Quantcast
PplWare Mobile

Posts de policias, agentes e militares nas redes sociais vão ser fiscalizados

                                    
                                

Este artigo tem mais de um ano


Autor: Pedro Pinto


  1. Domingos says:

    Por outras palavras, censura.

    • manuela antunes says:

      No caso é exatamente o contrario. Censura é o que se pretende acabar.

      • rjSampaio says:

        Como é que é o contrario?

        Alguém faz um post, existe uma entidade que valida o conteúdo, no maximo apaga o mesmo.
        Como é que isto é o oposto? Estas a censurar o conteúdo, mesmo que justificado.

        • João M says:

          a parte do “mesmo que justificado” é que também é um problema. A censura durante o estado novo, ou qualquer outro regime autoritário moderno – como da Chuna, venezuelas, etc… são “justificados” perante o censor … dá que pensar 🙂

          • rjSampaio says:

            isso é outra historia que não vêm ao caso.
            A Manuela Antuenes disse que “esta medida é contra a censura”, obviamente que a afirmação é errada.

          • Toni da Adega says:

            Se trabalhares numa empresa também sofres censura mesmo que seja justificada.

  2. Martins says:

    Esses posts existem porque nenhuma outra profissão te mostra a realidade de um país. O multiculturalismo está longe de ser uma bênção para Portugal (ou qualquer outro país ocidental). Mas a esquerda tenta deturpar a realidade falando que somos todos iguais e que as minorias são vítimas da sociedade… quando na realidade são vitimas dos seus próprios actos e da sua falta de capacidade de se adaptarem num país que os acolheu. Mas que é todos os dias mal tratado por essa mesma gente. E nós contribuintes honestos ainda lhes pagamos o telhado por cima da cabeça e a comidinha na mesa para sermos cuspido na cara por eles. Que belo Portugal é este.

    • José Carlos da Silva says:

      O que está longe de ser uma bênção é o respeito – coisa que não existe, ou existe muito pouco.

      A realidade de um país (o nosso, e muitos) é precisamente racismo, xenofobia e discriminação. E o reflexo nisso mesmo está nesse comentário.

      • manuela antunes says:

        Correto.

      • Euéquesei says:

        Faça de si um exemplo e vá morar para a Cova da Moura ou algo do género.
        Vá para lá com o respeito e depois daqui a 1 mês venha cá contar a experiência…
        Isto é só líricos, só académicos, que da realidade nada sabem e vêm dar lições aos outros.
        Quando começar a acontecer aqui o que acontece lá fora, depois não se esqueça dessa conversa, principalmente se alguma das vítimas forem conhecidos seus.

    • manuela antunes says:

      Comentário puramente exemplar de quem precisa de ser reeducado ou talvez de uma formação de cidadania.

      • João M says:

        Quando falam em “reeducar” faz-me lembrar os campos de reeducação da china..pesquisem ^_^
        Reeducar para que as pessoas tenham uma determinada linha de pensamento é das coisas mais autoritárias que se pode fazer – no entanto ai de quem diga isto… (E já vou ser chamado de tudo por o dizer).
        Meus caros, na vida vamos ser sempre sugeitos a opiniões que não gostamos , sujeitos a opiniões erradas e sujeitos a insultos. Desde miudo que já fui insultado e até por usar óculos — não era cor da pele, não era religião, não era orientação sexual, eram os óculos e o estrabismo. Já tive de ouvir que o holocausto não existiu, como também já tive de ouvir que as gulags e kulaks era tudo mentira.
        Já vi homessexuais a serem insultados de larilas (e por aí fora) , como já vi um comediante bem falado de esquerda a chamar de larilas ao ventura e associar larilas a hitler. Enfim, já vi de tudo.
        Gosto muito de uma frase em que se diz que na altura que escolhemos segurança(justiça) a cima de liberdade, vamos perder a liberdade e é isso que eu não quero perder. Prefiro ser insultado do que perder a minha liberdade e ver uma nação, um povo, a perder as suas liberdades porque não quer ver insultos ou opiniões contrárias . Há umas semanas fui chamado racista apenas porque apresentei um gráfico a contrapor um argumento.. é este o estado da situação. Não podemos discutir problemas da sociedade ou comunidades porque as pessoas acham que é racismo ou fobia.
        Enquanto uma determinada elite burguesa continuar a usar chavões como racismo para evitar discutir problemas que, em muitos casos, são culturais – então os problemas nunca serão resolvidos e a sociedade ficará mais polarizada. E digo elite burguesa porquÊ; porque conheço muita gente, são desta corrente em que se dizes mal é racismo, mas que nem sequer colocam os filhos na escola mais próxima (e aconselham outros a não colocar), porque é de bairro social, com familais ciganas e, por isso, sentem-se inseguras. Afinal em que ficamos?

