Quantcast
PplWare Mobile

Proibição de plásticos de uso único começa já em julho

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Cláudio Andrade says:

    e como vao fazer os cabeleireiros ? que com a pandemia foram obrigado a usar batas de plástico de uso único ?

  2. Cláudio Andrade says:

    outra coisa.. estas proibições vao ter mais custos nas nossas carteiras

  3. OdeioBichasModernas says:

    E os preservativos? Como vai ser? É para usar várias vezes ou vão acabar?
    Alguém me elucide…

  4. Miguel says:

    E para quando uma lei que obrigue a manter o telemovel por um minimo de 4 anos?
    Isso sim seria um enorme avanço no combate á poluição.

    • Tiago Ferreira says:

      Realmente seria no teu ponto de vista, mas acredita que quando viesses a Apple, NOKIA, Samsung, LG, Huawei, Xiaomi entre outros fabricantes a por no desemprego tantos funcionários, logo te arrependerias de ter dito tal barbaridade, pois tu pensas que é só colocar leis que impeçam a venda de equipamentos e que todo o resto não importa, mas não podes pensar só no consumismo, mas sim, deves pensar também que esse mesmo consumismo mantém, sustenta e cria mais postos de trabalho a nível mundial.

      • Tiago Ferreira says:

        Visses*

      • PR says:

        Tiago, essa ideia de criar postos de trabalho é como lançar lixo ao chão. Se deixares de o fazer vais criar desemprego nos trabalhadores da limpeza.

      • PeterJust says:

        Mas esses empregados não iam para o desemprego e lá ficar para sempre, arranjam outra coisa para fazer como tiveram de fazer as meninas que dactilografavam e apareceram os computadores e impressoras. Também há milhões de pessoas que estão empregadas devido à gasolina e esta vai acabar brevemente, essas pessoas vão arranjar outras coisas para fazer. Se não se vendessem mais telemóveis e ficássemos com os que temos, aposto que o diabo não descia à terra tão cedo por causa disso.

  5. David Guerreiro says:

    O artigo está errado. Os cotonetes não vão desaparecer. O que vão desaparecer são os cotonetes em plástico. Os feitos em papelão continuam. Aliás, já há algum tempo que muito poucos cotonetes à venda possuem plástico, a maioria são mesmo de cartão.

  6. falcaobranco says:

    Quero ver é como se vão safar as empresas, restaurantes e afins nas comidas do take away…

    Acho que isto está-se a tornar é uma obsessão… mas…

    • Luís Dias says:

      Obsessão? Enfim, que comentário infeliz.

      • Kevin says:

        Não estou assim tão certo, que o OP esteja assim tão errado, tendo por verdade o documentário da netflix sobre as pescas, a poluição causada pela pessoa comum vs industria é minima. Apesar de ser uma medida positiva de nada serve sem haver regulação a nivel das industrias poluidoras.

        • onurb82 says:

          Uma coisa é certa… estamos a demorar muito tempo a reagir.
          Estes mimimis, vamos pagar a preço de vidas, pagamento esse imposto pela natureza. Quanto mais tempo demorarmos mais vamos ter de pagar…

          Dirão alguns… isso a mim não me afeta… pois bem… a fatura alguém vai ter de a pagar.
          Plásticos… Tintas… compostos orgânicos… entre muitos outros.
          Ninguém parece querer refletir

    • Dav says:

      Muitas dessas empresas já não usam plásticos no take away… Se acha que é uma obsessão é porque ainda não colocou bem os pés na terra. O assunto é sério.

      • falcaobranco says:

        Podia-me explicar e perder o meu tempo…mas como alguns não percebem filosofia… não vou explicar o que quis dizer com obsessão, até porque isto…o que estamos a fazer agora pelo planeta já vamos com 20/25 anos de atraso… mas como não percebem o que quis dizer com obsessão… sigam a vossa vida… e só acabo dizendo que o “onurb82” disse e tem razaão…vamos acabar por pagar a factura…de uma maneira ou outra…

    • PeterJust says:

      Quando já tens plástico na tua corrente sanguínea e em 50 anos os teus filhos terão uma quantidade 10 vezes maior, tudo devido a teres tanto plástico no leito do mar que passou para os peixes e consequentemente para nós, já para não falar na ilha de plástico que anda a boiar no pacifico que é 10x maior que Portugal é bom que isso se torne uma obsessão e rápido.

  7. Petrus says:

    Já há bastante tempo que várias destas coisas desapareceram das prateleiras dos supermercados. Já agora, podiam aproveitar a embalagem e acabar também com os balões. Então, quando se veem aquelas lindas cerimónias de largada de balões para homenagear alguém ou alguma coisa, até assusta pensar onde vai parar aquela tralha toda! As pessoas têm que perceber que, hoje em dia, há que fazer sacrifícios. O mundo não é o mesmo de há trinta anos.

