  11. O teu pai says:

    Nada de novo, portanto.

  12. Eu, o mesmo! says:

    Isto é o normal. Faço parte de uma equipa que toda ela está assim, “outsourcizada”. Recebes 30% do que custas à empresa, e já não é nada mau! Há operadores de loja no LIDL a ganhar mais…

  13. Carlos says:

    Para mim não é novidade, a empresa terceira é a randstad, eu ja trabalhei nessa empresa, e vi muitos dos meus colega ganhar quase dobro do que ganham com os novos contratos, mas como é normal nesta país tudo é possivel,

  14. pintor says:

    Esses funcionários tem entre outros os seguintes direitos:
    – Seguro de Saúde para eles, filhos e cônjuges.
    – Telemóvel gratuito ilimitado de chamadas e net
    – TV em casa gratuitamente
    – Aumentos anuais de Ordenado de 1% a 5%
    – Medico dentro da empresa gratuito
    Entre outras regalias.
    O que vão manter através da empresa de trabalho temporário?

  15. Lucius says:

    Então? Mas esta gente não andou a votar em governos liberais, flexibilidade laboral, sair da zona de conforto e pardais ao ninho?
    Trabalho temporário, externos, etc. São metástases laborais e só pioram a qualidade do trabalho e a economia. Depois estas empresas possuem directores a mamar rios e BMW como carros de função.
    Acabaram com a escravidão, mas no século XXI, a escravidão é outra.
    Um nojo.

  16. Alien says:

    Isto é uma pouca vergonha, mais parece que vivemos na India ou na China. As empresas habituaram-se à ideia neoliberal dos ex governantes, como deixaram de ter apoio para a politica de vinculação precária, recorrer às empresas temporárias.
    Como cliente estou chocado, e deveriam estar os Portugueses, que tal entupir as linhas de apoio com eventual descontinuação?

  17. Rui says:

    Alguém me consegue dar um bom argumento para uma empresa privada não poder despedir e tomar as decisões estratégicas que assim entender?
    Mas isto agora já virou a Venezuela?
    Com esta mentalidade parada no tempo da URSS, não admira que a economia do Pais esteja permanentemente estagnada. O Pais precisa de liberalismo económico e laboral como de pão para a boca

    • ARCDOS says:

      Rui
      Alguém me consegue dar um bom argumento………
      Não é argumento que pretendo dar, é mais um ponto de situação.

      É natural que ao longo dos tempos, e perante o que vamos vendo a
      nível mundial, façamos uma análise dos vários sistemas políticos, e
      que até reformulemos a nossa opinião.

      Só pretendo dizer isto.
      O Comunismo foi o que se viu, não serve, ou serve só para alguns.
      O Capitalismo é o que se vê, serve para uma elite, que se serve usa
      e abusa. A ganância dos especuladores leva a enormes desastres
      financeiros, nunca ficando eles a perder, e causando enormes
      crises financeiras a nível mundial.
      Por fim temos a Democracia, e cheguei à conclusão que não funciona.
      A democracia na prática quase não tem regras, (só no papel, mas não é para
      cumprir), acaba por ser um atropelo de tudo e de todos, acaba por só
      servir o interesse das elites, (tantos exemplos em Portugal), diria que é
      quase um caos! Pelo menos República das Bananas existe na generalidade
      da consciência das pessoas.
      O Homem é um animal selvagem, com a agravante perante os seus congéneres,
      de que tem consciência daquilo que faz, e quais as consequências dos seus
      miseráveis actos.
      Não pretendo apresentar soluções (pelo menos neste local), mas elas existem.
      Cumprimentos.
      A Democracia é isto, tudo ao monte e fé em Deus.

      generalidade da consciência das pessoas

      • Nuno says:

        Só um comentário…
        Calhando está na alturar de mudar de paradigma… para Méritocracia? talvez…
        A democracia quando corrupta, corrompida e ao serviço de interesses financeiros, ou seja “presa”, não serve de facto.
        Justifica-se que quem dita o que vale um pais são “agencias” financeiras com intuitos especulativos, não democraticas e praticamente sem regulação (quem classificou os emprestimos de AAA, sendo a maior parte lixo causando a crise em 2008 do imobiliario nos EUA com consequencias mundiais?)
        E outro comentário… Uma democracia robusta e sã deve ser laica.