      • Técnico Meo says:

        Um Gulag?

      • ElectroescadaS says:

        Se a Manuela afirmar que é preciso “re-educar” toda uma sociedade para aceitar as diferenças sociais aí concordo consigo agora “re-educar” uma pessoa apenas já não concordo consigo porque é pura perda de tempo…

      • Euéquesei says:

        Reeducado onde? Em Auschwitz? Num qualquer Gulag na Sibéria?
        É isto alguém com educação e cidadania?
        Olhe, mande os seus filhos para as mesmas turmas onde andam os filhos daqueles feirantes que todos sabemos, e dê lhes aulas de cidadania… Vá, que espera?
        Falas muito mas gostas é de caviar…

    • JM says:

      Oh Martins, tu acreditas nisso tudo que vomitas-te aqui?

      Se tens saudades do outro senhor, sabes que podes ir ter com ele!

    • Alex says:

      +1 Martins
      Subscrevo

  3. Nightingale says:

    E quem é que vai dizer o que é ou não é discriminatório? Concordo totalmente que ninguém deve ser discriminado por algo que não está sobre o seu controlo, mas isto é para todos… Não estaremos a voltar a abrir precendentes para censurar indiscriminadamente? Olhem o caso do polígrafo é tudo menos parcial, e quando não tem como ser parcial, simplesmente não analisa….

  4. André says:

    Quem discrimina alguem pela sua raça é racista, e quem discrimina alguem por ser racista é o quê

    • Almeida says:

      Agora impedir as pessoas de cometerem crimes é discriminação. Valha-me a santa!

    • Chromado says:

      Quem vive em sociedade tem de respeitar as regras da sociedade e ser racista não esta de acordo com a nossa sociedade… Quem for racista tem todo o direito de o manifestar mas numa sociedade que o aceite/permita.

      • Euéquesei says:

        Hihihi, quem vive em sociedade tem que respeitar as regras da sociedade hihihi… Onde é que deixou a sua nave?
        Chegou hoje? Veio de onde?Andrómeda? Ah sim, já ouvi falar…
        Abra os olhos, o que para aí não falta é gente que não respeita nada nem ninguém e ainda são sustentados pelos outros que respeitam.
        Volte prá biblioteca e fique por lá…

    • Miguel says:

      Pensava que racista apenas se aplicava a brancos.

      Eu sou a favor da igualdade para todos, como gosto que me chamem de branco tenho o dever de chamar preto.

  5. Rudi says:

    Que bom, só gostava de ver o mesmo empenho no combate à corrupção…
    A minha transcrição acima é de ódio pois estou a criticar uma classe (politica), de racismo (o nosso primeiro ministro tem descendência indiana) e xenofóbica (estou a criticar uma cultura secular impregnada na sociedade portuguesa).

    Já fiz o trabalho e tudo…

    • Euéquesei says:

      Ora bem, corrupção, nepotismo, roubo puro e duro, epá, investigar isto assim não.
      Então vai um gajo para a política, até declara que vai cumprir o seu dever pela honra hi hi hi e depois não o querem deixar roubar um bocadinho?
      Se não puder roubar vai para a politica fazer o quê?
      Veja lá o que fizeram á Joana Vidal, andou a pisar os calos a quem muito tinha a esconder e não descansaram enquanto não a puseram a andar para meter no lugar dela uma fantoche qualquer.
      O que vc acha que vai ser o futuro deste país com gente assim que vota em gente assim tb?

