Quantcast
PplWare Mobile

Portugal: Cinco cêntimos por cada garrafa de plástico devolvida

                                    
                                

Autor: Vítor M.


  1. Gabriel Allon says:

    Por cá (Noruega) os valores são muito aproximados, cerca de 2 centimos por garrafas/e latas de refrigerante até meio litro e 3 centimos a cima disso. Acho uma excelente medida e espero que não apareça aí malta que só sabe criticar.

  2. Nothing to! says:

    Já existe na Alemanha a muito tempo, o chamado Pfand.

  3. Armindo says:

    Só agora? Aqui na Alemanha já existe isso há mais de 15 anos. Não sei como este sistema ainda não foi implementado a nivel europeu.

  4. Marcial says:

    Pode ser que isso ajude com que a malta deixe de jogar garrafas de plástico do carro. Existem muitas estradas onde as bermas estão cheias delas.

  5. gonsa says:

    A solução era não venderem produtos em embalagens de plástico, principalmente garrafas de água.. Embalar água em plástico é o início do desperdício.
    Passam a responsabilidade para o consumidor quando são as grandes marcas a produzirem e criarem o plástico que não tem reciclagem..

    • eu says:

      E a tua solução é ?
      Ou és como a greta que é um buraco que só sabe criticar.

      • Rrrrrr says:

        Acho que devemos comecar por cirticar, para fazer ver o que realmente esta de errado. Se ninguem criticar, apenas quer dizer que esta tudo bem.

        Mas por exemplo, uma medida forte seria taxar forte os produtos que nao sao 100% reciclaveis.

        • Jeton says:

          Foi taxado tudo o que tem açúcar e o estado está todo contente pois fatura mais. E se fores ver não se deixou de vender.
          A título de exemplo a Coca-Cola de 1lt custava 1€ em média numa grande superfície, passou para 1,22€ e as vendas mantiveram-se ….

      • Emanuel Barros says:

        A solução é Vidro e Latas. Era assim antigamente! Reciclado ao infinito o vidro e latas e por processos bem mais simples que o plástico.

        • pff fdsd says:

          O que não deixa de ser uma teoria da treta, para reciclar vidro e metais é preciso gastar-se enormes quantidades de energia, tanto quanto gerar novo…

          • Paulo Marques says:

            No caso das bebidas em garrafas de vidro retornável, não é necessário que sejam recicladas logo está resolvida essa parte do problema

          • Paulo Marques says:

            No caso das bebidas em garrafas de vidro retornável, não é necessário que sejam recicladas logo está resolvida essa parte do problema

          • Tiago says:

            Errado.
            O vidro é 100% e infinitamente reciclável.
            E é mais barato reciclar vidro do que fabricar novo.

      • ASilva says:

        Fantástico comentário de Ómem com O grande, porque o h já o perdeste à muito…..

      • rodrigo says:

        Ela so sabe criticar mas esta a fazer muita gente pensar. Temos de mudar a nossa mentalidade e isso custa a muitos.

      • BC says:

        Fala o gajo que critica sentado no sofá.
        Dificil é levantar a peida e ir fazer alguma coisa como a miúda está a fazer, né?
        És o maior da tua aldeia.

  6. RM says:

    E porque não usar filtros de água, de preferência recicláveis, com a água da torneira ?

    • ze says:

      Como instalo uma coisa dessas no carro, espero que chova?

      • Tiago says:

        Pode utilizar uma garrafa reutilizável de metal ou vidro ou mesmo que seja de plástico pode usar a mesma garrafa milhares de vezes.
        Enche a garrafa ou garrafas em casa, ou no trabalho, ou em um estabelecimento (existem restaurantes e cafés onde servem agua da torneira filtrada).
        Está bom assim?

        • ze says:

          Isso é muito giro para pessoas pouco ocupadas que não têm mais nada com que ocupar a cabeça. Até no trabalho pedi para ter sempre água engarrafada disponivel, não há paciência para levar a garrafa reutilizavel e depois ter de a lavar.

      • RM says:

        Podes trazer uma garrafa de casa. Sai mais barato, poupas dinheiro e tornas-te mais amigo do ambiente.