        “A Democracia é o pior de todos os sistemas. Com excepçäo de todos os outros” SG

        • Joao 2348 says:

          A méritocracia é um conceito correcto.
          Democracia robusta e sã deve ser baseada na Vontade de Deus. Não aquela vontade que as 1001 igrejas e seitas deste mundo andam por aí a divulgar, mas a Verdadeira Vontade de Deus… pois que pelo que se vê estas instituições religiosas visam à influência com vista ao poder terreno… coisa obviamente errada.

  18. estonac says:

    Vão tentar manter os seus postos pq a muitos não lhes vai ser dado essa oportunidade, seguem diretamente para o desemprego. Mas deixem que os q ficam, não vai ser o paraíso. Porque o tinham já foi chão que deu uvas.

  19. Rui says:

    Aqui nos comentários é só empresários cheios de vontade de dar direitos de toda a espécie.

    É pena não criarem a sua própria empresa e mostrar como se faz.

    Com o programa do Simplex criam a sua empresa e podem dar uma lição à Vodafone, criarem muitos postos de trabalho cheios de regalias.

    Força aí! Mostrem como é.

    • pinguim says:

      é muito facil, nacionalizas as telecomunicações em portugal e acaba-se esta chulice de determinadas empresas terem que ter lucros exorbitantes. o mesmo se aplica às aguas e à edp que foi vendida ao desbarato para alem da ren que ainda é mais estupido. a ANa aeroportos etc… na pratica a UE está a enviar umas massas para depois en troca fazermos o que eles querem que é estraçalhar isto ao desbarato.
      tinhamos a PT que era uma emrpesa do estado altaemnte lucrativa e que funcionava bem, mas tiveram que a estracalhar a pouco e pouco e vende-la ao acapital internacional sem nome e entregar mais um pouco da nossa soberania.
      Resta-nos o nosso povo, a nossa lingua e cultura e principalemnte sermso slidarios e unidos com os nossos semelhantes e se for preciso agir em bloco. hoje em dia há redes sociais para transmitir ideias

      • neapo says:

        Nacionalizar é sempre solução para muita gente… até aos anos 90 não faltavam golden shares e só tinhas 2 canais de tv, rica concorrência. Agora tens cartelização mas o povo não se importa.

        • Vlad says:

          Até aos anos 90 havia muito menos miséria neste país do que há agora.

        • Daniel says:

          Uma pergunta, que achas que seria de Portugal se não tivessem sido nacionalizadas as 13 empresas eléctricas que vieram a dar origem à EDP? Sabias que na altura havia uma parca cobertura electrica em Portugal, e foi necessário a nacionalização para se fazer um plano de electrificação de todo o país (para não falar do parque electroprodutor e modernização da rede de distribuição).

          Nacionalizar ao desbarato é tão gravoso e pérfido quanto privatizar ao desbarato. A ironia é que quem defende afincadamente a liberalização do mercado e privatização cega das empresas está bem próximo de quem defende o oposto, nacionalização e regulamentação cega do mercado: ambos descartam qualquer noção de contexto ou consequências em prol do orgulho ideológico.

    • Pedro Silva says:

      Bruxo, até porque o estado começa a cobrar-te de facturas do dinheiro que ainda não recebeste.
      Mas diga-se que por experiência própria, há por ai meio mundo a querer enganar outro meio, muito caras podres, que só dão prejuízos às empresas, conflituosos, invejosos e muitas vezes super incompetentes, com um QI abaixo de rato, sendo que uma minoria deles acabam como políticos