  6. MACnista says:

    Posts de policias!?!?!?! … de pol(í)cias isso sim, ai ai a língua portuguesa!!!

    • Almeida says:

      Parece que pretendes fazer um qualquer jogo de palavras mas, para isso, é preciso saber português. E ter outras coisas.

      • MACnista says:

        … pelos teus posts TODOS, acima e abaixo deves estar cá com uma azia que é qualquer coisa, correu-te mal o dia foi?? tadinho mete gelo que isso passa…

        • Almeida says:

          Não são “posts”, são comentários. Não estou com azia. Não me está a correr mal o dia. Estou um pouco entediado, por isso comento. Na verdade, dou pouco valor a isto e só o faço quando não estou ocupado com coisas interessantes. Mas como tenho direito a expressar-me, aproveito e exerço esse direito que, ao contrário do racismo, é constitucional. MACnista, não fiques chateado e desculpa o comentário anterior. Confesso que estava um pouco irritado por só estar a ler comentários xenófobos. O teu comentário não tinha nada a ver e é por isso que estou a pedir desculpa.

  7. Hugo Tavares says:

    Tinha a ideia que a PIDE tinha acabado, mas só deve ter mudado de nome…

    • Almeida says:

      Sabes lá bem o que foi a PIDE! Talvez te quisesses referir à Comissão de Censura mas também não deves saber o que isso foi.

      • Euéquesei says:

        Se for a KGB, já é bom?

        • Almeida says:

          Não. O facto de não ser fascista não significa que sou comunista e vice-versa. Se digo que não gosto da cor branca não significa que goste da cor preta (sem qualquer aceção racista). Não sou maniqueísta e muito menos simplório. A realidade, tal como a vida, é multicolorida e entre o preto e o branco existe uma infinidade de tons de cinzento.

  8. Almeida says:

    Lendo os pobres comentários, percebe-se que há muito desconhecimento acerca do conceito de liberdade de expressão.

  9. PeterOak says:

    “Pig Brother is watching you”

  10. David Guerreiro says:

    Basicamente, é a desculpa que o governo arranjou para castigar os agentes da autoridade que denunciem más condições, salários indignos, etc, a que os agentes da autoridade se sujeitam em Portugal. Vão escrutinar tudo o que seja publicado, e quando alguém critique o governo, é sancionado. Fazem algo do género na Venezuela e na China também…

    • Vitor says:

      Os polícias (tal como qualquer funcionário público) sabe as “regras do jogo” quando se candidata a um determinado lugar público! E têm sempre a opção de quando se sentirem “descriminados”.mal pagos ou sem condições de trabalho de se demitirem. Os bares e discotecas têm falta de pessoal para a segurança…por isso são polícias a “ocuparem” na maioria dos casos esses postos de trabalho!

      • Vitolas says:

        És mais um daqueles com a teoria de quem está mal que se mude em vez de tentarem ter melhores condições no seu local de trabalho.

        Se não és patrão deves ser o menino bonito do teu,mas não te esqueças que, as regalias que tu e basicamente todos temos hoje em dia foi porque alguém em alguma altura fez força para mudar as regras do jogo como dizes,e não porque os governantes e os patrões são uns porreiros e gostam muito dos trabalhadores.

  11. Carlos Fernandes says:

    Inteiramente de acordo.

  12. JM says:

    O problema é que muitos polícias (uma minoria), comportam-se como os seguranças do Urban Beach.
    Esquecem de que: não são seguranças – mas representantes do Estado.

    Atenção não ponho todos nessa categoria.