  8. Sapo says:

    Tem muita coisa que não tem alternativa barata, as saladas os congelados, margarinas produtos isso de alguns que me lembro agora. aalguns podem ser substituídos por tetrapack(que também leva plástico) ou alumínio(que custa muito mais) ou algo muito inovador é inventado a curto prazo ou os custos da transição vai sair das nossas carteiras

    • David Guerreiro says:

      Mas não é isso que vai acabar. O que vai acabar são plásticos de utilização única e não recicláveis. Já vi jogarem talheres de plástico descartáveis no ecoponto amarelo, errado. Esse plástico não é reciclável.

      • Sapo says:

        Neste caso penso que faz falta umas campanhas para ensinar o que deve ir onde. Me surpreende isso que dizes, eu não sabia que talheres plástico não eram recicláveis. Um colega de trabalho também me explicou um tempo atrás que plásticos sujos tipo embalagens de laticínios ou embalagens mesmo em papel sujas não podem ir para reciclagem

        • Nuno A. says:

          Isso é FALSO. As empresas de reciclagem aceitam esses plásticos se estiverem limpos, não querem é ter o trabalho de reciclar porque lhes corta nas margens.

        • David Guerreiro says:

          É verdade, há muita falta de informação sobre aquilo que pode ir ou não para um ecoponto. Já vi desde baldes, a ripas de estores. A regra de ouro a seguir é: embalagens. Uma lata de cogumelos pode ir, mas um tubo de ferro já não. Uma embalagem de detergente vazia pode ir, um vaso de plástico não.
          A sujidade é mais importante no papel/papelão, do que no plástico, pois o plástico é lavado. Obviamente que quem recebe esses resíduos prefere receber tudo limpo e imaculado. De qualquer forma, apenas 10% do plástico que depositamos é realmente reciclado, o resto é queimado ou vai para o aterro.

  9. Sapo says:

    E outra que diga claramente o destino é quem pagará os custos de reciclagem ao fim do curtíssimo curso de vida de um veículo eléctrico com baterias cheias de metais pesados e químicos e infinitas placas de circuito impresso que já neste momento são despejadas nos países mais pobres com uma placa de produtos para reutilizar porque não são recicláveis isso sem falar do monte de plásticos

  10. Levinho says:

    Acho impressionante ainda estarmos a pensar em comodidades quando temos menos de meia duzia de décadas para reverter o colapso deste planeta. Reduzir o plástico deveria ser uma das nossas maiores batalhas. Estas leis travam a industria, mas o civismo trava o consumo. Pior do que isto só as loucuras da corrida espacial. Todos estáo interessados em criar vida em Marte. Em arranjar outro planeta. Lá é que seria bom. Tudo verde, ecológico. Um fresh-start. Pois para im é simplesmente isto: “Já lixámos este planeta, bora lá lixar outro”. Realmente a pior coisa que este planeta foi arranjar foi os humanos.

  11. Ivo Magalhes says:

    O pior é ver mascaras de proteção COVID espalhadas pelo chão, ainda se preocupam com os plásticos.

  12. Alex M. says:

    Na empresa trocamos os copos de plástico que eram devidamente separados para serem reciclados por copos de papel, estes, por terem uma película plástica para não derramar os líquido já não são recicláveis e vão para os resíduos hurbanos.
    Isto de ser verde é muito estranho para mim.

    • onurb82 says:

      Mas fazer melhor era trocar esses copos de papel por copos de vidro reutilizáveis…
      Quanto aos dispensores de agua para o publico com milhentos copos para uso único de cada vez que se vai beber um copo de água, eram bem acabados.

      • Alex M. says:

        Para a água sim,copos reutilizáveis mas para a máquina automática de bebidas quentes (café) já não dá para se reutilizar.

        • Claudio says:

          Depende da maquina. ha muita maquina por ai que n precisa de carregador de copos. A empresa onde trabalhava a dois anos trocou as maquinas todas que tinham carregadores de copos por maquinas onde tens q por o copinho por baixo. acabou com os talheres e copos de plastico. e a medio prazo ficou mais barato mesmo considerando o custo de lavagem de canecas. isso de trocar copos de plastico por copos de papel e ir de veneno dos ratos pra veneno das ratazanas. vai dar ao mesmo

      • Pedro Vicente says:

        Nós na empresa (antes de ir irmos para o teletrabalho), tinhamos esas maquinas dispensadoras de água.
        No geral todos nós funcionários nao usavamos os copos de plástico provinientes e disponibilizados pela máquina, compramos todos recipientes para a água.
        Alias já faz mais de 2 anos que uso o mesmo, e mesmo cá em casa a trabalhar continuo a usar o mesmo.
        É tudo uma questão de bom senso.

  13. Gil says:

    O plástico durante décadas salvou vidas. Se não fosse o plástico muitas pessoas teriam morrido por contaminação alimentar por exemplo. Na área da saúde o plástico igualmente salva vidas. O plástico nunca deveria acabar. Deveria-se sim investir em plásticos biodegradáveis de curto prazo. Esta obsessão em acabar com os plásticos assim de repente, irá aumentar o desiquilíbrio na produção de papel e irá aumentar preço, que no fundo é o que alimenta esta história e não a ecologia. Lembrar-me a história das lâmpadas…. Custam 10x mais e duram o mesmo. O Verde é desculpa neste momento só para dar mais lucro as empresas.