  20. FP says:

    As empresas de trabalho temporário ou empresas de outsourcing são um verdadeiro problema para a economia. Estas empresas ficam com o monopólio dos recursos humanos e pagam os salários que quiserem e vendem ao valor que quiserem. A empresa que desfaz um departamento para ter uma empresa destas, vai ter um custo fixo mensal, que até vai ser maior que o que tinha, porque a empresa de outsourcing tem de ter lucro e vai ter um recurso humano, a ser explorado, sem vencimentos actualizados e sem qualquer tipo de regalias. Concluindo, os recursos humanos ganharão cada vez menos com estas empresas de outsourcing, as empresas que contratam as empresas de outsourcing vêem os seus custos aumentaram e ficam com recursos humanos descontentes e a economia definha porque não há dinheiro para os recursos humanos. E o custo de dispensar um trabalhador quando não necessita será sempre muito menor do que dispensar os serviços da empresa de outsourcing, porque durante o periodo contratual os custos são menores do que o que paga à empresa de outsourcing, logo a diferença chega e sobra para indeminizações que agora são uns meros 12 dias por cada ano de trabalho…depois queixam-se que estamos sempre em bancarrota, pudera, com tanta má distribuição de riqueza um dia isto tem de definhar de vez.

  21. Miguel says:

    Muita gente a falar do que não sabe …
    É uma deportação forçada de funcionários …

  22. Jose Seco says:

    As tais empresas amigas dos amigos… o capitalismo sem escrúpulos soma e segue!

  23. Sérgio E. says:

    Ena pá, já vi que pelos “empreendedores” aqui da caixa de comentários, o pessoal ainda devia de pagar para trabalhar. Que magnânimes são os patrões hoje em dia, que ainda nos dão a benesse de ter um emprego em que se trabalham em média mais hora e meia, duas horas do que o horário, sem ganhar mais por isso, a ganhar um ordenado cada vez mais perto do ordenado mínimo, e com níveis de exigência cada vez maiores, sem formação, com apenas os aumentos exigidos por lei, em muitos sítios tendo de trazer material de trabalho de casa, etc.
    E cara alegre, caso contrário, ainda podemos dar a entender que andamos “desmotivados” e depois lá temos que ouvir que “tenho 30 pessoas em fila de espera para o seu lugar”…
    Um conselho a todos vocês “empreendedores”, que pelos vistos já todos criaram a vossa empresa: se não têm condições para pagar mais que o ordenado mínimo aos vossos empregados, se calhar mais valia meterem a viola no saco, porque um dia pode-vos calhar a vocês terem que trabalhar para terceiros e depois podem não gostar de serem tratados como tratam os outros.

  24. Bruno says:

    A triste realidade é que é pratica generalizada as empresas utilizarem este tipo de soluções para evitarem terem vínculos com os trabalhadores. São soluções que supostamente se destinariam a preencher uma necessidade pontual e temporária de funcionários, não para ser usado como muitas empresas fazem onde mais de metade dos funcionários têm este tipo de vínculos precários fazendo com que seja extremamente difícil as famílias terem prespectivas futuras de terem acesso a um crédito para casa própria, ou até mesmo de terem (mais) filhos. Claro que as empresas têm que dar lucro, sem dúvida, mas é preciso que essas mesmas empresas cuidem dos “bens” mais valiosos que possuem, que são os trabalhadores. Eu detesto quando sou atendido por um funcionário num call-center todo mal disposto em que se nota mesmo que está ali quase por favor… Isso dá má imagem a quem? É tudo uma bola de neve e é preciso que se arranje um meio termo e que se pare com os atropelos da lei e com as técnicas para a contornar.

  25. Nuno says:

    De facto, novamente se comprova que o capitalismo soma e segue.
    Estas empresas de “recrutamento” são autenticos cancros, chulos do trabalho de outrem. Falta de legislação (não interessa) e falta de proteção dos trabalhadores, na maioria não sindicalizados (que horror, essa coisa do sindicato).
    Infelizmente já não sou cliente Vodafone, a ser reclamava.
    De facto existem por aqui uns comentários (e li todos) muito interessantes a defender o capital sem regras, a esses, que sugeriram “criar empresas”, sugiro outra coisa, imigrem para paises que amem, como os EUA, ou será que não querem deixar a vossa “zona de conforto”?
    Enquanto não existir um sindicato forte e moderno que defenda os trabalhadores de TI´s e call centers nada feito. Verifico aqui no tek sapo muitos comentários certos, coerentes e interessantes, pena é que depois não sejamos coerentes a nivel de ação.
    Para quando uma associaçao profissional de informáticos? Para nunca.