    • João M says:

      O problema é que com este “policiamento” das redes sociais – que nesta noticia é com policias mas que vai ser implementado para o povo em geral (como é noutros paises) , Tu vais começar a ficar inibido de colocar sequer a tua opinião por medo de que alguém a vá conotar de discurso de ódio, discriminatória, ou assim. Já muitos videos do youtube já foram interdito apenas porque eram mais conservadores (sem discriminação..apenas eram conservadores)… é esta a sociedade que queres? a sociedade da unica linha de pensamento? Isso tem um nome…

      • Toni da Adega says:

        Existem muitas situações em que as pessoas são despedidos devido às redes sociais. Será isso censura?

        • João M. says:

          Resporta curta – Sim.
          Alongando um bocado mais. Existem clausulas de contrato que fazem sentido existir entre empresa e trabalhado – como propriedade intelectual, NDA’s, ou até dizer coisas em nome da empresa, etc.. No entanto, existem situações em que pessoas são despedidas apenas por terem uma opinião (e, por acaso, colocaram que trabalham na empresa X..apesar que em alguns casos nem isso colocam). Muitas vezes nem sequer têm essa opinião mas como a carta do racismo, por exemplo, foi usada então são alvo de processo. Conheço uma pessoa amiga (isto aconteceu no UK), estava a entrevistar candidatos para uma posição e calhou de uma mulher indiana não servir para a posição. Ela fez queixa aos RH porque ele não a contratou devido a ela ser mulher e indiana. Os RH suspenderam o coitado… As próprias empresas ainda não sabem como lidar com esta situação do racismo, da discriminação. É ingénuo dizer que estes chavões não estão, cada vez mais, a ser usados por oportunistas eleitorais e por pseudo-vitimas que, usando estas cartas, tentam ter atenção.
          Empresas andam a obrigar os empregados a terem cursos sobre discriminação apenas relacionada com discriminação a pretos (por causa do BLM), quando perguntas “e então os indianos, discriminação religiosa, etc..”, dizem que agora o foco é #BLM . Um gajo foi indiretamente conotado de “racista” apenas por colocar essa questão, ou melhor, foi conotado de “privilegiado branco” (é uma empresa internacional… chamaram white privilege).

  13. FAR says:

    “Não podemos aceitar que um polícia que jurou defender o Estado de direito e que representa a autoridade do Estado, que quando veste a farda promova a defesa desses valores, designadamente o princípio da igualdade, e quando dispa a farda possa tecer nas redes sociais comentários de natureza racista, xenófoba ou de outra qualquer forma discriminatória”

    E então em vez de afinarmos a seleção dos principios de quem permitimos que vista a farda e seja, por consequência, munido da autoridade do estado, vamos antes (forçosamente) esconder esta falta de principios através do controlo, vigilância e da censura no “espaço privado” das pessoas.

    Bravo! Mais uma decisão absolutamente brilhante! (sarcasmo)

    • Euéquesei says:

      Não podemos aceitar que um político de meia tigela entre na vida política com uma mão atrás e outra à frente e 3 ou 4 anos depois seja milionário sem demonstrar de onde vieram os rendimentos.
      Disto ninguém fala?
      Não, o racismo é que está a dar.
      Querem saber o que é racismo?
      Vão à África do Sul….Mas lá é racismo do bom é ao contrário.

  14. fakir says:

    Doravante, temos que questionar o que pretendemos da nossa Polícia. E, dessa forma exigir mais e melhores policias. A questão do racismo não pode ser ignorada, bem como também não deve ser ignorado, o processo de vitimização usados por muitos para justificar comportamentos inaceitáveis em sociedade. Quer queiramos ou não, governam as maiorias, sendo que uma democracia é aferida pela forma como trata as minorias.

  15. Técnico Meo says:

    Duplicação de serviços para dar tacho a mais uns quantos. Faz muito tempo que o ministério publico aceita e procede sobre denuncias de racismo nas forças da autoridade. E sempre agiu. Agora criam um o”observatório” que, ate tem meandros de ser anti-constitucional.

    Quando se dá uma tesoura para alguém cortar, como é que se impede que comece a cortar tudo.? E quem julga o que dá o corte?