  7. Tito Portugal says:

    Acho uma ideia muito boa, mas vai incentivar o consumo de mais garrafas de plástico para os tais vales de desconto para comprar outras garrafas de plásticos e assim por diante.

    • Fusion says:

      Se uma garrafa custar 10 centimos e tiver um vale de 5 centimos, fazer isso iria ter uma despesa de 5 centimos. Agora se o valor da garrafa de água for inferior ao vale, então aí meu amigo a coisa muda, e como são muitos portugueses iria haver muita gente a comprar garrafas só pelo desconto na fauta final.

    • Jeton says:

      Concordo, mas isso vai ser mesmo assim.
      Vamos ter algumas pessoas que vão pelo menos apanhar o que os outros deitam fora

  8. Tiago Soares says:

    Com tanto exemplo na Europa, PT volta a implementar estas medidas de forma errada.
    Aqui na Holanda, o Estado não “obriga” os supermercados a dar descontos. Os supermercados cobram um acréscimo de 25 cent por garrafas de plástico de 1L ou mais; e 10cent por garrafas de vidro (cerveja). No momento da entrega das garrafas, os mesmos valores são devolvidos tal como no vasilhame. Os valores são desproporcionados para o caso português naturalmente, e teriam que ser adaptados.
    No entanto, o modelo holandês tem uma vantagem em relação ao português que tem muito mais impacto: as pessoas que não o fazem são prejudicadas directamente. No caso português estamos a falar de um prémio que rondará os 50 cent (no limite) por visita ao supermercado. Qualquer família de classe média (e acima) não irá sentir-se particularmente obrigada a cooperar a troco de 50cent. Pelo contrário no caso holandês, somos apenas um casal e por semana devolvemos cerca de 2/3€ em garrafas.

    • keyboardcat says:

      Excepto que esse sistema também as suas falhas. Por exemplo, por norma não consegues devolver garrafas compradas em diferentes cadeias de supermercados (por exemplo, tenta devolver uma garrafa do Lidl no Albert Hein) o que para mim por vezes é frustrante porque frequento diferentes supermercados (tenho Lidl, Ah e Dirk a minha volta)

      O outro problema é o facto de penalizar pessoas que reciclam (como é o meu caso). Eu perco algum dinheiro por mês porque para mim é mais fácil deixar as garrafas no ecoponto com o resto dos plásticos do que ter que levar as garrafas de volta para o supermercado.

      Embora eu apoie estas medida, visto a maioria das pessoas a minha volta não serem amigas de reciclar. Pelo menos isto é um incentivo para as pessoas que não tem a decência de reciclar em primeiro lugar.

      • Tiago Soares says:

        Sim, eu também evito comprar bebidas no Lidl por causa disso. Depois fico agarrado a ter que lá voltar para devolver. Mas só neste raciocínio já se vê que a medida provoca alterações no comportamento das pessoas de forma natural. E isso acho que é bom.
        Em relação ao resto, certíssimo. Não é perfeito; mas acho muito mais correcto do que a alternativa portuguesa.

    • Jeton says:

      Não sei, talvez tenhas razão no entanto desde que se começou a pagar os sacos vemos os super mega poupados a levar montes de artigos na mão ou a levar garrafas em sacos de papel, como eu já vi no PD só que não se apercebem do peso e algumas vezes rasga.

  9. Joaquim Cardoso says:

    Porque não doar esses cêntimos a favor de uma organização, sendo que todos os meses alteravam-na.

    • Tiago Soares says:

      Na Holanda, ao lado das máquinas do vasilhame está uma tômbola para quem quiser fazê-lo.
      (PF não pensem que estou para aqui a fazer o típico papel do emigras da aldeia que diz que em “Paris de França” é que é bom. Mas os exemplos já existem…mesmo…)

    • Miguel says:

      Sim eu vou ja apanhar garrafas para dar dinheiro a greta…

      A ideia é que o pessoal tenha um retorno, agora andar a manter gretas não!

      • boemio says:

        o que a greta quer…sei eu.
        mais uma oportunista comandada pela esquerdalha.