    • PORTUGAL says:

      E quantas pessoas ja tiveram a saúde danificada pelos microplasticos ?

    • Samuel MG says:

      Desculpa lâmpadas que LED duram mais e só custam mais nos super e hipermercados!! Todas lâmpada aqui em casa custaram cada uma menos de 5 euros!!

    • Claudio says:

      Ja pra não dizer que o papel não é uma alternativa viável. Temos mesmo é que evitar o que quer que seja de uso único. Não é assim tão difícil, piquenique? Leven talheres e pratos; No escritório? Canecas e utensílios de cozinha reutilizáveis; Cafe take away? não tem problema levem a vossa termo. Não há desculpa pra usar descartáveis que não seja preguiça

    • Cláudio Andrade says:

      Desculpa lá mas eu antigamente todos os meses comprava lâmpadas agora tenho uma na cozinha com 8 anos… Custou 3.5€

  14. David Diogo says:

    «Os espaços de restauração e bebidas ficam também proibidos de disponibilizar e utilizar estes produtos (com exceção dos cotonetes e das varas de balões), mas só a partir de 1 de setembro de 2022.»

    Eu desconhecia que indo ao Mc ou outro restaurante disponibilizavam cotonetes «Olhe aqui está o prato, e a sua bebida, e um cotonetezito porque lhe está a sair cera dos ouvidos»

  15. D.A says:

    E isto tudo e mais alguma coisa vai fazer alguma diferença?
    – Não.

    As industrias são as grandes poluentes, e não vejo medidas nenhumas a serem aplicadas aos grandes lobbys.

  16. Gil says:

    És novo eu percebo, mas vou esclarecer-te… As lâmpadas antes custavam cêntimos.

    • ACS says:

      as lampadas antes também gastavam 10x mais eletricidade. A tecnologia custa dinheiro. Se uma lampada led deve custar mais de 5 euros? Não mas cêntimos já estamos a pedir muito. Para custar cêntimos eles tem de produzir mil milhões para cobrir os custos de desenvolvimento e o material.

  17. ToFerreira says:

    As medidas não são más, mas deviam começar pelas grandes fontes de poluição.

  18. David Guerreiro says:

    Digam isso aos senhores do Pingo Doce, que nos restaurantes fornecem talheres de plástico. Até hoje não consigo perceber como é que alguém consegue cortar uma costeleta grelhada com uma faca daquelas de plástico. Não há máquina de lavar a loiça para lavar talheres?

  19. Levinho says:

    Acho impressionante ainda estarmos a pensar em comodidades quando temos menos de meia duzia de décadas para reverter o colapso deste planeta. Reduzir o plástico deveria ser uma das nossas maiores batalhas. Estas leis travam a industria, mas o civismo trava o consumo. Pior do que isto só as loucuras da corrida espacial. Todos estáo interessados em criar vida em Marte. Em arranjar outro planeta. Lá é que seria bom. Tudo verde, ecológico. Um fresh-start. Pois para im é simplesmente isto: “Já lixámos este planeta, bora lá lixar outro”. Realmente a pior coisa que este planeta foi arranjar foi os humanos.

    • ACS says:

      Ha 30 anos atrás também disseram que hoje estaríamos debaixo de agua. Sim, devemos ser ecológicos mas também não é preciso ir a correr trocar tudo sem ter uma alternativa viável e barata. O plastico foi bastante usado porque é higiénico, duradouro e barato. Enquanto as alternativas não aparecem podemos apostar na limpeza e reutilização.

  20. João says:

    A proibição já está. E agora as alternativas ? Ups … Parece que vamos ter de andar a plantar eucaliptos, bambus, cereais, esgotar reservas de água para substituir os plásticos de uso único por coisas em papel, bambu, massas e afins… de uso único . Parece-me que mais do que acabar com plásticos de uso único é preciso acabar com coisas de uso único em geral pois não é apenas a poluição com que temos de nos preocupar mas também com o esgotar do recurso mais importante do planeta : a água

  21. vc says:

    objectivo três erres : reduzir, reutilizar, reciclar.
    vamos entrar em fase de adaptação e aproveitar para criar alternativas viáveis do ponto de vista ambiental. novos produtos mais duradouros ou mais biodegradáveis.
    iria mais longe e aumentava os preços dos produtos que deixem mais pegada ecológica, e incentivavao uso genérico de produtos recicláveis.
    A suinisse é uma questão cultural, bom senso e respeito pelo próximo. Penso que ninguém gostaria que o seu jardim servisse de caixote do lixo dos outros, nem a sua piscina fosse ocupada com plásticos a flutuar. Porquê deixar lixo fora dos contentores apropriados ou material não reciclável acabar em cursos de agua?
    Gosto de considerar que o planeta é o meu jardim, e como qualquer outro deve ser cuidado e respeitado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.