    Tiranias na nossa história começaram com menos…

    Se existem mau comportamento é só fazer prova e fazer chegar ao ministério publico… como sempre foi!

  16. PoPeY says:

    Eu não sou destas coisas de Politica e tal…

    Mas um deputado do Chega disse que as ameaças e incentivo ao odeio às autoridades nas redes sociais tinham que acabar. Foi imediatamente acusado de extremismo, fascismo, PIDE e outras coisas do mesmo género…
    Agora acontece o contrario e está a ser visto como uma boa politica.

    #vivaportugal

  17. Luis Costa says:

    Quem é que vai definir as linhas vermelhas? A esquerda caviar? O que passa a linha do racismo e xenofobia para a esquerda caviar é o que? Falar do problema das minorias que tem de ser resolvido? Para eles isso é ser xenófobo? Tentar resolver problemas de falta de respeito pelo país que lhes acolhe é o que para a esquerda caviar? Fascismo? Xenofobia? Racismo? Se tentar resolver esses problemas é ser esses nomes todos, então que me chamem esses nomes todos..

    • Euéquesei says:

      Oh Luís Costa, parabéns pelo seu comentário.
      Infelizmente pessoas como vc são cada vez menos.
      Pessoas que têm capacidade analítica para saber distinguir as coisas, são cada vez mais um caso raro.
      Maior parte vai tudo pela ideologia.
      Se um da minha cor faz, faz bem. Se outro da cor oposta faz igual, já é isto e aquilo.
      Aquele cartaz na manifestação que dizia morte aos polícias, estaria dentro do conceito de incentivo ao ódio?
      Provavelmente não, é só ver quem tinha o cartaz na mão.
      Esta gente quando der conta como o país está, tenta tudo fugir.
      Fugir , para todo lado mas não para Cuba, Venezuela… os nossos paraísos só são bons para delirar, para viver queremos Suíça, Alemanha… países Comunistas, portanto…
      Triste país este em que o pobre presente é infinitamente melhor que o futuro.
      Já fomos ultrapassados por todos os países do ex bloco de leste, estamos a um passo de sermos o mais pobre da UE.
      Que vergonha…
      Mas sou o primeiro a afirmar, e digo a quem me quiser ouvir ou ler, não merecemos melhor.
      Gente que vota em políticos destes, merece inteiramente o que tem.

      • Luis Costa says:

        É o que eu disse, é a típica esquerda caviar, pimenta no c* dos outros é refresco pra mim.
        Eu gostava que todos estes que apoiam estas medidas “comunistas” me dissessem um único país comunista que conseguiu dar riqueza ao seu povo e liberdade.
        Desafio a me darem pelo menos UM!

      • SuperSilva says:

        É igual no Brasil. Só que aqui estão querendo fazer a mesma coisa, só que num nível pior, vai ser preso caso fale mal de político!

  18. Luis M says:

    a proposta em si não é má de todo agora vamos ver em que moldes será aplicada.
    Mas agora fica a questão os polícias não podem fazer posts racistas (e muito bem), mas podem ser insultados e não acontece nada a quem profere ou escreve os insultos?

    • ElectroescadaS says:

      Das duas uma, ou os “polícias” removem tudo o que têm de vida social na Internet ou terão de fazer uma “revisão” do que já postaram e terem só um bocadinho de mais cuidado com aquilo que “despejam” nas redes sociais. Aí ninguém lhes pega de certeza e como vivemos uma sociedade de cuscos e “voyers” assim protegem-se a eles próprios e aos que os rodeiam também… 😉

  19. Filipe Ramalho says:

    Este post vai estar cheio de comentários racistas…”Portugal não é racista” lol.