        • ASilva says:

          A Greta é uma rapariga de 16 anos e que provavelmente não deve medir mais de 1,60 m de altura e no entanto intimida tanto homem… Sentem-se inferiorizados com a miúda, é isso? É daí que vem essa raiva toda? Querem chorar um bocadinho? Não é vergonha nenhum.

          • rodrigo says:

            A Greta esta-lhes a incomodar! :p

            E agora eles vão dizer..’Incomodar? Quem? Eu? Nem pensar! bla bla bla’…

  10. boemio says:

    voltemos ao tempo da entrega do vasilha-me em vidro e la se vao os plasticos!!!!

    • Tiago says:

      E era assim que deveria ser. Não era um incomodo assim tão grande e incutia responsabilidade no consumidor e no vendedor/produtor.

      E se marcas diferentes aderissem a garrafas / frascos / embalagens standard isso iria baixar muito o custo de produção das garrafas de vidro, e assim de alguma forma compensar o não usar plástico ( a vantagem do plástico é ser super-barato).

  11. DrFrank says:

    Finlandia, chega ao 20cent/garrafa plastico. Até latas de cerveja contam.
    Engraçado ver malta com sacos enormes em parques e festivais a apanhar tudo que é lata e garrafa.

  12. Gonçalo Oliveira says:

    Estou surpreendido pelo Governo dar um prémio a quem faz ao invés de taxar quem não faz, como é geralmente o apanágio.
    Espero que resulte, pois há muito boa gente que apenas faz algo se puder ganhar algo em troca (ou não perder). Muitos comentários eu ouço sobre reciclagem de malta que não faz “porque não ganha nada com isso”, porque “dá trabalho para outros ganharem dinheiro”, etc. sem se preocuparem com o ambiente como um todo.
    Da minha parte, já faço a separação do plástico para reciclagem há muitos anos, e não será o incentivo de receber 50 cêntimos que me fará ir carregado de garrafas vazias para o supermercado. Prefiro continuar a colocá-las no ecoponto mais próximo, abdicando dos 50 cêntimos.

  13. Rodrigo says:

    Lá vamos começar a ver os agarrados a fazerem filas nos supermecados, para irem buscar trocos para mais uma dose.

  14. Pedro Fernandes says:

    Já algum tempo que faço a Reciclagem o que me fascina é quando digo que estou a Reciclar (guardar as garrafas) as pessoas ficam admiradas olhar para mim e oiço expressões deste tipo “porquê de não deitar para o lixo em vez de estar a guardar” por semana chego a reciclar à volta de 6/8 garrrafas de 1,5L mas infelizmente a mentalidade do Tuga é mesmo essa vamos abrir o vidro do carro, deitar para a estrada.

    • Hugo says:

      A grande maioria das famílias que conheço fazem reciclagem.
      As bermas de estrada de 2019 e 1995 não são as mesmas nem de perto nem de longe.
      Ainda podemos melhorar em muitos aspectos, mas não podemos desvalorizar o progresso que já foi feito.

      • Pedro Fernandes says:

        Concordo ;), não desvalorizo 😉 todas as iniciativas para mim são bem recebidas mas ainda acerca de 2 meses assisti uma viatura a entrar na A16 atirar o seu belo saco de plástico para a berma da estrada, lógico que não quero generalizar 1 caso para “1000” mas se está mais limpo também assisto à limpeza das mesmas.

        • Fulano says:

          Se vistes e não denunciaste a matrícula do veículo à GNR ou PSP é porque concordas com o sucedido.
          Óbvio que não concordas, mas sempre que vires alguém a fazer isso, passa num posto qualquer e denúncia essa escumalha.

          • Eduardo says:

            O mais certo é a GNR rir-se de ti e dizer para não os incomodares com coisas dessas. Eu já vi pessoas mandarem beatas de cigarro à frente de polícias e eles nem dizem nada. Para que servem as leis se ninguem as obriga a cumprir?

      • ze says:

        Eu reciclo zero, apenas por uma questão de comodidade e por saber que existe separação de lixo.
        Independentemente disso nunca fiz lixo na rua, nem uma pastilha mando para o chão e se vejo alguém atirar coisas pela janela do carro leva com buzinadela ou máximos.

