Quantcast
PplWare Mobile

Portugal vai ter “fábrica gigante” de hidrogénio! Saiba em que cidade

                                    
                                

Autor: Pedro Pinto


  1. Redin says:

    1,5 m cúbicos dá para toda essa quantidade de hidrogênio?

    • radamel says:

      Também me pareceu pouco. É que sendo assim, nem precisaria de estar perto do mar, não? Poderia ser em Castelo Branco ou Beja.

    • miguel sabe fazer contas says:

      Não .. mas um milhão de vezes mais dá. Chama-se hectómetro cúbico, dei isso no quarto ano de escolaridade em 1984.

    • Joaquim Valério says:

      É o milagre da multiplicação da matéria, tirar 160 milhões de kg de hidrogénio de 1500 kg de água!…
      Por acaso estava mais interessado em ler alguma coisa sobre técnicas de produção e de armazenamento mas só encontrei para aqui uns desconexos milhões de kg e de km feitos por 27 frotas da carris.

    • Aurélio says:

      Deve estar “na forja” uma nova empresa “cor-de-rosa” para instalar 1 ou ou mais unidades de PRODUÇÃO de HIDROGÉNIO “verde”.
      Promoção iniciada pelo 1º Ministro em “palco” internacional à qual se seguirá provavelmente o apoio publicitário do Ministro do Ambiente e a iniciativa empresarial de João Galamba
      Para o caso de falhar o lítio ou após este se tornar obsoleto, podemos contar com reservas imensas de “hidrogénio verde” ao longo da costa marítima de Portugal..
      É claro que teremos que começar pelo estudo, o impacto ambiental e – ao mesmo tempo, não precisa esperar – o projecto de uma utopia, tudo com financiamento assegurado e os “investidores” do costume (os Contribuintes)..

    • Aurélio says:

      Deve estar “na forja” uma nova empresa “cor-de-rosa” para instalar 1 ou ou mais unidades de PRODUÇÃO de HIDROGÉNIO “verde”.
      Promoção iniciada pelo 1º Ministro em “palco” internacional à qual se seguirá provavelmente o apoio publicitário do Ministro do Ambiente e a iniciativa empresarial de João Galamba
      Para o caso de falhar o lítio ou após este se tornar obsoleto, podemos contar com reservas imensas de “hidrogénio verde” ao longo da costa marítima de Portugal..
      É claro que teremos que começar pelo estudo, o impacto ambiental e – ao mesmo tempo, não precisa esperar – o projecto de uma utopia, tudo com financiamento assegurado e os “investidores” do costume (os Contribuintes)..

  2. radamel says:

    Achei a parte das contas um bocado confusa. Aliàs, o artigo todo é uma amalgama de afirmações soltas, mas pelo que consegui digerir, parece boa ideia.

  3. TugAzeiteiro says:

    Porquê Sines? Simples… a central de produção de energia a CARVÃO já tem data para encerrar… 2023!

  4. NãoMeBatasMais says:

    E eu que andei na escola a pensar que um litro era +/- o que é agora 1 kg SI.
    Agora pelos vistos de 1500 litros de H2O conseguirem extrair 160 milhões de kg só de hidrogénio fora o peso do Oxigénio man. É muita fruta crl.

  5. Miguel says:

    Boa, se é o Galamba a tratar do caso vou ali abrir uma SA com 50 mil euros de capital social a ver se ganho a concessão.

  6. Miguel Marques says:

    O artigo está uma amalgama de frases e conjecturas. Espero muito mais do planeamento do que destes parágrafos.
    Projetos de armazenamento de energia de fonte renovável para os locais onde estavam as centrais a carvão fazem todo o sentido: está lá a rede energética, está lá muito know how e há uma área industrial a converter!

  7. Jorge M. says:

    Vai ter? Tal como a fábrica da Tesla? Se aínda estão negociando, nada está decidido. A mania de pôr a carroça à frente dos bois.

  8. Dani Silva says:

    Continuo a não compreender como é que faz sentido transformar toda esta electricidade em hidrogénio, transportá-lo centenas de kms para abastecer um carro ou outro processo industrial, com perdas a nível de eficiência, quando se pode simplesmente fazer circular a electricidade produzida pelos painéis pela rede eléctrica já existente, com perdas energéticas muito menores??