    • Luis Costa says:

      O que é para ti ser racista?
      Existe ou não problemas a serem resolvidos com as minorias?
      Existe ou não conflitos nas zonas dessas minorias que não são fáceis de resolver?
      Existe ou não conflitos nomeadamente com a etnia cigana que têm de ser resolvidos?
      Dou-te uma ideia, vai viver no meio dessas zonas, ou melhor, vai viver no meio de um bairro de etnia cigano, e não, não é em Lisboa, mas no Alentejo e depois vem aqui contar a tua história.
      É desde roubar gado, galinhas, batatas, couves, é um tal fugir aos impostos nas feiras por não passarem IVA num único produto que vendem! Ai de ti que sejas apanhado a vender produtos contrafeitos e logo vês como é bom pra tosse.
      E para melhorar a situação já não é só os pretos nem os ciganos, agora também brasileiros!
      Um colega meu do trabalho foi assaltado DURANTE O DIA foram lhe arrombar a porta do carro (brasileiros) e sabes o que o meu colega brasileiro disse? “Estes fdps vem para aqui sujar o meu nome e depois criam estereótipos”.

      • Euéquesei says:

        Vc não mostre a realidade a essa gente, ainda os mata de ataque cardíaco.
        Deixe os estar no delírio, só abrem os olhos quando lhes acontecer a eles. Até lá, está tudo bem.
        Depois só dão por ela quando for tarde demais…
        Entretanto só o ano passado foi dada a nacionalidade portuguesa a cerca de 180 000 indivíduos.
        No ano anterior, número foi quase igual.
        É Indianos, Nepaleses, Africanos etc e etc.
        É este o futuro que os actuais portugueses querem para Portugal?
        Por mim está tudo ok, mais uns aninhos e reformo me e já está decidido ir viver para outro país. Vcs que cá ficam depois que se amanhem…
        Um povo que descobriu novos mundos, rotas marítimas em barquinhos de papel, enfrentando tempestades, doenças, fome, e chegaram onde antes ninguém tinha chegado.
        Os Portugueses de hoje nem o caminho marítimo para Almada seriam capazes de descobrir.
        Como é que isto chegou a este ponto?
        Como é que um povo tão corajoso e aguerrido ficou assim tão, tão, enfim, até me faltam as palavras, em pouco mais de 300 anos?
        Só pode ter sido alguma doença genética que deu cabo disto tudo…

      • Estereótipo says:

        Mas tu não percebeste nada do que o teu colega disse, pois não? É que, uma vez em que passava uns dias em Paris, aconteceu um emigrante português ter violado e assassinado uma francesa e eu pensei exatamente o mesmo que o teu colega.

  20. António says:

    Futuramente toda a gente vai ser obrigada a ter um registo nas redes sociais. Em alguns casos já é exigido aos candidatos a um emprego que disponibilizem o seu endereço de rede social ao empregador, para que este verifique comportamentos.
    A rede social, futuramente, irá ser o currículo vitae, quiçá até funcionar como cartão de identidade, registo criminal, certidão de nascimento, ect…

    • Euéquesei says:

      Se algum dia o Parlamento ( nome pomposo para o que lá fazem), verificar os comportamentos das personalidades que lá estão, no dia a seguir fica vazio…

  21. Fiu says:

    É muito fácil ressolver o problema. Párem de usar as redes sociais para se armarem em justice warriors. Só dão aspecto de barraqueiros. Fora isso não terão problemas nenhuns. Ou párem mesmo de usar as redes socias, antro de cusquisse inútill.

  22. Vivas says:

    Nao li nada do qe foi cumemtado antes mas a uma coisa que quero diser na mesma: isto e sençura e fachismo nunca mais!!!
    FACHISMO NUNCA MAIS!

    • Euéquesei says:

      Nem escola, pelos vistos…

    • PeterOak says:

      Peço desculpa, mas aprende a escrever primeiro! Se não leste nada do que foi comentado é porque és preguiçoso e não tens prazer em ler para estares informado. Tens a tua ideia fixa e nem dás oportunidade a ninguém de mostrar um ponto de vista diferente: és quadrado!! Só tu é que estás correto e os outros estão todos errados. És grande ignorante!!
      Fascismo, censura, comunismo, socialismo, extremismo e parasitismo NUNCA MAIS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.