  15. LG says:

    A Suíça há muitos anos teve isso. Hoje deixou de existir porque o suíço em geral recicla bastante. Porquê? Mentalidade… A sociedade habitou-se a recliclar.

    82% das garrafas de plástico (PET) caíram na reciclágem. (Sim… falta um bom bocado para os 100%, mas não deixa de ser um valor alto).

    Caso dos sacos plástico foi a mesma questão em Portugal. Era pegar ao monte. No momento que se introduziu um custo de 2 ou 3 cêntimos por saco as pessoas deixaram de pegar em tanto. 2-3 cêntimos??? Isso nem é muito mas bastou.

    Um saco de lixo na suíça (35 L) custa perto de 2€. Quem não quer pagar este valor e utilizar sacos normals pode ter a certeza que os homens do lixo deixem isso onde encontraram. O que leva ao suíço fazer? Reciclar pois isto é grátis.

    O sistema em Portugal é uma treta. Sim… existem os ecopontos e tudo. Mas basta ver países como Noruega, Suíça, Alemanhã e aí sim, até as garrafas de vidro são separadas por cores (http://www.vetroswiss.ch/db/16/775.jpg)

  16. Jorge Ribero says:

    Por defeito compramos água em garrafa/garrafões nos supermercados, porque a água fornecida na torneira e paga ou não tem qualidade ou a mensagem que passa para o consumidor não é esclarecedora, ou não deixam que a mesma seja.

  17. ANS says:

    por 2 cent ou mesmo 5 cent, não dá para o trabalho..

    • Diogo says:

      Que acéfalo, se calhar querias receber um ordenado, não? ou talvez um rendimento minimo por v. exa. ter esse incomodo… é só camelos nesta républica das bananas, a baixar o vidro do carro e mandar lixo para a estrada… também são como tu, dá muito trabalho guardar o lixo para o colocar no devido recipiente

  18. Alguem says:

    porque não em numerário?

    • Elkido says:

      Em numerário nunca poderá ser… um dos exemplos seria o dos agarradinhos fazerem filas nos Hiper/Super e isso não estaria certo…o dos vales de compras/descontos é o processo mais adequado.Conheço empresas de sucata que compram latas de refrigerante (alumínio)… uma boa técnica é as amolgar e as colocar em sacas para caber muitas… Nesse caso uma saca cheia de latas bem amolgadas vale um bom dinheiro numa sucateira e é pago em dinheiro vivo…. Os ciganos e outras pessoas andam apanhando sucata e latas para venderem nos sucateiros

  19. João Santos says:

    Acho que devíamos ter antes acesso a 1 cartão que só dava para débito sem limites para gastarmos onde quisermos. Também seria interessante existir um incentivo que por exemplo os clientes a chegar ao objetivo x tinha por exemplo acesso a 1 painel solar, depois objetivo y acesso a 1 lâmpada led por aí fora. Se e pelo ambiente então temos de pensar num todo e não só em vales para mais consumo

  20. paulex says:

    A sociedade Ponto Verde, embora seja uma entidade privada sem fins lucrativos, ao recolher o nosso plástico gratuitamente sem qualquer custo deve ter um “fundo de maneio muito interessante”, já que estamos a dar-lhe muitos cêntimos constantemente… Pode ser ignorância minha, mas não tenho conhecimento que sejam muito activos na distribuição desses lucros pela sociedade civil…

  21. Vitolas says:

    Portanto a solução passa por serem os privados, neste caso supermercados e hipermercados a terem de gastar dinheiro nas maquinas e consequentemente ainda terem de dar dinheiro as pessoas por reciclarem,ou escapou-me alguma coisa?

  22. Tunes says:

    Agora entendo o porquê de Portugal estar na cauda da Europa, tudo é um problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title="" rel=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*

Aviso: Todo e qualquer texto publicado na internet através deste sistema não reflete, necessariamente, a opinião deste site ou do(s) seu(s) autor(es). Os comentários publicados através deste sistema são de exclusiva e integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. A administração deste site reserva-se, desde já, no direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação do seu autor (nome completo e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.