    No máximo, caso essa produção de electricidade seja em demasia, poder-se-ia usar o hidrogénio produzido localmente (durante o dia) para ser convertido durante a noite em electricidade, funcionando de forma equivalente a uma bateria! Mas tendo a noção que apenas cerca de 1/3 da electricidade efectivamente gerada pelos painéis solares seria aproveitada de noite, já que o processo de transformar electricidade em hidrogénio e este novamente em electricidade leva a perdas energéticas de cerca de 2/3…

    • Tugatesla says:

      Somos governados por ignorantes.

    • Blackbit says:

      Concordo plenamente com a tua analise.
      Por isso é que desconfio muito do modelo economico do carros a hidrogenio. So fazem sentido se se conseguir produzir o H2 de forma mais económica e mesmo assim so para casos especificos onde as baterias nao sao viáveis (transporte rodoviario pesado de longo curso, ppr eexemplo)

  9. Rai Kuto says:

    Que eu saiba não houve nenhuma discussão pública para chegar à conclusão que o hidrogénio era a solução mais indicada. Que outros países estão a seguir este exemplo?

    Isto é capricho do secretário de estado ou há grupos com interesses na área e pagaram-lhe bem?

    Corremos o risco de ver o país investir milhões e milhões de euros e depois a “fábrica” não ser viável. Já é uma tradição portuguesa.

  10. Dani Silva says:

    Imaginemos os mesmos 1GW em 8.000h por ano, dá 8.000GW de electricidade.

    Tendo em conta que há autocarros no mercado com uma eficiência de 1kwh/km, isto quer dizer que teoricamente daria para fazer 8.000.000.000 km(1 GW = 1.000.000 kW).

    Logo, pegando no exemplo da carris de 29 milhões de km/ano, isto daria qualquer coisa como 8000/29= 275 vezes mais do que a Carris consome, comparando com as 27 vezes mais do hidrogénio.

    É por isto que o hidrogénio não tem futuro, quando se fazem bem as contas… é dinheiro deitado ao lixo!!

    • Toni da Adega says:

      Vão construir uma central elétrica. Com a eletricidade geram hidrogênio que pode ser utilizado para gerar eletricidade.

    • Miguel says:

      Não sei que contas sao essas mas nas 8000h de um ano são produzidos 1GW de electricidade POR ANO e nao 8000GW POR ANO.

      • miguel sabe fazer contas says:

        Com um 1 GWh não produzes 160 milhões de kg de hidrogénio.

        1 Kg de hidrogénio = 40 KWh
        160,000,000 * 40 = 6,400,000,000 Kwh = 6400 GWh

        Como a eficiência da electrolise anda por volta dos 70% .. facilmente se chega aos 8000 GWh.

        8 Terawats/hora ? A produção de energia eléctrica em Portugal anda à volta de 50 TWh há qualquer coisa estranha nestas contas.

    • miguel sabe fazer contas says:

      Correção: 1GW em 8.000h por ano, dá 8.000 GWh.
      Um central solar de 1GW, é coisa para uns 20Km2, isso é 1/10 da área total do concelho de Sines.

  11. jaugusto says:

    Puumm vamos ter uma fábrica de hidroGénio!! Ouvi dizer que o pessoal vai repartir a cantina com a fábrica da Google…

  12. xpto says:

    Dessalinização da água do mar (Salgada) e posterior electrólise, cujo resultado será o dito combustível, parece positivo.
    Fornecimento infinito de água + energia necessária ao processo a custo favorável parece bem.

    Agora. será essa a ideia ? ou é usar a preciosa e vital água potável/lençóis freáticos, que tem marginalmente custo zero.

    É que já temos o sorvedouro do eucalipto, que até é suave quando se constata que a “Canábis” dita medicinal consome 10X mais, não se levanta dúvida porque vieram para Portugal para a plantar, e já nem tendo em consideração os campos de golfe entre outros de uma lista bem extensa.

    Inovação e evolução é sempre positivo, o problema é quando se constata que só se aqui aparece, o que outros por razões lógicas, recusaram; vindo então da famosa “Holanda” ainda é preciso mais 1 milhão de reservas/cuidados adicionais.