  26. Nuno says:

    Meus pequenos…isto acontece em Portugal, porque o direito de trabalho “constiuicional” é muito rigido para os dias de hoje, as empresas nao querem vinculos efectivos com os trabalhadores, custa muito dinheiro e trabalho, para isso já basta os trabalhadores do estado, então a soluçao é contratar uma empresa de serviços para tal, assim têm sempre flexibilidade perante o trabalhador, podem mudar, podem acabar com o contrato (empresa/anualmente)etc…
    Se houver alteração das regras do “direito de trabalho” nao seria necessário contratar empresas temporárias, porque segundo a regra, estas empresas existem para prestaçao de serviços, para projectos especificos, num máximo de 3 meses.
    O que se passa em Portugal é que temos trabalhades em outsourcing que estão numa empresa à 5, 8, e 10 anos.

  27. Luís Sousa says:

    É este o futuro da nossa sociedade, precariedade, famílias que mal têm dinheiro para pôr pão na mesa e progenitores que dificilmente o conseguem ser, que mal têm tempo para ver os filhos e quando o fazem nem têm energia ou possibilidades de saírem de casa e conviver com eles. Mas a música publicitária desta empresa é muito “alegre”, tal como outras, isto é fruto do país, das escolhas que o povo faz em eleições, sejam elas, locais, parlamentares ou presidenciais. A malta contenta-se com telenovelas e futebol, conhece melhor os actores destas que os actores políticos que nos desenham o futuro. E sobre esta empresa “Vodafone” devo dizer que fiquei enojado quando há uns anos atrás nesse edifício sede na Avenida Boa Vista no Porto, tinham raparigas com cerca de 16, 17 anos a trabalhar de mini saia, uma blusa decotada branca, sapatos de tacão alto e um casaco aberto vermelho, a função das mesmas era percorrer as ruas em redor e trazer clientes para a compra de produtos na loja. Diga-se que no pouco tempo que lá estive, vi muitas miúdas a chegar à loja com uma fila de trolhas salivados, e o interesse não me parecia serem os telemóveis….

  28. ARCDOS says:

    É verdade que uma empresa existe para obter lucro, (deveria ser antes criar riqueza).
    Mas não da forma como hoje o fazem, os seres humanos que trabalham para essas
    empresas, estão no limiar da escravidão.
    Graças a Deus , que não na completa acepção da palavra.

    Importante é que os gestores não se esqueçam, da vertente social das empresas perante a sociedade.

  29. El Visitante says:

    – o departamento de apoio é de clientes empresariais

    – assegurados os direitos?! o trabalhador ao ser ele a sair perde dinheiro (é diferente a pessoa sair por ela ou ser pela empresa)

    – os contratos das empresas de trabalho temporário valem ZERO!

    Irónico. Nas entrevistas as empresas querem pessoas inteligentes, que resolvam problemas e que tenha resistência psicológia.

    – não serão inteligentes ao desperdir-se
    – não irão resolver da melhor maneira – para si (neste caso) – o problema colocado
    – ao aceitarem não tiveram resistência psicológica

    A empresa quer que os trabalhadores dê um tiro no pé e… SORRIAM!!!

  30. Revoltado says:

    Vao por uma somessuga entre o funcionario e a empresa para sugar todos os meses parte do ordenado. a vodafone reduz os custos com o pessoal porque é transformado num serviço. quem se lixa sao os funcionários.

  31. Inconformado says:

    E ao fim deste tempo todo, continuam a fazer o mesmo, a ganhar 700 EUR limpos na Randstad e RH+, já passaram o know how todo e já há novas contratações a 576 EUR por mês, regalias 0, só para informação geral, é o que temos em Portugal pelo Outsourcing, que é uma maravilha, mas depois dizem que o desemprego decresceu, sim, mas tudo corrido a 500 EUR.

    • Eu Mesmo says:

      Mas reparem que não é só aqui, há mais empresas a fazer o mesmo, e não me parece que os governantes deste País esteja muito preocupado com isso, até porque todos os anúncios de trabalho que podem encontrar, se verificarem o que oferecem, ou não mencionam por ser tão ridículo, ou vai tudo corrido a 557 Euros, e exigem como se estivessem a pagar o melhor ordenado do mundo…é maravilhoso…a vontade que dá ao ler um anuncio daqueles, é responder apenas : LOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.