Quantcast
PplWare Mobile

Subida “ilegal” de preços rendeu 50 milhões às operadoras

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Ze says:

    Ainda é possível rescindir o contrato devido a isto?

  2. Bruno says:

    se o contrato se enquadrar nestas condições é possível no entanto não espere tarefa facilitada pelas operadoras, vai negar-se até à ultima.

  3. Rafael Encarnação Cardoso says:

    Infelizmente é sempre assim, fazem o que querem e o Zé Povinho que pague.
    Eu na minha zona ou tem o pacote meo 5p ou volto à adsl, logo a meo faz o preço que lhe apetece e com piores condições ao que actualmente oferecem.

  4. Hugo Gomes says:

    palhaçada a anacon devia se ser exterminada deste mais. So serve para andar a empatar e o povinho que pague. Ainda bem que regula as coisas quem diria regula os bolsos dos que estao la dentro

  5. dom afonso says:

    A Vodafone não me alterou o contracto com quase 1 ano e alguns meses e manteve o preço. Não entendo a acusação à Vodafone.

  6. Asdrubal says:

    LOL

    “…a ANACOM ainda não exigiu que os clientes sejam reembolsados…”

    … nem vai exigir. Tão simples quanto isto.
    Os consumidores são cordeirinhos que estão a ser protegidos por lobos neste país.

    • Belmiro says:

      A gestão da ANACOM recebe das operadoras daí não fazerem nada. Quando fazem é para aplicar uma multa e ficarem com o dinheiro. Multa no sentido de benefício do consumidor e pagador de impostos (que pagam os salários da ANACOM) nem penses, a vaquinha está bem organizada.

    • silver_ryder says:

      Não é essa a função da Anacom, nem de qualquer outra regulador de um qualquer outro sector. Ou seja se o consumidor se quer/acha que tem direito a indemnização, ou se está em “mãos” com a exigência de algum pagamento coercivo por parte da operadora e que essa exigência não possua fundamento legal tem que recorrer a um gabinete de apoio ao consumidor AKA tribunal arbitral, ou aos tribunais de competência cível…! Termino apenas para dizer que os reguladores apenas intervém em caso de matéria contra-ordenacional dentro do âmbito das suas funções. Tudo o que seja conflito comercial o consumidor não é no livro amarelo e ou regulador que vai conseguir ter os seus direitos salvaguardados, alias nesse caso todo e qualquer cidadão que recorra ao livro amarelo recebe uma resposta padrão do regulador onde isso está expresso…!

  7. Janito says:

    Não tarda chega aí uma empresa qualquer que extingue cartões SIM e fornece ligações à internet por um preço ridiculamente baixo e estas máfias apanham todas por trás

    • helcap06 says:

      O problema dessas empresas é que tardam em aparecer
      e depois de aparecer não tardam a ter preços similares

      Vodafode em mais países com salários mais altos e tarifas mais em conta.

      • Joao ptt says:

        Economia de escala?
        Concorrência?
        Pessoas com mais dinheiro tem mais possibilidade de os processar até eles ficarem na pobreza e na prisão?

    • 555 666 says:

      Pois, até podia, mas a existencia da anacom também limita o numero de operadoras que podem operar no pais, a Anacom é um guarda costas das operadoras pagos com dinheiro de impostos. A s regras que eles “impõem” têm sempre o mesmo alvo (medidas que são aplicadas para “melhorar serviços” mas no fundo são apenas uma forma de manter as operados em total controlo do mercado).

  8. Lisbon lover says:

    Bem, podia ser pior… Há operadoras que prometem uma Internet rápida, e nem vê-la, por isso cobram a mais por um serviço que nem temos direito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.