  13. Hugo Andre says:

    Então e estas estatísticas!?:
    https://ibb.co/R6tDTTr eficiencia Hidrogenio vs Electrico

    Afinal o que é que é viavel!?

  14. João Santos says:

    Sinceramente acho que até pode ser viável, se for para ser central elétrica podia dar para arranjar maneira de quando o hidrogénio fosse “queimado” de recuperar o valor de água

  15. Redin says:

    Workshop “RoadMap para o Hidrogénio em Portugal: A visão da AP2H2” – Irá realizar-se no dia 02 de dezembro de 2019, no Auditório da Ordem dos Engenheiros, em Lisboa, um Workshop subordinado ao tema “RoadMap para o Hidrogénio em Portugal: A visão da AP2H2”. Para mais informações, consultar https://mailchi.mp/92795d36d6c8/workshop-roadmap-para-o-hidrognio-a-viso-da-ap2h2-para-portugal-programa-actualizado?e=9c8e6590b7.

  16. JChato says:

    Isto não passa duma palhaçada pegada!
    A Fonte de Energia mais limpa, inesgotável e BARATA é o SOLO!
    Desde o final do século XIX que se sabe disso!
    Estudos de Eminentes Cientistas Contemporâneos, provaram que isso é possível!
    O que falta é “tomates” para aplicar o Conhecimento!

    • João Santos says:

      Como assim solo?

      • SoloMio says:

        Energia geotermica

        • Aurélio says:

          Alinho mais nessa da “energia geotérmica”,esperemos pela próxima ideia “geo” política que pode ir nesse sentido, é uma questão de “oportunidade” para a lançar, mas talvez só em âmbito municipal/ rural /familiar, no que há exemplos bem sucedidos.
          É claro que não dá para armazenar e transportar, a não ser-mais uma vez -recorrendo a pilhas.
          Voltando ao MESMO, ” nada se cria, tudo se transforma”…
          HIDROGÉNIO como combustível … só nos foquetões da NASA.

          • Jorge Alves Martins says:

            Caro Aurélio,
            Lanço-lhe uma questão SIMPLES!
            Imagine (uma hipótese académica) que instala uma torre de captação de energia eléctrica na Serra do Marão!
            A partir do topo dessa torre … é emitida electricidade “sem fios”!
            O que se seguiria?
            Em cada casa/prédio era instalada um receptor da referida energia.
            E, ao longo do Território, seriam instaladas estações de recepção e distribuição da energia emitida!
            Nem lítio nem pilhas!
            Para cada torre (a produtora e as receptoras) bastava usar o cobre e outras matérias primas que abundam em Portugal!
            O cobre das linhas de alta, média e baixa tensão!
            Mais …
            Cada receptor (das torres e, depois, das casas/prédios) teriam, cada um, um código personalizado com 50.000.000 de caracteres!
            Em caso de “não pagamento” seria usado o mesmo código para “cortar” o abastecimento!
            SIMPLES!
            Energia eléctrica 100% PURA, BARATA e RENTÁVEL!
            O mesmo sistema de recepção de energia eléctrica usada para as viaturas (sejam de que tipo fosse … ligeiros, pesados, comboios e não só) … navios, por exemplo!
            Essa, sim, será uma revolução energética … ecológica e “amiga do ambiente”!
            A descarbonização demorará … 3 a 4 anos!
            Não é preciso papaguear mas sim aplicar o que se sabe e fiável!
            E vai ser implementada em Portugal … em breve!
            Mas … não é por quem, de momento, “manda”!
            Cumprimentos!

      • JChato says:

        A quantidade de raios (faíscas) que caem no solo são MILHÕES/ANO!
        Esses raios, são “DESCARGAS ELÉCTRICAS” que o solo absorve E ARMAZENA!
        O solo tem um “campo magnético” enorme que “atrai” essa ENERGIA.
        Nikola Tesla, em 1894 (ou 1895), foi para um campo deserto e, lá, conseguiu EXTRAIR essa Energia, para consumo!
        Foi (palavras de Albert Einstein) … o Homem mais Inteligente de sempre!
        J.P.Morgan era o maior Produtor de Cobre dos EUA!
        Foi o grande Financiador dos Estudos de Nikola Tesla!
        Quando Tesla começou a fazer essas experiência, retirou-lhe o Financiamento!
        Foi uma decisão dum CRETINO!
        Se tivesse continuado a Financiar Tesla, venderia MUITO MAIS COBRE porque a procura seria exponenciada …
        Nikolai Tesla foi o Homem com mais Patentes registadas até hoje!
        Vi um Documentário Biográfico sobre Nikolai Tesla!
        Hoje, os governos estão “reféns” da OPEP e há muita gente a ganhar comissões nessas transacções, para além dos Vendedores!
        Recentemente, no mesmo Documentário, Cientistas experimentaram a “teoria” desse Génio da Humanidade e COMPROVARAM que estava CERTO!
        Mais …
        Na selva Brasileira (Amazonas e não só), Espanha e, até em Portugal, são vendidos aparelhos que captam Energia Fotovoltaica e a armazenam ANULANDO qualquer necessidade de ligar as casas às Distribuidoras de Electricidade!
        Em Portugal … o “site” … já não funciona, claro!
        Porque será?
        Pode-se comprar drogas e testosterona na internet cá!
        Mas, os tais aparelhos 100% fiáveis … não!
        Investigue-se!

        • says:

          Que pena o Padre Himalaia (N. 09/12/1868, F. 21/12/1933) e Nikola Tesla (N. 10/07/1856, F. 07/01/1943) nunca se terem encontrado. Se tivessem dado as oportunidades certas a estes dois visionários da energia, concerteza que o mundo de hoje seria muito diferente.

        • says:

          Que pena o Padre Himalaia (N. 09/12/1868, F. 21/12/1933) e Nikola Tesla (N. 10/07/1856, F. 07/01/1943) nunca se terem encontrado. Se tivessem dado as oportunidades certas a estes dois visionários da energia, concerteza que o mundo de hoje seria muito diferente.

  17. José Simões says:

    medindo a energia em gigawatts, tudo é possível

  18. Alberto Riafa says:

    Se o hidrogenio é uma enegia 100% limpa e contribui para resolver os problemas ambientais, então não podemos continuar a fazer contas para saber se é mais caro ou mais barato, ou se é melhor ou pior do que outras alternativas energeticas. A casa está a arder e continuamos a discutir o preço da água para apagar o incendio. A utilização de alternativas limpas não é uma opção, é uma necessidade urgente e, mesmo que não seja a opção mais barata ou a mais eficiente, vamos todos de ter de a pagar. É uma questão de sobrevivencia! Temos de apagar o fogo! E se for necessário ter de pagar para isso acontecer, qual é a opção? Deixar arder?

  19. Aurélio says:

    Deve estar “na forja” uma nova empresa “cor-de-rosa” para instalar ou mais unidades de PRODUÇÃO de HIDROGÉNIO “verde”.
    Promoção iniciada pelo 1º Ministro em “palco” internacional à qual se seguirá provavelmente o apoio publicitário do Ministro do Ambiente e a iniciativa empresarial de João Galamba
    Para o caso de falhar o lítio ou após este se tornar obsoleto, podemos contar com reservas imensas de “hidrogénio verde” ao longo da costa marítima de Portugal..
    É claro que teremos que começar pelo estudo, o impacto ambiental e – ao mesmo tempo, não precisa esperar – o projecto de uma utopia, tudo com financiamento assegurado e os “investidores” do costume (os Contribuintes)..

  20. Aurélio says:

    É caso pára que um outro 1ªMinistro criou e alimentou a utopia do TGV, tendo sido desperdiçados nisso uns MILHÔES, só nas intenções –

  21. Aurélio says:

    Foi a 1ª vez que – hoje – tentei publicar comentários a factos ou notícias.
    Cada um deles (4) “aguarda moderação”, o que eu acho bem embora “cheire” a CENSURA .
    Espero que venham a ser publicados, porque não contêm nenhuma ofensa verbal a pessoas ou entidades nem palavras de má criação cívica.

    • Vítor M. says:

      Aurélio, calma. Estavam em moderação porque o sistema assim os colocou por ter algo novo (mail, nick, ips, ou algo). Sendo comentários sérios, que cumpram as regras, é um prazer até ler.

      Cumps.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.